Arquivo da tag: ataque

Criança de 4 anos é mordida no rosto e pai fica ferido após ataque de cachorro, em João Pessoa

Um menina, de 4 anos, e o pai dela, de 21 anos, foram atacados por um cachorro da raça pitbull no início da noite desta quarta-feira (29), no Bairro das Indústrias, em João Pessoa. Conforme informações do Samu, o ataque aconteceu na frente da casa em que a família mora.

A garota saiu de casa para receber o pai, que voltava do trabalho, quando foi mordida pelo animal na região da bochecha e dos ombros. O homem defendeu a filha e também foi ferido com arranhões.

À TV Cabo Branco, o tutor do cachorro informou que o animal é dócil, que ele fica preso e que o acidente foi uma fatalidade. Ele disse ainda que vai se responsabilizar pelo o que aconteceu.

Pai e filha passaram por atendimento médico pelo Samu. A menina foi socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena. Já o pai foi encaminhado para o Hospital Edson Ramalho. Ambos estão com quadro de saúde estável.

 Foto: Felícia Arbex/TV Cabo Branco

G1

 

Polícia apreende explosivos e veículo utilizados em ataque à agência bancária

Os policiais militares apreenderam espoletas, ferramentos, artefatos explosivos e um dos veículos usados no ataque à agência bancária do Bradesco, em Jericó, no Sertão paraibano, na noite de sexta-feira (29). Todo o material foi encontrado dentro do veículo, um Fiat Pálio de cor prata, abandonado no sítio Riacho Seco, zona rural de Lagoa (PB), que apresentava queixa de roubo.

Durante a ação criminosa, os bandidos se dividiram em dois grupos: um deles montou o explosivo para estourar o caixa eletrônico enquanto que o outro deu apoio, interditando a rua próxima e efetuando vários disparos de fuzil, pistolas e espingarda 12 contra o destacamento de polícia que havia chegado no local. No tiroteio, paredes de residências e viaturas policiais foram atingidas.

Os assaltantes fugiram com destino a zona rural do município e foram perseguidos pela Polícia Militar. Várias diligências foram realizadas na região pelas guarnições do CMT DO CPR2, BOPE, GATE, Força Regional, Forca Tática e guarnições de outros municípios circunvizinhos. No total foram encontrados 13 artefatos explosivos e 5 espoletas.

paraiba.com.br

 

 

Ataque dos EUA ao Irã gera tensão entre líderes mundiais

O ataque dos Estados Unidos que resultou na morte, no Iraque, de um militar de alta patente do Irã, o general Qassem Soleimani, e a tensão disparada com o ato repercutiram entre líderes mundiais. O tema ganhou visibilidade hoje (3) devido aos riscos da escalada do conflito entre as duas nações.

Diante da repercussão do episódio, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, buscou justificar o ato. Em sua conta no Twitter, declarou que Soleimani matou ou feriu “milhares de americanos por um período estendido de tempo e planejava matar muito mais” e acusou-o de participar da morte de manifestantes iranianos em seu país.

“Embora o Irã não admitisse isso, Soleimani era odiado e temido em seu país. Eles não estão tristes como seus líderes querem fazer o mundo crer”. Trump acrescentou que as pessoas do Iraque “não querem ser dominadas e controladas pelo Irã”.

Também pelo Twitter, o líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, postou que o país vai “honrar a memória do Major Soleimani” e declarou três dias de luto. O presidente da República Islâmica do Irã, Hassan Rouhani, acrescentou que a “resistência contra os excessos dos Estados Unidos vai continuar” e que “o Irã vai se vingar deste crime hediondo”.

O ministro das relações exteriores do Irã, Javad Zariff, afirmou que o “ato de terrorismo internacional” dos Estados Unidos, a força mais efetiva de luta contra o Estado Islâmico, é “extremamente perigoso e uma escalada tola”. O chanceler completou que os EUA são responsáveis pelo seu comportamento “aventureiro”.

O primeiro-ministro do Iraque, Adel Abdul Mahdi, condenou o ataque, classificando-o como uma “agressão ao Iraque, ao Estado, ao governo e ao seu povo”, bem como uma violação da condição das forças dos Estados Unidos no país.

