Arquivo da tag: Você

Transpira bastante? Veja os tecidos ideais para você

A transpiração é um processo natural do corpo humano e, inclusive, bastante saudável, já que o suor tem o papel de regular a temperatura do corpo. No entanto, quando em excesso, é bem comum que cause incomodo.

Para disfarçar a transpiração, uma saída é apostar no tecido anti suor, em desodorantes especiais e também em tratamentos estéticos e médicos. A junção das três coisas, acredite, faz toda a diferença!

Neste artigo, falaremos apenas sobre uma das opções – a que, claro, está voltada para o papel da moda na vida das pessoas que possuem algum problema com sudorese excessiva.

Recomendamos ao leitor, no entanto, que também busque ajuda médica para entender melhor o funcionamento do seu corpo — e para buscar turbinar a sua qualidade de vida!.

Você sabia que existem tecidos anti odor? Se ainda não, mas gostaria de entender melhor a situação, confira o texto que preparamos para você abaixo.

Antes: o que pode causar o suor excessivo?

Durante as estações mais quentes do ano, é natural suar bastante. No entanto, se você sua a ponto de molhar a cama diariamente, sente as mãos molhadas durante todo o dia ou apresenta suor intenso até nos pés, faz sentido buscar opinião especializada.

Existe uma doença chamada hiperidrose, que atinge de 1% a 3% da população mundial, que é responsável por promover transpiração exacerbada.

Indivíduos com o problema tendem a suar exageradamente pelas mãos, pés e face, mesmo em ocasiões onde isso não faz muito sentido (locais muito frios, após um banho quente, espaços climatizados, etc).

O estresse também é um fator para a transpiração excessiva. Ele pode estar ou não atrelado à hiperidrose.

É uma doença incômoda por conta de seu impacto social, uma vez que os indivíduos afetados tendem a se sentir nervosos ou expostos por conta de sua condição. Pode ser tratada de diversas formas: tudo depende da severidade do caso e da decisão do médico responsável pela avaliação do quadro.

Quais são os melhores tecidos para quem transpira demais?

Existem algumas soluções inteligentes para bloquear o suor. Confira alguns materiais conhecidos não apenas pela sua beleza e durabilidade, mas pela alta capacidade de manter o corpo protegido dos odores da transpiração.

Poliamida com elastano

Costuma ser utilizado para a produção de artigos como calças, shorts saia (comuns durante a prática de atividade física e sensação nas academias), tops de malhação, bermudas e até mesmo em collants de dança.

Possui toque macio e alta capacidade de absorção do suor. Em geral, está bastante presente em peças para a prática de esportes.

Modal com elastano

Outra combinação material que é muito utilizada por atletas e praticantes de esportes em geral. O modal é capaz de absorver uma quantidade bastante significativa de umidade – e faz isso melhor do que o algodão, vale dizer -, o que permite que a pessoa tenha a sensação de que a pele está mais seca e confortável.

Não impede a respiração da pele, não tem o costume de causar grandes alergias e, como já comentamos brevemente, possui grande durabilidade. Só pontos positivos!

Viscose, poliamida e elastano

Chamado de Visco Air, o tecido produzido pela junção destes três materiais é bastante reconhecível: possui um visual “furado”, que dá um ar moderno, mas irreverente a qualquer produção.

Pode ser utilizado na prática esportiva, na composição de regatas e camisetas, mas pode funcionar em looks mais ousados durante o dia.

Não é uma peça, como se pode imaginar, feita para ambientes formais. Nada impede que seja colocada em um visual mais informal, no entanto, uma vez que o estilo hi-lo tem a tendência de unir peças casuais a elementos mais elegantes, estilosos, com aspecto mais “caro”. Aproveite!

Gaze

Esse tecido pode ser utilizado em camisas mais sociais. Embora não seja necessariamente anti suor, ele permite que a pele respire melhor e não tende a provocar ainda mais sudorese.

Pode compor visuais um pouco mais formais, especialmente se o tecido estiver presente em camisas bem cortadas, modeladas ao corpo de quem as estiver utilizando.

Para o dia a dia, pode estar presente em camisetas, vestidos e similares. Em dias de calor, é uma ótima opção!

Estas são algumas das melhores opções para pessoas que estão em busca de conforto e bem-estar e acreditam que, ao driblar a sudorese excessiva, se sentirão mais confiantes e mais dispostas. Aproveite!

 

Conteúdo Gear Seo

 

 

Descubra o que os seus sonhos eróticos dizem sobre você

O sonho é uma linguagem simbólica que nosso inconsciente -uma espécie de porão da mente, onde ficam guardados conflitos não resolvidos e desejos reprimidos – usa para se manifestar. Por essa razão, não tão temos controle o conteúdo desses sonhos.

Mas, para muitas pessoas, os sonhos eróticos podem ser a única maneira de expressar aquilo que elas sentem em relação ao sexo. A seguir, três especialistas falam sobre os tipos mais comuns: Carla Cecarello, sexóloga e coordenadora do projeto AmbSex (Ambulatório de Sexualidade) da Associação Brasileira de Sexualidade; Oswaldo Rodrigues Jr., sexólogo e coordenador do grupo de pesquisas do Instituto Paulista de Sexualidade e Amaury Mendes Junior, ginecologista e terapeuta sexual pela Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana.

Getty Images
imagem: Getty Images

Sonho erótico com celebridades
Você acorda e se dá conta de que sonhou com aquele ator de novela, de série ou, ainda, com a apresentadora do telejornal. De acordo com os especialistas, esse tipo de sonho erótico é bem comum, porque somos cercados de estímulos midiáticos. Eles podem indicar atração por algo específico daquele famoso: o corpo, o sorriso ou a maneira de se vestir, por exemplo. Até mesmo um personagem pode despertar desejo, por ser coerente com o que a pessoa gosta em um homem ou em uma mulher. Esse tipo de sonho só precisa ser olhado com mais cuidado se for muito frequente: isso pode indicar que para você, há poucos estímulos eróticos em pessoas que fazem parte do seu cotidiano.

