Carro pede atenção em temperaturas baixas

Publicado em quarta-feira, junho 1, 2016 ·

carroAs baixas temperaturas até que demoraram para chegar em 2016. Mas o frio de verdade promete vir com tudo a partir da próxima semana, que pode ter o menor índice do ano entre a quarta e a quinta-feira: apenas 4°C.

Nessa época de frio, é preciso ter atenção extra com alguns componentes do carro. São cuidados simples, mas que podem evitar surpresas desagradáveis – como o motor do veículo não funcionar pela manhã, justamente no dia em que você estiver atrasado para um compromisso importante.

Confira algumas dicas.

Partida a frio. Alguns modelos com motor flexível têm um sistema que aquece o combustível antes que seja injetado no motor, mas a maioria conta com tanquinho auxiliar de gasolina.

Nesse reservatório, é importante atentar para a qualidade do combustível. “O melhor é optar pela gasolina de alta octanagem, que se preserva por mais tempo. Ela envelhece em 90 dias, enquanto a comum muda suas propriedades em 30 dias”, compara Pedro Scopino, da Auto Mecânica Scopino.

Nos últimos meses, o custo do litro do etanol perante o da gasolina na capital paulista tem tornado mais vantajosa a opção pelo derivado da cana. Mesmo assim, os especialistas aconselham que se abasteça o tanque principal com um pouco de gasolina. “Preencher 30% da capacidade é suficiente para garantir partidas satisfatórias, mesmo se o sistema de partida a frio apresentar falhas”, diz Ricardo Dilser, assessor técnico da FCA.

Bateria. Os cuidados com a bateria começam já na escolha de uma peça adequada ao veículo. Pedro Scopino diz que, no ato da compra, muitos consumidores observam a voltagem e a amperagem, mas se esquecem de checar o CCA, que expressa a corrente de arranque a frio.

“Enquanto muitos modelos usam baterias de 550 CCA, um Volvo XC90 precisa de uma com 750 CCA, por exemplo. Se for usada uma peça com corrente menor que a necessária, o carro pode simplesmente não pegar em um dia muito frio”, avisa.

Diretor executivo da AEA, Nilton Monteiro ressalta a importância de manter a manutenção adequada do componente nos meses de frio. “O óleo do motor fica mais viscoso nessa época, o que acaba exigindo maior esforço por parte da bateria, que o faz circular. Por isso, vale a pena medir a carga de tempos em tempos, principalmente no inverno”, aconselha.

Velas. São as velas de ignição que geram a centelha para a queima do combustível. Por isso, é importante que funcionem bem nos dias mais frios. O consultor de assistência técnica da NGK, Hiromori Mori, diz que um bom mecânico pode avaliar o estado dessas peças.

“A recomendação é que as velas sejam inspecionadas a cada 12 meses ou 10 mil km, o que ocorrer primeiro. Mas em condições severas, como no trânsito pesado da capital paulista, esses prazos caem pela metade. Com a chegada da estação fria, vale antecipar a revisão, até porque se trata de uma peça barata e fácil de trocar”, ele defende.

Ar-condicionado. O sistema de ar-condicionado, usado intensamente nos meses mais quentes do ano, acaba sendo relegado ao esquecimento quando começa o inverno. Mas os especialistas alertam que não se deve deixar de acioná-lo de vez em quando, para manter a integridade de componentes como mangueiras e compressor.

“Quando o ar-condicionado entra em funcionamento, ocorre uma espécie de autolubrificação do sistema. Por isso, é interessante ligá-lo pelo menos uma vez a cada 15 dias, por no mínimo dez minutos”, recomenda Ricardo Dilser, da FCA.

 

 

Estadão

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS


















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br