Outros países

Representantes do governo Russo criticaram o ato e manifestaram apoio ao Irã. O diretor do Conselho da Europa para Relações Exteriores, Carl Bildt, apontou que a situação enfraquece o Iraque e faz o país mais propenso à atuação de grupos terroristas, como o Estado Islâmico.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Antônio Guterres, manifestou preocupação com a situação e advogou pela redução do aprofundamento dos conflitos no Golfo. “Este é um momento em que líderes devem exercitar sua cautela. O mundo não pode permitir uma nova guerra no Golfo”, pontuou.

O ministro das relações exteriores do Canadá, François-Phillipe Champagne, divulgou nota em tom semelhante na qual convoca os governantes dos países envolvidos “de todos os lados” para não permitirem a escalada do conflito. “Nosso objetivo continua sendo um Iraque estável e unido”, continuou, acrescentando que o país possuía preocupação com a atuação do general iraniano na região.

 

Ver imagem no Twitter

 

Saída do Iraque

A embaixada dos Estados Unidos no Iraque emitiu um alerta de segurança recomendando que os cidadãos deixem o país em razão dos riscos de retaliação em razão do ataque. O órgão informou que as atividades estão suspensas e pediu que os cidadãos estadunidenses não se aproximem da sede.

No dia 31 de dezembro, a embaixada foi atacada por manifestantes na capital, Bagdá. Trump acusou o Irã de responsabilidade pelo ato. O governo iraniano, contudo, negou qualquer participação na iniciativa.

Entenda o caso

Um comandante de alto escalão da Guarda Revolucionária do Irã, Qassem Solaimani, foi morto ontem (2) nos arredores do aeroporto de Bagdad, capital do Iraque. Soleimani era o comandante da unidade de elite Força Quds, uma brigada de forças especiais responsável por operações militares extraterritoriais do Irã que faz parte da Guarda Revolucionária Islâmica.

O governo dos Estados Unidos justificou a ação afirmando que as forças armadas do país “agiram defensivamente de forma decisiva, matando Qassem Soleimani para proteger os indivíduos americanos no exterior”.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ordenou a morte do comandante da força de elite iraniana Al-Quds, general Qassem Soleimani, anunciou o Pentágono em um comunicado. Na nota, o Pentágono disse que Soleimani estava “ativamente a desenvolver planos para atacar diplomatas e membros de serviço norte-americanos no Iraque e em toda a região”.

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, respondeu que o país preparará uma “retaliação severa” pelo ataque.

Agência Brasil

 

 

Ataque dos EUA impactará no preço dos combustíveis, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (3) que o ataque feito pelos Estados Unidos a um comboio no Iraque, que resultou na morte do comandante de alto escalão da Guarda Revolucionária Islâmica do Irã, deverá impactar no preço dos combustíveis no Brasil. Bolsonaro descartou a possibilidade de tabelar o preço do produto para controlar impactos e disse que vai discutir o assunto com a equipe econômica e com o chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno.

O ataque norte-americano nas proximidades do Aeroporto de Bagdá pode acirrar o clima de tensão e provocar reflexos em todo o mundo. “Tive algumas informações [sobre o ataque] nessa madrugada, e vou me encontrar com o Heleno [do GSI] para me inteirar sobre o que aconteceu para, depois, emitir juízo de valor”, disse o presidente ao deixar o Palácio do Alvorada.

Apesar de admitir a preocupação com reflexos da crise internacional sobre a economia do país, o governo não pretende intervir em políticas de preços como o tabelamento. “Que vai impactar, vai. Agora vamos ver nosso limite aqui, porque já está alto, e se subir mais, complica. Mas não posso tabelar nada. Já fizemos esse tipo de política de tabelamento antes e não deu certo. Vou agora conversar com quem entende do assunto”, completou. Bolsonaro tentou contato com o presidente da Petrobras, Roberto da Cunha Castello Branco, mas eles ainda não conseguiram conversar sobre o assunto.

O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a quebra do monopólio da Petrobras como uma alternativa para baratear os combustíveis. “Temos de quebrar o monopólio [para evitar a alta dos combustíveis]. A distribuição é ainda o que mais pesa no preço, e depois o ICMS [Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços], que é um imposto estadual”, acrescentou ao ressaltar que, por o ICMS incidir sobre bases de preços maiores, o aumento do preço acaba agradando governadores, uma vez que aumenta também as receitas.

