Arquivo da tag: Volkswagen

Volkswagen faz recall de 54.170 unidades de 8 modelos no Brasil; motor pode desligar

A Volkswagen anunciou nesta sexta-feira (5) recall de Gol, Voyage, Saveiro, Up!, Fox, CrossFox, SpaceFox e Space Cross. De acordo com a montadora, 54.170 unidades podem sofrer pane elétrica, por falha no alternador, defeito que pode ocasionar até o desligamento do motor.

As unidades foram fabricadas entre 1º de março de 2016 e 12 de janeiro de 2017. A data de início de atendimento será no dia 10 de maio e a empresa convoca os proprietários a fazer o agendamento para a inspeção do alternador dos veículos. Se necessário, haverá a substituição gratuita da peça.

VEJA OS CHASSIS ENVOLVIDOS

  • UP! (2016 e 2017): GT548567 a HT523246
  • Gol, Voyage e Saveiro (2016 e 2017): GP102025 a HP501022 e HT000039 a HT042350
  • Fox e CrossFox (2016 a 2017): G4065578 a H4021703
  • SpaceFox e Space Cross (2017): HA512059 a HA513061

Segundo a montadora, foi constatada a possibilidade de inoperância do alternador que, nestes casos, deixa de gerar energia para a bateria e para o sistema elétrico do veículo.

Em situações que a carga da bateria não for suficiente para o funcionamento do veículo, poderão ocorrer panes elétricas e até mesmo o desligamento do motor, o que pode causar acidentes com danos físicos e materiais aos ocupantes e terceiros, informou a Volkswagen, em comunicado.

Volkswagen Up! (Foto: Caio Kenji/G1)Volkswagen Up! (Foto: Caio Kenji/G1)

O tempo de reparo estimado é de 3 horas. A empresa disponibiliza o telefone 0800 019 8866 e o site www.vw.com.br para mais informações.

Volkswagen Voyage (Foto: Divulgação)Volkswagen Voyage (Foto: Divulgação)
Volkswagen Saveiro  (Foto: Divulgação)Volkswagen Saveiro (Foto: Divulgação)
Volkswagen Fox  (Foto: Divulgação)Volkswagen Fox (Foto: Divulgação)

Auto Esporte

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Quem bebe menos? Volkswagen Up! TSI x Honda CG Titan 160

(FOTO: MARIO VILLAESCUSA / AUTOESPORTE)
(FOTO: MARIO VILLAESCUSA / AUTOESPORTE)

Qual sua preferência para rodar quase 90 km por ruas e estradas: gastar R$ 13 para ir de carro ou R$ 5,32 usando uma moto? Para ajudar na decisão, avaliamos o consumo dos novos Volkswagen up! TSI e da Honda CG Titan 160. Lançada em agosto, a versão apimentada do up! vem com motor 1.0 três cilindros turbo flex e injeção direta de combustível. Com preço inicial de R$ 48.470*, trata-se de uma das melhores amostras de downsizing no Brasil, de motores pequenos que consomem pouco e rendem muito. Já a Honda surgiu com uma nova CG Titan – líder de mercado há quase 40 anos –, uma moto que, apesar do design levemente atualizado, traz outro propulsor flex, agora de 162,7 cm³.

Nos dois lançamentos, a engenharia se orgulha dos resultados. Roger Guilherme, do Powertrain da Volks, afirma que o motor do up! “foi um projeto que passou suave nos (severos) testes de fábrica”. Alfredo Guedes, da Honda, sinaliza que “o novo propulsor monocilíndrico oferece menor consumo e maior torque”.

CG e up! são compactos e gastam muito pouco combustível. Para comprovar isso, medimos o consumo das versões top de linha em um circuito com trechos de cidade e estrada.Enquanto o speed up! custa R$ 53.880* e rende 105 cv com etanol, a CG 160 Titan sai por R$ 9.290 e desenvolve 15,1 cv com o mesmo combustível.

Quem bebe menos? Volkswagen up! TSI x Honda CG Titan 160 (Foto: Mario Villaescusa / Autoesporte)

O teste ocorreu num sábado de trânsito tranquilo, só com álcool nos tanques – ao custo de R$ 2,49 o litro. A pilotagem foi de uso econômico, com preferência para as marchas mais altas, motores em rotação mais baixa, além de acelerações suaves e lineares, sempre que o trânsito permitia. No up!, não usamos o ar-condicionado.

O trajeto partiu da zona sul de São Paulo até o aeroporto de Guarulhos, voltando ao mesmo local e totalizando 89,5 km. Detalhe importante: a moto acompanhou o carro durante todo o percurso, não aproveitando os corredores entre os carros nas ruas, e os condutores tinham peso similar, em torno de 75 kg. Com os tanques cheios, saímos pela avenida Indianópolis, seguindo para a avenida Juscelino Kubitschek, marginais Pinheiros e depois Tietê. O trecho urbano teve cerca de 18 km, sempre respeitando os limites de velocidade das vias e das marginais, de parcos 70 km/h nas pistas expressas. Pode ser monótono, mas favorece a economia, principalmente com o tráfego fluindo bem. Da Marginal Tietê, pegamos a rodovia Presidente Dutra até o acesso para o aeroporto.