Com ex-parceiros
O sonho pode indicar saudade, mas não da pessoa com quem termino, mas sim de alguma situação positiva que viveram juntos. Talvez o sexo fosse bom, mas a convivência difícil, por exemplo. Sonhar com o ex pede uma reflexão: o que eu tinha no relacionamento antigo que não tenho hoje? Posso conseguir isso com outra pessoa? Se já estiver com outra pessoa, vale pensar o que não está correspondendo às suas expectativas e chamar o parceiro para uma conversa – sem citar o sonho, de preferência.

Getty Images
imagem: Getty Images

Com o par
Algumas pessoas têm sonhos eróticos com o parceiro por estarem muito satisfeitas com a performance do casal na cama. Por outro lado, o mesmo sonho erótico pode ser uma forma de ressaltar algo que falta no sexo. É preciso refletir e conversar com o par sobre o que sentiu: um sonho que revele algo que ainda não fizeram pode indicar o caminho para o aperfeiçoamento e para a busca de uma sintonia sexual maior.

Em lugar público
O sonho pode revelar medo relacionado a uma situação em que você se sente pressionado ou culpado, diante da perspectiva de ser pego ao fazer algo que não considera correto. Pode até ser que a lembrança não tenha nada a ver com o sexo. Sonhar que é pego em flagrante durante a transa também pode indicar que você sentiria prazer ao ser surpreendido nessa situação.

Getty Images
Sonhar com sexo grupal pode revelar uma necessidade de se expressar sem julgamentosimagem: Getty Images

Sexo grupal
Pode revelar uma necessidade de se expressar no sexo de uma forma mais liberal, sem julgamentos ou impedimentos. Pode também indicar o desejo por alguém que domine ou conduza a transa de outra forma. É o tipo de sonho que não precisa ser compartilhado com o parceiro, sob o risco de ele não entender o que você realmente deseja. Mas é possível, sim, conversar sobre algo que descobriu: por exemplo, o desejo de ser mais cortejado antes do sexo.

Com um amigo ou parente
As pessoas com as quais sonhamos não são, necessariamente, as mesmas da vida real. Por isso, ao acordar de um sonho como esse é preciso se perguntar: essa pessoa que apareceu no sonho é realmente esse conhecido ou familiar? Ou representa outra pessoa, mesmo que tenha aparência diferente? O sonho também pode levar a outra reflexão: será que você precisa pensar em uma pessoa por não poder estar com outra?

Getty Images
imagem: Getty Images

Com pessoas do mesmo sexo
Esse sonho não indica atração homossexual. Pode significar, por exemplo, um desejo maior de compreensão: talvez você acredite que pessoas do mesmo sexo entendam melhor o que está sentindo. Assim como todo sonho, só é preciso procurar ajuda de um profissional se a situação for recorrente. Nesse caso, um especialista o ajudará a identificar o real motivo do sonho e até a analisar os desejos inconscientes.

 

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Mentir demais faz você se adaptar com a desonestidade

mentirosoSegundo estudos realizados, quando uma pessoa mente, são experimentadas várias sensações emocionais que fazem com ela se sinta mal.

Esses sentimentos podem ser medidas e são a base dos detectores de mentiras. Alguns pesquisadores demonstraram até que é possível derrubar com fármacos as barreiras fisiológicas contra a transgressão.

Um estudo realizado com estudantes de 1964, foi observado que quando tomavam um medicamento simpaticolítico, que bloqueia os sinais associados com o comportamento desonesto, tinham o dobro de probabilidade de enganar durante um exame do que aqueles que tomaram placebo.

Um grupo de pesquisadores da University College London comprovou que isso também ocorre com as sensações associadas a burlar as normas morais, um fenômeno que poderia explicar como se pode chegar a cometer atos desonestos graves a partir de outros que, a princípio, parecem irrelevantes.

Fonte: PavBlog

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Maria Lucia Fattorelli: Você está sendo roubado pela PEC 241

queda-economiaO governo e setores da grande mídia estão instalando um clima de terrorismo no país e fazendo uma tremenda lavagem cerebral na população, afirmando que se a PEC 241 não for aprovada o Brasil “quebra”, usando ainda o óbvio discurso de que é necessário controlar gastos. Óbvio! Afinal, quem seria contra controlar gastos?

As questões que não enfrentam são: O que está “quebrando” o Brasil? Que gastos estão de fato precisando ser controlados? O que a PEC 241 pretende fazer? O que está por trás dessa PEC 241? Por que não são enfrentadas as amarras que impedem que o Brasil, o país da abundância, garanta vida digna para todas as pessoas? É disso que vamos tratar nesse breve artigo.

O que está “quebrando” o Brasil?

O Brasil tem sido violentamente roubado pelo Sistema da Dívida.

Todos os anos, centenas de bilhões são subtraídos do orçamento federal para o inconstitucional pagamento de grande parte dos juros nominais – os mais elevados do mundo – e sequer sabemos quem são os credores, pois essa informação é sigilosa.

Mais algumas centenas de bilhões de reais vazam do orçamento para remunerar a sobra de caixa dos bancos, nas questionáveis operações denominadas “compromissadas” que já superam R$ 1 trilhão. Também não são revelados os beneficiários dessa despesa estimada em quase R$ 200 bilhões em 2015.

