Dossiê revela o descalabro na gestao do sindicato dos professores da ADUEPB

Publicado em quinta-feira, outubro 17, 2013 ·

aduepbO que dizer de uma hipoteca da sede de sindicato para pagar uma dívida de mais de R$ 30 mil? E do gasto de mais de R$ 33 mil com combustível, se a entidade não tem nenhum veículo, despesa que se soma a mais de R$ 17 mil com pagamento de táxi? E da nababesca despesa de mais de R$ 74 mil em supermercados, restaurantes, lanchonetes e até choperias? Tudo isto revela o que foi chamado de “retrato cinzento e desbotado” da gestão do sindicato dos professores da UEPB – ADUEPB – e está sendo denunciado através de um “Dossiê da Vergonha” que revela o verdadeiro festival de gastos e locupletação com o dinheiro dos professores, tudo patrocinado pelo então presidente da ADUEPB José Cristóvão Andrade, conhecido como “professor Andrade” que também foi candidato a Reitor nas últimas eleições para este cargo.

 

Detalhado e contundente este relatório  –  elaborado pela Comissão Gestora Provisória do Sindicato cuja presidente é a professora Cristiane Nepomuceno  – está sendo distribuído em todos os campi da universidade para denunciar o que foi classificado como “uma triste realidade formada pelo descaso administrativo, pela mais completa desorganização contábil, por uma irresponsabilidade na gestão financeira e por um perceptível descalabro na representação de nosso Sindicato, colocado a serviço de interesses pessoais e particulares”.

Denominado de “Dossiê da Vergonha”, o relatório revela toda a movimentação financeira da entidade de representação dos docentes da UEPB – no período de janeiro a agosto deste ano – e tem como base uma auditoria contábil, assinada pelo contador Israel de Sousa Silva, que identificou “significativas deficiências no Controle das Finanças da entidade”.

O “Dossiê da Vergonha” revelou que a ADUEPB – mesmo servindo no dia a dia apenas café, açúcar e as vezes biscoito – gastou mais de R$43 mil com supermercados que se somam a mais de R$ 15 mil em nome do professor Andrade. E apesar deste volume de compras, ainda se registrou o consumo em restaurantes, lanchonetes e até choperias de cerca de R$ 16 mil.

Da mesa farta ao transporte, a auditoria identificou que – mesmo sem ter nenhum veículo – a gestão do professor Andrade – de janeiro a agosto –  gastou mais de R$ 33 mil com pagamento de combustível o que daria comprar – a um valor de R$ 2.88 reais – mais de 11 mil litros de combustível. Com este combustível, segundo o “Dossiê da Vergonha” “daria pra cruzar a Paraíba de leste a oeste 234 vezes”. E para completar no item transportes ainda foi identificado o gasto de mais de R$ 17 mil em pagamento de táxis.

Entre as maiores estranhezas apontadas pelo “Dossiê da Vergonha” verifica-se que a ADUEPB teve um imóvel, onde funcionava a sua sede, hipotecado para pagamento de uma dívida de R$ 31,4 mil, para que foram emitidos 18 cheques da entidade. E o mais “estranho” foi o empréstimo feito então presidente Andrade, em julho, no valor R$ 4,8 mil, para que emitiu dois cheques pré-datados do Sindicato de R$ 2,5 mil cada. O detalhe é que, em junho, a receita da ADUEPB foi de R$ 92,1 mil.

Campina Grande, 17 de outubro de 2013

Confira o dossiê completo

Assessoria de Imprensa

 

 

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS













ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627