Arquivo da tag: alimentação

Estados e municípios recebem a nona parcela do Programa Nacional de Alimentação Escolar

Estados, municípios e o Distrito Federal receberam em outubro a nona parcela do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Os repasses somam pouco mais de R$ 376 milhões de reais. Segundo o Governo Federal, o FNDE já destinou R$ 3,4 bilhões aos entes federativos em 2020.

Mesmo sem atividades escolares presenciais por conta da pandemia de Covid-19, a autarquia segue distribuindo o recurso, já que houve adaptação da legislação para possibilitar a entrega aos estudantes.

A orientação do poder Executivo é que a distribuição nas escolas seja realizada em forma de kits, definidos pela equipe de nutrição local, de acordo com a faixa etária de cada estudante e o período em que estaria sendo atendido na unidade escolar. Além disso, os kits devem seguir as determinações do Programa Nacional de Alimentação Escolar como respeitar hábitos alimentares, e a qualidade nutricional e sanitária.

Fonte: Brasil 61

 

 

Depressão X Alimentação: Dieta rica em carboidratos refinados, fast food e refrigerantes aumenta em até 41% o risco

Mulheres cuja dieta inclui mais alimentos inflamatórios, como bebidas açucaradas, refrigerantes, grãos refinados, carne vermelha e margarina, além de pobres em alimentos anti-inflamatórios, como vinho, café, azeite de oliva e verduras e vegetais verdes e amarelos têm um risco maior de sofrer com depressão. É o que afirma um estudo realizado por pesquisadores da Harvard School of Public Health (EUA).

Os cientistas descobriram que as mulheres que bebiam regularmente refrigerantes, comiam carne vermelha ou grãos refinados – além de consumirem raramente  vinho, café, azeite e legumes – eram de 29% a 41% mais propensas de ser deprimidas do que aquelas que fizeram uma dieta menos inflamatória. Pesquisas anteriores sugeriram uma ligação entre a inflamação e a depressão, mas a associação entre o padrão alimentar inflamatório e depressão era desconhecida. Estudos têm relacionado inflamação excessiva a doenças cardíacas, AVC, diabetes, câncer e outras condições.

O consumo exagerado de gorduras trans está diretamente relacionado a um maior risco de depressão, “Isso acontece porque o excesso de gorduras trans e saturadas em nosso organismo aumentam a produção de citocinas, moléculas pró-inflamatórias que causam o mau funcionamento dos neurônios”, afirma a Dra. Luanna Caramalac.

Já os refrigerantes são ricos em substâncias que podem interferir nas atividades do nosso organismo de forma negativa. “As pessoas que tomam refrigerante com frequência acabam favorecendo o aparecimento de doenças como depressão,” alerta a nutricionista

Outro fator para se preocupar é a insatisfação com o corpo que pode levar tanto à depressão em relação aos transtornos alimentares. “Ou seja, ter  uma alimentação desregrada, compulsiva e rica em gorduras ou insuficientes em nutrientes, irá favorecer esse quadro depressivo podendo desencadear uma anorexia ou bulimia, principalmente em jovens e adolescentes”, informa Caramalac.

Por fim, a ingestão frequente de fast food pode afetar negativamente a saúde mental de um indivíduo. Sendo assim, ter padrão alimentar baseado em carnes processadas e aditivos alimentares (corantes, conservantes etc.) dobra o risco de depressão na meia idade. “É importante ressaltar que as gorduras presentes nesses alimentos em excesso cultivam outros hábitos que favorecem a depressão, como sedentarismo, tabagismo e baixo consumo de frutas e legumes”, finaliza a nutricionista Luanna Caramalac.

Dra. Luanna Caramalac Munaro – CRN-3 49383 – Nutricionista pela UNIDERP, pós-graduada em nutrição clínica funcional, pela VP – Centro de Nutrição Funcional, pós-graduanda em adequação nutricional e manutenção da homeostase, pós-graduanda em nutrição comportamental pela IPGS, formação em modulação intestinal. Atua na área integrativa com foco em prevenção e tratamentos de doenças crônicas degenerativas e emagrecimento saudável.