No Volks, usando marchas mais altas, o motor 1.0 flex trabalhava entre 1.500 e 2000 rpm.Manter baixa rotação no up! é simples. Graças ao turbo de baixa inércia, o tricilíndrico fornece 16,8 kgfm de torque a apenas 1.500 rpm. Já na CG se trocava as marchas com o motor em torno de 3.500 rpm – seu torque máximo é de 1,54 kgfm a 6.000 rpm –, com rotação por volta de 4.000 a 4.500 rpm.

Quem bebe menos? Volkswagen up! TSI x Honda CG Titan 160 (Foto: Mario Villaescusa / Autoesporte)

CG e up! usam transmissões longas, o que ajuda o motor a girar pouco e ser econômico. Em nenhum momento os veículos atrapalharam o trânsito. Na pista lateral da Dutra, a velocidade ficou em 90 km/h, com o up! em quinta marcha e o motor girando a pouco mais de 2.000 rpm. Na Honda, a rotação ficou em torno de 6.300 rpm na quinta e última marcha.

Saindo da Dutra pela rodovia Hélio Smidt, com tráfego fluindo bem, a velocidade foi de 80 km/h até o retorno no novo terminal internacional do aeroporto. A volta foi pela Dutra, Marginal Tietê e avenidas Tiradentes e 23 de Maio, para finalizar o trajeto no mesmo posto, onde os veículos foram abastecidos para aferir o consumo.

Com 1h54 de duração, o teste revelou velocidade média de 47 km/h. O trajeto teve 17,5 km de ruas e avenidas, 34 km nas marginais e 38 km de rodovias, totalizando os 89,5 km.  Os consumos surpreenderam: a moto consumiu 2,14 litros de etanol e o up!, 5,24 litros. Ou seja, o VW turbinado percorreu 17,1 km/l, ao custo de R$ 13,04; contra média de 41,8 km/l da CG (ao valor de R$ 5,32). O carro gastou quase 2,5 vezes mais combustível que a moto, uma média excelente diante do peso oito vezes maior.

A CG tem tanque para 16,1 litros, enquanto o up! traz reservatório para 50 litros. Nos dois veículos são usados pneus ligeiramente mais largos em relação às suas versões mais básicas: o TSI traz Hankook 185/60 R15 do tipo “verde”, de baixo atrito, enquanto a CG vem com pneu traseiro Pirelli radial 100/80 R18.

Motor da Honda CG Titan 160 (Foto: Mario Villaescusa / Autoesporte)

A CG Titan é a única versão com conta-giros no painel digital, o que ajudou a manter a rotação do motor mais baixa e constante. Mais pesada da linha, essa motocicleta tem 121 kg e traz frenagem combinada, que atua até 30% no freio dianteiro quando se pressiona o pedal do traseiro. O speed up!, também mais pesado que outras versões, chega aos mil quilos. Mesmo assim, o novo motor turbo garantiu ótimo consumo. Seus injetores de alta pressão disparam o combustível diversas vezes durante cada explosão do motor, pulverizando a menor quantidade possível para a queima correta. No fim, os dois comprovaram notável economia, com credenciais suficientes para serem chamados de veículos ecologicamente corretos.

O segredo da economia
Acompanhado de transmissão com terceiro ponto de fixação junto ao motor turbo, além de freios e suspensões redimensionados, o pacote TSI custa R$ 3.500 a mais para as versões de topo do up! A eficiente mecânica deu a ele o status de carro mais econômico do Brasil nas medições do Inmetro. Já a CG usa mecânica totalmente nova, herdada que debutou na Bros, de uso misto, no início do ano. Em relação ao antigo motor, a cilindrada e a taxa de compressão aumentaram (9,5:1) e o software da injeção eletrônica foi aprimorado, com o injetor de combustível mais próximo de sua entrada no motor. Isso favorece uma pulverização mais eficiente da mistura e a economia de combustível.

Como gastar pouco com combustível
Além de pneus calibrados e manutenção em dia, deve-se evitar acelerações desnecessárias, como “esticar o motor” diante de um semáforo prestes a fechar. Com o trânsito fluindo, mantenha aceleração constante e linear. Use a primeira marcha só para começar a movimentar o veículo e utilize ao máximo as marchas mais altas, que fazem o motor girar menos para a mesma velocidade. Quanto menor a rotação, melhor será o consumo. Para a moto valem as mesmas dicas. E, claro, usar combustível de qualidade irá ajudar tanto o consumo quanto o desempenho do veículo.

Ficha Técnica: CG Titan 160
Motor: OHC, monocilíndrico, 4 tempos, arrefecido a ar, flex
Cilindrada: 162,7 cm³
Potência: 14,9/15,1 cv a 8.000 rpm
Torque: 1,40/1,54 kgfm a 6.000 rpm
Câmbio: 5 marchas
Suspensão: Garfo telescópico (dianteira) e balança com dois amortecedores (traseira)
Freios: Disco de 240 mm (dianteira) e tambor de 130 mm (traseira)
Pneus: 80/100 R18 (dianteira) e 100/80 R18 (traseira)
Dimensões: comprimento: 2,03 m; largura: 73,9 cm; altura: 1,08 m
Tanque: 16,1 litros
Peso: 121 kg

Motor do Volkswagen up! TSI (Foto: Mario Villaescusa / Autoesporte)

