Arquivo da tag: Wallber Virgolino

Após pedido de impugnação da candidatura de Cícero Lucena, juiz condena coligação liderada por Wallber Virgolino por agir de má-fé

A coligação “Coragem para fazer o novo”, integrada pelos partidos Patriota e Democracia Cristã, encabeçada pelo candidato a prefeito de João Pessoa, Wallber Virgolino, foi condenada por litigância de má-fé. A decisão foi da 64ª Zona Eleitoral, por meio do juiz eleitoral, Fábio Leandro de Alencar Cunha. A condenação aconteceu após a Justiça Eleitoral rejeitar a impugnação da candidatura do candidato Cícero Lucena.

A coligação de Wallber Virgolino alegou que o candidato Cícero Lucena não tinha certidão negativa junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), pois teve suas contas reprovadas, “com imposição de multa e ressarcimento ao erário, justamente em razão de gravíssimas irregularidades administrativas insanáveis e que representam conduta dolosa de improbidade administrativa, quando o mesmo era prefeito de
João Pessoa, sendo, portanto, inelegível, conforme art. 1º, I, “g” da LC 64/90″.

Conforme a decisão acessada pelo ClickPB, a Justiça considerou improcedente o pedido de impugnação da coligação liderada por Wallber Virgolino. Além disso, declarou a regularidade do Requerimento de Registro de Candidatura (RRC) do candidato Cícero Lucena, da coligação “Pra cuidar de João Pessoa”, formada pelos partidos PP, PTB, Republicanos, PTC, PMN, Avante, PRTB, Cidadania e PMB e deferiu o pedido de Registro de Candidatura.

“Condenando a coligação impugnante por litigância de má-fé e ainda em honorários advocatícios, na forma acima estabelecida”, destacou o juiz eleitoral em sua decisão.

Confira a decisão:

clickpb

 

Fenaj repudia declarações caluniosas de Wallber Virgolino contra imprensa

Em nota emitida nesta terça-feira (19), o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Paraíba e a Federação Nacional dos Jornalistas declararam repudiar declarações feitas pelo deputado estadual Wallber Virgolino contra a imprensa.

No texto, as entidades classificaram como “caluniosa e agressiva” as falas do parlamentar. De acordo com a nota, Wallber teria afirmado que “na imprensa paraibana profissionais que desrespeitam a classe por práticas abomináveis, denominando-os, pejorativamente, de ‘banda podre’.”

Na nota, a Fenaj e o Sindicato dos Jornalistas dizem não aceitar “que a categoria seja aviltada e humilhada por quem quer que seja.

Confira nota na íntegra:

NOTA

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Paraíba e a Federação Nacional dos Jornalistas repudiam a forma caluniosa e agressiva que o deputado estadual Wallber Virgolino vem dispensando à imprensa da Paraíba, particularmente, aos jornalistas, inclusive em tom de ameaça àqueles que façam críticas ao seu mandato, o que já caracteriza censura e afronta à liberdade de expressão.

Na última declaração que fez, na segunda-feira última (19), o parlamentar acusa que existem na imprensa paraibana profissionais que desrespeitam a classe por práticas abomináveis, denominando-os, pejorativamente, de ‘banda podre’. Em abril de 2019, o parlamentar ameaçou instalar uma CPI contra jornalistas.

Sobre essas graves acusações, as entidades representativas dos jornalistas reiteram a importante função social do jornalismo e a integridade da categoria para desempenhar as suas atividades e colocam à disposição do deputado as Comissões Estadual e Nacional de Ética das duas entidades, a fim de acolher as denúncias, acompanhadas pelos nomes desses jornalistas para as apurações devidas. Caso comprovadas as irregularidades, os responsáveis receberão as penalidades previstas no Código de Ética da nossa profissão.

Porém, enquanto não forem comprovadas as denúncias contra esses profissionais, o Sindicato dos Jornalistas e a Fenaj não poderão aceitar que a categoria seja aviltada e humilhada por quem quer que seja.

O Jornalismo da Paraíba é composto por dignos e valorosos profissionais, seja nas redações dos órgãos de Comunicação privada, seja nas Assessorias de Imprensa dos órgãos públicos, que orgulham nossa categoria, que não merece se ver constantemente maculada.

Portanto, caso V.Ex.ª permaneça só com as acusações vagas e genéricas, sem comprovações, o Sindicato dos Jornalistas poderá entrar com uma representação junto ao Ministério Público.

A DIREÇÃO

 

PB Agora

 

 

Sindicato dos Jornalistas lamenta decisão do deputado Wallber Virgolino de buscar assinaturas para CPI contra a imprensa

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Paraíba distribuiu nota pública em que “lamenta profundamente” a iniciativa do deputado estadual Wallber Virgulino (Patriotas), que anunciou a coleta de assinaturas para a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra a imprensa estadual, na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB).

“A entidade entende que se o parlamentar tem queixas em relação à atuação de algum profissional ou veículo de comunicação deve citar os nomes e os fatos desabonadores cometidos por um ou outro para que sejam apurados no Conselho de Ética do Sindicato ou mesmo pela FENAJ [Federação Nacional de Jornalismo]”, pontua trecho da nota.

