Bancada paraibana no senado votou a favor de manutenção da prisão de Delcídio

Publicado em quinta-feira, novembro 26, 2015 ·

senadoresO PMDB, maior partido aliado do governo, votou em peso pela manutenção da prisão do senador Delcídio do Amaral (PT-MS) nesta quarta-feira (25). Apenas o senador João Alberto Souza (MA), votou pela revogação da decisão do Supremo Tribunal Federal, que determinou a prisão do petista nesta manhã. Outros 15 peemedebistas votaram para que Delcídio continue preso.

O partido, que poderia ajudar a tirar Delcídio da prisão, acabou mudando de posição ao longo do dia por dois motivos. O primeiro foi a chegada dos autos do Supremo no Senado com o conteúdo das gravações em que Delcídio aparecia negociando com a família do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró uma possível fuga. Cerveró está preso por envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras.

Os peemedebistas, que pela manhã e início da tarde afirmavam estar surpresos com a prisão, passaram a considerar que seria inviável manter a defesa, com base no argumento institucional de que o senador não foi preso em flagrante.

A segunda motivação mencionada pelos peemedebistas foi a nota divulgada pelo presidente do PT, Rui Falcão, em que afirma que o partido “não se julga obrigado a qualquer gesto de solidariedade” porque as tratativas atribuídas a Delcídio “não têm qualquer relação com sua atividade partidária, seja como parlamentar ou como simples filiado”.

Os senadores avaliaram que, se o próprio partido de Delcídio não estava dando apoio a ele, não caberia ao PMDB fazer a defesa pública durante a votação.

A única bancada que encaminhou pela revogação da prisão foi o PT. Apesar da posição partidária, o líder da sigla, Humberto Costa (PE), manteve a posição da bancada e pediu aos seus pares que decidissem pela soltura de Delcídio. Costa fez a ressalva durante o encaminhamento da votação e criticou o próprio partido.

“A nota não foi discutida com a bancada. Reconhecemos que o partido tem o direito e o dever de se posicionar mas ela não necessariamente reflete o posicionamento da nossa bancada”, disse Costa.

Dos 13 senadores que votaram pela liberdade de Delcídio, nove eram do PT. Apenas os senadores petistas Paulo Paim (RS) e Walter Pinheiro (BA) votaram pela manutenção da decisão do STF. Os senadores Fernando Collor (PTB-AL), Roberto Rocha (PSB-MA) e Telmário Mota (PDT-RR), completaram a lista dos que apoiaram Delcídio.

No PSDB, nove senadores votaram de acordo com a decisão do STF. O PSB deu seis votos pela manutenção da prisão; PDT e PP deram cinco votos cada; DEM, PSD foram quatro votos cada, PR teve três votos; PTB, dois; e PCdoB, PSC, PPS, PRB e Rede, um voto cada.

VOTAÇÃO NO SENADO

ABSTENÇÃO

CONTRA A PRISÃO

A FAVOR DA PRISÃO

NÃO VOTA

Delcídio do Amaral, senador do PT-MS Tentativa de influenciar ministros do Supremo Tribunal Federal para que eles libertassem o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró

Prisão preventiva (sem prazo definido)André Esteves, dono do banco BTG Pactual Obteve documento sigiloso sobre negociação da delação premiada de Cerveró com o Ministério Público

Prisão temporária (até 10 dias)

AGRAVANTE COMUM

Planejaram e prometeram financiar uma fuga para o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró caso este não delatasse a participação do senador e do banqueiro, no esquema de corrupção da Petrobras, ao Ministério Público

TAMBÉM FORAM PRESOS

Edson Ribeiro, advogado de Nestor Cerveró

Diogo Ferreira, chefe de gabinete do senador

Folha

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627