Dados da Montadora: up! TSI
Motor: dianteiro, transversal, 3 cil. em linha, 12V, comando duplo, turbo, intercooler, injeção direta, flex
Cilindrada: 999 cm³
Potência: 101/104 cv a 5.000 rpm
Torque: 16,8 kgfm a 1.500 rpm
Câmbio: manual de 5 marchas, tração dianteira
Direção: elétrica
Suspensão: Indep. McPherson (dianteira) e eixo de torção (traseira)
Freios: discos ventilados (dianteira) e tambores (traseira)
Pneus: 185/60 R15
Dimensões: comprimento: 3,64 m; largura: 1,64 m; altura: 1,50 m e entre-eixos: 2,42 m
Tanque: 50 litros
Porta-malas: 285 litros (fabricante) e 262 litros (aferido AE)
Peso: 1.000 kg

Teste
Aceleração

0 – 100 km/h: 9,5 s
0 – 400 m: 13,1 s
0 – 1.000 m: 30,6 s
Velocidade a 1.000 m: 172 km/h
Velocidade real a 100 km/h: 96

Retomada
40-80 km/h (3ª m): 6,4 s
60-100 km/h (4ª m): 8,8 s
80-120 km/h (5ª m): 12,5 s

Frenagem
100 – 0 km/h: 41,5 m
80 – 0 km/h: 27,5 m
60 – 0 km/h: 16,2 m

Consumo
Urbano: 16,7 km/l
Rodoviário: 21,7 km/l
Média: 19,2 km/l
Aut. em estrada: 1.085 km

* Preços atualizados em: 15/08/2016

revistaautoesporte

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Volkswagen coloca 8 mil funcionários em férias coletivas

wolksO Sindicato dos Metalúrgicos do ABC informou que cerca de 8 mil funcionários da Volkswagen em São Bernardo do Campo (SP) entraram em férias coletivas nesta segunda-feira(4). Por meio de nota, a montadora confirmou o uso da ferramenta de flexibilização para “adequar o volume de produção à demanda do mercado”, mas não forneceu mais detalhes da manobra.

De acordo com o sindicato, a linha de produção da unidade, que tem 13 mil funcionários, ficará parada por dez dias.
Na região do ABC, outras duas grandes montadoras adotaram a flexibilização para diminuir a produção. Segundo o sindicato, desde fevereiro a Ford colocou 424 metalúrgicos em banco de horas. Na Mercedes-Benz, após greve de cinco dias, 500 demissões foram suspensas e foi prorrogado o layoff (suspensão temporária dos contratos) até 15 junho.

Além disso, foi aberto um novo Programa de Demissão Voluntária (PDV). De acordo com a Mercedes, aproximadamente 750 trabalhadores estão no layoff na montadora.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

O último balanço da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) revela que o setor registra queda de 16,2% no acumulado do primeiro trimestre do ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. Apesar do resultado negativo na comparação anual, o setor registrou alta de 22,9% entre fevereiro e março. Os cinco dias úteis a mais de março ajudam a explicar a elevação.

A Ford foi procurada para comentar os dados apresentados pelo sindicato, mas não houve retorno até a publicação da matéria.

Agência Brasil

Volkswagen Fox Pepper chega às lojas por R$ 53.500

volkswagen-fox-pepperApós ser apresentado como conceito no Salão do Automóvel, em outubro do ano passado, e ter passado pelo teste de aprovação do público, o Fox Pepper chega às lojas este mês por a partir de R$ 53.500.

Baseado na versão topo de linha Highline (R$ 52.180), o hatch tem pequenas diferenciações no visual, que, segundo a Volkswagen, têm a intenção de conferir um visual mais esportivo ao modelo. É o caso dos faróis escurecidos, dos para-choques ligeiramente mais robustos, da ponteira do escapamento cromada e da grade dianteira em formato colmeia e com friso vermelho, que remete ao Golf GTI.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Como o Fox Highline, o Pepper traz debaixo do capô o motor 1.6 MSI flex de 120 cv de potência associado ao câmbio manual de seis marchas da marca. É um conjunto acertado, mas poderia ser um pouco mais apimentado, para reforçar a ideia de uma versão mais esportiva.

Volkswagen Fox Pepper (Foto: Divulgação)

Os equipamentos de série ofertados pelo modelo são semelhantes ao da versão topo de linha. Fazem parte da lista itens como direção elétrica, sensor de estacionamento, sistema multimídia com tela sensível ao toque de 5,5 polegadas com rádio, Bluetooth e entrada USB, além do assistente de partida em rampa e os controles eletrônicos de estabilidade e tração. Lembrando que mesmo no Fox Highline o controle de estabilidade é um opcional vendido por R$ 1.200.