Outras centenas de bilhões de reais do orçamento federal se destinaram a cobrir prejuízos da política monetária suicida do Banco Central, tais como as bilionárias perdas com a farra dos contratos de swap cambial nos últimos anos (cujos beneficiários também são sigilosos); os prejuízos escandalosos de R$ 147,7 bilhões em 2009; R$48,5 bilhões em 2010, entre outros. Todos esses prejuízos do BC são transformados em “dívida pública”!

Também foram transformados em “dívidas públicas” montantes bilionários de dívidas privadas, dívidas prescritas e até passivos de bancos. Adicionalmente, diversas ilegalidades, ilegitimidades e até fraudes comprovadas inclusive por Comissões do Congresso Nacional fazem parte da chamada dívida pública desde a década de 70, passando por sucessivos governos desde então.

Esses mecanismos perversos e obscuros que “geram dívida pública” constituem a principal causa da crise fiscal que estamos enfrentando no país, pois a partir do momento em que a dívida é gerada, sobre ela passam a incidir os juros mais elevados do planeta, que são arbitrados pelo Banco Central.

O gasto com o Sistema da Dívida tem consumido quase a metade do orçamento federal anualmente, conforme dados oficiais. Em 2015, foram destinados 42,43% do Orçamento Geral da União, ou seja, R$ 962.210.391.323,00 para juros e amortizações:

Orçamento Geral da União 2015 (Executado) Total = R$ 2,268 trilhão

Fonte: SIAFI Elaboração: AUDITORIA CIDADÃ DA DÍVIDA

Grande parte desse pagamento é inconstitucional, pois decorre de manobra que contabiliza expressiva parcela dos juros nominais como se fosse “amortização”, burlando o disposto no art. 167, inciso III, da Constituição Federal, conforme denunciado pela CPI da Dívida Pública desde 2010.

Apesar dessa sangria, a dívida vem aumentando continuamente. Em 2015, por exemplo, a dívida pública federal interna aumentou R$ 732 bilhões, saltando de R$3,204 trilhões para R$3,937 trilhões em apenas 11 meses (31/01 a 31/12), conforme publicado pelo Banco Central .

Esse crescimento brutal da dívida não teve contrapartida alguma em investimentos efetivos, que ficaram restritos a apenas R$ 9,6 bilhões em 2015.

Toda a economia real encolheu em 2015. Passamos por preocupante processo de desindustrialização; queda no comércio; desemprego recorde, arrocho salarial e até o PIB do país diminuiu 3,8%, porém, os lucros dos bancos cresceram como nunca, conforme dados do próprio Banco Central:

Fonte: http://www4.bcb.gov.br/top50/port/top50.asp

Os bancos auferiram lucros de R$96 bilhões em 2015, ou seja, 20% a mais do que haviam lucrado em 2014, e esse lucro teria sido 300% maior se não tivessem feito a “reserva para créditos duvidosos” de R$183,7 bilhões:

O estratosférico lucro dos bancos quando toda a economia do país despenca é uma evidência de que está ocorrendo uma transferência de renda para o setor financeiro privado. A engrenagem que promove isso é o Sistema da Dívida, ou seja, a utilização do endividamento público às avessas; em vez de representar ingresso de recursos para investimentos geradores de desenvolvimento socioeconômico, tem servido para alimentar os mecanismos de política monetária suicida do Banco Central que, ao mesmo tempo, transferem bilhões aos bancos privados e geram dívida pública para toda a sociedade pagar…

Assim, o que está “quebrando” o Brasil é essa contínua sangria de quase metade do orçamento federal, anualmente, para o pagamento de juros extorsivos ao setor financeiro e a sigilosos investidores, incidentes sobre “dívidas” geradas sem contrapartida alguma, fruto de transformação de centenas de bilhões de reais de prejuízos da política monetária do Banco Central em “dívida pública”, além de outras operações ilegais e ilegítimas.

Nessa circunstância, surge a PEC 241, cujo objetivo explícito, mascarado de controle de gastos, é sacrificar todas as demais rubricas orçamentárias para destinar mais recursos ainda para essa chamada “dívida pública”, que nunca foi objeto de uma auditoria, como manda a Constituição Federal.

O que a PEC 241 pretende fazer?

Usando o óbvio discurso de que é necessário controlar gastos, a PEC 241 libera recursos à vontade, sem teto e sem limite, para o Sistema da Dívida.

A causa da explosão da dívida pública não tem sido, de forma alguma, um suposto exagero dos investimentos sociais (previdência, pessoal, saúde, educação, etc.), mas sim, a incidência de juros abusivos e a prática de questionáveis operações financeiras que beneficiam somente aos sigilosos investidores privados, gerando dívida pública sem contrapartida ao país.

Cabe registrar que no período de 2003 a 2015, acumulamos “superávit primário” de R$ 824 bilhões , ou seja, as receitas “primárias” (constituídas principalmente pela arrecadação de tributos) foram muito superiores aos gastos sociais, tendo essa montanha de dinheiro sido reservada para o pagamento da questionável dívida pública. Apesar do contínuo corte de investimentos sociais imprescindíveis à população, a dívida pública se multiplicou, no mesmo período, de R$ 839 bilhões ao final de 2002 para quase R$ 4 TRILHÕES ao final de 2015.

O relator da PEC 241/2016 “assinala que a Dívida Bruta do Governo Geral aumentou de 51,7% do PIB em 2013 para 67,5% do PIB em abril de 2016”, porém, não menciona as razões desse aumento, que não teve absolutamente nada a ver com os gastos sociais que essa PEC vai congelar por 20 anos, mas sim com o que ela deixa de controlar: os juros abusivos e os mecanismos financeiros ilegais que estão gerando dívida pública.