Mariana Durante

 

 

Praças de alimentação dos shoppings de João Pessoa voltam a funcionar

As praças de alimentação de todos os shoppings de João Pessoa serão reabertas a partir desta quinta-feira (6). De acordo com o prefeito Luciano Cartaxo (PV), a decisão ocorreu após uma reunião com representantes do Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação de João Pessoa.

Segundo o gestor, trata-se de mais um passo na reabertura gradativa da cidade após o fechamento provocado pela pandemia do coronavírus. Os shoppings já estavam abertos desde 13 de julho, mas até então com o funcionamento restrito às lojas.

A Prefeitura tomou ainda uma segunda decisão. A flexibilização do horário de funcionamento das cafeterias e lanchonetes da cidade, que passam a funcionar das 12h às 20h. Desde 27 de julho, elas estavam funcionando apenas nos horários das refeições.

Por fim, o comércio de rua do centro de João Pessoa vai poder funcionar até às 17h. Mas essa decisão vale apenas até domingo, para atender a demanda de Dia dos Pais. Depois disso, o horário de fechamento de 15h volta a valer até segunda ordem.

Para o prefeito, a reabertura será pouco a pouco realizada, “com diálogo, entendimento e muitos protocolos que garantem a segurança”. Para ele, são “passos firmes para o fortalecimento da economia, mas preservando a vida”.

G1

 

Conheça três motivos para incluir a banana na sua alimentação

Fortaleza ensina receita usando bananas para levar mais sabor e energia aos seus dias

Poucos alimentos são tão práticos e saudáveis como a banana. A grande maioria da população adora a fruta e nem precisa de um motivo especial para consumi-la. Fortaleza, marca de massas, biscoitos e torradas da M. Dias Branco, mostra três motivos para incluí-la no dia a dia.

O consumo diário de banana in natura pode trazer inúmeros benefícios, como a melhoria do sistema intestinal. Rica em fibras, ajuda na digestão, aliviando os sintomas da prisão de ventre e diminuindo o inchaço pós-almoço. E os benefícios não param por aí. Sabe aqueles dias em que estamos sem energia para praticar exercícios ou, até mesmo, para trabalhar? A banana pode ser um ótimo energético natural. Com apenas 90 calorias e 22 gramas de carboidrato, a fruta é ideal para dar aquele gás que está faltando na rotina. Por último, mas não menos importante, além de todos esses benefícios citados, a banana ameniza as tão temidas câimbras.

Agora que você já sabe algumas particularidades da fruta, aproveite para incluí-la nas refeições. Pegue o seu caderninho e anote a receita de Bolo de Banana com Bolacha Cream Cracker.

Bolo de Banana com Bolacha Cream Cracker

Ingredientes:

½ pacote de Fortaleza Cream Cracker Amanteigado triturado
1 xícara de açúcar
½ xícara de leite integral
1 colher (sopa) de fermento em pó
Açúcar para confeitar
2 bananas prata
2 ovos
½ xícara de óleo vegetal
1 pitada de chá de canela em pó
½ xícara de uva passa (opcional)

Modo de preparo:

  1. No liquidificador, bata as bananas, os ovos, o açúcar, o óleo e o leite.
  2. Em uma travessa, coloque a farinha de biscoito, a canela e o fermento. Adicione as passas e o que foi misturado no liquidificador. Mexa tudo até encorpar.
  3. Coloque a massa do bolo em uma forma untada, com furo no meio. Asse o bolo a 180 ºC, até que o palito saia completamente limpo.
  4. Desenforme o bolo e, por cima dele, polvilhe o açúcar.

Tempo de Preparo: 60 minutos
Rendimento: 10 porções

 

Assessoria Fortaleza

 

 

Covid-19: boa alimentação melhora a imunidade, destaca nutricionista

Um dos assuntos mais pesquisados no google neste período de pandemia do COVID-19 é IMUNIDADE. Mas será que as pessoas estão buscando informações confiáveis?

