Arquivo da tag: zero

Em carta aos bispos de todo o mundo, papa Francisco pede tolerância zero com pedofilia

papaO papa Francisco enviou uma carta aos bispos de todo o mundo em que pede a proteção de crianças e para que “o sofrimento, a história e a dor dos menores que foram abusados sexualmente por sacerdotes” não sejam esquecidos. Ele ainda pediu “tolerância zero” aos religiosos. As informações são da agência de notícias Ansa.

“Escutar o choro das crianças significa também escutar o choro e o lamento de nossa mãe igreja, que chora não só pela dor causada em seus filhos mais pequenos, mas também porque conhece o pecado de alguns de seus membros. Pecado que nos causa vergonha. Pessoas que tinham a responsabilidade de cuidar destas crianças, destruíram a dignidade delas”, escreveu o papa.

Ele pede “coragem para proteger a infância dos novos Herodes dos nossos dias, que roubam a inocência de nossas crianças”. O pontífice referia-se ao rei que mandou matar todos os primogênitos de Belém após o nascimento de Jesus Cristo.

“Hoje, na lembrança do dia dos santos inocentes, quero que renovemos todo o nosso empenho para que essas atrocidades não ocorram mais entre nós. Que encontremos a coragem necessária para promover todos os meios necessários para proteger de todas as formas as vidas de nossas crianças porque tais crimes não podem mais se repetir”, disse.

 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Prazo para pagamento da cota única e de parcelamento de placa zero termina nesta segunda-feira

ipva-2016Os proprietários de veículos na Paraíba com placa terminada zero, que optaram pelo pagamento em cota única sem redução do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), devem efetuar o pagamento até esta segunda-feira (31) como forma de evitar multas e juros.

Já quem optou pelo parcelamento em três vezes, o vencimento da 3ª e última parcela encerra também nesta segunda-feira.

Caso o boleto não tenha chegado à residência, o contribuinte poderá solicitar em qualquer posto de atendimento do Detran-PB ou imprimi-lo pessoalmente no site do órgão. Basta informar os números completos da placa dos veículos e do Renavam no link http://www.detran.pb.gov.br/index.php/ipva.html.

Secom PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

STRESS ZERO EM BRASÍLIA: saiba qual foi o maior gastador do cotão na bancada federal paraibana

efraimOs deputados federais da Paraíba gastaram durante os últimos quatro anos, tempo de seus mandatos, um total de R$ 17.836.030,77 milhões das verbas institucionalizadas da Cotas para o Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP). Dos doze representantes da bancada federal, o que mais usou a verba indenizatória na legislatura passada foi o deputado federal Efraim Filho (DEM) que utilizou R$ 1.662.055,95 milhão durante o mandato parlamentar compreendido entre fevereiro de 2011 a fevereiro de 2015. O levantamento foi realizado na página da Câmara dos Deputados

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
Apenas no mês de novembro de 2014, Efraim Filho gastou a bagatela de R$ 46.000,00 com consultoria, trabalhos técnicos e pesquisas. Já no mês de outubro do ano passado, durante o período eleitoral, o filho do ex-senador Efraim Morais consumiu dos cofres públicos R$ 52.600,00 para divulgação da atividade parlamentar, números gritantes se comparados aos R$ 6.500 usados por “Faito” em junho para mesma finalidade.

ENTENDA: Todo mês os cofres públicos bancam gastos que os 581 congressistas dizem ter feito no estrito exercício de sua atividade parlamentar. A verba disponível para cada um dos deputados e senadores vai de R$ 21 mil a R$ 44 mil, dependendo do Estado de origem,número que serão bem diferentes após o reajuste aprovado pelo presidente Eduardo Cunha (PMDB). São permitidas despesas com aluguel de escritório, de carro, gasolina, telefone, alimentação, entre outros.

Tanto a Câmara quanto o Senado conferem apenas se o custo que o parlamentar diz ter tido se enquadra nas regras de reembolso, portanto se tornando uma verba de livre arbítrio para o parlamentar.

Após Efraim na bancada federal paraibana, quem mais usou o Cotão foi presidente do Partido da República (PR ) Wellington Roberto que gastou R$ 1.631.084,73, seguido na terceira colocação dos gastadores pelo deputado Manoel Júnior (PMDB) que chegou ao patamar de R$ 1.630.358,73 milhão com gastos com o cotão.