A PEC 241 pretende:

• Agravar ainda mais o privilégio da chamada “dívida pública” no orçamento federal, na medida em pretende congelar a destinação de recursos para todas as demais rubricas orçamentárias por 20 anos(!) para que tais recursos destinem-se à dívida pública;

• Amarrar todas as possibilidades de desenvolvimento socioeconômico do Brasil, devido ao aprofundamento do cenário de escassez de recursos para investimentos, ao mesmo tempo em que aumentará a transferência de recursos para o setor financeiro;

• “Legalizar” a burla que vem sendo praticada desde o Plano Real ao art. 167, inciso III, da Constituição Federal , na medida em que permitirá a destinação de toda e qualquer parcela de recursos para a chamada dívida pública;

• Deteriorar fortemente o atendimento aos direitos sociais no Brasil, 9a economia mundial que já amarga a vergonhosa 75a posição no ranking dos direitos humanos, segundo o IDH medido pela ONU;

• Privilegiar esquema fraudulento que está sendo implantado no país, mascarado da falsa propaganda de venda de créditos incobráveis (como a Dívida Ativa) que na realidade não saem do lugar e continuam sendo cobrados pelos órgãos competentes, tendo em vista que essa PEC 241 deixa fora do congelamento a destinação de recursos para “empresas estatais não dependentes” que operam esquema semelhante ao que quebrou a Grécia;

• Manter a gastança irresponsável com os maiores juros do mundo, incidentes sobre dívidas ilegais, ilegítimas e até fraudes denunciadas por diversas comissões do Congresso Nacional, e que nunca foram submetidas à auditoria prevista na Constituição.

A PEC 241 não irá resolver o problema do país, mas representará privilégio brutal para o setor financeiro privado e investidores sigilosos. É evidente que o gasto que precisa ser controlado no Brasil é o gasto com essa chamada “dívida pública”. Mas a PEC 241 faz o contrário.

O que está por trás dessa PEC 241?

Além de privilegiar a chamada “dívida pública” e continuar alimentando cada vez mais o Sistema da Dívida às custas do sacrifício de todas as demais rubricas orçamentárias, a PEC 241 privilegia esquema fraudulento semelhante ao que quebrou a Grécia .

Bem escondido no texto proposto pela PEC 241/2016 para o Art. 102, inciso V, parágrafo 6o, inciso IV do ADCT, encontra-se o privilégio de recursos, à vontade, sem teto e sem limite, para “empresas estatais não dependentes”.

Enquanto as empresas estatais estratégicas e lucrativas vêm sendo privatizadas há 20 anos no Brasil, estão sendo criadas em diversos estados e municípios, “empresas estatais não dependentes” que emitem debêntures com desconto brutal e pagam juros estratosféricos, com garantia estatal.

A empresa PBH ATIVOS S/A, por exemplo, foi criada por lei votada na Câmara de Vereadores de Belo Horizonte , com um capital autorizado de R$100.000,00. No entanto, R$100.000,00 corresponde ao valor de cada uma das debêntures emitidas por essa empresa, como demonstra informação extraída de sua página na internet:

Essas “empresas estatais não dependentes” são pessoas jurídicas de direito privado e operam escandaloso esquema de transferência de recursos públicos para o setor financeiro privado, tendo em vista que vendem, a investidores privilegiados, com desconto que pode chegar a 60%, debêntures com garantia real (dada pelos entes federados), pagando juros estratosféricos que podem ultrapassar 20% ao ano.

O rombo será enorme e, por tratar-se de empresas estatais, os entes federados serão chamados a honrar a garantia dada, gerando assim grandes volumes de obrigações onerosas que configuram dívida pública. Assim, esse mecanismo abusivo e inconstitucional gera dívida pública sem contrapartida alguma.

Esse esquema está mascarado por sedutora propaganda de que entes federados poderiam “vender”, “ceder” ou “novar” direitos de créditos de Dívida Ativa de difícil arrecadação.

Na prática, tais créditos continuam sendo cobrados por órgãos competentes (Procuradorias de Fazenda), e o que está sendo cedido de fato, pelos entes federados a “empresas estatais não dependentes”, é meramente uma garantia onerosíssima, sem contrapartida alguma, o que é ilegal! Os projetos de lei PLS 204/2016, PLP 181/2015 e PL 3337/2015 que tramitam no Congresso Nacional visam “legalizar” esse esquema, que irá provocar um enorme rombo nas contas públicas.

Esse negócio entrou no país por meio de consultorias especializadas, como a ABBA Consultoria e Treinamento por exemplo. O Sr. Edson Ronaldo Nascimento, responsável da ABBA, é também assistente consultor do FMI, Presidente da PBH Ativos S/A (empresa estatal não dependente de Belo Horizonte); Superintendente Executivo da Secretaria de Fazenda do Estado de Goiás; Secretário de Fazenda do Estado de Tocantins, entre outros cargos estratégicos ocupados no Distrito Federal e Secretaria do Tesouro Nacional. Assim o esquema ilegal se alastra.

É infame que a mesma PEC que engessa por 20 anos investimentos sociais em saúde, educação, assistência etc. privilegie a destinação de recursos à vontade, sem limite e sem teto algum, para alimentar esse esquema ilegal que gera dívida pública sem contrapartida, semelhante ao que quebrou a Grécia.

Por que não são enfrentadas as amarras que impedem que o Brasil, o país da abundância, garanta vida digna para todas as pessoas?