Na internet existem muitas informações boas, mas também existem pessoas querendo se aproveitar pra ganhar dinheiro vendendo produtos ou receitas milagrosas, que muitas vezes não funcionam.

Diante disto, a nutricionista Danielly Targino alerta que é preciso prestar informações com qualidade e respeito para que cada um possa se nutrir de fontes seguras.

Ela lembra que a nutrição pode auxiliar o bom funcionamento do sistema imunológico.

“Esse auxílio não impede que você pegue o vírus, mas caso entre em contato com o vírus e adquira a COVID-19, apresente sintomas menos grave, onde seu corpo vai estar funcionando da melhor forma possível no combate. Uma nutrição inadequada e pobre em nutrientes gera uma resposta imune enfraquecida”, ressaltou.

Nutrientes importantes para o bom funcionamento do Sistema Imune:

  • Boas fontes proteicas: as células do sistema imunológico são formadas por proteínas (carne branca, ovos, aminoácidos como arginina e glutamina)
  • Ômega 3: Potente anti-inflamatório (Peixes como salmão, sardinha, atum, arenque; linhaça e chia)
  • Vitaminas antioxidantes A,C e E: goiaba, ovo de galinha, abóbora, cenoura, oleaginosas(castanhas), laranja, acerola, limão, brócolis, banho de sol. Recente estudo mostrou que os pacientes internados com Covid-19 apresentam deficiência de vitamina D.
  • Vitamina B6 – banana, abacate, alho, castanha de caju, amendoim, atum.
  • Ácido fólico: espinafre, brócolis, beterraba, grão-de-bico.
  • Magnésio: Folhosos verde-escuro, sementes de abóbora e girassol, aveia, grão-de-bico.
  • Zinco e cobre: carne vermelha(consumir 2x/semana), feijão carioca, lentilha, semente de abóbora, castanha de caju, amendoim.
  • Selênio: Castanha do Pará, nozes,amendoa, semante de girassol.
  • Prebióticos e Probióticos: desinflamam o intestino e através de uma barreira intestinal íntegra reforçam nossa imunidade. Exemplos de prebióticos: diversas fibras alimentares, biomassa de banana verde, psyllium. Exemplo de probióticos: alimentos fermentados que contenham bactérias benéficas como : Kefir, kombuchá, iogurtes com probióticos ou lactobacillus.

É perceptível que onde se encontram os nutrientes necessários para o bom funcionamento da imunidade são principalmente nos alimentos naturais, como frutas, verduras, legumes, folhosos, boas fontes de gordura (castanhas, abacate, azeite, peixes) e boas fontes de proteína (frango, peixe, ovos e algumas leguminosas como feijões, grão de bico e lentilha).

“Aproveite o tempo em casa pra se alimentar de forma mais natural, evitando excesso de açúcar e gordura, farináceos, alimentos ultra processados e industrializados(os aditivos químicos fazem mal ao nosso corpo). Utilize sua alimentação para evitar o uso futuro de medicamentos. Como dizia Hipócrates, o pai da medicina: “Que teu alimento seja o teu remédio”, emendou.

 

PB Agora

 

 

Habitação, transporte e alimentação estão entre os maiores gastos das famílias brasileiras

Alimentação e habitação estão entre os maiores gastos das famílias brasileiras que ganham até dois salários mínimos. Esses e outros dados fazem parte da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2017-2018, divulgados pelo IBGE na sexta-feira (4). O levantamento traça um perfil do padrão de vida dessas famílias e como elas alocam suas despesas a partir de seus rendimentos.

Segundo o gerente da pesquisa do IBGE, André Martins, alimentação, habitação e transporte correspondem a 81% das despesas das famílias. Mas, ele alerta para um fenômeno que vem crescendo entre a população.

“Tem chamado a atenção a relação entre despesas fora de domicílio e no domicílio. A gente observou que, nas áreas rurais, essa participação da alimentação fora do domicílio tem, pesquisa a pesquisa, aumentado. Isso é uma questão de preocupação, porque às vezes a alimentação fora de casa está associada a fast foods, a tipos de alimentação que podem não ter a melhor recomendação nutricional”, explica.