PB Agora

Ford Fiesta rocam sai de linha e é vendido com descontos e taxa zero

 (FOTO: DIVULGAÇÃO)
(FOTO: DIVULGAÇÃO)

O mês de agosto pode ser a última chance para quem pretende comprar um Ford Fiesta Rocam. Conforme anunciou nesta quinta-feira (7), tanto a versão hatch quanto a versão sedã do modelo de entrada serão descontinuados para dar lugar ao novo Ka, marcado para chegar as concessionárias em setembro. O lançamento será oferecido nas configurações compacto e três volumes, ambos disponíveis com motor 1.0 três cilindros e 1.5.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Enquanto os novos Ka e Ka+ (versão sedã) não chegam, as concessionárias dão vazão aos Fiesta Rocam com descontos e condições especiais de pagamento. Em todas as autorizadas consultadas pela Autoesporte, o veículo foi ofertado com taxa zero, mediante entrada de 50%, com o restante do valor do veículo quitado em até 24 vezes. A versão Sedan 1.6 SE Plus com pintura metálica tinha o maior desconto, de R$ 2.106. O preço foi reduzido de R$ 39.806 para R$ 37.800. Na capital paulista, uma loja tinha o melhor valor para o hatch 1.6 SE Plus com pintura sólida: R$ 34.900. São R$ 1.090 a menos que o valor de tabela.

Hoje, somado ao New Fiesta, o Fiesta Rocam é o quarto automóvel mais vendido do Brasil no acumulado de janeiro a julho, totalizando 75.442 unidades emplacadas. De acordo com a montadora, o objetivo é que o novo Ka+, versão sedã do veículo, se torne seu número um do portfólio entre os três volumes. Já em relação ao hatch, a marca tem a meta ambiciosa de liderar o mercado nacional de compactos 1.0. Por enquanto, a Ford não revela metas objetivas de venda.

Ford Fiesta Rocam 2014 (Foto: Divulgação)
revistaautoesporte

Operação Risco Zero reforça segurança nas cidades de Areia, Esperança e Remígio

policiaAs polícias Militar e Civil, o Corpo de Bombeiros e a Vigilância Ambiental realizaram a Operação Risco Zero, nesse fim de semana, nas cidades de Areia, Remígio e Esperança, no Brejo paraibano. O objetivo da ação conjunta foi abordar suspeitos e fiscalizar possíveis irregularidades em estabelecimentos que comercializam bebidas alcoólicas. Pelo menos sete bares foram autuados e interditados durante a operação.

O comboio de viaturas saiu da sede do 10º Batalhão da Polícia Militar, em Campina Grande, para a cidade de Esperança, onde três estabelecimentos tiveram que fechar as portas. “O Corpo de Bombeiros e a Vigilância Ambiental constataram vários pontos de riscos à segurança das pessoas nesses locais. Assim, tivemos que cumprir o que manda a Lei”, disse o comandante do 10º BPM, major Sérgio Fonseca.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Em seguida, a operação foi para a cidade de Remígio, que também teve bares interditados devido à falta de segurança. Em um deles, havia uma espécie de tenda sustentando a fiação elétrica do estabelecimento. Diante da possibilidade de incêndio, mais uma vez, os Bombeiros informaram ao proprietário que o local deveria ser esvaziado, até que a irregularidade fosse resolvida.

Na cidade de Areia, o perigo estava no palco instalado no Centro da cidade, onde ocorria um evento de rua. De acordo com as inspeções feitas pelos órgãos, a estrutura apresentava riscos de descarga elétrica. O show teve que ser cancelado.

O major Sérgio Fonseca destacou os objetivos da operação. “Estamos aqui para garantir a segurança de todos”, esclareceu o comandante. Em todos os pontos visitados foram feitas abordagens e revistas a suspeitos, mas nenhuma arma foi encontrada. A Operação Risco Zero terá continuidade nos próximos dias e poderá agregar outros órgãos, como Vigilância Sanitária e Sudema.

