Mais de 5 mil crianças são diagnosticadas com obesidade infantil em um ano na PB

Publicado em domingo, Maio 4, 2014 ·

crianca-obesaA incidência de obesidade em crianças tem crescido nos últimos anos. De acordo com levantamentos recentes do Ministério da Saúde, e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Brasil o número de meninos na faixa etária dos 5 aos 9 anos de idade que estão acima do peso, passou de 15% para 34,8% em 20 anos. De acordo com dados do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvam), em 2013, na Paraíba, 6,55% das crianças na faixa etária de 0 a 10 anos de idade apresentavam obesidade, resultando num total de 5.598.

Obesidade significa ter muita gordura corporal. Não é o mesmo que sobrepeso, que significa pesar muito. Um indivíduo pode ter sobrepeso devido aos músculos extra, ossos ou água, assim como muita gordura. Ambos os termos significam que seu peso está acima do que se considera saudável para sua altura.

Causas

Quando a criança come mais do que precisa, seu corpo armazena as calorias extra em células adiposas para usar como energia mais tarde. Se esse padrão continua com o decorrer do tempo e seu corpo não precisa dessa energia armazenada, ela desenvolve mais células adiposas e pode desenvolver obesidade.

Bebês e crianças pequenas são muito boas ao ouvirem os sinais de seus corpos no que tange à fome e saciedade. Eles param de comer assim que seus corpos lhes diz que estão satisfeitos.

Mas, às vezes, um pai bem-intencionado diz que eles têm que terminar de comer tudo que está no prato. Isso força a criança a ignorar sua saciedade e comer tudo que lhe é servido.

Algumas pessoas podem usar a comida para recompensar um bom comportamento ou buscar conforto quando estão tristes.

Esses hábitos aprendidos levam a comer sem importar se elas estão com fome ou satisfeitas. Muitas pessoas sofrem para quebrar esses hábitos.

A família, os amigos, a escola e os recursos da comunidade no ambiente da criança reforçam hábitos referentes à dieta e atividade.

As crianças são cercadas por muitas coisas que facilitam comer demais e dificultam serem ativas. Assistir à televisão, jogar vídeo game e brincar no computador são atividades que exigem muito pouca energia. Elas podem tomar muito tempo e substituir a atividade física. E, quando as crianças assistem à televisão, elas muitas vezes ficam com vontade de comer os salgadinhos calóricos que vêem nos comerciais. Veja também: Momento do exame e crianças

O termo transtornos alimentares se refere a um grupo de condições médicas que enfoca, de maneira doentia, a alimentação, dieta, perda ou ganho de peso e imagem corporal. Obesidade e transtornos alimentares frequentemente ocorrem ao mesmo tempo em meninas adolescentes e mulheres jovens que podem se sentir infelizes com sua imagem corporal.

Determinadas condições médicas, como distúrbios hormonais ou baixa função da tireoide, e alguns medicamentos, como esteroides ou medicamentos anticonvulsivos, podem aumentar o apetite de uma criança. Com o tempo,isso aumenta o risco de obesidade.

Exames

O médico realizará um exame físico e fará perguntas sobre o histórico médico do seu filho, hábitos alimentares e rotina de exercícios.

Exames de sangue podem ser realizados para saber se há problemas com a tireoide ou endócrinos, que podem levar ao ganho de peso.

Especialistas em saúde infantil recomendam que a criança seja examinada quanto à obesidade aos 6 anos. O índice de massa corporal (IMC) da criança é calculado usando peso e altura. O médico pode usar o IMC para estimar quanta gordura corporal seu filho carrega.

No entanto, medir a gordura corporal e diagnosticar a obesidade em crianças é diferente do que medir em adultos.

Tratamento de Obesidade infantil

Dando apoio ao seu filho

O primeiro passo para ajudar seu filho a chegar em um peso saudável é consultar seu médico. Ele irá ajudá-lo a estabelecer metas saudáveis para perda de peso e ajudar como acompanhamento e suporte.

Tente fazer com que a família toda adote o plano de perda de peso, mesmo se a perda de peso não for a meta de todos. Planos para perda de peso para crianças têm por foco hábitos saudáveis. Um estilo de vida saudável é bom para todos.

Ter o apoio dos amigos e da família também pode ajudar seu filho a perder peso. Veja também: Apoiando seu filho com a perda de peso

Mudando o estilo de vida do seu filho

Ter uma dieta balanceada significa que seu filho deve consumir os tipos e quantidades certos de alimentos e bebidas para manter seu corpo saudável.

Escolher lanches e bebidas saudáveis para seus filhos é importante,mas pode ser um desafio. Veja também: Lanches e bebidas adoçadas – crianças

As crianças não devem assistir à mais de 2 horas de TV por dia. Isso pode ser difícil, pois assistir à TV faz parte de sua rotina diária. Veja também: Momento do exame e crianças

As crianças devem ter muitas chances de brincar, correr, andar de bicicleta e fazer esportes durante o dia. Os especialistas recomendam 60 minutos de atividade moderada todos os dias. Atividade moderada significa que sua respiração e batimentos cardíacos estão mais rápidos que o normal. Se seu filho não gostar de esportes, encontre maneiras de motivá-lo a ser mais ativo. Veja também: Exercícios e atividade – crianças

O que mais deve ser considerado

Você pode ver anúncios de suplementos e medicamentos fitoterápicos que dizem ajudar na perda de peso. Mas muitas dessas alegações não são verdadeiras, e alguns desses suplementos podem ter graves efeitos colaterais. Converse com seu médico antes da dá-los ao seu filho.

Drogas para perda de peso não são recomendadas para crianças.

A cirurgia bariátrica é atualmente realizada em algumas crianças, mas somente depois que elas param de crescer. Veja também: Cirurgia para perda de peso em crianças

Paulo Cosme

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627