Os verdadeiros motivos para prender Lula: sua grandeza e liderança

Publicado em segunda-feira, agosto 17, 2015 ·

Heinrich Aikawa/ Instituto Lula
Heinrich Aikawa/ Instituto Lula

Algumas milhares de pessoas saíram às ruas neste 16 de agosto para protestar contra o governo Dilma.

Nada surpreendeu. Nada mais do que as três variáveis que compuseram a massa insana, como antecipei sábado neste espaço (veja mais aqui).

Os marchadores se mostraram sem conteúdo político, preconceituosos, ricos e brancos. O tal patriotismo ao cantar o hino nacional e ao carregar a bandeira nacional nada mais foi do que o sonho burguês de ter um país para poucos, de preferência com um regime autoritário e manipulador para defender seus interesses. De preferência que não seja uma democracia que inclua justiça social e, muito menos, o socialismo.

O discurso seletivo contra a corrupção é hipócrita. Nele não cabem Eduardo Cunha, Aécio Neves, José Serra, Azeredo e tantos das nefastas aves de rapina do patrimônio público.

Lances ridículos beirando a infantilidade só não faziam rir porque, afinal, ofendiam pessoas e instituições. As bobagens abundaram em “protestos” contra o PT, mostrando com isso apenas preconceito e ódio de quem nada sabe de política, de puro analfabetismo rancoroso.

Faixas e cartazes sintetizaram a onda de julgamento e de fofoca que tomaram conta do País. Desrespeitosamente pediam prisão ao ex-presidente Lula e à Presidenta Dilma, sem que em nada indiquem crimes e erros nas condutas deles. Não vi nenhum cartaz ou boneco representando Dilma e Lula enforcados, como fizeram em outra manifestação de ódio, mas o show de bobismo foi o mesmo. O pré-julgamento, comportamento decorrente de preconceituosos e egoístas que temem a volta de Lula como candidato a Presidente, foi uma marca do bobismo vulgar.

Os marchadores de direita mostraram o absurdo de derrubar um ex-presidente de um cargo que ele não ocupa mais há 5 anos. Puro delírio irresponsável e moleque.

A direita com seus bobos tenta nos copiar nas lutas que fazíamos contra a ditadura e contra o neoliberalismo. Mas erra longe porque não tem conhecimento da realidade e de política. Nós sabíamos o que dizíamos e não copiávamos nada da mídia dominante colonizada e nos preparávamos muito bem com projeto de nação, de país e de desenvolvimento. Por isso derrubamos a ditadura e derrotamos o neoliberalismo.

A direita bobista quer disputar as ruas conosco. Aí também erra, porque os que participam dos seus shows são ricos e brancos que não contam com nenhuma base social e com nenhuma liderança popular, como nós, que as temos em grande quantidade, homens e mulheres. A direita erra porque não estuda. Sua literatura são as revistas panfletárias fascistas como a Veja, a Época, a Isto É e os jornalões, todos em decadência, com linguagem direcionada à camada dominante e sem mensagem para o povo que não as lê. Nesses órgãos os jornalistas são adestrados, acríticos, mal formados em péssimos cursos sem as ciências humanas e tratam seus patrões burgueses como se fossem colegas, sem consciência de classe.

Os que gritam as palavras de ordem como o fizeram os amestrados no dia 16 não leem livros nenhum conhecem teóricos sérios. O máximo que leem são pernósticos como Olavo de Carvalho, Lobão, Merval, Arnaldo Jabor e outros rasos que vociferam fúrias como cães de guarda de seus donos.

Ao comentar as razões do ex-presidente Lula para não aceitar convite para a um ministério no governo Dilma, o jornalista Ricardo Amaral (leia aqui) conseguiu dizer muito bem porque o líder brasileiro mais respeitado em todo o mundo é odiado e caçado por essa falsa elite que põe seus cães raivosos a latir nas ruas, na mídia, na polícia federal, na Lava Jato e na justiça, para amedrontá-lo.

 

brasil247

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS













ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco







Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627