Secom-PB

Prazo para licenciamento de veículos com placa final zero termina quinta-feira

emplacamentoA partir desta sexta-feira (1º), toda a frota paraibana, que atualmente é de 949.935 veículos, deve estar licenciada e, de acordo com o calendário de licenciamento 2013, vence nesta quinta-feira (31) o prazo para o licenciamento dos veículos com placa final “zero”. O prazo para licenciamento dos veículos com os demais finais já venceu. Serão considerados irregulares todos os veículos que, a partir de primeiro de novembro, não estejam com o licenciamento 2013 em dia.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Desde o dia 18 de outubro, está em vigor uma portaria do superintendente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Rodrigo Carvalho, estabelecendo um prazo de tolerância para que os condutores de veículos possam circular sem o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV), do ano em curso, desde que estejam com a guia de licenciamento paga e portando o documento do ano anterior.

O prazo de tolerância é de 30 dias, entre o pagamento da guia de recolhimento do licenciamento correspondente ao final da placa, conforme o calendário fixado pelo Detran e a Secretaria de Estado da Receita.

Já os proprietários de veículos com placas finais de 1 a 9, não estarão mais protegidos pela portaria, no exercício 2013, considerando que veículos com estas placas já devem estar licenciados e seus proprietários são obrigados a portar o CRLV do ano vigente.

Desta forma, o Detran alerta aos proprietários que pagaram o licenciamento em atraso para a necessidade de procurar uma unidade do órgão para a emissão do CRLV, porque, nesta situação, não estarão protegidos pela portaria. Eles são obrigados a apresentar o CRLV do exercício vigente e as guias de recolhimento pagas não são suficientes para a circulação do veículo.

A portaria do superintendente do Detran atende à Resolução número 01/2013 do Conselho Estadual de Trânsito (Cetran), publicada no Diário Oficial do dia 11 de outubro, que autorizou o Detran a editar norma passível de conceder um prazo razoável aos proprietários de veículos para apresentarem, quando abordados, o CRLV do exercício vigente e considera o lapso temporal para a expedição e entrega do documento, após o pagamento da guia.

A tolerância vale para proprietários que comprovem a quitação das taxas, seguro obrigatório e multas de trânsito e será aceita dentro do prazo concedido. A medida vai evitar que o veículo, quando abordado, seja multado, apreendido e recolhido, estando com as guias pagas, porém sem portar o certificado de licenciamento anual (CRLV).

Até então, as guias pagas não eram suficientes para a circulação do veículo porque o Código de Trânsito Brasileiro estabelece que o CRLV é um documento de porte obrigatório que comprova a quitação do exercício vigente. A tolerância em relação à apresentação do CRLV foi proposta ao Conselho Estadual de Trânsito pelo próprio superintendente do Detran, Rodrigo Carvalho, que é o vice-presidente do Cetran e presidente do Conselho Diretor do Detran.

Segundo Rodrigo Carvalho, ao conceder o prazo de um mês entre o pagamento das taxas e a apresentação do CRLV, o Governo do Estado demonstrou tolerância em relação aos usuários que quitam os seus débitos mas não conseguem permanecer nos postos do Detran até que seja feita a compensação bancária necessária à liberação para a expedição do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo, bem como em relação aos usuários que pagam as taxas de licenciamento com a guia enviada pelos Correios e Telégrafos e aguardam o recebimento domiciliar do documento.

Na Paraíba, o calendário anual de licenciamento divide a frota de acordo com o número final da placa. O que significa que, a partir de primeiro de novembro, com o final do prazo para as placas zero, todos os veículos registrados na Paraíba devem estar com o licenciamento 2013 em dia.

Segundo o superintendente do Detran, Rodrigo Carvalho, a partir de primeiro de novembro, a Divisão de Policiamento de Trânsito do Detran estará intensificando as fiscalizações visando a identificação e recolhimento da frota irregular.

 

 

Assessoria de Comunicação

Operação Risco Zero: 2° Cia de Polícia Militar apreende arma na cidade de Bananeiras

Nesse final de semana, foi desencadeada a operação “Risco Zero” nas cidades de Guarabira, Belém, Caiçara, Araruna e Solânea. Tal operação, que contou com efetivo de várias força de segurança, como Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, SUDEMA e Conselhos Tutelares, visava ações em bares e estabelecimentos congêneres para evitar diversos crimes.

