Confira em que lugar do País mulheres têm salário médio maior que dos homens

Publicado em sábado, agosto 23, 2014 ·

Getty Images
Getty Images

O salário médio das mulheres no Brasil é menor do que o dos homens, segundo dados da Rais (Relação Anual de Informações Sociais), divulgados pelo Ministério do Trabalho. As trabalhadoras ganham na média do País R$ 2.018,48. Já o rendimento médio dos homens é de R$ R$ 2.451,20.

Com isso, o salário médio de todos os trabalhadores ficou em R$ 2.265,71 em dezembro do ano passado. Isso representa um aumento real de 3,18% (tomando como referência o INPC), percentual superior ao ocorrido no ano anterior (2,97%), já que em dezembro de 2012, o rendimento médio no País era de R$ 2.265,71.

Ainda assim, há dois lugares em que as mulheres têm média salarial maior que a dos homens: no Estado do Amapá e no Distrito Federal. No primeiro, elas recebem, em média, R$ 2.620,81 contra R$ 2.606,89 para eles. No DF, que tem os maiores rendimentos médios do Brasil, elas ganham R$ 4.360,65, e eles, R$ 4.135,11. Confira no mapa abaixo os valores em todos os Estados do País.

O Ceará é o Estado com a menor média salarial. Os trabalhadores cearense recebem, em média, R$ 1.633,85 (sendo R$ 1.706,50 para os homens e R$ 1.539,56 para as mulheres). Mas a maior diferença entre homens e mulheres está no Estado do Rio de Janeiro. Lá, eles ganham em média R$ 2.942,26, e elas, R$ 2.292,14.

Regiões

A remuneração média do Nordeste (R$1.789,59) oscila entre os valores de R$ 1.633,85 no Ceará, a R$ 1.999,66 em Sergipe, contrastando com a região Centro-Oeste (R$ 2.686,52), onde o maior rendimento médio foi registrado no Distrito Federal (R$ 4.217,61) e o menor em Goiás (R$ 1.923,47).

Os dados por Unidades da Federação mostram que 23 obtiveram ganhos reais em 2013. As maiores elevações ocorreram nos Estados do Roraima (6,11%), Piauí (4,95%), Pará (4,86%), Paraná (4,79%) e Rio Grande do Sul (4,66%). Os Estados que registraram perdas foram Tocantins (-5,01%), Acre (-2,58%), Sergipe (-1,65%) e Distrito Federal (-0,39%).

Outro dado que o governo divulgou nesta semana foi a criação de emprego com carteira assinada. Confira no vídeo abaixo uma reportagem sobre o saldo de contratações no mês de julho.

 

R7

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS


















INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627