Confira os preços da linha Fox:

VW Fox Trendline 1.0  – R$ 38.510
VW Fox Trendline 1.6 – R$ 42.850
VW Fox Comfortline 1.0 – R$ 41.070
VW Fox Comfortline 1.6 –  R$ 44.830
VW Fox Comfortline 1.6 I-Motion – R$ 48.190
VW Fox Highline 1.6 – R$ 52.160
VW Fox Highline 1.6 I-Motion – R$ 55.540
VW Fox Pepper 1.6 – 53.500

 

 

 

revistaautoesporte

Volkswagen Gol: todos os preços, versões e custos

VOLKSWAGEN GOL (FOTO: FABIO ARO/AUTOESPORTE)
VOLKSWAGEN GOL (FOTO: FABIO ARO/AUTOESPORTE)

Nas últimas semanas, a Volkswagen reorganizou o posicionamento do Gol no mercado e eliminou algumas de suas versões. Além de ficar R$ 350 mais em conta, o modelo perdeu as opções de carroceria duas portas nas configurações 1.0 Comfortline, 1.6 Trendline e 1.6 Comfortline. No total, restam 10 variações, entre equipadas com motor 1.0 e 1.6, com câmbio manual e automatizado, e incluindo os modelos Rallye e Track. Os preços variam entre R$ 32.140 e R$ 55.080. Confira todos os preços, versões e custos do Volkswagen Gol.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Versões e itens de série

Gol 1.0 Trendline – R$ 32.140
Vidros dianteiros e travas elétricos, preparação para sistema de som, rodas de 14 polegadas, banco do motorista com ajuste de altura, banco traseiro com encosto rebatível, desembaçador do vidro traseiro, retrovisores e maçanetas pretos e para-choques na cor do carro.

Gol 1.0 Track – R$ 36.500
Mesmos itens da versão 1.0 Trendline e adiciona direção hidráulica, retrovisores com repetidores de seta, faróis e lanterna de neblina, aerofólio traseiro, moldura nas caixas de roda e soleiras, suspensão elevada, tampa do porta-malas com abertura elétrica e chave canivete.

Gol 1.0 Comfortline – R$ 36.940
Mesmos itens da versão 1.0 Trendline e adiciona computador de bordo, sistema de som com rádio, CD, MP3, USB, entrada auxiliar e conexão Bluetooth, sistema de aquecimento, direção hidráulica, retrovisores e maçanetas na cor do carro, retrovisores com repetidor de seta, tampa do porta-malas com abertura elétrica e chave canivete.

Gol 1.6 Trendline – R$ 38.820
Mesmos itens da versão 1.0 Trendline. Ganha motor 1.6 de 104 cv.

Gol 1.6 Comfortline – R$ 41.940
Mesmos itens da versão 1.0 Comfortline. Ganha motor 1.6 de 104 cv.

Gol 1.6 Comfortline I-Motion – R$ 44.920
Mesmos itens da versão 1.6 Comfortline. Ganha câmbio automatizado de cinco velocidades.

Gol 1.6 Highline – R$ 49.030
Mesmos itens da versão 1.6 Comfortline e adiciona ar-condicionado, vidros traseiros elétricos, volante multifuncional, ajuste de altura e profundidade do volante, ajuste elétrico dos retrovisores, função Tilt-down no retrovisor do passageiro, sensor de estacionamento traseiro, frisos cromados, pedaleiras esportivas, rodas de liga-leve de 15 polegadas.

Volkswagen Gol Rallye 2015 (Foto: Divulgação)

Gol 1.6 Rallye – R$ 52.040
Mesmos itens da versão 1.6 Highline, mas com motor 1.6 de 120 cv. Adiciona faróis auxiliares com dupla função, molduras nas caixas de roda e soleiras, rodas de liga-leve de 16 polegadas e pintadas de preto e suspensão elevada.

Gol 1.6 Highline I-Motion – R$ 52.070
Mesmos itens da versão 1.6 Highline. Ganha câmbio automatizado de cinco velocidades com aletas atrás do volante.

Gol 1.6 Rallye I-Motion – R$ 55.080
Mesmos itens da versão 1.6 Rallye. Adiciona câmbio automatizado de cinco velocidades e aletas atrás do volante.

Cores

Sólidas – R$ 0 
Branco Cristal
Cinza Marine
Preto Ninja
Vermelho Flash

Metálicas – R$ 1.151
Azul Night
Cinza Quartzo
Prata Lunar
Prata Sirius
Vermelho Ópera

Volkswagen Gol (Foto: Divulgação)

Revisões

10 mil km 20 mil km 30 mil km 40 mil km 50 mil km 60 mil km
1.0 sem ar-condicionado R$ 236 R$ 236 R$ 236 R$ 236 R$ 236 R$ 236
1.0 com ar-condicionado R$ 236 R$ 236 R$ 236 R$ 236 R$ 236 R$ 246,77
1.6 sem ar-condicionado R$ 236 R$ 236 R$ 246,73 R$ 236 R$ 236 R$ 246,73
1.6 com ar-condicionado R$ 236 R$ 236 R$ 279 R$ 236 R$ 236 R$ 279,62
1.6 Rallye R$ 236 R$ 267,55 R$ 264,82 R$ 267,55 R$ 236 R$ 297,46

 

Cesta de peças

Peça Preço
Retrovisor direito R$ 181,80
Farol direito R$ 420,83
Para-choque dianteiro R$ 569,29
Lanterna traseira direita R$ 167,43
Filtro de ar (elemento) R$ 17,55
Jogo de 4 amortecedores R$ 781,26
Pastilhas de freio dianteiras R$ 209,75
Filtro de óleo do motor R$ 19,30
Filtro de combustível R$ 14,60
Total R$ 2.381,81

 

