Operação da Polícia Militar, Ministério Público e técnicos da educação flagram irregularidades no supletivo

Publicado em domingo, outubro 16, 2011 ·

grande-sala-provasA Paraíba estava na rota do exame supletivo fácil e recebia alunos com dificuldades de conseguir aprovação em outros estados do País. Foi o que descobriu o Ministério Público do Estado, a Secretaria Estadual de Educação e a Polícia Militar numa operação realizada na manhã deste domingo (16).

Duas escolas da Capital foram flagradas realizando exames supletivos irregularmente. As provas custavam R$ 25 aos alunos por cada matéria aplicada.

De acordo com informações da promotora Fabiana Lobo, dois responsáveis pelos estabelecimentos foram encaminhados à Delegacia para prestar esclarecimentos e podem responder por estelionato.

A promotora informou que as escolas autuadas foram a Escola Genius que aplicava prova no Colégio Master do Bessa; e a Escola Getúlio Vargas, que fazia as provas no Colégio Pré-Saúde.

Fabiana explicou que as duas escolas não tinham autorização para aplicar os exames e por isso não passavam pela  fiscalização pelo Conselho Estadual de Educação.

As denúncias sobre a Paraíba como rota do exame supletivo fácil vinham sendo feitas por MPs  de vários estados, informou a promotora.

As provas eram realizadas mensalmente. “Para se ter uma idéia, nas escolas públicas, o exame é feito uma vez por ano. Nessas escolas todo mês tinha prova e elas custavam R$ 25 por matéria”, revelou Fabiana.

Portal correio

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS


















INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627