Citricultura é fonte de renda para produtores do Brejo paraibano

Publicado em segunda-feira, novembro 28, 2011 ·

laranjaA dimensão e a importância da Festa da Laranja realizada em Matinhas vão além das grandes apresentações musicais que todo ano atraem um grande público ao Parque da Laranja. O evento fez o município ser conhecido e reconhecido pela citricultura e chamou a atenção da Paraíba para esta atividade que é fonte de renda para centenas de famílias.

Durante os três dias, palestras e cursos realizados no Pólo Técnico chamaram a atenção de produtores e pesquisadores. O local contou com auditório climatizado e estandes de produtos e tecnologia ligados à citricultura. O debate levou conhecimento e aprimoramento técnico para os produtores rurais da região, já que não apenas Matinhas, mas também todo o seu entorno, desenvolvem a cultura de citros. Junto com Alagoa Nova, Lagoa Seca, São Sebastião de Lagoa de Roça, Esperança, Areia e Massaranduba formam um Arranjo Produtivo Local (APL).

O secretário de Agricultura de Matinhas, Marcos Rosolem, é um especialista em citricultura. Ele é natural da cidade paulista de Pirassununga e está na Paraíba há três anos. Engenheiro agrônomo, na época veio especialmente para ajudar a melhorar a cultura, a convite do prefeito Aragão Júnior. Rosolem explica que, apesar das diferenças nas condições de cultivo no Sudeste, onde atuava, é possível melhorar a atividade local.

“A Paraíba produz citros e de boa qualidade. Vim com o objetivo de fazer a cultura prosperar, como já vem ocorrendo nos últimos anos. Enfrentamos desafios e, às vezes, resistência às inovações, mas tentamos adaptar a tecnologia usada em São Paulo às condições locais. Os que aderem aos novos hábitos despontam na qualidade e na quantidade de produção”, afirma.

Segundo o secretário, a laranja e tangerina de Matinhas são cultivadas sem o uso de agrotóxicos e de outras químicas. Além disso, quase todos os 650 citricultores desenvolvem a agricultura familiar, constituída por pequenas e médias propriedades rurais e que têm, em média, 2,5 hectares.

Este ano, a produção recorde de mais de 20 mil toneladas animou os produtores, que abastecem, além do mercado local, os estados de Pernambuco, Alagoas, Bahia, Rio Grande do Norte e Ceará. A presidente da Cooperativa de Citricultura de Matinhas, Betânia Freitas, comemorou a realização da Festa da Laranja e do Festival Nacional da Tangerina.

“Este grande evento significa para nós o reconhecimento da produção e a concretização do sonho de festejar a safra, que este ano superou nossas expectativas. É também uma oportunidade para os citricultores receberem capacitação, através dos cursos e palestras. Nosso objetivo é melhorar a produtividade, com melhores condições de plantio, e também a comercialização”, ressalta.

De acordo com o prefeito Aragão Júnior, era necessário aproveitar a potencialidade e vocação do município, que há décadas cultiva a laranja. “Precisávamos de uma maneira de gerar renda e de fazer Matinhas crescer. Foi assim que surgiu a ideia da realização da festa e dos incentivos à cultura, tradicional por conta do clima e do solo favoráveis. Nosso compromisso foi valorizar o potencial do nosso município”, afirma.

Assessoria para o Focando a Notícia

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627