Nepotismo impera na PB e grupos familiares controlam prefeituras do interior

Publicado em domingo, novembro 20, 2011 ·

mppbO Ministério Público Estadual resolveu proibir nepotismo na instituição na semana passada, mas, ao que parece, esqueceu o nepotismo desenfreado que existe nas prefeituras paraibanas. Logo no início da gestão dos atuais prefeitos, dezenas de representantes do MP em todo o Estado se mobilizaram no sentido de extirpar o nepotismo do serviço público.

Deram prazo para que os prefeitos afastassem os parentes dos quadros das prefeituras, chamaram gestores a se explicar, celebraram termos de ajustamento de conduta. Mas, depois, tudo parece ter caído no esquecimento. Os prefeitos estão terminando seus mandatos com as famílias nas administrações.

Tanto que há prefeituras comandadas inteiramente por grupos familiares. Exemplos de nepotismo foram levantados pela reportagem nos municípios de Santo André, Esperança, Juazeirinho, Assunção, Parari, São Miguel de Taipu, só para citar alguns exemplo, porque a prática existe em todos os recantos do Estado.

O nepotismo é generalizado em quase todos os municípios da Paraíba. Os prefeitos empregaram os parentes e não estão nem aí para a questão da moralidade e da impessoalidade na gestão pública. Agem como se as prefeituras fossem propriedades privadas. Em inúmeros casos, cooptam vereadores para não sofrerem qualquer punição. Tanto que é difícil encontrar um município onde o prefeito não tem maioria na Câmara.

Fenelon descumpre lei em Santo André

O prefeito de Santo André, Fenelon Medeiros Filho (PSD), simplesmente ignorou qualquer cobrança e exigência do Ministério Público e continua, até hoje, com a família no comando da prefeitura. Num município com 2.368 habitantes, segundo o IBGE, cada parente do prefeito e de alguns vereadores faturam, em média, R$ 1,5 mil por mês.

A denúncia é do vereador João Batista Sales Noberto (PP). “Desde que assumiu o mandato em 1º de janeiro de 2009, o prefeito de Santo André transformou a Prefeitura em uma república familiar”, garante o vereador denunciante.

Segundo ele, o nepotismo em Santo André é proibido por lei municipal (que o prefeito descumpre) e começa pelos maiores cargos do Poder Executivo. O vice-prefeito de Santo André, Edson Matias Medeiros (PTB), por exemplo, é irmão do prefeito. Além do vice-prefeito, Fenelon tem na Prefeitura, em cargos estratégicos, os seguintes parentes:

Omar Torres de Medeiros (filho e secretário de Saúde), Adriana Antônia Lisboa (nora e secretária de Finanças), Eliane Burity (cunhada, secretária de Educação e esposa do vice-prefeito), Nandiara Medeiros (sobrinha, secretária de Administração e irmã do vereador Petrônio Matias, também sobrinho de Fenelon), Ana Maria Lisboa (chefe de Gabinete e irmã da secretária de Finanças, Adriana Lisboa, que é nora do prefeito).

E mais: Petrônio Matias (irmão do prefeito, dono do terreno do lixão, que é alugado à Prefeitura), Cícera Patrícia (procuradora do Município e esposa do presidente da Câmara, Edglay Fidelis), Josefa Olânia (assessora de apoio e esposa do vereador Francisco de Paula Fernandes).

Para o vereador que denunciou o nepotismo em Santo André, o caso é vergonhoso. A denúncia, segundo ele, foi formulada ao Ministério Público, mas, até agora, apesar de todas as evidências claras, nenhuma providência foi tomada. O mandato está terminando e os parentes do prefeito continuam ganhando salários elevados para os padrões do município.

A reportagem tentou um contato com o prefeito Fenelon pelo telefone 8868 0461, mas não o localizou, para ele rebater ou confirmar as denúncias feitas pelo vereador João Batista Sales Noberto (PP). Os outros prefeitos também não foram encontrados para rebater as denúncias dos adversários.

Casos em Esperança

Em Esperança, município com 31 mil habitantes, segundo os quatro vereadores de oposição, o prefeito Nobinho Almeida, também emprega vários parentes, a partir da esposa, Taiana Honorato Grangeiro, que é secretária de Ação Social. Depois, vem o sobrinho, Nilber Almeida, que é chefe de gabinete.

E a sobrinha Débora Almeida, que é coordenadora de um creche. Cecília Almeida, esposa de Nilber (o chefe de gabinete), é lotada no Hospital Municipal. E mais: Paulinho, companheiro de Débora Almeida, é o encarregado dos transportes. E Paulo Gonçalves, ex-marido de Débora, é o subsecretário de Saúde do Município.