Para Bolsonaro, o Brasil já chegou ao limite no que se refere a cobrança de impostos. “Não dá para aumentar mais imposto no Brasil. Ponto final. No ano passado pagamos por dia mais de R$1 bilhão em juros. Foram R$ 400 bilhões por ano. A Europa foi reconstruída, pós 2ª guerra mundial, um montante desse. Então, por ano, pagamos uma reconstrução da Europa”, disse. Ele ainda lembrou que a queda da taxa básica de juros (Selic) para 4,5% ao ano resultou em uma economia de R$ 110 bilhões no corrente ano.

EUA

Em fevereiro, Bolsonaro viajará aos EUA para visitar empresários militares do setor energético interessados em apresentar ao presidente uma tecnologia de transmissão de energia elétrica sem meio físico (linhas de transmissão).

“Se isso for real, de acordo com a distância vamos resolver o problema de energia elétrica de Roraima, passando por cima da floresta. Estamos há sete anos tentando fazer o Linhão de Tucuruí e não conseguimos. Em consequência pagamos mais de R$ 1 bilhão em subsídios, porque não pode passar a linha de transmissão costeando uma reserva indígena. Isso é o Brasil”, disse o presidente.

PB Agora

 

 

Ataque de hackers a celulares de deputados da Paraíba faz mais uma vítima

A onda de clonagem a celulares de deputados estaduais na Paraíba tem nova vítima. Dessa vez, o deputado estadual Ricardo Barbosa teve seu número clonado e os hackers estão usando para aplicar golpes. A denúncia foi feita pela assessoria do parlamentar nesta segunda-feira (2) por meio das redes sociais.

Semana passada outros seis deputados, Wallber Virgulino, Jane Panta, Trócolli Junior, Branco Mendes e Lindholfo Pires sofreram o mesmo golpe.

As vítimas prestaram um Boletim de Ocorrência e foram nas operadas dos respectivos números clonados para resgatar um novo número.

A clonagem de telefones é um dos crimes mais recorrentes nos últimos anos e tipificada no Código Penal como Adulteração do IMEI – número de Identificação Internacional do equipamento, que tem punição de reclusão, de um a três anos, e multa não só para quem adulterar o número do aparelho, mas também para quem comercializar aparelhos alterados.

 

clickpb

 

 

Após ataque de Eduardo Bolsonaro, Julian Lemos diz que já aguentou muita ‘molecagem’ e não será ‘humilhado’

O deputado federal Julian Lemos se pronunciou na tarde deste sábado (19) após ataque do deputado federal Eduardo Bolsonaro, ontem. Eduardo postou uma montagem de Julian em uma privada, e apagou a publicação horas depois.

Aparentemente, Julian não gostou. O paraibano disse que já aguentou ‘muita molecagem’ e ‘engoliu muito sapo’.

“Já aguentei muita molecagem, já “engoli muito sapo” Já ignorei usuários de Diazepan que se escondem atrás de redes sociais, não tenho nada haver com problemas familiares dos outros, mas quem fizer sofrer a minha pagará caro por isso, nem que isso custe minha vida”, postou.

Ele disse ainda que  ‘não serei usado ou humilhado por “reizinhos” que nada sabem sobre a vida, não me relaciono com moleques, também não me intimido com covardes’.

Veja a postagem na íntegra:

_

Por Redação / Portal WSCOM

 

 

Ameaça de ataque em escola assusta pais de alunos em JP

Uma conta anônima no Instagram fazendo ameaças à escola Papa Paulo VI, em Cruz das Armas, assustou pais de alunos em João Pessoa. O caso veio à tona na manhã desta quinta-feira (17), após a mãe de um aluno fazer a denúncia na TV Arapuan.

A mãe, que não quis se identificar, enviou várias capturas de tela que mostravam uma conta chamada “Massacre Papa Paulo 2k19” fazendo ameaças à escola. As imagens foram encaminhadas à produção do Sistema Arapuan.

Na apresentação do perfil diz que na escola “quem erra é o certo e o certo é o errado”. A descrição continua dizendo que há “drogas, bebida e reprovação. só vê os que acham fracos então tudo isso vai ter volta”

O perfil foi apagado, mas as capturas de tela mostram ainda outras ameaças e até a foto de um revólver.

