Fondue, cachaça e arte. ‘Caminhos do Frio’ tem rotas por engenhos e até campo de golfe

Publicado em terça-feira, julho 23, 2013 ·

engenhoFondue, cachaça, frio e muitas horas de apresentações artísticas. A Rota Cultural Caminhos do Frio chega ao seu oitavo ano com uma programação mesclada por nomes consagrados da música popular brasileira e artistas locais. Seis municípios do Brejo paraibano, intercalam programação semanal que contemplam artes visuais, audiovisual, circo, cultura popular, dança, literatura, música e teatro. O evento ainda vai contar com debates de outras áreas da cultura, como arte contemporânea, economia criativa e cidadania feminina.

Caminhos do Frio começou nesta segunda-feira (22) com oficinas de violão, teatro experimental, percussão e bateria, além de produção fotográfica, de filmes curta-metragem, e de dança de salão, em Bananeiras, a maior e a mais estruturada das seis sedes da rota cultural.

Localizada a 136 quilômetros de João Pessoa e a 147 de Natal (RN), essa cidade paraibana, a 552 metros do nível do mar, costuma ter temperaturas entre 12°C, no inverno; e, no verão, 31°C. Possui condomínios horizontais de alto padrão, boa rede de hotéis e um campo de golpe, que fica dentro de um desses empreendimentos da hotelaria.

Saindo de João Pessoa, uma empresa de receptivo vende pacotes para Bananeiras, mas apenas com hospedagem. Para duas noites, o apartamento duplo custa R$ 640. A empresa deve iniciar vendas para passeios em Areia, onde será promovido o Festival de Artes, de 29 de julho a 4 de agosto. O pacote incluirá visitação a engenhos, durante o dia, e festas na cidade à noite.

Seguindo pelas ladeiras que entrecortam as ruas de Bananeiras, é possível contemplar sobrados do século 19, um casario com 80 unidades catalogadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico do Estado da Paraíba (Iphaep) e um túnel de trem inaugurado em 1922.

Velha estação em BananeirasFoto: Velha estação em Bananeiras
Créditos: Secom-PB/PBTur/Por Gustavo Moura

Em sua zona rural estão espalhados pequenos engenhos artesanais de produção de aguardente, entre eles o Goiamunduba que, desde 1877, fabrica a cachaça `Raínha`. No distrito de Roma está encravado um cruzeiro do final do século 19 localizado a 507 metros de altura. Com uma queda d`água forte e gelada, de 45 metros, a Cachoeira do Roncador é outro ponto visitado pelos turistas.

A cidade de Bananeiras abre o roteiro e terá em sua programação, no dia 27 de julho, show do cantor e compositor Guilherme Arantes. A cidade ainda recebe artistas locais como Renata Arruda, Eloísa Olinto e Yegor Gomez. O roteiro vai até o dia 28 de julho nessa cidade.

Bananeiras polariza outros cinco municípios do Caminhos do Frio. Nos seis estão cadastrados 1.243 leitos, sendo 364 apartamentos em 14 empreendimentos, entre pousadas e hoteis. Em sua cozinha regional, nesta época do ano, é possível degustar de fondue em suas hospedarias. De lá, é possível seguir em rodovia asfaltada para Areia, que fica a 41 quilômetros. A viagem que dura em torno de 30 minutos é adornada pelo verde permanente do Brejo.

Pequeno município de pouco mais de 26 mil habitantes, Areia (a 126 quilômetros da Capital) é conhecida por ser o berço do pintor Pedro Américo, consagrado por retratar em suas pinceladas o ‘Grito do Ipiranga’. No meio do seu conjunto arquitetônico, declarado Patrimônio Histórico Nacional em 2005, está o Teatro Minerva, obra de 1859, considerado o primeiro teatro da Paraíba. O local, que conserva sua arquitetura original, foi a casa onde nasceu o pintor.

A cidade fica entre serras e abrigou os primeiros engenhos que funcionavam com máquinas a vapor. De Alagoa Grande até Areia, são 15 km de serra, com curvas alternadas.

Areia antecipou-se à Lei Áurea e, dias antes, libertou os últimos escravos que trabalhavam na região. Já é tradição local o Festival de Artes, que este ano terá 183 atrações. A cidade tem apenas 21 leitos disponíveis em uma pousada. O festival vai contar com duas grandes artistas da MPB, Zélia Duncan e Zizi Possi. Além delas, outros grupos e artistas regionais se apresentarão, como Sandra Belê (Zabelê), Lucy Alves (João Pessoa), Eleonora Falcone (João Pessoa), Sex On The Beach (Campina Grande), A Troça Harmônica (João Pessoa), Camerata Philipéia (João Pessoa) e Dusouto (RN).

