Arquivo da tag: viver

Câncer: Beto Barbosa diz que tinha “20% de chances de viver’

O cantor Beto Barbosa, de 64 anos, desabafou sobre sua vida e o tratamento contra um câncer na manhã desta quarta-feira (20) durante participação no programa “Encontro”, na Globo. O longo tratamento contra um câncer, terminou no mês passado e o levou a fazer cirurgia para tirar a bexiga e a próstata.

“Foi muita luta, com muita fé, só tinha 20% de chances de viver, o médico não quis me dizer, disse que tinha 50%, mas consegui. Eu não me entreguei, em nenhum momento senti que ia partir. A vida você não pode perder pro outro lado, você tem que acreditar. Estou retomando a vida, recomeçando meus shows”, disse ele.

O artista ainda deu um show com um dos seus maiores sucessos, a lambada da música “Preta”, e recebeu uma homenagem do elenco da novela “Verão 90”. Fabiana Karla, Rafael Vitti, Val Perré, Claudia Ohana, Giovana Cordeiro, Marcos Veras e Dira Paes que mandaram mensagens de reconhecimento ao cantor.

Ao agradecer pela atenção ele destacou que “foi uma das maiores homenagens que recebi em toda a minha carreira de artistas que sou fã”, disse.

clickpb

 

 

Adotar hábitos saudáveis após os 70 faz você viver mais

idososQuanto mais cedo você adotar um estilo de vida saudável, com dieta balanceada e prática de exercícios, maior a sua expectativa de vida. A boa nova, no entanto, é que mesmo quem deixou para pensar nisso com idade avançada consegue aproveitar os benefícios da mudança para viver mais e melhor. Isso é o que diz um novo estudo publicado no periódico British Medical Journal (BMJ) a partir de uma pesquisa foi desenvolvida por especialistas do Karolinska Institutet, da Stockholm University e do Stockholm Gerontology Research Center, na Suécia.

Para chegar a essa conclusão, foram avaliados 1.810 pessoas com idade de, no mínimo, 75 anos. Eles foram acompanhados durante 18 anos e, ao longo desse tempo, os pesquisadores analisaram comportamento, atividades de lazer, estilo de vida, profissões e relacionamentos sociais. Ao final do estudo, quase 92% dos participantes morreram e, entre os sobreviventes, metade viveu mais do que 90 anos.

Os resultados mostraram que metade dos idosos adeptos do tabagismo morreu um ano antes do que os não fumantes. Apontou ainda que, entre todas as atividades de lazer, praticar exercícios foi a mais proveitosa quando o assunto era longevidade. Os idosos que caminhavam, nadavam ou faziam ginástica tiveram uma sobrevida de cerca de dois anos a mais em comparação com os demais.

Mas o segredo mesmo está em combinar estilo de vida saudável, participação em pelo menos uma atividade de lazer e vida social movimentada, o tripé rende até 5,4 anos a mais de vida quando comparado à rotina de hábitos saudáveis, mas sem atividade de lazer e pouca interação social.

Longevidade

Um estudo publicado no Journal of Internacional Medicine mostrou que hábitos de vida têm maior influência sobre a longevidade do que a própria genética. Diante desse dado, separamos alguns pontos fundamentais para aumentar seu tempo de vida e viver com mais qualidade. Confira:

1. De acordo com um estudo publicado no Circulation: Journal of the American Heart Association, praticar exercícios físicos regularmente aumenta a expectativa de vida mesmo de pessoas acima do peso. Além disso, aumentar progressivamente a carga do treino reduzia em 19% o risco de doenças cardíacas e AVC e em 15% o risco de morrer por outras doenças.

2. Dormir também tem um importante papel na longevidade. Uma pesquisa realizada pela American Academy of Sleep Medicine mostrou que 46% dos participantes que relataram não ter boa saúde também não dormiam bem.

3. Adotar uma postura positiva diante da vida também é fator importante para aumentar a expectativa de vida, segundo um estudo conduzido por pesquisadores do Albert Einstein College of Medicine. A maior parte dos voluntários da pesquisa com idade próxima aos 100 anos eram extrovertidos e viam o mundo sob uma perspectiva otimista e despreocupada.

4. Ter uma dieta equilibrada também é sinal de boa saúde. Um estudo da Sahlgrenska Academy at the University of Gothenburg, na Suécia, descobriu que consumir vegetais e peixes em grande quantidade e limitar a ingestão de produtos de origem animal pode favorecer a longevidade.

minhavida

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Viver de aluguel é mais vantajoso do que comprar a tão sonhada casa própria

aluguelSonho de muitos brasileiros, sair do aluguel e comprar a casa própria pode não ser a melhor opção para quem pretende garantir um pé de meia no futuro. Se você tem dinheiro em mãos ou pretende entrar num financiamento, a questão é sempre a mesma: compensa comprar um imóvel ou permanecer no aluguel e aplicar o dinheiro?

Na avaliação de economistas ouvidos pelo R7, adquirir um imóvel à vista ou parcelado é sinônimo de perder dinheiro, já que o valor investido em uma propriedade tende a render mais em outros fundos.

