Médicos argentinos vêm trabalhar no Brasil pelo dobro do salário, diz jornal

Publicado em quinta-feira, setembro 5, 2013 ·

medicosMédicos argentinos que vêm para o Brasil pelo programa federal Mais Médicos devem ganhar o dobro do salário pago por seu país de origem, informou uma reportagem publicada nesta quinta-feira (5) pelo jornal argentino “Clarín”. Segundo o Ministério da Saúde brasileiro, os profissionais inscritos deverão receber uma bolsa de R$ 10 mil por mês para uma jornada de 40 horas semanais.

 

Já na Argentina, segundo a reportagem, os médicos precisam fazer plantões e acabam cumprindo 70 horas de trabalho por semana. Além disso, no Brasil, eles terão cobertas despesas com viagem, alojamento e alimentação, um mês de férias por ano e o acompanhamento de dois parentes diretos. O programa está previsto para durar três anos, mas poderá ser renovado por mais três.

 

Info Mais Médicos V7 3.9 (Foto: Editoria de Arte/G1)

Os argentinos são o segundo maior grupo do Mais Médicos (73), atrás apenas dos brasileiros (99), destacou o “Clarín”. Isso sem mencionar os 4 mil cubanos, que virão ao nosso país por um acordo entre o governo e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

 

Preocupação na fronteira
A reportagem diz também que as cidades da fronteira argentina estão ainda mais preocupadas com a emigração dos médicos para o país vizinho. Na localidade de El Soberbio, província de Misiones – que faz fronteira com os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul –, por exemplo, dos oito profissionais que atendiam à população, três já se mudaram para o Brasil.

 

Segundo publicou o “Clarín”, o ministro de Saúde Pública de Misiones, Oscar Herrera Ahuad, chegou a protestar que “estão levando nossos médicos sem importar a especialidade, o que é algo que nos preocupa muito”. Ahuad disse ainda que pretende conversar com o governador da província para que se oficialize uma queixa contra o Brasil, já que a maioria dos médicos que estão deixando a Argentina atuava em regiões precárias e necessitadas.

 

Na capital de Misiones, Posadas, há um médico para cada 196 habitantes, contra um profissional para 1.463 habitantes no lado de cá da fronteira.

 

O jornal argentino citou, ainda, que há um medo de que essa seja apenas a “ponta do iceberg”, pois na sexta-feira que vem (13) será aberta a segunda chamada do Mais Médicos. Só em Misiones, estima-se que a próxima convocação deixará um novo deficit de 20 profissionais.

 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem 1,8 médico por mil habitantes (em cinco estados, porém, há menos de um médico por mil), contra 3,2 na Argentina, 3,7 no Uruguai, 2,7 no Reino Unido e 4 na Espanha, apontou o “Clarín”.

Bem Estar

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS













ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627