Matadouro sem estrutura e falta de higiene coloca em risco saúde da população do Brejo da PB

Publicado em domingo, julho 7, 2013 ·

MatadouroHá um ditado popular que diz que ‘nem tudo que reluz é ouro’ e essa máxima pode ser aplicada a gestão municipal de Alagoinha, cidade localizada no brejo paraibano com cerca de 12 mil habitantes.

Se alguém contasse apenas, ninguém acreditaria já que na mídia o governo da Prefeita Alcione Beltrão é tido como um dos melhores do brejo e dos últimos 20 anos naquele município. Mas o fato é que as imagens falam mais que mil palavras.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Nesta sexta-feira (06) o brejo paraibano foi surpreendido com as imagens do descaso do Governo Municipal de Alagoinha com o Matadouro Público daquele município.

O radialista Eraldo Luis publicou em seu microblog Twitter imagens de como é feito o abatimento de gado para consumo humano no matadouro municipal.

Os funcionários que cortam a carcaça não usam luvas ou uniformes, se quer sandálias eles usam durante o trabalho de corte. Em uma das imagens, após realizar o abate e o corte da carne um homem se lava com uma mangueira dentro do próprio matadouro, enquanto as carnes ainda estão penduradas.

 

Crédito: @eraldoluisgba

 

Some-se a isso o fato de cachorros circularem livremente entre os funcionários e ainda fazerem uma ‘boquinha’ com os restos que ficam no chão do matadouro.

Crédito: @eraldoluisgba

 

Na parte externa do Matadouro, de frente ao prédio, no chão é exposto o couro do gado abatido e adultos e crianças trafegam livremente pelo local.

Crédito: @eraldoluisgba

 

Esse é um retrato do descaso do poder público de Alagoinha que agindo desta forma coloca a saúde de uma população inteira em risco.

Prefeitura descumpre normas legais para o abate

De acordo com a lei, todos os funcionários devem usar luvas, máscaras e botas, além de ser obrigatória a presença de um veterinário durante todo o processo de abate dos animais. Depois do abate, a carcaça não pode ter nenhum contato com o chão. Os funcionários têm 40 minutos para retirar as vísceras e evitar que a carne seja contaminada por bactérias.

A venda da carne para a população precisa respeitar normas de armazenamento. O consumidor deve procurar saber a origem da carne.

Versão da Prefeitura

A redação do Expresso PB ainda na noite desta sexta-feira (05) ainda tentou um contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Alagoinha para ouvir a versão da administração municipal a respeito das imagens mas não obteve êxito. De forma que nos colocamos a disposição da referida assessoria, caso tenha interesse em esclarecer os fatos.

Da Redação 
Do Expresso PB/Fotos: @eraldoluisgba

Comentários

Tags : , , , , , ,

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627