O economista e idealizador do blog Quero Ficar Rico, Rafael Seabra, avalia que, do ponto de vista financeiro, é “sempre mais vantajoso” alugar um imóvel e investir parte daquele montante que seria totalmente utilizado para realizar um financiamento imobiliário.

— Muitas vezes, as pessoas que moram de aluguel têm a falsa impressão de que estão perdendo um dinheiro que poderia ser usado no financiamento de um imóvel. O que elas não sabem é que, se você fizer a simulação para comprar um imóvel e verificar o preço de aluguel deste mesmo imóvel, vai constatar que os juros que você vai pagar desde o primeiro mês vai ser maior do que a locação.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

A percepção de Seabra é a mesma para aqueles que pretendem comprar um imóvel à vista. Ele calcula que, se preferir investir R$ 500 mil em um fundo com rentabilidade de 1% ao mês ao invés de comprar um imóvel do mesmo valor, o brasileiro pode contar um rendimento mensal de R$ 5.000 e utilizar parte da grana para pagar a locação de um local para morar.

— O aluguel desse imóvel que custa R$ 500 mil dificilmente será superior a R$ 2.500 ao mês. Então, é mais vantajoso investir esse dinheiro e alugar um imóvel similar pagando R$ 2.500. Assim, sobraria R$ 2.500 mensais para fazer outros investimentos.

A conselheira federal do Cofecon (Conselho Federal de Economia) Celina Ramalho explica que a decisão entre comprar ou alugar um imóvel deve levar em conta os objetivos pessoais e o perfil do investidor.

— [Comprar um imóvel] é viável se a intenção for garantir um bem de família. Agora, para investimento, nós temos a possibilidade do consumidor entrar em mercados de capitais na busca por rentabilidades maiores. […] Com isso, ao invés de imobilizar o dinheiro comprando um imóvel, é possível viver de aluguel e pagar um valor que hoje em dia está em torno de 0,5% do imóvel ao mês e ter ganhos maiores em ativos variados.

 

Para Seabra, a vantagem em viver de aluguel ao invés de comprar a casa própria só não é visível no caso dos beneficiários do programa Minha Casa Minha Vida, que têm os juros subsidiados pelo governo. Tendo em vista esse cenário de juros variados, Celina afirma que o mais indicado ao interessado em financiar um imóvel é analisar as taxas de diferentes instituições.

— É importante fazer uma pesquisa de quais opções de financiamento existem, porque cada banco tem uma prioridade. Para valores maiores, um banco oferece uma taxa mais interessante e, para preços menores, a Caixa Econômica tende a bater os valores das prestações.

Em 2015, novas locações no Estado de São Paulo cresceu 61,39%Fernanda Carvalho/Fotos Públicas

Brasileiro alugou mais

Dados do Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo) mostram que, no ano passado, enquanto a compra de imóveis usados caiu 21,36%, o volume de novas locações no Estado de São Paulo cresceu 61,39%.

O presidente do Creci-SP, José Augusto Viana Neto, avalia que a perda de poder aquisitivo da população, o aumento do desemprego, a alta dos juros e a redução dos financiamentos bancários foram responsáveis pela queda no volume de vendas de imóveis ao longo do ano passado.

— Alugar foi a saída para as famílias que perderam as condições de acesso à compra da casa própria por causa da crise econômica.

O cenário citado por Neto pode ser verificado em diversos indicadores divulgados neste começo de 2016. De acordo com o Secovi-SP (Sindicato da Habitação), o valor médio das locações residenciais em São Paulo caiu 0,3% no mês de janeiro e acumula alta bem inferior à inflação ao longo dos últimos 12 meses, de 3,2%.

Em âmbito nacional, o Índice FipeZap de Locação aponta para uma queda nominal de 3,66% no preço dos novos contratos de aluguel nos últimos 12 meses. O índice, que analisa os preços em 11 cidades do País, revela que, atualmente, o valor do metro quadrado da locação no Brasil custa, em média, R$ 30,97 ao mês.

 

 

R7

“Há vida depois do infarto”: médico dá dicas de como viver bem após problemas no coração

Ataque cardíaco: quanto mais rápido o atendimento, menor a mortalidade(iStock/VEJA)
Ataque cardíaco: quanto mais rápido o atendimento, menor a mortalidade(iStock/VEJA)

Mais de 4 mil paraibanos morreram este ano por problemas no aparelho circulatório, 1.243 somente de infarto. A quantidade assusta, porém, outros tantos conseguem sobreviver a esses ataques. Setembro é oficialmente o mês do coração. E para saber a relação dos pacientes com o problema, a reportagem do Jornal Correio da Paraíba Online conversou com o cardiologista Helman Campos Martins, que garantiu: “Há vida depois de um infarto”.

