Vereador guarabirense manifesta apoio aos professores em greve

Publicado em sábado, julho 16, 2011 ·


piso é leiO Vereador Beto Meireles mesmo sem ser convidado oficialmente pelo Sindicato dos Professores participou da Assembléia da Categoria na tarde da quinta-feira (14) que se reuniu na Câmara Municipal onde acompanhou toda discussão da classe que tem se mobilizado no sentido de que seja implantado na cidade de Guarabira o Piso Nacional dos Professores estabelecido pela lei n° 11.738, em vigor desde março de 2009.
O parlamentar fez uso da palavra hipotecando irrestrito apoio a decisão tomada pela Assembléia dos Professores.

Desde o inicio do ano que a Direção do Sindicato procura marcar uma audiência com a Prefeita Fátima para discutir a implantação do Piso Nacional dos Professores sem obter sucesso.
De acordo com o MEC a remuneração mínima para um professor de nível médio com jornada de 40 horas semanais é de RS 1.187,08, assegurada pela Constituição Federal e deve ser praticada em todo território nacional.

Em abril deste ano a direção do Sindicato solicitou que o Poder Legislativo, nas pessoas dos Vereadores Zé do Empenho, Zé Ismai (Líder da Prefeita), Chico Mala (Presidente da Câmara) e o Vereador Beto Meireles intermediassem um encontro com a Prefeita, o que também não aconteceu mesmo com as constantes cobranças do Vereador Beto Meireles.

Hoje o Salário Base inicial de um professor de nível médio do município de Guarabira é de 673,00.
A proposta do Sindicato mesmo contrariando a lei do piso que é de R$ 1.187,08 na jornada de 40 horas semanais é de que se aplique a proporcionalidade que no caso de Guarabira o Professor tem uma carga horária de 30 horas semanais ficando com um salário base de R$ 890,00.
A prefeita divulgou uma nota na sua mídia oficial de que já paga acima do piso. Pura inverdade. A Lei do Piso é clara: Não se pode contabilizar ao piso nenhum tipo de gratificação. Em Guarabira os professores já recebem uma gratificação (GED), conquista antiga da categoria que a prefeita quer confundir a opinião pública dizendo que paga o piso por conta desta gratificação.

Por tudo isso, e falta de respeito por parte da gestora que segundo ela tem como profissão ser professora que foi decretado o movimento paredista a partir de segunda–feira (18/07) por tempo indeterminado até que a Prefeita resolva receber o Sindicato dos Professores para apresentar sua proposta.
Está previsto para na tarde da próxima quarta – feira (20/07) a realização de um ato público na Praça Lima e Moura.

Assessoria de Beto Meireles para o Focando a Notícia

Comentários

Tags :

REDES SOCIAIS




















Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627