Bancários retornam na PB, mas consideram propostas insuficientes; BNB permanece fechado

Publicado em terça-feira, outubro 18, 2011 ·

fim-da-greveEm reunião na noite desta segunda-feira (17), os bancários da Paraíba votaram pela aprovação da proposta da Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) para o Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e demais bancos, com exceção do Banco Nordeste do Brasil (BNB), que permanece fechado e aguarda negociação.

Segundo o presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Marcos Henriques, a proposta para o Banco Nordeste foi discriminatória tanto no piso salarial, quanto na participação de lucros e resultados, por isso os bancários do BNB permanecem em greve. Uma nova reunião para realizar as negociações com o Banco Nordeste ainda não foi marcada.

Henriques faz um balanço positivo nestes 21 dias de greve na maioria dos bancos de todo o país. Segundo ele foi a maior paralisação em mais de 20 anos. “Nós conseguimos inverter a lógica dos bancos, mas ainda consideramos a proposta insuficiente. Os bancários esperavam mais, porém, reconhecemos que se não fosse pela mobilização jamais chegaríamos a receber essa proposta” declarou.

Reajuste de 9% – O acordo entre a Fenaban e os representantes do Comando Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) ocorreu na noite de sexta-feira (14). A proposta prevê 9% de reajuste sobre salários, retroativos a 1º de setembro, e 12% de reajuste no piso da categoria, que passa de R$ 1.250 para R$ 1.400 para a função de escriturário.

Ficou acertado também melhorias na Participação nos Lucros e Resultados (PLR), com aumento da parcela fixa da regra básica para R$ 1.400 (reajuste de 27,2%) e do teto da parcela adicional para R$ 2.800 (reajuste de 16,7%).

“Foi possível arrancar conquistas importantes, como aumento real pelo oitavo ano consecutivo, valorização do piso, maior participação nos lucros e avanços nas condições de trabalho e segurança”, avaliou, em comunicado Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários. “Derrotamos a visão equivocada de que salário gera inflação”, acrescentou.

Os dias de greve não serão descontados, mas serão compensados em até duas horas por dia, de segunda a sexta-feira, até o dia 15 de dezembro e, assim como nos anos anteriores, eventual saldo após esse período será anistiado.

Pedro Callado

Paraíba.com

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS


















INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627