Deputado do MA deve depor sobre morte de jornalista após ser citado em inquérito

Publicado em terça-feira, agosto 7, 2012 ·

O deputado estadual Raimundo Cutrim (PSD-MA) será chamado pela Polícia Civil do Maranhão para prestar depoimento no inquérito que apura o assassinato do jornalista Décio Sá, ocorrido no último mês de abril. Ele será ouvido após seu nome ser citado diversas vezes em depoimentos dos envolvidos no crime, informou o portal Jornal Pequeno.
À IMPRENSA, um delegado que integra a comissão do caso afirmou que o processo para convocá-lo já foi iniciado. Procurada, a assessoria do partido não deu retorno até o fechamento da matéria.
Segundo o portal, a Polícia Civil, através Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), confirmou que o parlamentar será ouvido em depoimento formal à Polícia, e que até a próxima sexta-feira (10/7), o inquérito pode estar concluído.
Crédito:Divulgação
Deputado pode estar envolvido na morte de Décio Sá
Citações
No último dia 9 de junho, Silva citou, por três vezes, o nome do deputado Cutrim como suposto mandante do crime, usando como referência diálogos com um dos intermediadores do crime, o empresário José Raimundo Sales Chaves Júnior, o “Júnior Bolinha”, também preso pela polícia.
Vinte dias depois, o nome do parlamentar apareceu novamente quando parte do depoimento do empresário Gláucio Alencar Pontes Carvalho, apontado como líder da rede de agiotagem que ofereceu R$ 100 mil pela morte do jornalista, “vazou” na internet. No depoimento, o agiota revela que em uma das últimas reuniões que teve com o colega empresário presenciou quando Júnior Bolinha disse que era amigo do deputado Raimundo Cutrim.
Defesa, críticas e acusações
Durante discurso na tribuna da Assembleia Legislativa, no dia 26 de junho, o deputado Cutrim atacou duramente o secretário de Segurança Pública do Estado Aluísio Mendes. “É um moleque travestido de secretário. Não tem condições de ser nem faxineiro, quanto mais secretário'” afirmou. Para o deputado, o depoimento do assassino confesso foi “montado” por Mendes. ‘[Jhonatan de Souza] é um papagaio ensaiado. Foi tão mal ensaiado que falou bobagens’, disse o deputado.
Cutrim foi secretário de Segurança Pública por quase seis anos, de julho de 1997 a abril de 2002, e de abril de 2009 a março de 2010. Desde que assumiu, substituindo Cutrim, o atual ocupante do cargo Aluísio Mendes tem sido alvo de constantes críticas do parlamentar na Assembleia Legislativa do estado.
Nesse mesmo pronunciamento, Cutrim ainda afirmou que não tinha nada contra o Décio, e mesmo que tivesse, resolveria com ele “na porrada, na bala, como fosse, mas não sou homem de mandar fazer, isso é coisa de covarde”, declarou. E desabafou. “Ninguém queira passar pelo que estou passando. Tenho uma vida limpa, de policial honesto e, de repente, da noite para o dia, vejo pessoas me olhando de maneira estranha e desconfiada. Isso é terrível para um delegado da Polícia Federal.”
O parlamentar também exibiu,na tribuna cópias de um ofício encaminhado à comissão de delegados que investiga o caso, colocando-se à disposição para depor. Cutrim afirmou ainda que está acompanhando atentamente os fatos divulgados pela imprensa e que se viu na obrigação de prestar esclarecimento sobre a citação do seu nome no inquérito.
‘Se o Júnior Bolinha tem problemas com o caso, eu não tenho nada a ver com isso. Não é porque uma pessoa é amiga da outra e essa outra pessoa comete um crime quer você tenha algum envolvimento; agora, ensaiar um papagaio e jogar em cima de mim eu não admito’, enfatizou, em referência a acusação de que Mendes estaria por trás disso.
portalimprensa

Comentários

Tags : , , , , , ,

REDES SOCIAIS


















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br