O Brasil é atualmente a 9a maior economia mundial e nossa realidade é de extrema abundância. O Brasil detém, por exemplo:

– A maior reserva de nióbio do mundo, mineral estratégico, empregado em aeronaves, satélites espaciais, usinas nucleares e equipamentos de última geração. O Canadá possui apenas 2% das reservas mundiais de nióbio e, com esse recurso, garante saúde e educação pública, gratuita e de excelente qualidade para a sua população. O Brasil possui 98% das reservas. A exploração atual é feita principalmente em Minas Gerais de maneira totalmente opaca, por empresa particular, embora a Constituição Federal estabeleça que os minerais são bens da União ;

– A terceira maior reserva de petróleo;

– A maior reserva de água potável;

– A maior área agriculturável e clima favorável, permitindo a produção de alimentos durante os 12 meses do ano;

– Riquezas minerais diversas e Terras Raras que só existem em nosso País;

– Riquezas biológicas: fauna e flora de incontáveis espécies;

– Extensão territorial continental, com a população plenamente integrada, pois falamos o mesmo idioma;

– Potencial energético, industrial e comercial;

– Imensa riqueza humana e cultural.

Possuímos também riquezas financeiras: Reservas Internacionais de US$ 375 bilhões; montante de R$1 trilhão esterilizado no Banco Central (operações compromissadas), e sobra de R$ 480 bilhões em 2015…

Nossa realidade de abundância nada tem a ver com o escandaloso cenário de escassez a que temos sido submetidos, com desemprego recorde, falta de recursos para o atendimento às necessidades sociais básicas e desarranjo econômico que tem levado ao encolhimento do PIB do gigante Brasil.

Esse cenário de escassez tem sido sustentado pelo modelo econômico concentrador de renda e riqueza que favorece atores privilegiados instalados no sistema financeiro privado e grandes corporações por meio de vários esquemas, como o Sistema da Dívida, o modelo tributário regressivo, a predatória exploração ambiental e ecológica, a desordenada política agrícola, sem falar nas brechas para o avanço dos lucros na exploração privada dos serviços de saúde, educação e previdência à medida em que tais serviços são sucateados por falta de recursos na rede pública.

Em vez de desmontar esse cenário de escassez e corrigir as distorções que tornam o gigante Brasil um dos países mais injustos do mundo, a PEC 241 aprofundará fortemente esse inaceitável cenário, inserindo no texto constitucional, por 20 anos, o favorecimento ainda mais escandaloso aos interesses sigilosos que usurpam nossas riquezas e impedem o nosso desenvolvimento socioeconômico.

A PEC 241 está roubando você e o país que você poderia e deveria ter. É urgente denunciar esse verdadeiro crime de lesa Pátria, enfrentar essas amarras que impedem o nosso desenvolvimento socioeconômico, a fim de garantir vida digna para todas as pessoas.

 

Maria Lucia Fattorelli é coordenadora Nacional da Auditoria Cidadã da Dívida.

Anfip

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

8 coisas que você precisa saber sobre a tuberculose

tosseVocê sabia que a tuberculose é uma doença infecciosa causada pela bactéria Mycobacterhium tuberculosis, também conhecida como bacilo de Koch? Para saber mais sobre essa doença, selecionamos algumas coisas para você. Confira:

1. A probabilidade de transmissão é tanto maior quanto maior for a gravidade do estado de saúde da pessoa contaminada. Assim que diagnosticam a doença, uma da primeiras medidas dos médicos é isolar o paciente.

2. O tratamento é feito com três drogas diferentes, basicamente a rifampicina, a isoniazida e a pirazinamida. Com o tempo, diminui-se a quantidade de drogas. Embora apresente melhoras, o paciente não pode de modo algum interromper o tratamento. O bacilo pode se tornar mais resistente e a doença mais difícil de tratar.

3. Segundo a Organização Mundial da Saúde, o número de novos casos entre os anos 2000 e 2020 poderá chegar a 1 bilhão em todo o planeta.

4. A situação é especialmente grave nos presídios russos, onde 10% da população carcerária contraiu tuberculose nos anos 2000. Consta que para cuidar dos pacientes, a Organização Mundial da Saúde viu-se obrigada a se unir à uma entidade com forte presença no sistema carcerária local: a máfia.

5. A interrupção do tratamento ao menor sinal de melhora está causando um problema de saúde pública gravíssimo. O paciente volta com o tempo a apresentar os sintomas da doença e a contaminar outras pessoas, dessa vez com bactérias mais resistentes aos antibióticos. O mais preocupante é que as bactérias estão vencendo o embate com a ciência, podendo criar novos e ainda mais alarmantes surtos da doença.

6. Calcula-se que surja em torno de 115 mil novos casos por ano no Brasil, embora nem todos sejam notificados pelo Ministério da Saúde.

7. A tuberculose é relativamente comum em pacientes com sistema imunológico debilitado. Portadores do HIV estão entre os grupos mais vulneráveis. Houve um aumento nos registros de casos em regiões com alta incidência de contaminados com o vírus da AIDS a partir da década de 1980.

8. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a tuberculose não está relacionada à gripe ou pneumonia. É uma doença infecciosa, transmitida por contato com fluídos (principalmente através de tosses e espirros) de uma pessoa contaminada.

Fonte: Mais Curiosidade

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Como a intoxicação emocional faz você perder dinheiro

estresseSeu dia foi frustrante. Você chegou atrasada no trabalho, se atrapalhou com a entrega do relatório e, para completar, levou aquela bronca do chefe. É tanta decepção que tudo que você sente é uma avalanche de emoções que chega a te cegar. Responda rápido: você sai do escritório, respira fundo e vai direto para casa ou dá uma passadinha no shopping para esvaziar a cabeça? Se a segunda opção tem mais a sua cara, cuidado: você pode estar passando por uma intoxicação emocional – que também pode contaminar sua vida financeira se você não ficar de olho.

