Bancos privados querem usar fundo de previdência na garantia de empréstimos, para não perder mercado para Banco do Brasil e Caixa

Publicado em sexta-feira, Abril 6, 2012 ·

Depois do anúncio do pacote de incentivo ao crédito feito pelo Banco do Brasil, que aumentou o limite disponível aos clientes em R$ 43,1 bilhões, movimento que será endossado pela Caixa Econômcia Federal na segunda-feira (09/04), os bancos privados começam a traçar estratégias em conjunto para não ficarem para trás no mercado.

Oficialmente, Bradesco, Itaú Unibanco, Santander e HSBC afirmam que estão “avaliando” a possibilidade de lançarem medidas semelhantes. Nos bastidores, entretanto, eles se movimentam para levar propostas ao Ministério da Fazenda, que deve receber na próxima semana o presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Murilo Portugal.

Entre as medidas a serem sugeridas pelos bancos está a permissão para que os fundos de previdência privada (PGBL e VGBL) sejam usados como garantia os empréstimos.

Essa é uma questão central para as instituições, porque elas enfrentam indicadores de inadimplência bem maiores do que os bancos públicos.

Dados do Banco Central mostram que a margem de lucro dos bancos é a principal responsável pelas altas taxas no país, com uma parcela de 32% na composição do spread, enquanto os impostos diretos respondem por 21% e o custo administrativo, por 12%. Daí a bronca da presidente Dilma Rousseff.

Do Correio Braziliense

Comentários

Tags : , , , , , , , , ,

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627