Em Arara professores sofrem perseguição após participação em paralisação, diz Sintab

Publicado em sexta-feira, agosto 26, 2011 ·

sala deaulaA luta pelo pagamento do piso nacional do magistério pelos professores de diversos municípios da Paraíba tem proporcionado perseguição dos gestores a vários docentes. A alegação é do Sintab (Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema).

Na quarta-feira, 16, dia nacional da paralisação pela conquista do pagamento do piso, de acordo com o sindicato, foram muitas as denúncias recebidas pelo Sintab apontando para corte de ponto dos profissionais que participaram do movimento de adesão nacional.

Professores das cidades de Queimadas, Pocinhos, Puxinanã, Arara e Areal relataram que tanto os gestores das escolas, como também os secretários de Educação e até os prefeitos dos referidos municípios, afirmaram que o ponto seria cortado se os docentes viessem ao Centro de Campina Grande, local onde a manifestação aconteceu.

Além de ferir os direitos dos trabalhadores por se tratar de uma mobilização promovida pela Conferência Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), até a possibilidade de repor o dia letivo foi usurpado.

O departamento jurídico do SINTAB está aguardando para tomar as providências necessárias, caso no contracheque dos professores esse dia seja mesmo descontado.

O presidente do sindicato, Napoleão Maracajá, afirmou que nenhum docente será prejudicado por lutar por um direito que o assiste, uma vez que a lei nacional do piso já foi sancionada, mesmo que ainda várias prefeituras do Estado não cumpram essa determinação.

paraibaonline

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS













ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco







Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627