Fla diz que R10 vai à Bolívia. Assis dá novo prazo para acerto com a Traffic

Publicado em segunda-feira, Janeiro 16, 2012 ·

Ronaldinho Gaúcho em campo no amistoso contra o Corinthians (Foto: Alexandre Vidal/Fla Imagem)
Ronaldinho Gaúcho em campo no amistoso contra o Corinthians (Foto: Alexandre Vidal/Fla Imagem)

Flamengo e Assis, irmão e empresário de Ronaldinho Gaúcho, encaminharam neste domingo um entendimento para manter o craque no clube. No entanto, a pendência continua. A assinatura do contrato entre clube e Traffic, prevista para esta segunda-feira, ganhou novo prazo: quarta. A expectativa é que o pagamento dos R$ 3,75 milhões atrasados ocorra 24 horas depois que o documento for oficializado. Além do valor que é de responsabilidade da empresa, o Rubro-Negro pagará uma quantia extra, que não foi revelada. Sendo assim, o camisa 10 embarca normalmente na tarde desta segunda com outros 15 jogadores para Sucre, na Bolívia, onde o Flamengo enfrentará, dia 25, o Real Potosí, na primeira partida válida pela pré-Libertadores.

O departamento de futebol do Flamengo confirma a ida de Ronaldinho Gaúcho. Cauteloso, Assis prefere aguardar os próximos dias. Só o pagamento dos atrasados vai garantir a presença do craque em campo contra o Potosí.

– Ficou tudo para quarta-feira. O Flamengo veio aqui, fizemos uma reunião, conversamos bastante sobre a situação, e o clube tem até quarta-feira para tomar uma posição e se acertar com a Traffic. Não tem nada definido. O Flamengo ficou de fazer tudo para resolver esse problema. Acredito que não vai ser interessante para ninguém continuar assim – resumiu Assis, por telefone.

Ficou tudo para quarta-feira. O Flamengo veio aqui, fizemos uma reunião, conversamos bastante sobre a situação, e o clube tem até quarta-feira para tomar uma posição e se acertar com a Traffic. Não tem nada definido. O Flamengo ficou de fazer tudo para resolver esse problema. Acredito que não vai ser interessante para ninguém continuar assim”
Assis

Neste domingo, diante da pressão do empresário e do risco de Ronaldinho não viajar para a Bolívia e até mesmo deixar o clube, a diretoria rubro-negra correu para resolver o problema com a Traffic. O vice de Finanças, Michel Levy, o marido da presidente Patricia Amorim, Fernando Sihman, e o vice jurídico, Rafael de Piro, foram a Porto Alegre ao encontro de Assis para tentar encerrar a questão.

Em Londrina, momentos antes do amistoso do Flamengo contra o Corinthians no Estádio do Café, o craque recebeu um telefonema da presidente Patricia Amorim. Ronaldinho costuma ser sempre o último jogador a descer do ônibus da delegação rumo ao vestiário. Dessa vez, demorou ainda mais. Com o semblante fechado, ouviu atentamente as explicações da presidente de que o clube estava solucionando o grande imbróglio que se tornou o cumprimento de seu contrato.

Pressão

A pressão de Assis foi enorme para que o Flamengo corresse contra o tempo. No início da semana, o irmão e empresário de Ronaldinho avisou à diretoria que o craque não jogaria na Libertadores caso o problema não fosse resolvido. No sábado, o irmão de R10 não garantia o embarque do jogador. O empresário alegou que teria outras propostas, uma inclusive de um clube brasileiro, que seria o Corinthians. O clube paulista, no entanto, negou a informação.

Globoesporte.com

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS


















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br