Governo pretende construir satélite para impedir atos de espionagem

Publicado em quarta-feira, setembro 4, 2013 ·

O governo brasileiro pretende iniciar em outubro a construção de um satélite geoestacionário para que ele esteja em órbita até 2016. A ideia é dar mais segurança para a comunicação de dados nacional. De acordo com O Estado de S. Paulo, o projeto, que é orçado entre US$ 600 milhões e US$ 660 milhões, já estava em andamento, mas foi impulsionado pelas recentes denúncias de que os EUA monitoraram dados da presidente Dilma Rousseff.
Crédito:José Cruz/ABr
Matéria do “Fantástico” revelou que a presidente Dilma estava sendo espionada pelo governo norte-americano

Atualmente, as comunicações de dados, telefonia sinais de TV paga e até comunicações militares passam pelo satélite da Embratel, empresa que já foi estatal, mas foi privatizada em 1997. “Alugamos satélite de uma empresa estrangeira”, disse Caio Bonilha, presidente da Telebrás. “Hoje, se tivermos algum problema, não temos controle nenhum sobre ele”, acrescentou.

O grupo franco-italiano Thales Alenia Space vai fornecer o satélite e a tecnologia, que será construído pela Visiona, uma joint venture entre a Telebrás e a Embraer. A tecnologia ficará com a Agência Espacial Brasileira (AEB), que vai irradiá-la a partir de São José dos Campos (SP).
O equipamento brasileiro também terá um dispositivo que desligará terminais não autorizados, impedindo assim atos de espionagem. Outro objetivo do satélite é levar internet banda larga a todo o país. O equipamento fornecerá o serviço em áreas onde é difícil chegar com infraestrutura física.
Portal IMPRENSA

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS













ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627