Este estado nada mais é do que a falta de capacidade de lidar com as emoções negativas que as frustrações nos causam. Cada vez que algo dá errado – e, convenhamos, isso acontece toda hora –, logo vem aquele desalento, cabendo a nós saber lidar com ele e nos fortalecermos. Quando não conseguimos, as emoções dominam nossa cabeça. “Isso se traduz em impulsos que não conseguimos controlar e, geralmente, decisões erradas”, explica Vera Rita de Mello Ferreira, psicanalista e professora de psicologia econômica da Fipecafi. É como se elas estivessem te afogando, e você faria qualquer coisa para sobreviver àquele momento.

A intoxicação emocional custa caro

Vale tudo para se salvar do afogamento, inclusive agarrar qualquer pedaço de madeira que estiver passando por perto. Para algumas pessoas, ele pode ser uma “shoppingterapia” ou até mesmo investir em qualquer aplicação, só para tirar de si a agonia que aquele sentimento causa. Sim, ser dominada pelas emoções pode fazê-la perder dinheiro.

Vamos dar outro exemplo que você já deve ter visto: você não quer tanto levar aquela blusinha, mas o vendedor jura que é a última – e você não vai deixar aquela oportunidade passar, não é mesmo? “O ser humano não suporta perder. Isso deixa a pessoa tão transtornada que mal consegue assimilar suas escolhas. Ela pode vender algo a preço de banana ou comprar algo por mais do que o produto vale, só para se livrar daquele sentimento insuportável gerado pela experiência de perder”, explica Vera Rita. O resultado você já sabe: mais uma peça que nunca será usada e um rombo crescente no orçamento. Como se não bastasse, ser tomada pelas emoções pode levar à depressão, euforia, medo e paranoia.

Nesses casos, apenas fazer um planejamento financeiro caprichado pode não ser muito efetivo, pois o grande problema é colocá-lo em prática diante da avalanche de sentimentos que leva aos impulsos consumistas. “Não adianta dizer ‘hoje eu mereço, mas semana que vem começo a me organizar’. Ou começa agora, ou não vai conseguir”, alerta a professora da Fipecafi.

Sentimentos e carteira em equilíbrio

Apesar de usarmos o termo “intoxicação”, a verdade é que não existe um “detox”, pois o emocional e racional andam de mãos dadas em todo o tempo. O que é possível é aumentar o limite de tolerância à frustração para que ela não nos derrube. “Se a gente aguenta mais e tem mais resiliência, as emoções vêm e podem até tomar conta, mas a gente consegue ver a situação de fora e enxergar com mais clareza”, aponta Vera Rita.

Uma das maneiras mais eficientes de aprender a lidar com tudo isso é meditar. Durante a prática, você procurará esvaziar a mente de tudo que não seja aquele exato momento. Sem pensar no que já passou ou se antecipar ao que virá, você terá mais controle sobre si. Já a psicanálise dará a oportunidade de processar suas experiências emocionais acompanhada de um profissional, assim como conversar com pessoas de sua confiança sobre seus sentimentos. Também é válido procurar atividades como jardinagem e atividades físicas como caminhada e dança. “Tudo isso ajuda a pessoa a passar mais tempo com ela mesma. Se você conseguir se observar durante esses processos, você aprenderá mais a seu respeito, pois a chave é o autoconhecimento”, amarra a especialista. Isso dará serenidade para quando aquela emoção bater, você poder respirar fundo e saber que vai passar, sem precisar sucumbir ao medo, ansiedade ou angústia.

Com todas essas medidas, pode apostar que os sentimentos serão seus amigos, e não o motivo do cartão de crédito estourado.

Fotos: Shutterstock

financasfemininas

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

5 coisas que você precisa saber sobre a catapora

cataporaAs cataporas gostam de aterrorizar os bebês, mas alguns adultos também são contemplados com essa doença. Para saber mais coisas sobre essa doença, confira nossa lista:

1. Felizmente, a catapora é uma doença que você adquire apenas uma vez, não sendo possível ter a doença mais de uma vez. A partir do momento em que você está curado dela, também está imune.

2. Coçar as feridas proporcionadas pela catapora pode permitir a entrada de bactérias no seu organismo, facilitando infecções e complicações maiores.

3. Catapora e varíola não são a mesma coisa, ainda que algumas pessoas tenham dúvidas a respeito disso. A varíola é extremamente mais mortal e de acordo com o Ministério da Saúde, já foi erradicada, principalmente por conta da intensa vacinação incentivada desde os anos 1970.

4. Toalhas, roupas de cama e outros acessórios que tenham entrado em contato com o infectado também podem passar a doença adiante.

5. A catapora, ou varicela, pode ser transmitida de forma direta ou indireta. Isso é, você pode contrair a doença por entrar em contato com um doente ou simplesmente por estar no mesmo edifício (com sistema de ventilação, por exemplo) que uma pessoa que carregue o vírus.

Fonte: Mistérios do Mundo

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

10 sinais que provam que você está estressado

estresseNos dias de hoje, é muito comum dizer que está estressado e vários fatores contribuem para que isso aconteça.

Se você acha que não sofre desse problema, confira a nossa lista com alguns sintomas do estresse e tire suas próprias conclusões.

1. Sonhos bizarros

Seus sonhos são de deixar o pintor Salvador Dalí boquiaberto? Pois saiba, é necessário corrigir o sono e dormir sete, oito horas por dia. Procure evitar, também, o uso de cafeína, bebidas alcoólicas e drogas ilegais. Seu sono vai ser melhor, tenha certeza.

2. Náuseas

O estresse libera um ácido – que é o responsável pela ânsia e pela dor. O ideal para aliviar o estresse é dar umas boas risadas com os amigos, assistir a um filme e alguma atividade que lhe faça bem – como tocar algum instrumento musical.