Ja na cidade de Bananeiras, quando da verificação no “Bar do Michel”, Sítiooperaçao Cumbeba, foi preso Francisco Abelardo Leandro do Santos, residente em Solânea-PB. No seu carro foi encontrado um revolver cal 38, com 6 munições intactas. A apreensão foi feita por policiais civis e militares, que notaram o nervosismo do acusado e fizeram a revista em seu veículo, localizando a arma.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Além da arma de fogo, várias armas brancas (facas) foram apreendidas, materiais que poderiam levar a crimes.

Para o Cap J Ferreira, tais ações vêem gerando resultados positivos em toda região, pois o número de crimes violentos letais intencionais vêem reduzindo paulatinamente.

Já o Delegado Ricardo Sena revelou que a integração de diversas forças de segurança gera um melhor resultado nas ações de combate ao crime, pois a fiscalização se dá em todas as suas especificidades.

 

 

por Jaceline Marques

Entenda por que redação do Enem com hino e miojo não vale nota zero

Os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que inseriram uma receita de miojo e trechos do hino do Palmeiras na redação disseram ao G1 que esperavam tirar nota zero na prova. Segundo eles, a intenção era testar o sistema de correção da prova de redação. No entanto, de acordo com Paulo Portela, diretor-geral do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe), órgão da Universidade Federal de Brasília (UnB) responsável pela aplicação do Enem, o edital do exame tem regras claras sobre as transgressões que anulam a prova. E trechos fora de propósito escondidos entre parágrafos pretensamente sérios não configuram uma fuga completa ao tema. Esta falha só existe se o candidato não cita a proposta da prova em nenhuma parte de seu texto.

Fernando Maioto Júnior e Carlos Guilherme Ferreira tentaram testar sistema de correção da redação do Enem (Foto: Reprodução/Arquivo pessoal)Fernando Maioto Júnior e Carlos Guilherme Ferreira tentaram testar sistema de correção da redação do Enem (Foto: Reprodução/Arquivo pessoal)

Nesta semana, as redações de dois estudantes que já estavam matriculados no ensino superior, e por isso fizeram o Enem sem pretensão de tirar nota alta, acabaram ganhando destaque pela peculiaridade dos textos. Fernando César Maioto Júnior, de São José do Rio Preto (SP), inseriu no meio da redação sobre imigração no século 21 trechos do hino do Palmeiras e tirou nota 500 –a pontuação vai de 0 a 1.000.

Já Carlos Guilherme Custódio Ferreira, de Campo Belo (MG), decidiu ensinar uma receita de ‘miojo’ antes de concluir seu texto intitulado “Imigração ilegal”, que acabou avaliado com a nota 560. O objetivo dos dois era provar que os corretores não liam as redações com atenção e, por isso, a nota dos candidatos era aleatória.

Fernando e Guilherme afirmaram que a nota mais justa para seus textos seria zero. Porém, para Portela, do Cespe, as notas 500 e 560 para as redações dos dois estudantes é prova de que os corretores não só leram os textos, mas também os corrigiram seguindo os critérios previstos no edital. “Não é aleatória, se você verificar onde eles levaram a menor nota, vai ver que foi nessas competências específicas. A nota baixa reflete exatamente que, quando ele utilizou argumentos completamente fora de propósito, ele foi apenado justamente por isso”, explicou Portela ao G1.

“Se quisesse testar o sistema, poderia fazer um texto sobre a imigração no século 21 no Brasil e apresentar uma proposta de intervenção que ferisse os direitos humanos. Se fizesse isso, ele teria a nota zero”, afirmou.

Ele afirmou ainda que a pontuação dos dois candidatos é considerada “o limite da reprovação”, já que, por exemplo, um participante que queira usar o Enem para conseguir a certificação do ensino médio deverá tirar no mínimo 500 na redação para obter a qualificação em linguagens e códigos.