Opcionais

Ar-condicionado – R$ 2.930
Aquecimento – R$ 489
Suspensão elevada – R$ 489
Direção hidráulica – R$ 1.226
Kit com econômetro, indicador de troca de marchas e pneus de baixa resistência ao rolamento – R$ 375
Kit com sistema de som com rádio, CD, MP3, USB, entrada auxiliar, conexão Bluetooth, volante multifuncional e computador de bordo – R$ 1.240
Revestimento em couro – R$ 687
Rodas de liga-leve de 16 polegadas – R$ 1.383
Kit com controle de velocidade, espelho retrovisor eletrocrômico e sensores crepuscular e de chuva – R$ 780

Acessórios

Sensor de estacionamento traseiro – R$ 368,59
Kit de alarme – a partir de R$ 228,43
Revestimento em couro – R$ 1.448,43
Faróis de neblina – a partir de R$ 844,19
Kit de calhas de chuva – a partir de R$ 89,65
Kit com 4 vidros elétricos – R$ 1.630,73
Kit com 4 travas elétricas – R$ 657,61

 

revistaautoesporte

Volkswagen muda preço do Gol 2015

Volkswagen/Divulgação
Volkswagen/Divulgação

A Volkswagen readequou a linha do Gol 2015 com alterações de preço e eliminação de algumas versões. A marca também está oferecendo plano de financiamento com taxa zero e primeira parcela para 2015.

O hatch passa a contar com 10 diferentes configurações, entre as motorizações 1.0 e 1.6, com variação de preço que parte de R$ 32.140 e vai até R$ 55.080.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A carroceria de duas portas não conta mais com o moto 1.6 e está disponível apenas na Trendline 1.0, justamente a mais barato do Gol. Na intermediária 1.6 Comfortline, por exemplo, o desconto chega a R$ 550. A versão topo de linha, Rallye, teve aumento de R$ 710.

Confira os novos preços, com os valores anteriores ao lado.

Ficaram mais caros:

 

Gol 1.0 Track 4P         R$ 36.500 R$ 36.030

Gol 1.0 Comfortline 4P  R$ 36.940  R$ 36.460

Gol 1.6 Comfortline 4P  R$ 41.940  R$ 41.390

Gol 1.6 Comfortline I-Motion 4P  R$ 44.920  R$ 44.340

Gol 1.6 Highline 4P  R$ 49.030  R$ 48.270

Gol 1.6 Highline I-Motion 4P  R$ 52.070  R$ 51.270

Gol 1.6 Rallye 4P  R$ 52.040  R$ 51.370

Gol 1.6 Rallye I-Motion 4P  R$ 55.080  R$ 54.370

Mais baratos:

Gol 1.0 Trendline 2P  R$ 32.140 R$ 32.490

Gol 1.0 Trendline 4P  R$ 34.110  R$ 34.420

Gol 1.6 Trendline 4P  R$ 38.820  R$ 39.350

 

Estadão

Volkswagen lança novo Fox e Saveiro cabine dupla

VOLKSWAGEN FOX 2015 (FOTO: FABIO ARO)
VOLKSWAGEN FOX 2015 (FOTO: FABIO ARO)

A Volkswagen apresentou nesta segunda-feira (18) o Fox reestilizado e a versão com cabine dupla da picape Saveiro. Enquanto o hatch aposta em visual renovado e pacote tecnológico mais recheado, a picape quer acirrar a briga no segmento das médias oferecendo maior espaço para quem vai no banco de trás. Informações sobre preços e versões serão divulgadas ainda esta noite.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O novo Fox terá quatro versões, que recebem diferentes opções de motores e câmbios. A principal novidade fica por conta da inédita transmissão manual de seis velocidades, que é item de série na versão topo de linha Highline, com motor 1.6. A nova caixa de câmbio foi produzida a partir da anterior, de cinco velocidades, e, apesar de ter ficado 3,2 kg mais pesada, promete diminuir o consumo de combustível do modelo.

Volkswagen Fox 2015 (Foto: Fabio Aro)

Outra novidade é a inclusão do motor EA211 1.6 de até 120 cv de potência, que já era oferecido em algumas versões do Gol e da Saveiro. Ele também equipará a versão Highline do hatch, que contará com opção de câmbio automatizado I-Motion. Segundo a montadora, este câmbio passou por aperfeiçoamentos para diminuir os trancos nas mudanças de marchas, que são bastante perceptíveis em outros modelos, como o Voyage e o up!.

As versões mais básicas Trendline e Comfortline do Fox seguem sendo oferecidas com motor 1.0 de 76 cv ou 1.6 de 104 cv, ambos com transmissão manual de cinco velocidades. A configuração Comfortline também poderá ser comprada com o motor 1.6 acoplado ao câmbio automatizado de cinco marchas I-Motion. A Highline será sempre equipada com o novo 1.6 de 120 cv e poderá ter câmbio manual de seis velocidades ou automatizado de cinco. Já a configuração Bluemotion segue equipada com o motor 1.0 de 82 cv e transmissão manual de cinco velocidades. Cada configuração tem um visual de interior diferente.