3. Acne

Comum na adolescência, as acnes são alguns dos indícios do estresse. Ninguém gosta de tê-las, e é prejudicial para a autoestima, além de, eventualmente, deixar-lhe com a face toda marcada.

4. Dores musculares

Talvez o sintoma mais comum, as dores musculares incomodam e alteram o humor. Tudo é motivo para gritos e xingos. Geralmente, é a região do pescoço e coluna que são atingidos e lhe fazem estremecer por causa da dor.

5. Falta de apetite sexual

Se você anda trabalhando demais e quando chega em casa não está nem aí para seu parceiro, provavelmente seu apetite sexual foi para o beleléu. Já citado acima, uma boa transa é fator primordial para desestressar, mas se você está cansando demais – ou trabalhando de mais – não tem como. O sexo vai ter de ficar para depois.

6. Mudança de humor

A mudança de humor é um forte indício de estresse. Você não tem paciência, responde atravessado e se exalta por qualquer coisa.

7. Ansiedade

Quando nos deparamos com esse sentimento, logo procuramos amenizá-lo da forma mais trágica: com biritas. Biritar é bom, sim. Mas se lembre: bebida e estresse, de fato, não combinam.

8. Problemas cardiovasculares

As veias e artérias se comprimem e ocasionam o fluxo de sangue e batimentos cardíacos irregulares. Manter uma rotina saudável, com alimentação adequada, atividades físicas e sexuais podem acabar com esses sintomas.

9. Dores de cabeça forte

Você costuma sentir muitas dores de cabeça quando não está trabalhando. Ter ótimas noites de sono, além de repor as energias, deixam-lhe pronto para encarar a jornada do dia seguinte.

10. Calvice

Problema que assola e tira nosso sono. Ninguém quer ficar sem cabelo, e vê-los caindo não é nem um pouco legal. Praticar atividades físicas e tomar algum suplemento indicado pelo um especialista pode resolver seus problemas.

Fonte: Ultra Curioso

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

5 fatos que você precisa saber sobre o autismo

autismoAntes do diagnóstico do autismo, muitas pessoas sofreram com preconceito e outros problemas. Pensando nisso, listamos algumas coisas que vão fazer você entender o que é o autismo. Confira:

1. Dificuldades

O autismo, por si só, não é o maior problema para as pessoas com TEA. Mesmo em pessoas que aparentemente têm manifestações ‘sutis’ de autismo, contratempos como epilepsia, deficiência mental, insônia, ansiedade e depressão são mais comuns.

2. Q.I. elevado

Muitos portadores da síndrome possuem, inclusive, QI acima dos índices normais. E o fato de terem habilidade verbal muito desenvolvida, com um vocabulário amplo, diversificado e rebuscado, reforça nos pais a ideia de que seus filhos são superdotados.

3. Empatia

Empatia é um dos maiores paradigmas quando se fala em autismo. Os pesquisadores Simon Baron-Cohen e Sally Wheelwright descobriram que é possível chegar a um ‘quociente’, mostrando que, às vezes, a falta de proximidade com pessoas pode representar maior proximidade com animais ou outros objetos.

4. Outras características do TEA

Além da tendência ao isolamento, uma das maiores dificuldades dos autistas é reconhecer emoções e a capacidade de interpretar o que outras pessoas estão pensando. Eles também costumam ser inflexíveis, já que obedecem às regras criadas por eles próprios para agir diante de determinadas situações.

5. Não é doença

O autismo não é uma doença; é uma condição do desenvolvimento neurológico que exibe padrões diferentes de comportamento e intelectualidade. Geralmente, o autista manifesta seus interesses de forma rígida e repetitiva: pode ser silencioso, distante e bloqueado ante algumas situações.

Fonte: Vix

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

9 sintomas de doenças oculares que indicam que você precisa ir ao médico

visãoProblemas oculares podem acontecer em qualquer idade, mas em crianças e durante o envelhecimento é preciso prestar ainda mais atenção aos primeiros sinais e sintomas. Algumas condições podem ter consequências bastante graves, como a perda da visão ou um comprometimento grande, se não diagnosticadas e tratadas precocemente. Além disso, alguns problemas oculares não causam sintomas, então é sempre importante ter consultas frequentes ao oftalmologista, mesmo que não apresente nenhum sinal de alerta, especialmente após os 40 anos. Conheça nove sintomas de doenças oculares que são comuns, mas devem fazer você procurar o seu oftalmologista:

Visão embaçada

Quando parece que existe uma névoa na frente dos olhos, que impede ver detalhes com clareza, pode ser sinal de diversas doenças oculares, como catarata, presbiopia(a vista cansada), glaucoma, degeneração macular relacionada à idade (DMRI), e outras de ordem fisiológica. “A visão embaçada é um dos sintomas visuais mais comuns. Um exemplo é o desenvolvimento progressivo da opacidade do cristalino, caracterizando a catarata, que leva à visão ‘embaçada’, com diminuição do contraste e necessidade de maior iluminação, diz Wesley Bonafe, oftalmologista do Hospital Beneficência Portuguesa.

