Horto tem chuva de gols, mas Atlético-MG e Chape empatam

Publicado em sábado, junho 2, 2018 ·

O terceiro encontro entre Atlético-MG e Chapecoense, no intervalo de um mês, foi mais movimentado do que o modesto público presente no Independência esperava. Entretanto, o empate no placar voltou a prevalecer na disputa entre as equipes, que terminou 3 a 3 neste sábado. A chuva de gols foi iniciada com Leandro Pereira, expulso no final do primeiro tempo, e Ricardo Oliveira cravou o empate apenas um minuto depois. Róger Guedes e Fábio Santos fecharam para os mineiros, enquanto Wellington Paulista e Arthur deixaram tudo igual para a Chape.

Dudu Macedo/Fotoarena
Dudu Macedo/Fotoarena

Foto: LANCE!

O resultado deixa o Atlético-MG na sétima colocação, com 14 pontos. Já a Chapecoense, ganha duas posições e assume o 13ª lugar, com dez pontos, se aproximando da zona de classificação para a Sul-Americana.

Ricardo Oliveira interrompe festa alviverde 
O primeiro tempo da partida não começou muito diferente do que as equipes mostraram nos dois encontros pela Copa do Brasil. Em casa, o Atlético-MG criou as principais jogadas ofensivas enquanto a Chape priorizou a defesa. A situação mudou aos 19 minutos, quando Leandro Pereira aproveitou a recepção de Wellington Paulista no escanteio cobrado por Canteros e abriu o placar para a Chape. A resposta não demorou para chegar e, apenas um minuto depois, Ricardo Oliveira aproveitou saída adiantada de Jandrei para deixar tudo igual no Horto.

Um a menos em campo 
Mal deu tempo para comemorar, mas os comandados de Kleina evitaram lamentações e intensificaram jogadas de bolas altas. O Atlético, que parecia reprimido, logo foi beneficiado com pênalti de Wellington Paulista em Gabriel. Na cobrança, Fábio Santos, de paradinha, bateu no canto esquerdo de Jandrei, retomando a frente aos 35 minutos. Novamente, Gabriel voltou a sofrer com entradas duras do rival. Desta vez, Leandro Pereira deixou a perna em dividida, acertou o zagueiro e acabou recebendo o segundo amarelo.

Arthur Caíke é decisivo nos acréscimos 
Os cinco minutos de acréscimos foram essenciais para a Chapecoense. Depois de ver Ricardo Oliveira furar a bola da melhor chance de gol do jogo, Arthur Caike sofreu falta na entrada da área e ele mesmo foi para a cobrança, empatando a partida em 2 a 2 aos 50 minutos do primeiro tempo.

Formação mantida 
As equipes foram mantidas para a etapa final e a Chape não demorou para sentir a pressão de ter um homem a menos. Com apenas 13 minutos de bola rolando, Róger Guedes recebeu passe de Elias e driblou Apodi para retomar a vantagem no placar e a artilharia do Brasileirão. Mas, apesar da dedicação em campo, o Galo voltou a sofrer. Dentro da área, Fábio Santos fez falta em Arthur e o terceiro empate veio aos 18 minutos, com cobrança de pênalti certeira de Wellington Paulista.

Final morno 
Em busca da vitória para encerrar a nona rodada tranquilo, o Atlético-MG intensificou as jogadas ofensivas na reta final do segundo tempo, mas logo deu lugar ao nervosismo causado pelo empate e cometeu falhas pontuais em campo. A falta de imposição gerou cobranças da torcida e, na pressão, Ricardo Oliveira quase marcou o quarto gol com chute rasteiro, que foi a melhor chance criada pela equipe.

Lance

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627