Abismo financeiro: Treze tem 13% da receita do Campinense

Publicado em terça-feira, dezembro 8, 2015 ·

bolaUm abismo separa a dupla Botafogo-PB e Campinense do rival Treze para temporada 2016. Além das competições a mais que terão para disputar no primeiro semestre, um fator primordial originado por elas, contribuem para uma disparidade gritante entre a dupla e o Alvinegro de Campina Grande. O financeiro.

Entre cotas de participações da Copa do Nordeste e Copa do Brasil e o repasse do novo formato do programa do Governo Estado “Gol de Placa”, que favorece os finalistas do Campeonato Paraibano da edição anterior com maiores repasses, é possível calcular a receita mínima que cada clube vai arrecadar na próxima temporada. O levantamento não traz as cifras obtidas com outras fontes de receita, a exemplo de patrocínio, bilheteria, sócios etc.

Com a Série C garantida no segundo semestre e um aumento superior a 40% na cota de participação da Copa do Nordeste, o Botafogo-PB detém a maior receita do Estado. A injeção é de R$ 1,7 milhão, podendo aumentar, de acordo, com o desempenho no Nordestão e na Copa do Brasil.

Não muito distante, o Campinense, que vai buscar no estadual uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro, para se manter vivo no segundo semestre, conta com R$ 1,3 milhão para os primeiros cinco meses do ano, a princípio.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

A situação mais delicada é a do Treze, que de garantia só tem o Campeonato Paraibano e terá de se reinventar para gerar novas receitas. Com apenas o estadual no calendário, o Galo vai abocanhar somente o repasse do “Gol de Placa”, que é de R$ 178 mil por ter sido o terceiro colocado na edição passada do estadual. A quantia, para se ter ideia, representa apenas 13,69% do montante de seu arquirrival, o Campinense.

Ainda sobre o “Gol de Placa”, o classificado para Série D de 2016, recebe um Plus de pouco mais de R$ 75 mil pela participação na competição nacional.

Quanto ao Campeonato Paraibano, organizado pela Federação Paraibana de Futebol, nenhuma cota de premiação ou participação entrou em pauta.

Veja a receita mínima dos três grandes para 2016:

Botafogo-PB
Copa do Nordeste: R$ 505 mil (1ª fase)
*Copa do Brasil: R$ 200 mil (1ª fase)
Série C: passagens e hospedagens pagas
*Gol de Placa: R$ 269.353,00 (Paraibano); R$ 146.275,00 (Nordestão); R$ 153.326,00 (Copa do Brasil); R$ 426.854,00 (Série C). Total: R$ 995.808,000

Total: R$ 1,7 milhão

Campinense
Copa do Nordeste: R$ 505 mil (1ª fase)
Copa do Brasil: R$ 200 mil (1ª fase)
*Gol de Placa: R$ 321.587,00 (Paraibano); R$ 146.275,00 (Nordestão); R$ 153.326,00 (Copa do Brasil). Total: R$ 621.188,00

Total: R$ 1,3 milhão

Treze
*Gol de Placa: R$ 178.000,00 (Paraibano).

Total: R$ 178 mil

*Cálculo com valores de 2015, já que as cifras de 2016 ainda não foram reveladas.

MaisPB
Maurílio Júnior

Comentários

Tags : , , , ,

REDES SOCIAIS











ARTICULISTAS
Ramalho Leite
Karlos Thotta
Padre Bosco





INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627