Neymar e ‘clone’ marcam, Santos vence no fim e complica o Flamengo

Publicado em quinta-feira, setembro 13, 2012 ·

A noite era de duelo entre Neymar e Vagner Love. Os torcedores guardavam na mente os shows do craque de moicano e de Ronaldinho Gaúcho, no eletrizante 5 a 4 de 2011 na Vila Belmiro, com expectativa de novo jogo movimentado. Até os 40 minutos do segundo tempo o placar marcava 0 a 0. Mas um novo Menino da Vila surgiu e mudou toda a história da partida. Aos 16 anos, Victor Andrade, o clone de Neymar, substituiu André aos 38 e, logo em seguida, recebeu lindo passe de Bruno Peres. Com frieza, encobriu Felipe como um veterano. Sem deixar o Fla respirar, Neymar tratou de fazer outro belo gol, também por cobertura, um minuto depois, e fechar o 2 a 0, na noite desta quarta-feira.

O resultado faz o Santos respirar e deixa o Flamengo em situação difícil. O Peixe pulou para 11º com 30 pontos – ainda está a 12 do Vasco, último integrante do G-4, mas ao menos o torcedor sabe que, com Neymar em campo, o risco de rebaixamento é mínimo. O craque do moicano, que estava novamente servindo a seleção brasileira, chegou a seis gols em apenas oito jogos no Brasileirão.

Já o Flamengo fica estacionado nos 27, com apenas quatro pontos de vantagem sobre o Sport, primeiro integrante da zona da degola. O time tem a pior campanha do returno, ao lado do Atlético-GO, com apenas um ponto em cinco jogos.

Os dois times voltam a jogar no domingo pelo Campeonato Brasileiro. Às 16h, o Santos encara o Coritiba, no Couto Pereira, buscando a afirmação. Às 18h30, o Flamengo, lutando para afastar o fantasma do rebaixamento, recebe o Grêmio no Engenhão.

Neymar e Leo Moura, Santos x Flamengo (Foto: JF Diorio / Agência Estado)Neymar tenta a jogada, marcado por Léo Moura  (Foto: JF Diorio / Agência Estado)

Erros, Neymar e Love

Não foi como o eletrizante 5 a 4 do ano passado. Pelo contrário. Apesar da emoção, com lances perigosos dos dois lados, os erros de sobra mostraram por que Santos e Flamengo entraram na rodada como as piores campanhas do segundo turno do Brasileirão. O festival de equívocos, principalmente na saída de bola, propiciou boas chances dos dois lados. Os pontos fora da curva foram Neymar e Vagner Love. A dupla de craques protagonizou os melhores lances.

O Santos começou mais em cima. Neymar, de volta ao time depois de defender a Seleção nos amistosos contra África do Sul e China, mostrava fome de jogo. Nas jogadas em que não recebia o passe dos companheiros, reclamava com veemência. As orelhas de Bruno Peres e Felipe Anderson certamente ficaram mais quentes. A vontade era tamanha que até mesmo na marcação o craque se destacava. Foi ele o responsável por todos os cartões amarelos do adversário no primeiro tempo: Léo Moura, Welinton e Luiz Antônio. Foi dele também uma bonita arrancada que lembrou o gol do Prêmio Puskás de 2011, contra o mesmo Fla, pela beleza do lance. Mas, desta vez, depois de driblar três zagueiros, ele foi parado por Luis Antônio com falta. Na cobrança, mandou na barreira.

Na pressão, o Peixe levou perigo, sempre contando com erros do lateral-esquerdo Ramon. Na melhor chance, André sofreu falta na entrada da área. Neymar bateu, a bola desviou na barreira e quase venceu Felipe, que se machucou para fazer a defesa, aos cinco minutos. Pouco depois, Ramon se redimiria das bobagens, com carrinho providencial que travou chute potente do camisa 11 santista.

O crescimento do Fla na partida ocorreu na mesma proporção em que Vagner Love aparecia no jogo. Toda jogada aguda do time carioca passava pelos pés do camisa 99. Se Mano Menezes assistiu ao primeiro tempo de Peixe e Flamengo, certamente ficou bem impressionado com o atacante.

Municiado pelo losango formado com Muralha na contenção, Luiz Antônio pela direita, Ibson na esquerda e Mattheus centralizado, o Artilheiro do Amor deu muito trabalho. Com exceção de chutes perigosos de Mattheus e Ibson, ambos defendidos por Rafael, todas as melhores chances saíram em finalizações do atacante.

Em uma delas, Love quase faz de letra, aproveitando bom cruzamento da direita de Luiz Antônio, aos 38 minutos, que por pouco não encontrou as redes de Rafael. Depois, o artilheiro do Flamengo novamente ficou perto do gol, em novo cruzamento da direita, desta vez de Léo Moura. De cabeça, ele deslocou Rafael, mas a bola saiu muito perto, aos 44. A pressão do Fla por pouco não faz o Rubro-Negro fechar o primeiro tempo na frente.

Futebol cai, mas Victor Andrade e Neymar salvam

Na saída para o intervalo, Arouca reconheceu os “erros bobos” de passe do Santos. Do outro lado, Dorival Júnior teve de substituir Welinton, zagueiro responsável por segurar Neymar e que já tinha um amarelo, por Marllon, pois o titular sentiu dores na coxa. Assim, com Marllon e Frauches, o Rubro-Negro repetiu a defesa titular campeã da Copa São Paulo de 2011.

O volume de jogo dos dois lados caiu bastante. Ainda assim, o Peixe deu o primeiro susto da etapa final em um equívoco do Fla, aos quatro minutos. Em jogada de Felipe Anderson com Neymar pela esquerda, Muralha cortou o passe, mas por muito pouco não fez contra.

De tanto o Santos insistir em Neymar, o craque começou a segurar a bola além da conta em alguns momentos. O Flamengo percebeu a “jogada única” e passou a usar até três jogadores na marcação. Com isso, o espaço aparecia para outros santistas, e o argentino Pato Rodriguez, enfim, soube aproveitar. Em duas oportunidades, o meia-atacante puxou da direita para o meio e arriscou finalização de esquerda. Na primeira, aos 18, Felipe evitou o gol, e na segunda, aos 22, a bola passou à direita do gol Rubro-Negro.

Dorival tentou mudar o panorama do jogo. Colocou Negueba no lugar de Mattheus, com problema na panturrilha direita, e Botinelli no lugar de Adryan. As mudanças representaram pouco efeito prático. Muricy, por sua vez, só mudou aos 30 minutos. Trocou Pato Rodriguez por João Pedro, e Felipe Anderson por Bernardo. Em seguida, André deu lugar a Victor Andrade. Foi aí que a estrela do treinador santista brilhou.

Os dez minutos finais reservaram as maiores emoções da partida. Aos 39 minutos, Vagner Love dominou chutão da zaga, girou em cima de Léo e saiu na cara de Rafael. Era a chance para abrir o placar, mas ele acertou a trave. Logo em seguida, veio o castigo. Em contra-ataque, o Peixe avançou pela direita. Bruno Peres achou Victor Andrade nas costas de Frauches e, apesar de ter apenas 16 anos, o garoto mostrou calma de veterano para encobrir Felipe, aos 40 minutos. Festa na Vila Belmiro!

Provavelmente inspirado pelo pupilo, Neymar não quis ficar por baixo. E resolveu fazer seu lance de gênio. O craque recebeu na intermediária, deixou Marllon para trás e novamente encobriu Felipe, com toque de categoria, aos 41 minutos. Placar definido, com alívio santista e desespero flamenguista.

Globoesporte.com

Comentários

Tags : , , , , , , ,

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627