Nota dividida em cinco partes
Pelas regras de correção, a nota final da redação do Enem é a soma aritmética de cinco notas, atribuídas de acordo com competências diferentes. Por isso, a correção não leva em conta apenas se o estudante falou apenas sobre o assunto proposto, mas também se seguiu as regras da norma padrão da língua portuguesa, se usou a estrutura de texto dissertativo-argumentativo, se concluiu a prova com uma proposta de intervenção para o problema apresentado, entre outros (veja as competências na tabela abaixo):

COMPETÊNCIAS AVALIADAS NA PROVA DE REDAÇÃO DO ENEM
Competência 1 Competência 2* Competência 3 Competência 4 Competência 5
Demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita. Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários à construção da argumentação. Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.
Valor: 0 a 200 Valor: 0 a 200 Valor: 0 a 200 Valor: 0 a 200 Valor: 0 a 200
(*) OBS: Caso o candidato tenha nota zero na Competência 2, ele terá a prova anulada
Fonte: MEC/Inep

Cada competência vale no máximo 200 pontos e, segundo Portela, a 2ª competência é a única que o candidato não pode zerar, porque isso anulará a prova. Ela fala justamente sobre abordar o tema proposto pela prova e, ainda, exige que o candidato elabore um texto usando a estrutura dissertativa-argumentativa. Segundo Portela, isso quer dizer, por exemplo, se candidato escreveu apenas sobre imigração, mas montou um texto em forma de poema, sua nota final será zero, mesmo que ele tenha cumprido as demais competências.

Há introdução, desenvolvimento, você percebe que eles entram em hinos de time e em uma receita, que perdem a coerência textual, mas no final ainda voltam e concluem o texto”
Paulo Portela,
diretor-geral do Cespe/UnB

Fuga do tema foi apenas parcial
No caso dos estudantes paulista e mineiro, o diretor-geral do Cespe/UnB diz que ambos cumpriram parcialmente a 2ª competência, porque sua redação foi dissertativa-argumentativa e o tema correto foi abordado tanto na introdução quanto na conclusão do texto.

“Essas duas redações que vêm sendo discutidas na internet, quando você olha para a estrutura delas, há introdução, desenvolvimento, você percebe que eles entram em hinos de time e em uma receita, que perdem a coerência textual, mas no final ainda voltam e concluem o texto”, explicou Portela.

“Eles entram no tema, se perdem um pouco, como se o participante estivesse se perdendo no desenvolvimento, e no final fazem uma conclusão. Não é a conclusão esperada para uma nota alta, tanto que foram notas muito baixas.”

A correção, segundo ele, deve seguir as regras do edital, mas os corretores, que em 2012 tiveram uma capacitação durante dois meses sobre todos os itens da avaliação da prova, também levam em conta o fato de que os candidatos são concluintes do ensino médio e fazem a prova sem o uso de recursos como gramática, corretor ortográfico e internet para buscar argumentos na hora de desenvolver a dissertação.

Nota zero
Ainda de acordo com o diretor do Cespe, mesmo com o aumento anual no número de candidatos do Enem, “o percentual está mais ou menos estabilizado em termos de redações brancas”. O item 14.9 do edital do Enem 2012 estabelece as regras para que uma redação leve nota zero e, portanto, seja anulada:

14.9 Em todos as situações expressas abaixo, será atribuída nota zero à redação:
14.9.1 que não atender a proposta solicitada ou que possua outra estrutura textual que não seja a do tipo dissertativo-argumentativo, o que configurará “Fuga ao tema/não atendimento ao tipo textual”;
14.9.2 sem texto escrito na Folha de Redação, que será considerada “Em Branco”;
14.9.3 com até 7 (sete) linhas, qualquer que seja o conteúdo, que configurará “Texto insuficiente”;
14.9.3.1 linhas com cópia dos textos motivadores apresentados no Caderno de Questões serão desconsideradas para efeito de correção e de contagem do mínimo de linhas;
14.9.4 com impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação, que será considerada “Anulada”.

Portela afirma que o fato de os candidatos receberem o espelho da redação desde a edição de 2012 do exame pode fazer com que mais estudantes tentem repetir o exemplo de Fernando Maioto Júnior e Carlos Guilherme Ferreira.

“É possível que um candidato tente testar a banca, mas essa banca vai estar cada vez mais preparada para tratar uma situação como essa.”

 

 

G1

Com tolerância zero ao álcool, número de mortes no Carnaval em rodovias federais é o menor em dez anos

Tânia Rêgo/Agência Brasil
Tânia Rêgo/Agência Brasil

No primeiro Carnaval com a tolerância zero da Lei Seca em vigor, 157 pessoas morreram em acidentes de trânsito nas estradas federais brasileiras. Mesmo com essas mortes, o número representa o melhor resultado para o feriado dos últimos dez anos, segundo balanço divulgado nessa quinta-feira (14) pelo Ministério da Justiça, em Brasília.

