Botafogo sai na frente, Corinthians vira, mas tudo fica igual no Engenhão

Publicado em domingo, setembro 23, 2012 ·

Em mais uma grande atuação de Clarence Seedorf, o Botafogo lutou, mas não saiu do empate em 2 a 2 com o Corinthians no Engenhão. O holandês marcou os dois gols dos alvinegros do Rio, enquanto Paolo Guerrero e Douglas fizeram para os paulistas. Em partida eletrizante, não faltaram polêmicas e lances bonitos. No segundo gol corintiano, Martínez, que sofreu o pênalti cometido por Lucas, estava impedido. Em outros dois lances, a torcida do Botafogo também reclamou de penalidades que teriam sido ignoradas pelo árbitro Sandro Ricci.

Com o resultado, o Botafogo chegou a 40 pontos, na sexta posição, enquanto o Corinthians soma 36, na oitava colocação. Na próxima rodada, ambos enfrentarão equipes que lutam contra o rebaixamento. O Botafogo encara o Bahia em Pituaçu. Os paulistas recebem o Sport, no Pacaembu. Ambas as partidas acontecerão no próximo domingo.

Seedorf botafogo romarinho corinthians (Foto: Terra Britto / Agência Estado)Seedorf, do Botafogo, é marcado por Romarinho, do Corinthians (Foto: Terra Britto / Agência Estado)

Além do retorno de Seedorf, que ficou fora dos dois últimos jogos por conta de uma lesão muscular, o confronto teve um desfalque de peso. Emerson, o Sheik, que enfrentaria os cariocas, acabou tendo seu efeito suspensivo revogado pelo próprio Corinthians, em uma estratégia do departamento jurídico do clube para que sua suspensão pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) não atrapalhe a preparação para a disputa do Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro. Ele foi suspenso por seis jogos por conta de uma confusão com o árbitro Péricles Bassols na vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-MG.

Indagado sobre os gols, Seedorf afirmou que está jogando mais à frente, como atuava anos atrás na Europa. Ele fez questão de exaltar a qualidade do Corinthians e disse que o futebol apresentado pelo Botafogo credencia a equipe a brigar no topo da tabela.

– Estou jogando um pouco mais à frente, como nos anos que jogava mais à frente na Europa e consegua fazer mais gols. O Corinthians é um grande time, respeito muito, mas hoje a gente mostrou de novo que podemos acreditar, podemos chegar lá na frente, esse empate não vai decidir o campeonato. Acho quer a gente merece um parabéns por esse jogo.

Ao responder sobre a pitada de sorte nos dois gols que marcou – em ambos os lances a bola desviou em jogadores do Corinthians – o holandês rebateu:

– O importante é se apresentar lá (no ataque). Foi um ótimo jogo.

Entre os corintianos, havia certa decepção pelo time ter permitido o empate. Mas o lateral Alessandro reconheceu que a atuação do adversário no segundo tempo tornou o resultado justo.

– A gente gostaria de vencer, tínhamos uma vantagem, pelo que o Botafogo jogou no segundo tempo acho que foi justo o empate. Conquistar ponto fora de casa é sempre bom.

A expectativa de um grande confronto se confirmou logo no início da partida. A primeira falta, em cima de Romarinho, aconteceu com cerca de 30 segundos. Um sinal da disputa acirrada que se desenrolaria durante os 90 minutos no Engenhão. O embate começou em ritmo frenético. Os primeiros lances de perigo foram do Botafogo. Elkeson avançou aos três minutos e caiu diante de Paulo André e Wallace, mas o jogo seguiu apesar das reclamações da torcida pedindo pênalti. No minuto seguinte, foi a vez de Lucas finalizar para defesa tranquila de Cássio.

E, aos cinco, o gol. Gabriel recebeu na área e levantou sem força para Seedorf completar com o pé, quase sem ângulo. A bola ainda desviou em Alessandro antes de entrar. Mas a alegria dos anfitriões não durou. Sem se abalar, o Corinthians passou a pressionar e conseguiu o empate dois minutos depois. Em uma jogada confusa, Douglas levantou na área e Fábio Ferreira cortou parcialmente. Na sobra, Paulinho completou, Jefferson espalmou e Paolo Guerrero, de cabeça, não perdoou: 1 a 1.