A pesquisa também mostra que, pela primeira vez, o transporte ultrapassou os gastos com alimentação. Pela hierarquia, segundo Martins, vêm os gastos com habitação, agora o transporte e depois alimentação. “Na hora de você ajustar seu orçamento, na alimentação você pode fazer algumas combinações. No transporte, não tem muito o que fazer, você tem que circular, você tem que trabalhar, então você não tem muitas opções de troca”, considera.

Desigualdade

Os dados mostram ainda que menos de 3% das famílias concentram 1/5 de toda a renda do País. O número corresponde a quase dois milhões de famílias que ganham acima de R$ 23 mil, enquanto 16,4 milhões de famílias recebem menos de dois salários mínimos, o que corresponde a R$ 1,9 mil – 6% da renda total.

Com assistência à saúde, as famílias com menores rendimentos comprometiam 4,2% do orçamento com remédios, enquanto as que possuem maiores rendimentos gastavam 1,4%. Por outro lado, os gastos com planos de saúde eram de 0,4% entre a classe mais baixa de rendimento e de 2,9% na classe mais alta.

Com educação, as famílias que ganham até dois salários mínimos tiveram participação de 1,9%. Já as famílias que ganham 25 salários mínimos representaram 5,1% entre 2017 e 2018.
 

agenciadoradio

 

 

Nutricionista alerta sobre inserção de industrializados na alimentação de crianças

Pesquisas do Ministério da Saúde indicam que 12,9% das crianças brasileiras de 5 a 9 anos são obesas. A nutricionista Patrícia Duarte falou sobre a obesidade infantil e as consequências da inserção de alimentos industrializados nas refeições das crianças.

– Quando falo de educação nutricional para crianças, um fator determinante é o posicionamento dos pais ou responsáveis. A criança não tem autonomia para decidir qual alimento melhor para ela. Os embutidos são exemplos de alimentos ultraprocessados e, às vezes, têm crianças com seis meses de idade sendo expostas a alimentos industrializados. Se essas crianças vêm sendo expostas desde os primeiros anos de vida e chega aos cinco anos de idade com o peso inadequado para a altura é mais difícil reverter isso ao longo dos anos – alertou Patrícia.

A consequência da obesidade na infância para a vida adulta é o aparecimento de doenças crônicas, como, por exemplo, diabetes e hipertensão.

É aconselhável as crianças reduzirem o consumo de alimentos como refrigerantes, sucos de caixinha, biscoitos recheados, salsicha e hambúrguer por serem ricos em sódio, gordura e açúcares refinados.

*As informações foram veiculadas na Rádio Cariri FM

paraibaonline

 

 

Cuidado com a alimentação é fundamental para a regeneração das células

Tal medida fortalece a prevenção de doenças como o câncer
Cuidados com a alimentação não previnem diretamente o câncer, mas alguns alimentos possibilitam uma vida mais saudável e, consequentemente, um organismo com uma desenvoltura maior, capaz de processar as células de forma contraceptiva à doenças e malefícios genéticos.

Todos os dias, cerca de 70 milhões de células morrem e outras 70 milhões nascem. Com exceção dos neurônios, toda célula ao perceber que está envelhecendo, divide-se para criar uma célula jovem. “O câncer resulta sempre de uma perda de integridade do patrimônio genético de uma célula, com a aparição de anomalias não reparadas ou mal reparadas, trazidas por genes que controlam ou regulam os fenômenos de divisão celular”, informa a nutricionista Sabina Donadelli.

O maior fator de impacto na prevenção contra o câncer é evitar alimentos processados e gordurosos, além de bebidas alcóolicas e cigarros. “Meu trabalho tem o intuito de melhorar a vida das pessoas através da alimentação. Acredito na possibilidade de gerar consciência evolutiva e poder pessoal através dos alimentos, por isso cultivo o acolhimento, a solidariedade e o comprometimento”, ressalta Donadelli.