Já considerando o aumento do número de veículos em circulação, de 70,5 milhões no Carnaval 2012 para 76,1 milhões na mesma data de 2013, a queda foi de 24% na comparação com 2012, quando foram registradas 192 mortes.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, comemorou a redução nos números e alertou os motoristas que a fiscalização vai continuar.

— Tenho certeza que menos famílias choram a perda de entes queridos depois do Carnaval. A fiscalização deve ser comemorada, mas não deve ser esquecida. Se alguém pensa que o rigor vai acabar com o fim do Carnaval, está enganado. A fiscalização continua, firme e rigorosa.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A Operação Carnaval ocorreu entre a sexta-feira de Carnaval e a quarta-feira de Cinzas. Foram monitorados 70 mil quilômetros de rodovias em todo País.

Ao todo, a PRF (Polícia Rodoviária Federal) registrou 3.149 acidentes e 1.793 pessoas ficaram feridas durante o feriado. Em 2012, a PRF contabilizou 3.499 acidentes de trânsito e 2.207 feridos.

De acordo com os números da PRF, o número de acidentes caiu 17%, levando em consideração o número de carros em circulação. Com base no mesmo critério, o número de feridos também foi menor: houve redução de 25% na comparação com 2012.

607 motoristas na prisão

Com o endurecimento da Lei Seca, a PRF realizou 86.224 testes de bafômetro durante os seis dias de fiscalização da Operação Carnaval — um aumento de 183% na comparação com 2012.

No total, 1.932 motoristas foram flagrados dirigindo bêbados e tiveram as carteiras de habilitação recolhidas. Desses, 607 foram presos em flagrante por crime de trânsito, número 23% maior que o registrado no ano passado.

Os Estados de Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul foram os condutores mais foram flagrados embriagados.

Causas de acidentes

A falta de atenção dos motoristas foi a principal causa de acidentes com mortes nas rodovias federais durante o feriado de Carnaval. Segundo a PRF, 32 pessoas morreram em acidentes provocados por condutores que falavam ao celular, ou trocavam a estação do rádio, por exemplo.

A ultrapassagem indevida é a segunda maior causa de acidentes com mortes: 25 pessoas morreram nesse tipo de colisão. Em seguida, aparece a velocidade indevida, que matou 16 pessoas nas estradas.

Como a falta de atenção e a ultrapassagem irregular foram as principais causas de mortes, o Ministério da Justiça anunciou que, além da fiscalização da Lei Seca, deve lançar campanhas de conscientização dos motoristas em relação a essas infrações.

Número de mortes é maior em MG

Minas Gerais foi o estado que mais registrou acidentes e mortes durante o feriado de Carnaval. A PRF contabilizou 434 acidentes e 29 pessoas mortas nas rodovias mineiras.

O segundo estado com mais mortes foi a Bahia, onde 18 pessoas morreram em acidentes de trânsito. O Rio Grande do Sul é o terceiro estado com mais mortes: 14 durantes os seis dias.

 

 

Carolina Martins, do R7

Com Pato por 73 minutos, Timão não sai do zero com Botafogo-SP

O Estádio Santa Cruz ficou cheio. Botafogo e Corinthians buscavam a aproximação dos líderes do Campeonato Paulista, e Alexandre Pato estava em campo desde o início. Mas nada disso foi capaz de evitar o decepcionante 0 a 0 entre os times na noite desta quarta-feira, em Ribeirão Preto, pela sexta rodada do estadual. Em um campo castigado pelas chuvas, Pato foi o melhor jogador, criou chances, mas não conseguiu tirar o zero do placar.

O primeiro tempo foi melhor, com boas chances criadas pelo camisa 7 e algumas polêmicas com a arbitragem de Vinícius Furlan. Na etapa final, o principal jogador da partida foi substituído (ficou 73 minutos em campo) e viu o Timão apenas tocar a bola e sustentar o empate fora de casa. Do outro lado, o Bota teve um gol de Nunes corretamente anulado por impedimento.

