Bancos em greve: Mesmo com proposta ‘insuficiente’, nova assembleia nesta 3ª pode acabar greve do BB, Caixa e BNB

Publicado em terça-feira, outubro 7, 2014 ·

marcoshenriques-bancarioA assembleia realizada pelos funcionários dos bancos na noite desta segunda (6) terminou com o fim da greve nos bancos privados. Porém, os bancos públicos continuam a paralisação por tempo indeterminado e na noite desta terça (7) será realizada outra assembleia para definir os rumos da greve.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Bancários, Marcos Henriques, a paralisação não foi resolvida por problemas cruciais. “Todo ano os bancários entram em greve, é um problema de contratação e não é de hoje. O Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal têm um déficit muito grande que não foi resolvido que é o problema do piso da categoria”, diz.

Henriques explicou que a proposta do governo dá um aumento de 9% e, na sua opinião, não resolve os problemas dos bancários. Além do piso e da contratação ainda tem a questão da isonomia entre funcionários novos e antigos. “Tem licença prêmio, anuênio.. que os pré-98 tem e os pós-98 não”, destaca.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Todo ano levamos pauta no intuito de resolver os problemas, mas não podemos dizer que (a proposta) foi das piores. Acrescentou avanços, mas foi insuficiente”, conta explicando que os funcionários públicos continuam em greve para mostrar aos bancos que se não resolver os problemas a paralisação vai continuar. “São problemas crônicos”.

A questão de os bancos privados sairem da greve diz respeito principalmente ao regime de contratação. “Temos questões específicas que remetem a apreciações diferenciadas. Nos públicos discutimos o Plano de Cargos e Carreira, nos privados não temos como discutir isso. Cada banco tem o seu e não discute com o movimento. É um ponto que precisamos avançar”, frisa.

Para o presidente a proposta teve alguns pontos positivos e a categoria avaliou e aprovou, porém as reivindicações dos funcionários públicos são claras no que diz respeito a contratação. ‘Que adianta vir pedir melhor atendimento e fechar acordo que não contempla?’, questiona. Apesar de o governo se comprometer a contratar 4 mil novos funcionários 2 mil pra a Caixa e 2 mil para o Banco do Brasil, Henriques destaca que é preciso pensar de forma geral e não só nos clientes.

Uma assembleia será realizada nesta terça (7) para avaliar o movimento e como se comporta a Nacional para deliberar se dá sequência a greve ou não.

O reajuste salarial aceito pela rede privada foi de 8,5%, mais a antecipação do pagamento de participação nos lucros e resultados. O reajuste do vale refeição de 12% e o auxílio alimentação de 6%.

Marília Domingues

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627