Mil médicos param nesta terça-feira parcialmente na Paraíba

Publicado em terça-feira, julho 23, 2013 ·

medicosO Sindicato dos Médicos da Paraíba (Simed-PB) estima que cerca de mil médicos irão paralisar suas atividades nesta terça-feira (23) na Paraíba, seguindo a mobilização nacional da categoria.

Cirurgias eletivas, atendimentos ambulatoriais, exames e consultas estão suspensos em hospitais como Ortotrauma de Mangabeira, Arlinda Marques, Santa Isabel e Universitário Lauro Wanderley (HU), de acordo com o presidente do Simed, Tarcísio Campos.

Apenas os serviços de urgência, emergência e tratamentos oncológicos estão mantidos. Nos PSFs de João Pessoa, o atendimento médico só funcionará pela manhã, quando os médicos farão panfletagem entre os pacientes numa tentativa de ganhar a simpatia da população para o movimento. Às 15h, uma assembleia no Conselho Regional de Medicina (CRM) traçará a estratégia da paralisação de 48h que acontecerá nos dias 30 e 31 deste mês.

De acordo com o presidente do Simed, nos dias 30 e 31 de julho, os médicos não apenas deixarão de atender, mas também irem às ruas protestar. De acordo com o presidente do CRM, João Medeiros, a categoria é contra a vinda de médicos estrangeiros sem passar pelo Revalida (exame usado para validar o diploma de medicina de faculdades de fora do Brasil), contra o aumento de dois anos no curso de Medicina e também contra os vetos da presidente Dilma Roussef ao Ato Médico.

“Essa é uma forma de protestar mostrando nossa insatisfação em relação às medidas tomadas pelo Governo Federal. Mas, além dessas paralisações, pretendemos nos mobilizar juridicamente e também tentar derrubar essas decisões no Congresso Nacional, com a força dos senadores e deputados”, afirmou João Medeiros.

O presidente do Simed, Tarcísio Campos, explicou que, pela manhã, os médicos do PSF vão atender e fazer uma panfletagem esclarecendo aos pacientes os motivos pelos quais não haverá atendimento à tarde e nos dias 30 e 31. “À tarde, vamos arquitetar a nossa mobilização dos dias 30 e 31, que transcorrerá ininterruptamente. Ainda vamos decidir como será, mas há uma orientação por parte do movimento nacional para que seja um protesto mesmo, com a categoria nas ruas”, adiantou. Segundo o Simed, existem mais de 4 mil médicos em atividade na Paraíba.

As assessorias do Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena e do Hospital Samaritano confirmaram que os atendimentos médicos estão mantidos, inclusive os serviços ambulatoriais e as cirurgias eletivas.

Em relação aos consultórios particulares, Tarcísio Campos disse que, até o fim da tarde de ontem só tinha recebido 15 e-mails de confirmação dos médicos. Mas, ele acredita que a adesão será grande e descarta a possibilidade de a paralisação só atingir a rede pública. “A orientação da assembleia é igual para todos, mas não temos como interferir na adesão dos médicos que atendem em consultórios particulares”, disse.

Portal Correio

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS


















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br