Solange nomeou a mãe

O nepotismo também impera no município de Parari. Lá, a prefeita Solange Aires Caluete (DEM) deu cargo de confiança até à mãe, de 70 anos. Dona Maria das Neves Ayres Caluete, mãe de Solange, ocupa o cargo de secretária da Educação. O marido da prefeita, Albino Guimarães Silva, é o secretário das Finanças de Parari.

A irmã de Solange, Inácia de Loyola Caluete, é a secretária de Ação Social. O cunhado, José Tadeu Aires Caluete, é secretário de Infraestrutura. O levantamento dos casos de nepotismo em Parari foi feito pelos adversários da prefeita. Segundo o levantamento, Solange ainda dá emprego a um cunhado, dois primos e dois tios. Parari é um município com 1.256 habitantes, segundo o IBGE. E a prefeita ganha por mês a importância de R$ 12 mil.

Prefeita de São Miguel quer eleger marido

Em São Miguel de Taipu, os vereadores de oposição José Aurélio de Melo, Maria José Silva Araújo, João Cassimiro Silva e Aloisio Barbosa Mendes já formularam denúncias de nepotismo e de campanha eleitoral antecipada ao Ministério Público.

Com cerca de 6,7 mil habitantes, São Miguel de Taipu é administrada pela prefeita Marcilene Costa (PT), que está terminando o segundo mandato. Segundo os vereadores de oposição, ela prepara o marido, o vereador Ricardo Pereira, para ser candidato a prefeito. Isto porque, eles não são casados civilmente.

Ainda segundo os vereadores de oposição, Ricardo Pereira já tem até candidato a vice. Trata-se de Antônio Vieira, conhecido como Tota, que tem participado de todas as solenidades oficiais da Prefeitura, na companhia de Ricardo e da prefeita Marcilene.

Sobre nepotismo, o quadro em São Miguel de Taipu é o seguinte: José Lins da Costa é irmão da prefeita. Hoje, ele é concursado da Prefeitura. Passou para vigia em concurso realizado pela atual gestão. Mas exerce o cargo de chefe do Departamento de Pessoal, cargo que ocupava antes do concurso.

Maria José Sales da Costa também é irmã da prefeita e também passou no mesmo concurso para professora. Mas exerce o cargo de orientadora escolar. A Prefeitura de São Miguel também emprega Gildete Cândido de Lima. Ela é cunhada da prefeita (esposa de José Lins) e ocupa o cargo de secretária de Administração e Finanças. Gilvan Bento da rocha é o secretário de Agricultura e cunhado de Marcilene. É casado do Maria José Sales.

Mas a revolta dos vereadores de oposição não é nem com o nepotismo, mas com a influência que o vereador Ricardo pereira (marido de Marcilene) tem na prefeitura. Segundo os vereadores, Ricardo Pereira é quem manda. Dá as ordens. Demite e admite e despacha todos os dias no gabinete da prefeita. O caso também foi denunciado pela oposição ao Ministério Público. “Ele pinta e borda”, disse um dos vereadores da oposição.

Assunção

Em Assunção, município com pouco mais de 3,5 mil habitantes, o prefeito Luiz Waldvogel de Oliveira Santos (PTB), emprega quase toda a família: irmãos, sobrinhos e cunhados. São pelo menos dez parentes empregados em cargos de confiança. O prefeito foi reeleito, está terminando o segundo mandato e já lançou um sobrinho de nome Rafael como pré-candidato a prefeito.

Denúncias em Juazeirinho

Em Juazeirinho, o prefeito Genival Matias também emprega vários parentes na Prefeitura. Quem garante é o radialista Ernandes Gouveia, que pretende entrar na disputa pela prefeitura, nas eleições do próximo ano. Segundo Ernandes, o prefeito deu emprego ao primo, Naldo Matias. Ele é secretário de Transportes. Conforme Ernandes, o prefeito também empregou o genro, Maicon, que dirige o hospital da cidade e é o dono da farmácia que fornece medicamentos para o mesmo hospital.

O Instituto de Previdência de Juazeirinho, segundo o radialista, é presidido por uma sobrinha do prefeito. Garibaldi Matias, irmão do prefeito, também é secretário de Agricultura. O secretário de Saúde é Alex Sousa, um cunhado do prefeito. E a secretária de Ação Social de Juazeirinho é Luciana, a esposa do prefeito.

Do Jornal Correio da Paraíba

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627