Paulinho da Força Sindical ameaça inviabilizar obras da Copa de 2014

Publicado em segunda-feira, novembro 14, 2011 ·

paulinhoOs canteiros de obras dos 12 estádios da Copa do Mundo no Brasil, em 2014, transformaram-se no centro de uma disputa política com desdobramentos nas eleições municipais do próximo ano. Pré-candidato do PDT à Prefeitura de São Paulo em 2012, o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho (SP), ameaça parar os mais de 20 mil trabalhadores espalhados pelas capitais. A maior parte deles é ligada à Força Sindical.

Se der certo, Paulinho fortalece também outros candidatos apoiados pela entidade, já que, à exceção de Brasília, todas as cidades terão eleições para prefeitos no ano que vem. “Já avisamos ao secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, que se as coisas não mudarem vamos parar tudo”, disse Paulinho ao Correio.

Além da prefeitura paulistana, a demonstração de força de Paulinho serve para fustigar outro grande adversário: a Central Única dos Trabalhadores (CUT). A maior central sindical do país não comanda nenhuma obra nos estádios, mas disputa palmo a palmo o números de filiados com a Força.

No Planalto, os passos de Paulinho não são enxergados apenas como uma mera reinvidicação trabalhista. “É muito cômodo você misturar mandato parlamentar com o comando de uma entidade sindical. Você pode fazer o que quiser”, criticou um aliado da presidente Dilma.

Ataque em duas frentes

A proposta de greve geral nos canteiros da Copa de 2014 faz com que o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho (PDT-SP), ataque aliados e adversários de uma só vez.

Além de tirar o sono do Planalto e da presidente Dilma Rousseff, receosos de que as obras não sejam entregues a tempo, ele também, escancaradamente, deixa de lado um dos seus principais correligionários, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi.

Foi ao secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e não a Lupi, que, em tese, comanda as relações trabalhistas, que Paulinho avisou que pretende parar tudo no início do ano que vem.

É mais um capítulo do longo, constante e irreversível desgaste sofrido por Carlos Lupi. O ainda titular da pasta do Trabalho está cada vez mais isolado no próprio partido.

A Força Sindical, corrente que ajuda na sustentação de Lupi na pasta e tem Paulinho como seu comandante, promete uma série de manifestações de desagravo ao ministro pedetista.

Do Correio Braziliense

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627