Família de cantor do grupo Mamonas anuncia processo contra Feliciano

Publicado em terça-feira, abril 16, 2013 ·

Foto: Alan Marques Folha
Foto: Alan Marques Folha

A família do cantor Dinho, do grupo Mamonas Assassinas, decidiu ingressar na Justiça com um processo contra o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) em razão de declarações consideradas ofensivas, informou Jorge Miranda, primo do artista.

Dinho e os demais integrantes do grupo morreram em 1996 depois que um avião que os transportava caiu na Serra da Cantareira, em São Paulo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O tipo do processo, se cível ou criminal, ainda será estudado com advogados da família, informou Miranda. Segundo ele, o pai do cantor, Hildebrando Alves estará em Brasília na próxima semana para protocolar a ação no Supremo Tribunal Federal (STF). Feliciano tem foro no STF para questões de caráter criminail Se for uma ação civil por danos morais, o processo terá de tramitar na Justiça Comum.

Em vídeo tornado público no site YouTube na semana passada, Feliciano afirma ter conhecido um rapaz, “líder de grande banda que morreu num acidente de avião”, punido porque cometeu “o pior pecado que alguém poderia cometer”. O deputado é alvo de protestos e manifestações pelo país por declarações interpretadas como homofóbicas e racistas.
“Cantava no grupo de jovens de uma igreja nossa, em Guarulhos, se desviou. E de repente se transforma no líder de grande banda que morreu num acidente de avião. Eu não posso citar o nome porque dá processo. Quando estavam no apogeu da vida, 1,5 milhão de cópias de CDs, cometeram o pior pecado que alguém poderia cometer: colocaram pavarões na boca de crianças. E meu Jesus disse: ‘Não toque nas crianças porque da boca delas sai perfeito louvor'”, afirmou Feliciano.

Segundo a assessoria do deputado, a declaração foi dada em 2005 durante pregação em culto evangélico, quando Feliciano ainda não era parlamentar. De acordo com a assessoria, trata-se de uma declaração cujo vídeo foi retirado do contexto. “Frases retiradas do contexto criam pretexto para nova discussão”, afirmou a assessoria.

Jorge Miranda afirmou que a questão não é financeira, mas moral. “Não pediremos nada de substancial. Inclusive meu tio está pensando em doar uma eventual indenização para instituição de caridade. Não é questão financeira, é moral.

Segundo Miranda, se Dinho estivesse vivo “saberia contestar por meio de música ou de palavras. A gente acha justo [questionar] pelos fãs. O jeito mais punitivo de segurar a língua de alguém é fazer judicialmente”.

De acordo com o primo do cantor, a intenção é também tentar marcar para a próxima semana uma audiência com o presidente da Cãmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), “para que a gente cobre pelo menos uma desculpa pública ou algo do gênero”.

G1

Comentários

Tags : , , , , ,

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627