O time paulista seguiu agressivo no ataque e pressionou até a virada, aos 12 minutos, no pênalti polêmico assinalado por Sandro Meira Ricci. Em nova bobeira da zaga do Botafogo, Douglas achou Romarinho sozinho na entrada da área. Ele bateu para boa defesa de Jefferson. A bola sobraria para Juan Martínez, que acabou derrubado por Lucas. A polêmica do lance se deu por conta do impedimento de Martinez no momento do chute de Romarinho. A cobrança foi convertida com categoria por Douglas. Jefferson acertou o canto, mas não alcançou.

Mesmo com o gol da virada, o Corinthians não parou de pressionar. Aos 14 minutos, mais uma vez Romarinho conseguiu se desmarcar na área e escorou cruzamento de cabeça para grande defesa do goleiro do Botafogo. O Botafogo apresentava dificuldades para vencer o bom posicionamento defensivo dos paulistas e não mostrava velocidade suficiente para criar espaços. A única opção de jogada parecia ser pelos flancos, com Lucas na direita e Seedorf na esquerda, mas as bolas alçadas na área corintiana acabavam invariavelmente rebatidas pelos zagueiros.

– Não podemos dar essa chance, ainda mais com um adversário como o Corinthians. Começamos pressionando, o mais difícil era sair na frente, não podemos levar dois gols dessa forma, deu um apagão na equipe. Mas temos tudo para conseguir o empate – lamentou o meia Andrezinho, do Botafogo.

O goleiro corintiano Cássio, por sua vez, afirmou que sua equipe entrou desatenta no gramado do Engenhão e que isso não poderia se repetir após o intervalo.

– Entramos um pouco desligados, vamos acertar o que tem para a acertar para conseguirmos sair daqui com a vitória.

Guerrero corinthians seedorf botafogo (Foto: Luciano Belford / Agência Estado)Paolo Guerrero incomodou a zaga do Botafogo
(Foto: Luciano Belford / Agência Estado)

No segundo tempo, o jogo começou truncado, com ambos os times com dificuldades na criação. E a polêmica voltou à baila. Aos oito minutos, Jadson recebeu na área do Corinthians e reclamou muito de um empurrão de Ralf. Sandro Ricci mandou seguir e a torcida novamente protestou. Pelo lado corintiano, Douglas era o principal articulador ofensivo, chegando a arriscar algumas finalizações com pouco perigo. Aos 11, Paolo Guerreiro fez um golaço, com direito a lençol dentro da área, mas foi marcado corretamente o impedimento. O Botafogo voltou a ameaçar em boa arrancada de Elkeson pela direita. Ele cruzou rasteiro para Lucas, que completou para fora.

Tentando mandar a equipe para frente, Oswaldo de Oliveira lançou o uruguaio Lodeiro no Botafogo no lugar de Márcio Azevedo. Tite optou por tirar, minutos depois, Martínez para a entrada de Jorge Henrique. Mas quem brilhou foi o holandês Seedorf. Aos 29 minutos, ele recebeu na esquerda, limpou a marcação e bateu colocado. A bola desviou em Wallace, ganhou efeito e morreu no canto esquerdo do gol de Cássio: 2 a 2.

O Botafogo ganhou confiança e passou a partir para o ataque com maior consistência. Buscando a vitória, Oswaldo lançou ainda mais um atacante. Rafael Marquez substituiu Jadson. Quem ameaçou foi o Corinthians, em boa cobrança de Jorge Henrique, aos 42 minutos. Aos 45, depois de bola alçada por Andrezinho, Dória teve a chance de fazer o terceiro, de cabeça, mas a bola foi por cima do gol. Prevaleceu a igualdade no Engenhão.

Globoesporte.com

Comentários

Tags : , , , ,

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627