A programação de teatro contará com nomes de impacto nacional e internacional, como a atriz Denise Stoklos, que apresentará o monólogo intitulado “Preferiria Não?”, a Cia XIX de Teatro, que apresentará o espetáculo “Hysteria”, e o Grupo de Teatro da Poli (SP), com o espetáculo “Pode Ser que Seja Só o Leiteiro Lá Fora”, entre outras atrações regionais.

Em Pilões (a 117 quilômetros de João Pessoa) são 10 apartamentos em uma pousada e em Serraria (a 59 quilômetros da capital) são 15 quartos em duas pousadas. O município tem cerca de 7 mil habitantes. A programação em Pilões vai de 12 a 18 de agosto. A principal atração é o cantor Geraldo Azevedo, que se apresenta no dia 17 de agosto.

A cidade chegou a ter 26 engenhos. Atualmente, uma atividade econômica importante no local é a produção de flores, como os crisântemos, rosas e margaridas.

A prefeita de Pilões, Adriana Aparecida, informou que está buscando atender os turistas com hospedagens alternativas, utilizando residências particulares.

A presidente do Fórum Regional de Turismo Sustentável do Brejo Paraibano, Fernanda Melo, acredita que, a partir da abertura da rota, vários engenhos da região, a exemplo do Olho D’água, em Pilões, que produz mel e rapadura, deverá receber uma demanda muito grande de turistas. A entidade agrega todos os munícipios do roteiro.

No ano passado, uma pesquisa da PBTur identificou que 78,8% dos que visitaram a Rota cultural Caminhos do Frio eram paraibanos. Outros 6,7% eram do rio Grande do Norte e 5,3% de Pernambuco. Outros 9,2% eram turistas de outros estados e memo de outros países, incluindo Argentina e Itália.

A mesma pesquisa indicou que 54,4% dos visitantes eram homens. A renda média desses turistas chega a R$ 3,4 mil e a grande maioria (67,75%) foi atraída ao Brejo paraibano pela promoção do Caminhos do Frio.

Serraria, que fica 600 metros acima do nível do mar e tinha 6.175 habitantes em 2012, segundo o IBGE, tem como ponto alto o show de Nando Cordel, que acontece no dia 9 de agosto. Por lá, o roteiro vai de 5 a 11 de agosto.

Seus atrativos turísticos, atualmente, são: Engenho Baixa Verde, Mata do Grilo, Engenho Martiniano, Pedra da Furna e Engenho Laranjeiras. O município, que fica a 123 quilômetros de João Pessoa, é um convite ao turismo. O visitante contará com excelentes opções de cardápio, banhos de bica, passeios a cavalo, visitas a casas-de-farinha ainda em operação, reserva de Mata Atlântica. Além de folguedos populares, com destaque para a Cavalhada, ali conhecida pelo nome de Corrida das Argolinhas.

De 19 a 25 de agosto, o pequeno município de Alagoa Nova (a 99 quilômetros de João Pessoa), berço de índios bultrins, da nação Cariri,recebe a Rota Cultural Caminhos do Frio. Atualmente, a cidade explora os turismos rural, cultural, religioso, de lazer, contemplativo e de aventura. O município tem uma população estimada em pouco mais de 19 mil habitantes.

Em sua zona rural estão serras e matas virgens usadas para trilhas, cachoeiras e rios. Os aventureiros podem praticar o trekking. Os religiosos podem explorar as trilhas do Padre Ibiapina.

Em Alagoa Nova a “Festa da Civilização do Açúcar” é o tema da semana do Caminhos do Frio. De 15 até 19 três cursos: Criação de abelhas e produção de mel, artesanato com recursos turísticos no meio ambiente e gastronomia (comida de boteco). Cinema de rua, oficina e espetáculos de circo, festa da Civilização do Açúcar, shows de forró, Salão de Artesanato, trilhas, rapel e Festival da Tilápia completam a programação da semana.

O roteiro em Alagoa Nova tem a banda Magníficos e Santanna, o Cantador. O evento fica na cidade de 19 a 25 de agosto.

Em sua última semana, a Rota Cultural Caminhos do Frio desembarca na terra de Jackson do Pandeiro. Alagoa Grande sedia o evento de 25 de agosto a 1º de setembro. O cantor Lenine é a grande atração, que se apresenta no dia 31 de agosto.

Em Alagoa Grande, que tem uma população é de 28.482 habitantes, também está a comunidade quilombola de Caiana dos Crioulos é herança negra  de Areia, de quem se desmembrou no século 19.

O município fica localizado a 103 quilômetros de João Pessoa e oferece trilhas ecológicas. Os turistas podem visitar o Engenho Lagoa Verde e degustar a cachaça Volúpia, que tem rótulo reconhecido nacionalmente.

Portal Correio

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS


















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br