Volkswagen Fox 2015 (Foto: Fabio Aro)

A VW equipou as versões mais completas do novo Fox com novo pacote tecnológico para conquistaros consumidores, mas deixou alguns itens, como ar-condicionado, de fora da listagem de série da versão de entrada. Desde a básica Trendline, o carro conta com itens como direção elétrica, volante com ajuste de altura e profundidade, vidros dianteiros elétricos, chave canivete, rodas de aço de 15 polegadas, ajuste de altura do banco do motorista e bancos traseiros rebatíveis. A versão Comfortline ganha computador de bordo, vidros traseiros também elétricos, sistema de som, retrovisores elétricos com repetidores de seta, faróis e lanternas de neblina, sistema de aquecimento, entre outros.

Quem fizer questão de ar-condicionado de série, por exemplo, terá que partir para a configuração topo de linha, que ganha também roda de liga-leve de 15 polegadas, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, volante multifuncional em couro, controle de tração, sistema multimídia, pedaleiras esportivas e ponteira de escapamento dupla. O sistema de refrigeração da cabine será oferecido como opcional para as versões mais básicas, mas a Volks ainda não divulgou quanto custará.

No visual, o carro ganhou linhas mais agressivas, que o aproximam do visual da atual geração do Golf. Entre os principais destaques estão os faróis, com dois canhões quadrados e sinalizadores de setas mais finos, além de grade e tomadas de ar mais invocadas.

Malagrine (Foto: Editora Globo)

Saveiro cabine dupla

Já a versão cabine dupla chega para complementar o restante da linha da Saveiro, que continua sendo vendida com cabine simples e estendida. Com a nova carroceria, a Volkswagen pretende oferecer “capacidade para acomodar cinco adultos confortavelmente”, em comparação à rival Strada, mas o espaço traseiros é bastante justo. O modelo mira a segunda principal fatia de vendas do segmento, da qual a VW estava fora. Segundo números da montadora, atualmente 53% das picapes médias vendidas têm cabine simples, 19% estendida e 28% dupla.

A picape fabricada em São Bernardo do Campo (SP), contará com os motores 1.6 de 104 cv ou 120 cv de potência (na versão Cross). O câmbio é sempre manual de cinco velocidades. Esta configuração da picape contará com três versões: Trendline, Highline e Cross. Apesar de não contar com uma porta extra (como a rival Strada) ou duas portas a mais, a Saveiro consegue manter um acesso fácil aos bancos de trás. Isso porque os engenheiros da marca explicam que as portas dianterias têm as mesmas dimensões do Gol duas portas.

Malagrine (Foto: Editora Globo)

A mais básica é equipada de série com direção hidráulica, freios a disco nas quatro rodas, rodas de aço de 14 polegadas, ajuste de altura do banco do motorista, vidros e travas elétricas, desembaçador no vidro traseiro e sistema de amortecimento na tampa da caçamba. A versão Highline ganha sistema de som com volante multifuncional, lanterna traseira e faróis de neblina, ar-condicionado, retrovisores elétricos e rodas de 15 polegadas.

Os diferenciais da topo de linha Cross são regulagem de altura e profundidade do volante, sistema ABS off-road (antes exclusividade da Amarok), controle eletrônico de estabilidade, bloqueio eletrônico do diferencial, assistente de partida em rampa, controle de tração e sistema de assistência à frenagem, sensor de estacionamento, roda de liga leve de 15 polegadas e pneus para todo tipo de terreno, capota marítima e ganchos deslizantes.

Malagrine (Foto: Editora Globo)

Para conseguir manter 580 litros de capacidade da caçamba, a Volks posicionou o estepe debaixo do assoalho da picape, preservando o espaço de carga. Com 2,75 m de distância entre-eixos e posição do banco traseiro mais elevada, a montadora pretende acomodar melhor cinco passageiros na Saveiro cabine dupla. Mas, uma pessoa de cerca de 1,70 metro de altura viaja na parte de trás com o joelho pressionado contra o banco dianteiro. Por outro lado, há bastante espaço para a cabeça, já que os engenheiros da montadora fizeram uma espécie de lombada na lateral do teto. Assim, foi possível aumentar levemente a autura do carro e esconder o desnível atrás do rack.

Índice de reparabilidade

Ainda segundo a montadora, tanto o Fox quanto a Saveiro alcançaram bons resultados no índice Car Group. Desenvolvido pelo Cesvi Brasil, ele leva em consideração os carros mais baratos e fáceis de reparar. Alcançado índice 15, o Fox ficou atrás somente do up!, primeiro da listagem. Já a Saveiro é a líder na categoria picape compacta com cabine dupla.

 

revistaautoesporte

Fiat Pálio ultrapassa Volkswagen Gol nas vendas de julho

carrosA concorrência não está dando moleza para o Gol. Tradicional líder entre os hatches compactos, o modelo foi ultrapassado pelo Palio nas vendas de julho. Ao todo, o Volkswagen emplacou 14.347 unidades no mês, enquanto o Fiat comercializou 15.989 unidades, de acordo com relatório da associação de revendedores Fenabrave. É o segundo mês consecutivo que o Gol fica atrás do Palio nas vendas. No acumulado do ano, no entanto, o VW continua na liderança, com 107.949 unidades emplacadas. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o número representa uma queda de 24,7%.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Com uma diferença de apenas 332 unidades, o Onix está na cola do Gol. O Chevrolet encerrou o mês de julho na terceira posição do segmento, com 14.015 unidades emplacadas. Este é o melhor desempenho em vendas do hatch no ano. O Hyundai HB20 é o quarto colocado. O compacto, que recentemente entrou na linha 2015, ficou ligeiramente mais caro. Ainda assim, conseguiu emplacar 10.857 unidades, superando o resultado de junho.