Denúncia

A mãe disse que se preocupa pelo fato de acreditar tratar-se de um aluno que pode entrar armado na escola.”Daqui que a polícia entre já tem morrido muita gente”, disse. A mulher acrescentou ainda que uma rede wi-fi de dentro da escola teve o nome modificado para ‘massacre dia 17’.

A diretor da escola, Tereza Vidal, contou que já procurou a Polícia Militar e a Secretaria de Educação, além da Comissão das Escolas Cidadãs Integrais. Ela foi orientada a fazer um Boletim de Ocorrência e, em seguida, pediu ajuda à polícia para se fazer presente e dar mais segurança.

“Não podemos entrar em pânico diante de ameaças de internet, pode ser alguém de fora, ou da escola, mas não estamos aqui para julgar, mas sim mostrar os fatos como são. O pânico foi causado pelas famílias e comunidade, mas dentro da escola está tudo tranquilo. A PM está nos ajudando e contribuindo para ter aula normal”, disse.

A diretora destacou que na tarde desta quinta-feira (17) às 14h tem reunião com representantes da Segurança Pública, Educação e Conselho Tutelar para tranquilizar os pais.

O início

As ameaças começaram na sexta-feira (11) e na segunda-feira (14) a diretora procurou a polícia. De acordo com professores pode se tratar de um aluno revoltado, já que ele faz menção ao que está certo ou errado, mas estão todos assustados porque temem que aconteça o que já aconteceu em outros estados e fora do país.

Apesar do temor, os professores esperam que tudo não passe de uma brincadeira, mesmo assim, a polícia continua realizando rondas na escola para tentar coibir qualquer ação má intencionada.

A escola Papa Paulo é tradicional no bairro e atende cerca de 500 alunos da comunidade.

Mais um caso

Esta não é a primeira vez que uma ocorrência do tipo acontece. Na semana passada o Ministério Público abriu um Procedimento Administrativo para promover a coleta de informações a respeito de uma possível ocorrência de atentado em uma Escola no bairro Tambiá, em João Pessoa.

Na ocasião, o procedimento visava coletar informações, depoimentos, certidões e demais diligências necessárias para averiguar um texto deixado no banheiro masculino da Escola Estadual Professor Luiz Gonzaga de A. Burity, no dia 06 de maio.

A responsável por este caso é a promotora de Justiça de João Pessoa Gardênia Cirne de Almeida.

paraiba.com.br

 

 

Explosivos que seriam usados em ataque a banco são apreendidos em Mamanguape, PB, diz polícia

Uma sacola com explosivos que seriam usados em um ataque a um banco foram apreendidos no final da tarde desta quinta-feira (10), no distrito de Camaratuba, em Mamanguape. Entre o material encontrado estão duas bananas de dinamite.

Os explosivos foram achados em cima do guarda-roupa da casa de uma mulher, de 35 anos, que foi presa em flagrante pela Polícia Militar, suspeita de ser dona do material. Em outro imóvel, que também pertence a ela, foi encontrada uma motocicleta roubada.

“Segundo a Coordenadoria de Inteligência, o material estava guardado para ser usado em um ataque contra banco que provavelmente ocorreria ainda nesta madrugada”, explicou o major Alberto Filho.

Segundo a PM, a mulher tem familiares envolvidos com crimes semelhantes. Ela foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil de Mamanguape, onde permanece à disposição da Justiça.

G1

 

Bolsonaro rebate Bachelet com ataque a pai torturado

O presidente Jair Bolsonaro respondeu a críticas da ex-presidente do Chile Michelle Bachelet atacando seu pai, Alberto Bachelet, torturado e morto pela ditadura de Augusto Pinochet no país. Alta Comissária para Direitos Humanos da ONU, ela disse em entrevista que o “espaço democrático” no Brasil estava encolhendo.

Em redes sociais, Bolsonaro, que estará na Assembleia Geral da ONU neste ano, publicou uma foto em que a ex-presidente chilena aparece ao lado de Dilma Rousseff e Cristina Kirchner, ex-presidentes de Brasil e Argentina.

