Campinense vai entrar nesta terça com ação no STJD contra o Fortaleza

Publicado em terça-feira, setembro 20, 2011 ·

campinense3A polêmica rodada decisiva da Série C, que definiu o rebaixamento da Campinense e a salvação do Fortaleza, promete gerar desdobramentos na Justiça. De acordo com Willian Simões, presidente do time de Campina Grande, a equipe entrará nesta terça-feira com um requerimento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), contra o Tricolor cearense.

“As imagens são claras, contundentes, e já foram veiculadas até demais. Agora estamos indo para o Rio de Janeiro para entrar com uma representação contra o Fortaleza”, bradou o mandatário, em entrevista para a ESPN Brasil, apoiando-se na possibilidade de que o CRB teria “facilitado” a vitória para o clube cearense.

Lutando contra a queda para a quarta divisão, a Campinense recebeu o Guarany de Sobral, enquanto o Fortaleza recebeu o CRB – ambas as partidas estavam marcadas para as 16 horas (de Brasília) de sábado.

Na súmula da partida da Paraíba, arbitrada por Arilson Bispo da Anunciação, foi informado que o jogo iniciou com oito minutos de atraso pela demora das equipes para entrarem no campo. O jogo do Fortaleza, por sua vez, que teve como juiz Gutenberg de Paula Fonseca, o atraso aconteceu no início da segunda etapa.

Após atuar com o uniforme tricolor na primeira etapa, que terminou com 0 a 0 no placar, o Fortaleza voltou para o segundo tempo com o uniforme branco, assim como o CRB. Desta forma, a partida foi reiniciada apenas cerca de 20 minutos depois, fato que não foi citado na súmula do jogo.

Também em entrevista para a ESPN Brasil, Osmar Baquit, presidente do Fortaleza, afirmou não saber o motivo para a mudança de uniformes no intervalo, mas supôs que a medida tenha sido feita para “compensar” a diferença do jogo em Campina Grande.

“Quem atrasou o jogo foi a Campinense, que começou a partida com oito minutos de atraso. Imagino que, por isso, não sei ao certo, pois não estava no estádio e não falei com ninguém sobre isso, mas imagino que fosse para igualar o tempo dos dois jogos”, afirmou, Baquit, que não considera esta uma ação de “má-fé”.

“Você tem que jogar com as cartas que te proporcionam. O Campinense atrasou de má-fé, e se atrasou o nosso foi para que o Fortaleza não fosse prejudicado”, explicou o dirigente, que rechaçou qualquer possibilidade de ter negociado com juiz para favorecer o Tricolor.

“Graças a deus eu entrei no futebol pela porta da frente, e quero sair também por ela. Quando eu precisar comprar um juiz para meu time ganhar, deixo o futebol”, cravou.

Embora tenha vencido o Guarany de Sobral, por 1 a 0, a Campinense foi rebaixada, já que o Fortaleza tirou a vantagem da equipe paraibana no saldo de gols, com o triunfo por 4 a 0 sobre CRB, que teve dois jogadores expulsos. A equipe alagoana, apesar da goleada, classificou-se à segunda fase do torneio, que está prevista para começar neste final de semana.

gazetaesportiva

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS


















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br