Descubra o papel dos homens durante a gravidez

Publicado em quarta-feira, Janeiro 29, 2014 ·

paiA imagem do pai com um charuto na boca, andando em círculos ou desmaiando ao assistir ao parto não combina mais com as reivindicações do homem atual. Hoje, há um interesse cada vez mais crescente demonstrado pelos pais em acompanhar a gestação e o parto, antes um verdadeiro tabu no universo masculino. Em alguns casos, como na família Almeida, a participação é tão grande que o papai chega até a apresentar sintomas típicos de grávidas. Desde quando engravidou, há 30 semanas, Mariana, 28 anos, conta com apoio incondicional do marido, Aristóteles, 33 anos. Mas, além de estar sempre presente, ele vem passando por algumas situações tipicamente associadas às grávidas.

“Eu senti que ela estava grávida e fui correndo comprar o teste de farmácia. Quando cheguei em casa, fiz questão de fazê-lo com ela. O primeiro, claro, eu fiz errado, mas o segundo… aí, deu tudo certo! Foi emocionante! E, desde esse dia, eu comecei a sentir desejos estranhos e dor nas costas”, conta orgulhoso, enquanto Mariana relembra das peripécias do “papai coruja”.

E, antes que você faça “cara feia” ou ache que isso não passa de imaginação fértil e invencionice masculina, saiba que existe de verdade e tem nome: Síndrome de Couvade, um fenômeno que acomete homens que demonstram um grande envolvimento com a gestação de suas parceiras. “Isso acontece porque os homens estão, cada vez mais, envolvidos com os filhos desde a gravidez e não mais quando os filhos já estão nascidos”, explica a psicóloga do Viver Melhor – Espaço de Saúde e Bem-Estar da Unimed JP, Abigail Lopes.

E, mais uma vez, a família Almeida comprova essa tese. “Ah, ele sabe tudo e acompanha cada passo meu. Teve um dia em que eu quase dormindo e ele me acordou para eu tomar o ferro. Mas isso não é nada. Ele também me acompanha nas compras do enxoval, participa ativamente das consultas e busca sempre se informar a respeito da gestação, parto, amamentação. E, mesmo cansado, ele ainda faz massagens nos meus pés inchados”, conta Mariana.

Busca de informações – Por isso, não é de se estranhar que Aristóteles tenha vindo do Maranhão para participar de um evento para gestantes, não é mesmo? Promovido pelo setor de Promoção da Saúde da Unimed JP, o Workshop GestAção Saúde foi realizado no último sábado (25), no Espaço Viver Melhor, no Bairro dos Estados. O evento teve como finalidade abordar diferentes aspectos da gravidez e esclarecer dúvidas das participantes, contribuindo para que possam aproveitar melhor esse momento especial na vida de uma família.

Alguns pais acompanharam as esposas, numa verdadeira demonstração de companheirismo. “Eu não poderia perder de jeito nenhum! Eu quero trocar fraldas, dar banho, ajudar a minha esposa a amamentar. Quero fazer tudo o que tenho direito! Mas, preciso tirar todas as minhas dúvidas, que são infinitas”, brinca Aristóteles.

Com a família inteira morando aqui em João Pessoa, Aristóteles e Mariana passaram boa parte da gravidez na ponte aérea “São Luís-João Pessoa”. Até o dia em que foram devidamente proibidos pelo obstetra de Mariana. E agora? “Bem… agora, Mariana fica aqui e quem fica na ponte aérea sou eu. Então, como sou professor, estou aproveitando as minhas férias para dar assistência aos dois. Mas, quando nosso filho nascer, não poderei ficar muito. Aí, vai ser o mais difícil, porque não vou poder trocar a fralda, não vou poder cuidar da minha esposa. Vai ser difícil e eu vou ter que aguentar até junho, quando terei férias novamente”, conta.

Sempre ao lado de Mariana, ele sequer piscava os olhos quando as profissionais da Unimed JP explicavam os cuidados necessários durante a gravidez e o pós-parto. E levou tão a sério o seu papel que fez questão de sentir na pele o que é estar grávida. “Eu tenho é muito orgulho da minha esposa. Não é brincadeira andar com um peso tão grande, não. O negócio é sério”, contou.

E pensa que parou por aí? Claro que não! Mesmo usando uma barriga postiça, Aristóteles acompanhou (e fotografou) a hidroginástica de Mariana (na parte de fora da piscina, já que a atividade era só para as futuras mamães), fez massagens na esposa e perguntou muitas, mas muitas coisas. “Essa é a hora! Quero estar preparado para cuidar do nosso pequeno, que foi planejado por Deus e só nos traz alegria”, resume. 

Grupo Materno-Infantil – Entusiasmada com as informações que recebeu durante o Workshop GestAção Saúde, Mariana de Almeida ainda sente necessidade de um acompanhamento maior. Por isso, logo após o evento, ela (não é preciso dizer que estava acompanhada pelo esposo Aristóteles, não é?) se inscreveu para a próxima turma do Grupo Materno-Infantil da Unimed JP. Ela participará do grupo Rosa, voltado para as mulheres entre 28 e 40 semanas de gestação (dos sete meses até o nascimento do bebê).

Totalmente gratuito, o projeto tem como finalidade orientar as mulheres (clientes da Unimed JP) para uma gravidez saudável. Os homens também participam de oficinas específicas, aprendendo como podem dividir as responsabilidades com as futuras mamães. A equipe multidisciplinar do grupo é formada por nutricionista, fisioterapeuta, psicóloga, assistente social e enfermeira. Para mais informações, acesse www.unimed.jp/promocao-da-saude ou ligue para o Viver Melhor: 3506-8600 e 3506-8700.

MaisPB com Assessoria 

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS


















INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627