NICE ALMEIDA – Onde está o dinheiro?

Publicado em sexta-feira, Abril 29, 2016 ·

Fui surpreendida na noite dessa quarta-feira, dia 4 de maio de 2016, por uma informação que me deixou embasbacada. A denúncia é séria, é grave e envolve uma irregularidade que tem que ser investigada pelo Ministério Público urgentemente.

Servidores da prefeitura do município de Solânea (leia-se minha terra amada, a qual nunca escondi meu amor e minha preocupação) estão denunciando que o valor da parcela do empréstimo consignado aderido por eles está sendo descontado dos salários, mas não está sendo repassado pela prefeitura ao Banco do Brasil, agência responsável pela consignação.

Sem obter o repasse, o banco, de acordo com a denúncia, teria descontado dos salários dos funcionários a parcela, fazendo com que o valor fosse retirado em duplicidade de seus honorários, que vamos combinar já não são tão altos e mal dá para manter as famílias dos trabalhadores.

Conforme os denunciantes estaria ocorrendo o seguinte: a prefeitura desconta o dinheiro na folha. A prefeitura não repassa o valor ao banco. O banco então desconta de novo, mais uma vez, novamente, o valor. Assim, os servidores estão pagando o empréstimo duas vezes, além claro dos juros que não devem ser baixos.

A prefeitura e o banco negam a denúncia e alegam que houve uma falha no sistema que teria provocado a confusão. Eles garantem que até o dia 10 tudo estará regularizado.

Só que a justificativa não convenceu os servidores que prometem acionar a justiça e o fazem muito bem, porque direito é direito e não deve ser negado ao cidadão. E também ao cidadão cabe o papel de fiscalizar e denunciar, como está sendo feito, para que verdades venham à tona.

O que nem os denunciantes e nem eu entendemos é como esse sistema vem errando tanto, já que segundo a denúncia o fato já vem ocorrendo há três meses.

Ninguém percebeu que a conta estava sendo paga em duplicidade? Ninguém viu que o banco estava fazendo esse desconto de forma irregular? Sim, irregular porque não cabe ao banco descontar do salário dos servidores, porque esse desconto já é feito pela prefeitura, responsável por repassar o valor ao banco.

Os servidores nada mais querem do que uma explicação plausível para onde foi parar o seu dinheiro suado, trabalhado, cansado. O fato é vergonhoso e não é possível que o Ministério Público não vá se mexer.

Os servidores estão cumprindo o seu dever e merecem, mais do que uma resposta convincente, merecem respeito. Não queiram subestimar a inteligência dessas pessoas, porque elas não são burras, nem são crianças.

Tenho certeza absoluta que o Sindicato dos Trabalhadores do Município não vai deixar passar tamanha inconsistência em branco. É preciso sim investigar isso.

E, seu eu fosse representante da prefeitura e tivesse consciência de que não estou errado, eu seria o primeiro a pedir essa investigação. Que sistema é esse que errou? Que erro foi esse? O erro foi do banco? Então a prefeitura pode processar o banco?

Estamos atentos e convido os servidores a voltarem a denunciar, caso o problema não tenha solução.

A única coisa que nos interessa é saber onde está o dinheiro? Porque se o gato comeu ele vai ter que vomitar.

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco







Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br