Após alta nos preços dos combustíveis, Sindipetro diz que situação deve voltar ao normal nesta quarta

Publicado em segunda-feira, dezembro 28, 2015 ·

GASOLINAOs preços da gasolina na Paraíba só devem voltar ao normal na quarta-feira (30). Isto porque de acordo com o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Derivados de Petróleo no Estado da Paraíba (Sindipetro-PB), Omar Hamad, o desabastecimento dos postos no final de semana aconteceu devido ao atraso em um navio de entrega do produto.

O desabastecimento fez com que o preço dos combustíveis chegassem a R$ 4,15 nesta segunda-feira. De acordo com Omar, o abastecimento só deverá ser normalizado na quarta-feira (30).

A respeito da alta estratosférica, o presidente do Sindipetro afirmou que se deu devido a lei da oferta e da procura, mas aponta que essa alta será temporária. A gasolina estava sendo comercializada entre R$ 3,25 e R$ 3,61, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Procon no dia 10 de dezembro.

Nesta segunda, a variação ia de R$ 3,59 no bairro do José Américo a R$ 4,15, em um posto em Mangabeira.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

No feriado, o sindicato informou que aconteceu o atraso na chegada de um navio com combustíveis. A embarcação deveria ter atracado no Porto de Cabedelo na quarta-feira (23), mas que só deve chegar nesta terça-feira (29) e a partir da quarta-feira o abastecimento será normalizado. Com isso, o preço deve cair conforme o combustível volte aos postos.

Segundo o presidente do Sindipetro-PB, o aumento do preço acontece apenas em alguns pontos da cidade, mas que a maioria dos postos não alterou o valor do produto. “Os postos que possuem bandeira não tiveram seu abastecimento comprometido e o preço continua do mesmo jeito. O que aconteceu em alguns postos é que com a falta de produto, quem não tem o combustível ou quem tem muito pouco, está valorizando mais seu produto e por isso os preços subiram nestes locais”, explicou.

Hamad comenta ainda que a questão do aumento dos preços é livre e que os empresários é quem devem resolver qual o preço que vai praticar dentro do estabelecimento comercial. “O sindicato não interfere de forma alguma em relação ao preço. O comerciante opta pelo preço que quiser, não há uma orientação, por parte do sindicato, sobre qual preço deve ser praticado”, comenta.

Por nota, o Procon-JP informou que uma equipe do órgão vai ser reunida para analisar com calma o que aconteceu. O secretário Helton Renê disse que a falta de gasolina em alguns postos não pode justificar o aumento, e que os postos serão notificados e chamados para explicar a alta nos preços.

paraiba.com.br

Comentários

Tags : , , , , , , ,

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627