Com a igualdade, Botafogo e Corinthians continuam iguais na tabela do Paulistão: 12 pontos somados. O Timão, em quinto, leva vantagem no saldo de gols (6 a 3). O Botinha está em sexto. O resultado não foi tão ruim para os times quanto para a torcida, que lotou o Santa Cruz esperando um jogo bem melhor.

Na próxima rodada, o Corinthians recebe o São Caetano no Pacaembu, sábado, às 16h20m (de Brasília). O Botafogo visita o União Barbarense no mesmo dia, às 19h30m, na Toca do Leão.

Pato vai bem. O árbitro nem tanto…

O cenário ficou bonito para o primeiro jogo de Pato como titular. Com o Estádio Santa Cruz praticamente lotado, o atacante deu seu “aviso” logo no primeiro minuto: em disputa com Daniel Borges, deu um tranco com o ombro e tirou o adversário da marcação. O arremate saiu travado. Mais do que a chance criada, o lance serviu para mostrar que o reforço alvinegro está confiante, sem medo de divididas com os zagueiros.

Pato Corinthians x Botafogo-SP (Foto: Rodrigo Coca / Ag. Estado)Alexandre Pato teve boa atuação em seu primeiro jogo como titular (Foto: Rodrigo Coca / Ag. Estado)

Para brilhar pelo Corinthians, só pegando ritmo de jogo. Qualidade, Pato tem. Isso ele mostrou nos lances mais simples. Suas três chances de gol foram de cabeça, sempre se antecipando aos marcadores e fazendo o movimento correto, de cima para baixo. Aos poucos, o reforço se coloca no melhor posicionamento para receber assistência dos companheiros.

O Botafogo tentou apertar a marcação e sair no contra-ataque, mesmo jogando em casa e com bom apoio do torcedor de Ribeirão Preto. Tamanha aplicação no setor defensivo deu origem a lances mais ríspidos e consequente pressão sobre o árbitro Vinícius Furlan. Foram só três cartões amarelos: Daniel Borges, Guilherme e Fábio Santos. As reclamações, porém, foram inúmeras. Perdido, Furlan deixou corintianos e botafoguenses “apitarem” a partida.

Enquanto Pato ia bem, Emerson Sheik destoava. Mais aberto pelo lado esquerdo do que de costume, o atacante errou passes e parou na marcação de Daniel Borges. Douglas, titular pela primeira vez no ano, sentiu falta de ritmo e também ficou abaixo da média. Quem mais ajudou o setor ofensivo foi Edenílson, sempre ativo pela direita.

A zaga corintiana controlou bem os avanços do Botinha, até porque a maioria deles foi na bola aérea. Apenas Raí, no fim do primeiro tempo, optou por ir pelo chão. Acertou belo chute de esquerda, e a bola passou raspando a trave esquerda de Danilo Fernandes.

Mais 28 minutos de Pato

Pato parecia estar em momento diferente dos colegas, buscando jogo e tentando criar as poucas chances que o Corinthians teve no segundo tempo. A falta de ritmo o fez ficar em impedimento quando recebeu belo lançamento de Guilherme, e também o prejudicou quando pegou uma sobra e não conseguiu acertar a bola em cheio, facilitando a defesa de Rafael Santos. Mesmo assim, Pato foi um dos melhores em campo.

O Botafogo não se arriscou, tanto que Danilo Fernandes era um espectador privilegiado da partida quando levou o maior susto do jogo. Aos 19, Daniel Borges acertou belo chute no travessão, e Nunes completou o rebote para as redes – em posição de impedimento, o atacante viu seu gol ser anulado. O zero no placar era uma tendência no Santa Cruz.

A certeza de que o placar se manteria inalterado veio quando Pato foi substituído por Romarinho, aos 28 do segundo tempo. Não que o substituto não tenha qualidade para decidir um jogo. Mas, na longa primeira fase do Campeonato Paulista, só mesmo um reforço que precisa de ritmo pode se interessar um pouco mais pela competição.

Não à toa, Renato Augusto foi outro que entrou cheio de vontade. Em jogada iniciada por ele, Emerson Sheik quase marcou no rebote, chutando à direita de Rafael Santos. No fim, Guilherme exigiu outra grande defesa do goleiro do Bota, em infiltração após tabela com Edenílson. Melhor para o time da casa. Pior para a torcida, que lotou o estádio, mas não viu um golzinho sequer.

 

 

Globoesporte.com