Assessor do ministro do Trabalho se entrega à PF e é preso

Publicado em terça-feira, setembro 10, 2013 ·

manoel diasAssessor do ministro do Trabalho, Manoel Dias, o servidor Anderson Brito entregou-se à Polícia Federal na noite desta segunda-feira (9), segundo informou nesta terça (10) a assessoria do órgão.

Ele é investigado pela operação Esopo, que apura fraudes em licitações e desvio de recursos públicos, e, desde esta segunda, era considerado foragido pela PF.

Outros dois servidores já tinham sido presos – Geraldo Riesenbeck, coordenador de contratos e convênios da Secretaria de Políticas Públicas de Emprego, e Antonio Fernando Decnop, ex-diretor da Controladoria Geral da União (CGU), que trabalhava na Fundação Nacional do Índio (Funai).

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com a Polícia Federal, Anderson Brito será transferido na tarde desta terça para o Complexo Penitenciário da Papuda.

A operação Esopo resultou na prisão de 22 pessoas, das quais 15 em Minas Gerais. Na operação, a Polícia Federal investiga fraudes em licitações e desvio de recursos públicos em dez estados e no Distrito Federal, que, segundo a PF, somam R$ 400 milhões, principalmente no Ministério do Trabalho.

Segundo a PF, o esquema funcionava com a participação do Instituto Mundial do Desenvolvimento e da Cidadania, uma organização da sociedade civil de interesse público (Oscip) e envolvia empresas, pessoas físicas, agentes públicos, prefeituras, governos estaduais e ministérios do governo federal. De acordo com a PF, o instituto era uma entidade de fachada contratado para realizar projetos superfaturados e que não eram executados.

Secretário-executivo
O número dois na hierarquia do Ministério do Trabalho, o secretário-executivo Paulo Roberto Pinto, também é investigado na Operação Esopo. Ele prestou depoimento nesta segunda e foi liberado em seguida.

Para o delegado Marcelo Freitas, da Polícia Federal de Minas Gerais, Paulo Roberto Pinto atuava para facilitar as atividades do Instituto Mundial do Desenvolvimento e da Cidadania. Nota do ministério divulgada nesta segunda-feira informou somente que o secretário-executivo “prestou depoimento e retornou às suas atividades no ministério”.

Paulo Roberto Pinto é filiado ao PDT, partido que detém o controle político do ministério. Ele foi ministro interino entre dezembro de 2011 a maio de 2012, entre a gestão de Carlos Lupi (PDT) – que deixou o cargo após denúncias de irregularidades – e de Brizola Neto (PDT). O atual ministro, Manoel Dias é o terceiro da pasta desde o início do governo Dilma e está no posto desde março deste ano.

g1

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS













ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627