Uma alimentação equilibrada regida por frutas, legumes e verduras é a melhor opção, o consumo habitual de, pelo menos, um alimento de cada um desses grupos ao dia é grande aliado à um organismo saudável. Já o consumo de carnes deve ser pequeno e feito a cada dois ou três dias. “O alimento interfere no processo de regeneração das células, através de quatro principais mecanismos: ao proteger o DNA e ao estimular mecanismos de reparo do DNA, a diferenciação celular (lembrando que o câncer é uma massa de células não diferenciadas), e a Estimulando a apoptose (suicídio) das células não diferenciadas”, informa a nutricionista.

As brássicas são ótimas opções para quem pretende dar mais atenção ao que consome. Elas possuem uma grande diversidade de espécies valorizadas pelas suas folhas, raízes, sementes, gemas e flores, ricas em glicosinolatos que estimulam a apoptose (morte celular programada) em células cancerosas. “Recomenda-se comer cruas ou cozidas no vapor por até dez minutos ou ainda refogá-las. Devem ser consumidas diariamente no almoço e jantar, ao menos uma das opções. Se você quer ter saúde, precisa ser uma pessoa saudável e fazer o que as pessoas saudáveis fazem”, finaliza a profissional.

Sobre Sabina Donadelli

Apaixonada pelo poder dos alimentos, a nutricionista Sabina Donadelli garante que a comida pode fazer maravilhas pelas pessoas. E ela sabe o que está falando. Formada e pós-graduada em Nutrição, a profissional alia seus conhecimentos da escola clássica com estudos da fitoterapia e dietoterapia oriental, como a chinesa e a indiana. Para saber mais, acesse http://www.sabinadonadelli.com.br/ ou pelo instagram @sabinadonadellinutricao

Alimentação com menos sal poderia salvar milhões de vidas, diz estudo

salUma redução de 10% no consumo de sal permitiria salvar milhões de vidas, revela um estudo publicado nesta quarta-feira (11) pelo “The British Medical Journal” (BMJ).

Os investigadores calculam que campanhas governamentais podem deter a importante mortalidade ligada ao consumo excessivo de sal pela quantia módica de 10 centavos de dólar por pessoa.

O sal aumenta o risco de hipertensão e de doenças cardiovasculares.

A maioria dos adultos consome mais sal do que o recomendado, além do limite de 2 gramas por dia, o que permite que 1,65 milhão de pessoas morram de doenças cardíacas, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Até agora, poucos países avaliaram o custo da estratégia pública para tentar reduzir o consumo de sal. Um grupo de investigadores, dirigidos por Dariush Mozaffarian, calculou este custo em 183 países, atuando de forma coordenada com a indústria.

Os cientistas também avaliaram o número de anos de saúde perdidos. Com a redução do consumo de sal em um período de 10 anos, seria possível evitar perder anualmente 5,8 milhões de anos de boa saúde, ou 1,13 dólar por pessoa.

O custo dos anos ganhos equivale ao que atualmente se gasta em medicamentos para prevenir doenças cardiovasculares, destacam os pesquisadores.

bemestar

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Servidores do TJPB terão aumento de 20% no auxílio alimentação em novembro

 (Foto: Walla Santos)
(Foto: Walla Santos)

Os servidores do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) vão receber, no dia 14 de novembro, um aumento de 20% no valor do auxílio alimentação. Além disso, O TJPB confirmou que a segunda parcela do 13º salário deve ser efetuada até o dia 28 de novembro.

Com relação ao auxílio alimentação, o pagamento também é retroativo a fevereiro deste ano e deve representar um valor de R$ 2 mil para cada servidor.

O presidente do TJPB, desembargador Marcos Cavalcanti, afirmou que os Oficiais de Justiça vão receber 20% de auxílio de transporte, que deve ser pago no dia 18 de novembro.

“Esse anúncio só foi possível graças a contenção de gastos que implementamos na atual gestão”, declarou o presidente Marcos Cavalcanti.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br