Foragida, mulher que torturou rival com cigarro se defende em vídeo

Publicado em sexta-feira, outubro 17, 2014 ·

Elizângela (foto) teria agredido adolescente por ciúmes Reprodução/ Rede Record
Elizângela (foto) teria agredido adolescente por ciúmes
Reprodução/ Rede Record

Considerada foragida pela polícia, a mulher que foi filmada torturando uma adolescente na Praia Grande, litoral sul de São Paulo, resolveu se defender usando a internet. Em vídeo de pouco mais de nove minutos, postado no YouTube, a jovem, que se apresenta como Elizângela Granneman, explica por qual motivo não se apresentou na delegacia e diz que não é uma “cobra”. As imagens da agressão, motivada por ciúme, espalharam-se pelas redes sociais, provocando revolta.

Elizângela reclama que vem sendo julgada e que a vida dela “está um inferno”. Ela acusa a vítima de “se fazer de santa, coitada” e interferir no relacionamento dela com o então companheiro. Em um determinado momento da gravação, a suspeita desabafa: “O mundo inteiro está contra mim. Eu peço desculpa para a [vítima], peço desculpas para a mãe dela e peço pra vocês tentarem ver o meu lado, porque eu não sou essa pessoa ruim”.

R7 informou sobre o vídeo à titular da DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) de Praia Grande, Rosemar Cardoso Fernandes, que investiga o caso. A delegada declarou que Elizângela já teve a prisão temporária decretada e adiantou que pretende pedir a preventiva até o final deste mês.

— Estou aguardando o prontuário médico para classificar a natureza de lesão, se é grave ou gravíssima.

No vídeo, Elizângela chega inclusive a assumir que bateu na adolescente, mas nega que tenha realizado tortura: “Eu bati nela, bati mesmo porque ela foi uma safada, ela correu atrás de um cara casado. Eu me precipitei porque na hora da raiva a gente faz coisas que a gente não quer fazer. Mas não teve tortura. Fiquei com ela meia hora, 40 minutos, no máximo”.

Assista ao vídeo da suspeita de agressão:

Conforme a delegada, a suspeita vai responder por sequestro, cárcere privado, tortura e roubo, já que teria levado o celular da vítima. O fato de a garota agredida ser menor de idade é um agravante, destaca Rosemar.

“Ai, que delícia!”

Nas imagens da tortura, que também foram postadas na internet, a agressora bate na vítima, que tem o rosto queimado com cigarro. A adolescente é ameaçada e forçada a se autodepreciar.

Em um dos momentos em que a agressora queima o rosto da jovem, ela fala, em tom de sarcasmo: “Uma marquinha para você nunca mais se esquecer da Elizângela […] Ai, que gostoso! Ai, que delícia”.

O que motivou a violência foi uma suposta traição da vítima, que teria se envolvido com o parceiro da suspeita. Com ferimentos no rosto, a jovem foi obrigada a dizer que não queria mais saber do rapaz.

O vídeo em que a suspeita se defende foi ao ar no último dia 15. Até às 10h07 desta sexta-feira (17), estava com 5.884 visualizações e 73 curtidas e 157 “não gostei”. Entre os 70 comentários postados, a maioria foi contra a agressora, que chega ser chamada de “doente”.

 

Colaborou Gilmar Júnior, estagiário do R7

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS













ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco







Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627