‘Febre de CPIs’: Lindolfo diz que se AL abrir investigação em JP, deve estender para os 223 municípios

Publicado em terça-feira, dezembro 6, 2011 ·

lindolfo-pires1O secretário da Casa Civil do Estado da Paraíba, Lindolfo Pires (DEM), concedeu entrevista ao programa Rádio Verdade, da Rádio Arapuan, às 13h desta terça-feira (6). Ele criticou a criação das CPIs dos Outdoors e dos Livros na Assembléia Legislativa da Paraíba.

O secretário defende que existem assuntos mais relevantes que deveriam ser tratados pela AL, ao invés de abrir um inquérito para investigar uma Prefeitura, como a CPI dos Livros. “Se nós abrimos uma CPI na AL para investigar uma denúncia contra Prefeitura, então abrimos um precedente para todos os 223 municípios do Estado abrir CPIs na AL, já imaginou?”, indagou.

De acordo com o chefe da Casa Civil, existem vários meios de investigar essa suspeita sem precisar da AL. “Esse assunto deveria estar na Câmara de Vereadores, mas se os vereadores não puderem, tem o Tribunal de Contas, se o tribunal não puder, tem o Ministério Público, tem o Tribunal de Justiça do Estado”, disse.

Em relação a CPI dos Outdoors, Lindolfo também criticou o objetivo do inquérito. “Uma CPI precisa de um fato gerador, eles queriam saber quem foi que mandou colocar os outdoors. Mas já foi identificado, o autor chegou e falou, ‘fui eu’. Então, acho errado. Acho que existem temas mais relevantes para discutir, como o orçamento do Estado”, colocou.

O deputado estadual Raniery Paulino, também concedeu entrevista à rádio e defendeu a criação da CPI dos Livros. “Se existe a suspeita um esquema de corrupção que garantiu a eleição do atual governador, uma CPI vai tirar nossas dúvidas”, declarou.

Pedro Callado

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627