Campanha Natal da Esperança – a inspiração

Publicado em sexta-feira, outubro 28, 2016 ·

Nice Almeida
Nice Almeida

Eu nem preciso fechar os olhos para visualizar aquela cena. Ele vestia aquela camisa branca, aquela calça cinza, pegava o guarda-chuva preto, colocava o chapéu na cabeça e saía. O destino dele? Distribuir amor ao próximo!

Em outro momento era ela. Vestia-se com aquela blusa estampada, uma saia bege, pegava o ônibus (sempre atrasada) e partia. O caminho? Socorrer algum irmão, sobrinho, primo, cunhado ou cunhada, e até mesmo aqueles que eram apenas conhecidos!

Era assim a rotina dos meus avós Rita e Manoel! Eu cresci presenciando cenas de amor e dedicação ao próximo deles dois, cada um à sua maneira.

Meu avô Manoel nasceu com o dom de ajudar até quem ele não conhecia. Tinha compromissos inadiáveis, do tipo visitar doentes em suas casas para levar a palavra de Deus. Não à toa tem sua foto pendurada na parede do Abrigo de Idosos de Solânea.

Lembro-me como hoje que o vi sair por incontáveis vezes ao lado de Dona Maria – que ainda hoje dedica sua vida àquele local – para angariar donativos que pudessem contribuir com a construção do espaço que hoje é a casa de dezenas de velhinhos.

Minha avó também tinha o dom de ajudar. E era o amor pela família que a movia. Tornou-se a mãe protetora de todos os irmãos e, consequentemente, dos sobrinhos. Aos filhos dedicava a vida. Aos netos, tratava como se fossem peças de porcelana as quais ninguém podia tocar para não quebrar.

Entretanto, embora tenha tido o imenso privilégio de ter crescido nesse lar cheio de bons exemplos, parece que foi somente a perda deles que me fez enxergar e entender qual era a mensagem que eles me passavam diariamente.

Em seus últimos dias, meu avô Manoel me chamou a sentar-se à mesa ao seu lado e me disse a seguinte frase: “Pois é Nice! Essa é a única herança que tenho para deixar para vocês. Amem ao próximo e faça o bem sem olhar para quem! Todo bem que você fizer será recompensado por Deus!”.

Foi duro ouvir essas palavras, porque naquele momento eu tinha certeza que ele me preparava para a despedida.

E ele se foi…

E já faz quase um ano!

E, quase um ano depois, tomamos, meu irmão Luís Carlos e eu, a decisão de arrancar de nós o luto, enxugar as lágrimas e partir para a prática dos ensinamentos daquele homem que, para nós, era mesmo um santo. Sabemos que colocando em prática o que ele nos ensinou estaremos honrando seu nome.

SAIBA COMO PARTICIPAR DA CAMPANHA

Fácil, fácil mesmo não está sendo, porque quando mais o tempo passa mais a saudade aperta. Mas em nosso coração entendemos que a nossa ação era o que realmente o faria feliz, e a nossa avó também que ainda se mantém com o corpo físico entre nós, mas só no físico mesmo.

Todo esse meu falatório é para dizer que foi deles dois, Rita e Manoel, que veio em nós a inspiração para a Campanha Natal da Esperança. Foi o desejo de ‘gastar’ a herança deixada pelo meu avô que nos moveu a encabeçar esse ato. E é na busca de copiar os seus bons exemplos que estamos aqui movimentando essa campanha no único intuito de ajudar ao próximo.

É por entender a importância de se doar, assim como eles fizeram a vida inteira, que nossa campanha está aí na rua. Eu peço a vocês todos a permissão para poder contribuir, mesmo que seja, com pouco.

E peço que nos ajudem nessa caminhada. Doem, doem o quanto vocês puderem. Se o que vocês podem é apenas um quilo de arroz, um pacote de fraudas, um remédio, doem, porque o que você doar fará uma grande diferença para quem vai receber.

Gratidão

Quero aproveitar para agradecer a algumas pessoas que nos ajudaram a colocar essa campanha nas ruas. Meus queridos amigos Alyf Santos, que teve a inspiração para o nome da campanha, gravou um spot de rádio para que nós possamos divulgar a campanha e que também está engajado em receber doações para entregar nas instituições de caridade, e José Flávio que fez a arte que estamos publicando em nossas redes sociais.

Gratidão 2

Nossos colegas de imprensa também merecem nossa gratidão. Edilson Santos que tem divulgado nossa campanha em seu site Solânea Online, Adelson Barbosa dos Santos, que tem divulgado no site EstadoPB e Abelardo Jurema que colocou em sua coluna social.

Gratidão 3

Gratos somos também a comunidade Cidade Alta, de Bananeiras, que vai promover um torneio de futsal pra arrecadar alimentos e doará esses alimentos dentro da campanha Natal da Esperança.

Por Nice Almeida

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco







Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br