Perda progressiva da visão

Este sintoma que pode aparecer na parte central ou periférica da visão, apesar de bastante comum, é muito perigoso, uma vez que por ser uma perda progressiva a pessoa normalmente só irá notar um problema para enxergar quando o caso já está mais grave. “Às vezes o paciente tem alguma dificuldade no dia a dia e não percebe que a causa é a vista, a perda da capacidade de visão. Algumas doenças que causam este sintoma, como o glaucoma, acarretam em uma cegueira irreversível. Acatarata também pode ser responsável pela perda progressiva da visão, mas, neste caso, podemos reverter a cegueira com uma cirurgia. Por isso é importante procurar o oftalmologista o quando antes, para poder diagnosticar o problema”, explica Minoru Fujii, oftalmologista do Hospital Cema, especialista em catarata e retina. Outros problemas comuns que podem ocasionar este sintoma são a degeneração macular relacionada à idade e a retinopatia diabética – que é uma doença que afeta os olhos de pessoas com diabetes causando o estreitamento dos vasos sanguíneos na região, que pode levar a uma perda total ou parcial da visão.

Dificuldade para se adaptar a diferentes tipos de luz

Ter problemas para adaptar a visão saindo de ambientes claros para escuros ou vice e versa, e conseguindo enxergar corretamente, é um sintoma comum de diversos problemas nos olhos, como DMRI, edema macular diabético, ou alguma lesão na córnea. “O nome desta dificuldade é fotofobia, que também pode fazer com que a pessoa tenha lacrimejamento. Outra forma que a fotofobia se manifesta é quando a pessoa está trabalhando no computador, olhando para ele por muitas horas seguidas e começa a sentir o incômodo”, explica Fujii. No caso do computador, a forma de evitar o problema é após cada hora trabalhada descansar os olhos por cinco ou dez minutos, olhando para longe, segundo o especialista.

Manchas na visão

Existem vários tipos de manchas na visão, que apenas o médico especialista, com a descrição do paciente e a realização de exames, conseguirá diagnosticar. Algumas podem ficar “dançando” na frente dos olhos, outras ficam mais paradas mas cobrem parte da visão, entre outros tipos. “Ela pode estar relacionada à DMRI, moscas volantes, hemorragia vítrea ou descolamento de retina. Como algumas dessas condições são graves, e apenas o médico poderá diagnostica-las, é recomendado que a pessoa procure um oftalmologista o quanto antes para verificar o problema”, diz Fujii. A catarata também pode estar ligada a este sintoma.

Mudança frequente na prescrição do óculos

A mudança constante da prescrição dos óculos, quando os graus das lentes são alterados, pode indicar problemas. “Até os 20 anos de idade é frequente que o grau mude bastante, contudo, quando a pessoa está entre os 40, 50 ou 60 anos, pode ser sinal de que algo não vai bem com a sua saúde ocular”, afirma Fujji. Outra condição que pode causar esta mudança é a “presbiopia, comum a todas as pessoas, que leva a uma dificuldade para a visão de perto com perda do foco para objetos próximos. É mais comum iniciar-se próximo aos 40 anos progredindo até aproximadamente os 60 anos, e neste período podem ocorrer mudanças frequentes na prescrição dos óculos para perto”, diz Bonafe.

Visão dupla

A visão dupla pode estar relacionada à uma simples diferença de grau, ou seja, está com o grau maior ou menor do que deveria estar, ao estrabismo, diabetes – apesar de não ser comum – ou à problemas mais graves, como um acidente vascular cerebral (AVC). “Esta é uma condição que, se a pessoa nunca teve visão dupla, ela precisa ir logo ao médico, uma vez que o AVC é uma emergência médica. O sintoma também pode estar relacionado à várias síndromes, tratadas pelo oftalmologista ou neurologista”, diz Fujii.

Olhos vermelhos

Os olhos vermelhos podem indicar diversos sintomas ou condições, desde o uso de alguma substância até uma lesão irreversível. “Lembrando que os olhos são muito sensíveis e podem sofrer danos quando expostos à agentes externos, como a radiação solar, cloro da água ou infecções por vírus ou bactérias, que reagem com vermelhidão e secreção”, diz Renan Cândido, oftalmologista do dr. consulta. “Outras condições que podem deixar os olhos vermelhos são “conjuntivite, conjuntivite alérgica, glaucoma, uveíte (inflamação nas estruturas internas do globo ocular) e a esclerite (inflamação na parte branca do olho)”, afirma Fujii. “É importante ressaltar que não se deve utilizar nenhum medicamento nos olhos sem prescrição. Mesmo que a pessoa acredite que já teve o mesmo problema no passado, não deve repetir os medicamentos, pois as causas dos sintomas são diversas, assim como o tratamento para cada uma delas”, explica o especialista.

Capacidade de ver cores e detalhes prejudicada

Uma das condições mais características de deficiência na capacidade de enxergar as cores é o daltonismo, condição em que a pessoa é incapaz de identificar algumas cores específicas. De acordo com o Conselho Federal de Medicina (CFM), cerca de 5% da população mundial vive com o problema que normalmente é identificado no começo da idade escolar. Contudo, outras condições também podem prejudicar a capacidade de ver cores ou distinguir detalhes, como a catarata, DMRI e glaucoma, quando já está numa fase mais avançada.

Presença de doenças crônicas

Doenças crônicas, como o diabetes e a hipertensão arterial, assim como alguns medicamentos utilizados no seu tratamento, podem ocasionar problemas oculares. “O diabetes, por exemplo, é uma doença complexa e progressiva que afeta os vasos sanguíneos do olho, principalmente a retina, causando a retinopatia diabética. Sabemos que os diabéticos apresentam um risco de perder a visão 25 vezes maior do que as pessoas que não portam a doença, e a retinopatia diabética atinge mais de 75% das pessoas com diabetes há mais de 20 anos. De maneira geral, tanto a retinopatia causada pela hipertensão quanto a causada pelo diabetes não apresentam sintomas ou perdas da visão na sua fase inicial, ou seja, não são perceptíveis e por isso a consulta periódica com o oftalmologista, com a realização de exames, é necessária mesmo para quem não tem queixas”, alerta Cândido.

minhavida

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br