Inca prevê 7.370 novos casos de câncer este ano na PB; doença na pele encabeça o ranking

Publicado em sábado, Janeiro 14, 2012 ·

cancerO Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima que 7.370 novos casos de câncer devam ser registrados na Paraíba este ano. Em todo o país, a previsão é ter 520 mil novos casos. No Estado, o instituto calcula que 3.580 casos atinjam homens, enquanto 3.790 mulheres devem ser acometidas por neoplasias. Os dados foram divulgados pelo instituto e fazem parte da publicação Estimativa 2012 – Incidência de Câncer no Brasil. As maiores incidências, na Paraíba, devem ser o câncer de pele, com 2.280 novos casos; próstata (940), mama (640) e colo do útero, que pode atingir 320 mulheres.

O câncer de pele encabeça o ranking de novos casos de neoplasias na Paraíba em 2012. A exposição ao sol em excesso e sem proteção é apontada como fatores de risco. O melanoma é o mais agressivo, começa com uma simples mancha que com o tempo muda de cor e cresce causando uma ferida que nunca cicatriza. A dermatologista Sandra Carvalho chama atenção para o risco da exposição ao sol. “As pessoas de pele clara que têm uma característica peculiar que quando se expõem ao sol não se bronzeiam, queimam, ficam vermelhas, são as mais propensas”, afirmou. Os cuidados devem se estender ao uso de protetores solares e de objetos e roupas que contribuam para exposição com cuidado.

Segundo o INCA, sem considerar os tumores de pele, o câncer de mama continua sendo o de que mais acomete mulheres. A taxa é de 32,41 casos por 100 mil habitantes, no Estado. Em se tratando da capital (João Pessoa), a taxa sobe para 63,33 por 100 mil habitantes. Ainda de acordo com a estimativa do INCA, esse tipo de câncer também é o segundo mais freqüente nas mulheres das regiões Nordeste (32/100 mil), Sudeste (69/100 mil), Sul (65/100 mil) e Centro-Oeste (48/100 mil).

De acordo com o Instituto, cerca de 85% a 90% do total de casos cânceres estão associados a fatores ambientais. Entende-se por esses fatores o meio ambiente de forma geral (água, terra e ar), o ambiente ocupacional (indústrias químicas e afins) o ambiente de consumo (alimentos, medicamentos) o ambiente social e cultural (estilo e hábitos de vida). Alguns deles são bem conhecidos: o cigarro pode causar câncer de pulmão, a exposição excessiva ao sol pode causar câncer de pele, e alguns vírus podem causar leucemia, Hepatocarcinoma e câncer de útero. Outros estão em estudo, tais como alguns componentes dos alimentos que ingerimos, e muitos são ainda completamente desconhecidos. Os dados são do Instituto Nacional do Câncer (INCA).

De acordo com o INCA, o envelhecimento traz mudanças nas células que aumentam a sua suscetibilidade à transformação maligna. Isso, somado ao fato de as células das pessoas idosas terem sido expostas por mais tempo aos diferentes fatores de risco para câncer, explica em parte o porquê de o câncer ser mais freqüente nesses indivíduos. Os fatores de risco ambientais de câncer são denominados cancerígenos ou carcinógenos. Esses fatores atuam alterando a estrutura genética (DNA) das células.

As causas de câncer são variadas, podendo ser externas ou internas ao organismo, estando ambas inter-relacionadas. As causas externas, segundo ela, relacionam-se aos hábitos ou costumes próprios de um ambiente social e cultural. As causas internas são, na maioria das vezes, geneticamente pré-determinadas e estão ligadas à capacidade do organismo de se defender das agressões externas. Esses fatores causais podem interagir de várias formas, aumentando a probabilidade de transformações malignas nas células normais.

O surgimento do câncer depende da intensidade e duração da exposição das células aos agentes causadores de câncer. “Por exemplo, o risco de uma pessoa desenvolver câncer de pulmão é diretamente proporcional ao número de cigarros fumados por dia e ao número de anos que ela vem fumando”, afirma.

Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões do corpo. A palavra câncer tem origem no latim, cujo significado é caranguejo. Tem esse nome, pois as células doentes atacam e se infiltram nas células sadias como se fossem os tentáculos de um caranguejo.

Esta doença tem um período de evolução duradouro, podendo, muitas vezes, levar anos para evoluir até ser descoberta. Atualmente, foram identificados mais de cem tipos desta doença, sendo que a maioria tem cura (benignos), desde que identificados num estágio inicial e tratados de forma correta.

O Hospital Napoleão Laureano, em João Pessoa, e a Fundação Assistencial da Paraíba (FAP), em Campina Grande, são as unidades de referência para o tratamento das neoplasias na Paraíba ambos oferecendo, tanto para rede pública como para a privada, Quimioterapia e Radioterapia com acelerador linear.

No Estado o perfil de mortalidade por câncer também assume a tendência nacional e aparece como a segunda causa de morte no estado, ficando atrás apenas das doenças do aparelho circulatório. A mortalidade por câncer na Paraíba apresentou um aumento de 37,0 % no ano de 2010 tendo como base o ano 2001, ou seja, no ano 2001 foram 1.162 óbitos e em 2010, 3.135. O mais grave é que em dez anos (2001 a 2010) o total de paraibanos que foram a óbitos vitima de câncer é de 22.776, sendo 11.672 homens e 11.104 mulheres.

Dez Dicas Para se Proteger do Câncer

1. Pare de fumar! Esta é a regra mais importante para prevenir o câncer.

2. Uma dieta alimentar saudável pode reduzir as chances de câncer em pelo menos 40%. Coma mais frutas, legumes, cereais e menos carnes e alimentos gordurosos. Sua dieta deveria conter diariamente pelo menos 25 gramas de fibras, e a quantidade de gordura não deveria ultrapassar 20% do total de calorias ingeridas.

3. Procure abrir mão totalmente ou limitar a ingestão de bebidas alcólicas. Os homens não devem tomar mais do que dois drinks por dia, enquanto as mulheres devem limitar este consumo a um drink. Além disso, icorpore a prática de exercícios físicos à sua rotina diária. Excercite-se moderamente durante pelo menos 30 minutos 5 vezes por semana.

4. A mulher deve fazer um auto-exame das mamas todo mês. Com 35 anos de idade a mulher deverá submeter-se a uma mamografia de base, com 40 anos, um ou duas mamografias de segmento e a partir dos 50 anos uma mamografia anual.

5. A mulher a partir dos 20 anos deverá submeter-se anualmente a um exame preventivo do colo do útero (Papanicolaou).

6. O homem deverá fazer um auto-exame dos testículos todo mês.

7. Homens e mulheres com mais de 50 anos devem solicitar ao médico um exame anual de sangue oculto nas fezes.

8. Os homens com mais de 50 anos devem procurar o médico regularmente para o exame de toque retal para prevenir o câncer de próstata.

9. Evite a exposição prolongada ao sol e use filtro protetor solar fator 15 ou superior.

10. Faça regularmente um auto-exame da boca e da pele.

Inca

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS


















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br