Aos 16 anos, paraibano conta como driblou as dificuldades e alcançou 900 na redação do Enem

Publicado em sábado, Janeiro 17, 2015 ·

Reprodução/ Facebook
Reprodução/ Facebook

Aos 16 anos, Alysson Nascimento sabe bem onde quer chegar e por isso não mediu esforços durante a fase escolar para dar o primeiro passo para a vida profissional; ele quer uma vaga no curso de Engenharia Química na Universidade Federal da Paraíba e para isso garantiu 900 pontos na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Filho do eletricista Adriano Nascimento e da diarista Maria do Carmo, aluno de escola pública da Capital e morador de Cabedelo, na Grande João Pessoa, ele nunca viu as dificuldades financeiras como empecilho para alcançar os objetivos e se vê sempre apoiado pela família. “Meus pais sempre me incentivaram nos meus estudos e me ensinaram a acreditar em mim mesmo”, disse ele.

Veja abaixo a entrevista que ele concedeu ao Portal Correio.

Portal Correio: Apenas seus pais trabalham ou você também?

Alysson: Eu só estudo; minha mãe, meu pai e meu irmão trabalham.

Portal Correio: Quanto tempo do dia dedica para os estudos?

Alysson: Se eu for juntar todo o tempo que estudava na própria escola e em casa dá uma média de dez ou doze horas de dedicação por dia, pois mesmo após cumprir o horário integral eu ainda pegava os assuntos mais voltados para o Enem que eu via na escola e revisava em casa.

Portal Correio: Só estudou na rede pública? Por quê? 

Alysson: Desde o sexto ano ingressei na rede pública , por conta de disponibilidade de escolas próximas a minha casa preferi estudar em João Pessoa, na Escola Estadual Professora Úrsula Lianza (Epul).

Portal Correio: A que atribui os bons resultados no Enem?

Alysson: Primeiramente a Deus, depois a minha professora Lucia Carneiro, pois ela me ajudou muito na fase do ensino médio. Minha família também é muito importante, pois recebo incentivo para estudar e acreditar em mim mesmo desde muito cedo. Acredito que as dificuldades financeiras de certa forma não atrapalham ninguém, quando a gente realmente quer algo isso não é um empecilho.

Portal Correio: Estudava sozinho ou fez cursinhos/estudos em grupo?

Alysson: Na maioria das vezes eu estudo sozinho, mas quando surge alguma dúvida eu tenho a ajuda do meu irmão mais velho que cursa matemática na Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Portal Correio: Como era sua jornada diária?

Alysson: Eu saia de casa bem cedo, pois eu tinha que estar na escola às 7h e só saia de lá às 17h de segunda à sexta, mas mesmo assim eu estudava e revisava alguns conteúdos à noite; o sábado era como um dia de semana, eu estudava também e como eu não costumo sair muito não foi difícil ficar mais tempo em casa.

Portal Correio: E o lazer, tem? Já deixou de estar com amigos em festas para estudar? 

Alysson: As poucas vezes que eu saia era até a igreja, onde nunca deixei de ir para estudar, lá eu nunca falto.

Portal Correio: É o primeiro Enem?

Alysson: Não, este é o meu segundo exame e no primeiro eu tive a mesma pontuação na redação; na nota geral em 2013 eu consegui 638.8 e desta vez alcancei 692 pontos. Com a nota eu conseguiria ingressar na universidade, mas precisaria entrar com um processo de emancipação, algo bem mais difícil pois eu só tinha 15 anos.

Portal Correio: Já tirou nota baixa na escola?

Alysson: Nunca tive problemas com notas baixas, sempre me dei bem na escola e nunca me imaginei passando por esta situação.

Portal Correio: Teve medo da prova, ficou nervoso, já havia tido algum contato com o tema da redação? 

Alysson: Fiquei um pouco mais nervoso por saber que esse ano eu tinha que passar. Me cobrei muito. Eu não gostei muito do tema, mas eu tinha minhas apostas e fiquei muito apreensivo pois nunca tinha visto nada sobre o tema.

Portal Correio: Qual foi a reação quando viu a prova e a redação?

Alysson: Quando abri o caderno de questões e vi o tema eu me surpreendi, tive mais dificuldades que no ano passado. Desacreditei naquele momento e senti minha mente congelando, mas mantive a calma para poder fluir no papel. Em 2013, quando o assunto foi a Lei Seca, eu já havia lido sobre, mas nesse Enem a redação foi sobre publicidade infantil e eu não tinha visto nada a respeito do tema, nunca tive contato com esse tipo de assunto, eu não estava confortável, mas me posicionei contra o tipo de publicidade no texto e fiquei apreensivo pois não sabia como as pessoas que iriam corrigir pensariam e além disso vi que mais de 500 mil pessoas zeraram, fiquei tenso.

Portal Correio: Quais os conselhos que você dá para quem precisa estudar para o Enem?

Alysson: Acredito que todos precisam de organização, preparar suas listas e só existe uma forma de fazer uma boa redação: escrever bastante e desenvolver o hábito de ler para aumentar o vocabulário e a ortografia. Uma dica é pegar temas antigos para tentar desenvolver e não se confiar sorte, isso ficou provado neste ano, a banca sempre quer surpreender, não tem como adivinhar.

No Enem a gente sempre tem que focar nas nossas necessidades; não gosto tanto de humanas e códigos como gosto de exatas, mas precisei estudar bastante para que eu me saísse bem no geral; estudar nem sempre deve ser por gosto, mas também por necessidade, afinal a nota depende de tudo.

Portal Correio: Como sua família está reagindo com esta conquista?

Alysson: Todos estão muito felizes, orgulhosos, este é um fruto dos investimentos dos meus pais por mim, pelos meus estudos.

Portal Correio: O que vai fazer agora? O que pensa e quer da vida para o futuro?

Alysson: As inscrições do Sisu vão abrir e eu quero usar a nota para tentar uma vaga no curso de engenharia química na UFPB, como eu sempre quis e seguir minha carreira a partir desta escolha.

 

Por Ewerton Correia

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627