Os 10 hatches compactos mais vendidos em julho:
1º Fiat Palio 15.989
2º Volkswagen Gol 14.347
3º Chevrolet Onix 14.015
4º Hyundai HB20 10.857
5º Ford Fiesta 10.591
6º Fiat Uno 9.613
7º Volkswagen Fox/CrossFox 7.284
8º Volkswagen up! 6.316
9º Renault Sandero 5.425
10º Toyota Etios 3.120

Reforçado pelas vendas do veterano Rocam, o Fiesta tem conseguido se manter entre os líderes de segmento desde a chegada da versão nacional do New Fiesta. O Ford foi o quinto hatch compacto mais vendido no mês e é o quarto no acumulado do ano. Nas lojas, o modelo está sendo vendido com taxa zero de juros para o financiamento.

O Fiat Uno se recuperou do fraco desempenho que teve em junho, quando vendeu apenas 7.580 unidades. No último mês, o compacto emplacou 9.613 unidades. O modelo será reestilizado em breve, o que deverá ajudar a alavancar as vendas do hatch, que vem sofrendo desde a saída do Mille do portfólio.

O veterano Volkswagen Fox também ganhará nova versão em breve. Apesar de não ter o mesmo desempenho de anos atrás, o carro está conseguindo se manter entre os dez mais vendidos da categoria. Em julho, o hatch emplacou 7.284 unidades. O irmão mais novo up! parece ter, enfim, embalado um bom ritmo de vendas. No mês passado, o pequeno novato obteve o melhor resultado desde seu lançamento, com 6.316 unidades emplacadas.

Recém renovado, o Renault Sandero mantém o bom fôlego nas lojas, fechando o mês com 5.425 unidades vendidas. O Toyota Etios é o lanterna do grupo, na décima posição com 3.120 unidades emplacadas.

 

revistaautoesporte

Volkswagen Up! ou Fiat Uno: qual comprar?

Há quem diga que o up! é o Uno da Volkswagen. Nós discordamos. Mas se há uma semelhança comum entre ambos é a vontade em ganhar o mercado de hatches compactos de entrada. Apesar do Uno ocupar há anos os postos mais altos no ranking de mais vendidos do país, a Fiat, temendo perder espaço para o up!, baixou o preço de seu compacto em R$ 1.210. Na outra ponta, o up! chega como sucessor do fortíssimo Gol G4, posição que o enche de credibilidade. Para definir de vez as diferenças entre os hatches e definir qual deles é a melhor opção para sua garagem, promovemos um duelo entre up! e Uno, ambos em suas versões mais básicas, com quatro portas. Confira o resultado:

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Volkswagen Take up! 1.0 Fiat Uno Vivace 1.0
Volkswagen up! (Foto: Autoesporte) Fiat Uno (Foto: Fiat)
Preço
A partir de R$ 28.900 A partir de R$ 27.190
Motorização
É o segundo carro a adotar o motor tricilíndrico na gama da Volks. O propulsor 1.0 12V entrega 82 cv a 6.250 rpm, com etanol, enquanto o torque máximo é de 10,4 kgfm, alcançados a três mil giros. O câmbio é manual de cinco marchas. Motor 1.0 8V  flex de quatro cilindros em linha. A potência é de até 75 cv, entregues a 6.250 rpm, e torque máximo de 9,9 kgfm a 3.850 giros. O câmbio é manual de cinco marchas.
Desempenho
Se você procura um carro honesto para o tranco do dia a dia na cidade, o up! é uma boa pedida. Espertinho, o motor 1.0 de três cilindros faz um bom par com o câmbio manual, de engates curtos e precisos. O modelo tem fôlego para as retomadas e oferece boa estabilidade nas curvas. Peca pelo excesso de vibrações em marcha lenta. Em nosso teste de pista, o hatch alcançou os 100 km/h em 14,4 segundos. A velocidade máxima, de acordo com a fabricante, é de 165 km/h. O Uno não chega a decepcionar, mas não espere por um comportamento emocionante. Apesar do baixo peso (950 kg), o carro sofre em trechos mais exigentes e nas retomadas. Já em circuitos leves, o carrinho consegue desenvolver certa agilidade. Fica atrás do concorrente quando o assunto é estabilidade. O acerto do câmbio da Volks também é superior. Na pista de testes, o Fiat levou 16,7 segundos para atingir os 100 km/h. Segundo a marca, a velocidade máxima é de 153 km/h.
Principais itens de série
Por força da lei, o compacto traz airbag duplo frontal e freios ABS de série. E só. É um carro pelado. Vale investir em um pouco mais de conforto. O pacote com ar-condicionado, direção elétrica, vidros e travas elétricas sai por R$ 4.690, elevando o preço final para R$ 33.590. Assim como o rival da VW, o hatch da Fiat sai de fábrica apenas com freios ABS e airbag duplo frontal. Entre os opcionais, há o kit celebration 5 que, por R$ 4.964, adiciona ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricas e farol de neblina. O valor final do modelo equipado com o pacote é de R$ 32.154.
Espaço
O formato de caixa do up! favorece o espaço interno. São 2,42 m de entre-eixos, 1,50 m de altura e 3,60 m de comprimento. O porta-malas tem capacidade para 285 litros. É um bom número para o segmento. O Uno se equivale bastante ao up! no quesito espaço. O modelo tem 2,37 m de entre-eixos, 1,48 m de altura e 3,77 m de comprimento. O porta-malas comporta até 280 litros de bagagem. A referência entre os hatches compactos é o Hyundai HB20, com capacidade para 300 litros.
Conforto
A posição de dirigir do up! é um tanto quanto elevada, o que agrada quem gosta de ver o trânsito de cima e faz questão de enxergar a frente (curtinha) do carro. Quem viaja no banco da frente desfruta de bom espaço para as pernas. O teto elevado deve fazer a alegria dos mais altos. As suspensões bem acertadas e os pneus com rodas de aço de 13″ absorvem bem as irregularidades do piso. O Uno é mais gentil com os ocupantes do banco traseiro e a sensação de conforto é maior nele quando a cabine está lotada. Suas suspensões também são macias, mas o acerto que privilegia o conforto acaba comprometendo a um pouco estabilidade. Em um resumo simplista: o Uno é mais confortável para quem viaja atrás e o up! é uma delícia para quem guia.
Acabamento
Apesar de a posição dos comandos internos agradar, as saídas de ar são muito baixas. Não é fácil mexer em tudo  rapidamente, a posição do som é o único quesito em que o Palio ganha. Já o porta-malas tem quase nenhuma forração, permitindo que malas soltas batam na lataria e façam barulhos. Mesmo com isso, ainda tem soluções de projeto mais inteligentes. O acabamento do Uno também é bastante equivalente ao do up!. A Fiat caprichou mais no revestimento das portas. O console tem um design moderninho. Tal qual o rival, o quadro de instrumentos não oferece conta giros na versão avaliada.
Consumo
Economia de combustível é um dos chamarizes do motor de três cilindros. Embora a Volks divulgue média de 9,2 km/l na cidade, registramos 12,7 km/l durante os testes com o hatch em trecho urbano. Segundo dados do Inmetro, o Uno registra média de 8,3 km/l na cidade e 9,4 km/l em ciclo rodoviário, ambos com etanol. Durante o teste, os índices foram de 9,3 km/l e 12,2 km/l, respectivamente.
Segurança
É equipado com freios ABS com EBD e airbag duplo frontal. Ganhou nota máxima no teste de colisão do LatinNCAP. Em nosso teste de frenagem, a partir de 100 km/h, percorreu 44,45 metros até a imobilidade. Traz freios ABS com EBD e airbag duplo frontal. A versão avaliada não foi submetida aos testes do LatinNCAP. A partir de 100 km/h, o hatch percorreu 43 metros até a imobilidade, em aferição da AE.
Preço do seguro
A média é de R$ 1.300, o que corresponde a 4,5% do valor do carro. Valor médio de R$ 1.384, o equivalente a 5% do preço do modelo.
Cesta de peças
R$ 2.489. O pacote é composto por um farol (R$ 743), uma lanterna traseira (R$ 429), um retrovisor (R$ 180), um para-choque traseiro (R$ 674), filtro de ar (R$ 180), amortecedor (R$ 280) e pastilhas de freio (R$ 460).  A cesta de peças é levemente mais salgada que a do irmão Gol, com valor sugerido de R$ 2.120. R$ 1.679. Pacote composto por um farol (R$ 359), uma lanterna traseira (R$ 169), um retrovisor externo (R$ 134), um parachoque traseiro (R$ 436), filtro de ar (R$ 233), amortecedor (R$ 208) e pastilhas de freio (R$ 140).
Desvalorização
Ainda não é possível calcular, uma vez que o modelo não completou um ano de mercado. 8,4% no primeiro ano. É uma média melhor que a de muitos concorrentes do segmento.
Garantia e pós-venda
Três anos de garantia, sem limite de quilometragem. As seis revisões previstas em três anos saem por R$ 1.421, valor bem inferior ao Uno. Foi reconhecido pelo Cesvi como o modelo com o menor custo de reparo do país. Um ano de garantia, sem limite de quilometragem. Em média, são duas revisões por ano. Ao fim de três anos de uso, o pacote de seis revisões sairá por R$ 2.744.
E nas lojas?
Olhos abertos ao negociar o up! A novidade tem sido vendida com sobrepreço de até R$ 3.200. As taxas de financiamento ainda estão altas A própria Fiat baixou o preço do Uno recentemente na tentativa de fazê-lo mais atraente frente ao up!. Com bom tempo de mercado, é possível negociar descontos e, dependendo do valor de entrada, conseguir taxa zero para o financiamento.
Conclusão
Vencedor. Se destaca pelo desempenho superior e melhor dirigibilidade. Em linhas gerais, entrega um conjunto mais moderno que o rival da Fiat. A pontuação máxima no LatinNCAP também conta a favor, assim como a boa média de consumo de combustível. Mas fuja do sobrepreço. O Uno tem um poder de barganha melhor nas lojas, mas a manutenção e a cesta de peças mais caras que as do up! pesam contra. Perde este duelo também pelo desempenho inferior e por proporcionar menos diversão ao volante.

 

 

revistaautoesporte