“Seguindo a linha do (Emmanuel) Macron (presidente da França) em se intrometer nos assuntos internos e na soberania brasileira, (Michelle Bachelet)investe contra o Brasil na agenda de direitos humanos (de bandidos), atacando nossos valorosos policiais civis e militares”, escreveu Bolsonaro. “Diz ainda que o Brasil perde espaço democrático, mas se esquece que seu país só não é uma Cuba graças aos que tiveram a coragem de dar um basta à esquerda em 1973, entre esses comunistas o seu pai brigadeiro à epoca”, concluiu, no Facebook.

Aos jornalistas em Brasília, na manhã desta quarta, ele reiterou as críticas. “Parece que quando tem gente que não tem o que fazer, como a senhora Michelle Bachelet, vai lá para cadeira de direitos humanos da ONU. Passar bem, dona Michelle”. Bolsonaro ainda desejou “pêsames” para Bachelet. “A única coisa que tenho em comum com ela é a esposa que tem o mesmo nome. Fora isso, fora isso, meus pêsames a Michelle Bachelet”, disse o presidente.

 

Foto: Reuters
Terra

 

 

Novo ataque a tiros deixa nove mortos nos Estados Unidos

Um novo ataque a tiros deixou ao menos nove mortos, incluindo o atirador, e 16 pessoas feridas na cidade de Dayton, em Ohio, nos Estados Unidos. O tiroteio ocorreu apenas algumas horas depois de um incidente semelhante em El Paso, no Texas, que resultou em 20 mortes.

“O atirador morreu. Há também outros nove mortos. Pelo menos outras 16 pessoas foram levadas para hospitais da área com lesões”, anunciou o Departamento de Polícia de Dayton. “Tínhamos agentes nas imediações quando começou este tiroteio, pudemos agir e dar fim a ele rapidamente”, acrescentou.

Dez pessoas, incluindo um suspeito, foram mortas no domingo (04 de agosto) em um tiroteio em Dayton, Ohio, e pelo menos outras 16 foram levadas para hospitais com ferimentos, segundo a polícia.
Dez pessoas, incluindo um suspeito, foram mortas no domingo (04 de agosto) em um tiroteio em Dayton, Ohio, e pelo menos outras 16 foram levadas para hospitais com ferimentos, segundo a polícia. – Reuters/Direitos Reservados

A polícia afirmou que o ataque começou por volta de 1h (horário local) e que o FBI (departamento federal de investigação dos Estados Unidos) está ajudando na investigação. O tiroteio ocorreu no bar Ned Peppers, a oeste do centro de Dayton. “Todo nosso pessoal está a salvo e nossos corações estão com todos os envolvidos enquanto verificamos as informações”, publicou o bar na sua conta do Instagram.

A polícia acredita que a ação foi conduzida por apenas um atirador e ainda não identificou o suspeito e os motivos do ataque. O tiroteio ocorreu num bairro histórico da cidade de 140 mil habitantes, onde estão localizados diversos bares, restaurantes e teatros. A região é considerada segura pelas autoridades.

“É um incidente muito trágico e estamos fazendo de tudo que podemos para investigar e tentar descobrir a motivação por trás disso”, afirmou o tenente-coronel da polícia, Matt Carper.

O porta-voz do hospital local de Miami Valley, Terrea Little, confirmou que a unidade estava atendendo 16 vítimas. Alguns vídeos e fotos foram divulgados nas últimas horas nas redes sociais, nos quais supostamente se vê o atirador e se escutam os disparos de um fuzil.

Ataque em El Paso

O ataque em Ohio ocorreu algumas horas depois de um jovem de 21 anos abrir fogo num supermercado em El Paso, no Texas, deixando pelo menos 20 mortos e outros 26 feridos. Autoridades investigam a hipótese de o ataque ter sido um crime de ódio. Em um manifesto, o suspeito teria afirmado que a ação era uma resposta à suposta invasão latina no Texas.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, condenou o tiroteio em El Paso e disse que “não só foi trágico”, como também “um ato de covardia”. Em uma semana, já são três tiroteios nos Estados Unidos. No domingo passado, quatro pessoas morreram, incluindo o atirador, e 15 ficaram feridas, em Gilroy, Califórnia.

*Com informações das agências Deutsche Welle e RTP.

 

 

agenciabrasil