ENTENDA

Neste domingo (17), o deputado estadual se manifestou pelas redes sociais demonstrando descontentamento com alguns veículos de comunicação da Paraíba, que cometeram a chamada “barrigada” – jargão usado no meio jornalístico para configurar uma informação veiculada com erros graves – ao noticiar o seu envolvimento em confusão registrada em desfile de um bloco de Carnaval, na última sexta-feira (14), no Folia de Rua, em João Pessoa. O que, de fato, não aconteceu.

O parlamentar garantiu que buscará assinaturas entre os demais deputados para instalar a Comissão, denominada por ele como “CPI do Toco/Imprensa”. “Não é de hoje que os maus profissionais dessa área precisam de enquadramento”, escreveu.

Nesse item, o Sindicato dos Jornalistas endossa a fala do deputado e “repudia totalmente as práticas não condizentes com o Código de Ética e a responsabilidade social dos jornalistas e defende que estas sejam apuradas com amplo direito à defesa e, caso procedentes, punidas exemplarmente”.

Veja na íntegra a nota do deputado

 

Infelizmente, alguns sistemas de comunicação da Paraíba que se acostumaram com o dinheiro farto e fácil da CALVÁRIO, se transformaram num valhacouto de vagabundos inclinados a marginalizar quem não é marginal e a transformar corruptos em inocentes mediante paga.

Não sou de briga e se me virem agarrado com homem: são meus filhos. Sou adepto da teoria de que homem não se desmoraliza, não troco tapas, troco tiro!!!

Terça-feira irei começar a colheita das assinaturas para instaurar a CPI DO TOCO/IMPRENSA, não é de hoje que os maus profissionais dessa área precisam de enquadramento.

Terão que justificar contratos de pessoas jurídicas e físicas com entes públicos e o patrimônio incompatível com o que recebem.

Confira a nota do Sindicato dos Jornalistas:

SINDICATO DOS JORNALISTAS PROFISSIONAIS DO ESTADO DA PARAÍBA

NOTA

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Paraíba lamenta profundamente a iniciativa do deputado estadual Wallber Virgulino que anunciou a coleta de assinaturas para uma CPI da Imprensa da Paraíba. A entidade entende que se o parlamentar tem queixas em relação à atuação de algum profissional ou veículo de comunicação deve citar os nomes e os fatos desabonadores cometidos por um ou outro para que sejam apurados no Conselho de Ética do Sindicato ou mesmo pela FENAJ.

Por outro lado, o Sindicato repudia totalmente as práticas não condizentes com o Código de Ética e a responsabilidade social dos jornalistas e defende que estas sejam apuradas com amplo direito à defesa e, caso procedentes, punidas exemplarmente.

A DIRETORIA

 

Portal WSCOM

 

 

Wallber Virgolino se mostra contrário a programa habitacional do Governo da PB e promete barrar na ALPB

O Programa Parceiros da Habitação, lançado pelo Governo do Estado, e que deve beneficiar cerca de mil famílias paraibanas, corre o risco de ser barrado na Assembleia Legislativa da Paraíba. É que o deputado Wallber Virgolino garantiu se colocar contra a construção das unidades habitacionais.

Na oposição ao governo de João Azevêdo, o deputado estadual Wallber Virgolino avisa que irá ser um obstáculo no caminho para a aprovação do projeto do Governo do Estado que visa construir mil casas.

De acordo com o texto, através do Programa Parceiros da Habitação, inicialmente, 174 casas serão construídas em três cidades paraibanas: João Pessoa, Remígio e Barra de São Miguel. A matéria prevê que a Cehap fiscalize as obras que serão executadas através de parcerias do Governo da Paraíba com os municípios, movimentos de moradia, entidades públicas ou privadas e mutuários.

Virgolino, no entanto, questiona o projeto e alega que o montante disponibilizado não seria suficiente para a construção das casas. O deputado garantiu que no retorno dos trabalhos da ALPB irá pedir vistas ao projeto. “Já adianto meu voto na ALPB: vou pedir vistas do projeto e exigir explicações e suplementação por parte do Governo do Estado” disse.

Ao PB Agora, o secretário de Estado da Infraestrutura, Deusdete Queiroga, declarou que a Paraíba, atualmente, não tem, oriundo do Governo Federal, nenhum programa habitacional e o Programa Parceiros da Habitação nasce de um pedido feito pelas entidades que representam paraibanos em busca de moradia. “O Governador João Azevedo resolveu destinar no mínimo 15 milhões de reais para construir pelo menos 1.000 casas populares para atender a famílias com renda de até 3 salários mínimos, em parceria com as prefeituras, os movimentos para moradia e os beneficiários das casas”, disse.

Deusdete esclareceu que o “Parceiros da Habitação” foi detalhadamente estudado pela CEHAP, que tem grande experiência no setor habitacional, e também avaliado pela Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos. “Entendemos que o programa, como está proposto e foi lançado pelo Governador João Azevedo, atenderá aos seus objetivos, e se precisar de algum ajuste, poderá ser ajustado durante a implantação dos três primeiros conjuntos habitacionais.”

Caso a matéria seja aprovada na Assembleia, cerca de mil famílias paraibanas serão beneficiadas.

 

PB Agora