“A vida não vai piorar. É o que tenho falado para os meus pacientes. Pelo contrário, vai melhorar. Há vida depois de um infarto. Óbvio que, estes, irão tomar maiores cuidados, sobretudo, no seu estilo de vida, acrescentando uma atividade física, uma caminhada, uma hidroginástica. Outro ponto que temos visto é a redução no uso do cigarro, no quadro de pessoas que já sofreram um infarto. Isso reduz o risco de uma nova recorrência”, disse.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

De acordo com a Federação Mundial do Coração, 80% das mortes são em função de quatro fatores de risco: tabagismo, dieta inadequada, natividade nociva, uso nocivo de álcool.  Sobreviver a um episódio como esse torna obrigatória a mudança de hábitos, como, por exemplo, iniciar uma atividade física.

“Nestes casos, a atividade física é fundamental. Seja um exercício aeróbico, caminhar ou uma hidroginástica. Sempre de forma proporcional ao perfil do paciente, a idade e claro, as condições físicas”, explicou. “Além das medicações, para diminuir o colesterol de maneira continua, também é importante uma dieta saudável. E, fumar nem pensar”, acrescentou.

Em muitos casos, o ataque de infarto está relacionado à idade do indivíduo. Segundo Martins, a vulnerabilidade do homem é maior. “Depende do gênero. O homem, a partir dos 40 anos, está sujeito a uma maior prevalência, enquanto as mulheres, até pelo seu sistema hormonal, tende a sofrer algum problema de coração, caso não se cuide, a partir dos 50, 55 anos. Depois dessa faixa etária, os gêneros equivalem”, revelou.

Para conscientizar a população sobre as doenças cardiovasculares, o Ministério da Saúde criou a campanha “Setembro Vermelho”, quando são agendadas várias ações educativas pelo Brasil. O mês foi escolhido, porque no dia 29 é comemorado o Dia Mundial do Coração.

Maurílio Júnior /Correio da Paraiba

Assalto a casa comercial faz cidade do agreste da PB a viver clima de faroeste

Um assalto a mão armada a uma casa de material de construção na cidade do Ingá, no agreste paraibano, na tarde desta quarta-feira (04) fez a população local viver um verdadeiro clima de bang bang em praça pública.

Um dos assaltantes presos

Um dos assaltantes presos

O assalto aconteceu na Rua João Pessoa, as margens da PB 090 na saída do município para Itatuba, mas após ação criminosa os elementos saíram em direção ao centro. A polícia foi acionada e saíram em perseguição aos bandidos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

AssaltoEm frente ao Batalhão da PM local houve intensa troca de tiros entre policiais e bandidos. Para agilizarem fuga dois dos três elementos envolvidos tomaram por assalto duas motos e empreenderam fuga, abandonando o veículo usado na primeira ação criminosa no meio da rua, seguindo com destino a Itabaiana.

Até o fechamento da matéria há informações de que dois dos envolvidos foram detidos pela polícia que pediu reforço policial, inclusive da Cia de Sapé.

Da Redação 
Do ExpressoPB/Informações Ingá Cidadão

Remígio: Prefeito Chió assina Termo de adesão do Plano Viver sem Limites

chioRemígio se tornou uma das primeiras cidades do Brejo paraibano a assinar o termo de adesão ao Plano Viver sem Limites, que tem como objetivo implementar iniciativas e intensificar ações em benefício das pessoas com deficiência. A ideia é melhorar o acesso destes cidadãos aos direitos básicos, como educação, transporte, mercado de trabalho, qualificação profissional, moradia e saúde.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A assinatura do Plano aconteceu na última quarta-feira, dia 08 de maio as 19h durante o Seminário de Empregabilidade da Pessoa com Deficiência, realizado pelo Fórum Paraibano da Inclusão de Pessoas com Deficiência e Reabilitadas que aconteceu durante todo o dia na sede da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP) contando com a presença do Prefeito Melchior Batista, e de outros prefeitos e Secretários dos municípios do Agreste.

No último dia 25 de abril, Prefeitos e representantes do Brejo e Agreste paraibano estiveram reunidos na Escola Dom Manuel Palmeira, no município de Esperança participando de uma discussão a cerca da Pactuação do Plano “Viver Sem Limites.  A reunião contou com as presenças da consultora do PRONATEC Jenair Alves e do Presidente da APAE de Esperança Eduardo Jorge.

O Viver sem Limite conta com uma dotação orçamentária na ordem de R$ 7,6 bilhões que poderão ser executados até o final de 2014 em ações de Saúde, Educação, Inclusão Social e Acessibilidade, recursos estes que podem e devem ser acessados por todos os municípios, de acordo com os critérios e normas da Secretaria Nacional de Direitos Humanos/Pessoa com Deficiência. Ou seja, Remígio pode receber recursos desse fundo conforme cumpra o proposto no plano. “Muito do que é proposto já fazemos em nossa cidade, por isso tenho certeza que em breve teremos boas novidades relacionadas ao Viver sem Limite” afirma Melchior.

SECOM

Schumacher completa 45 anos lutando para viver; fãs fazem vigília em hospital

Charles Platiau/Reuters
Charles Platiau/Reuters

Michael Schumacher completa 45 anos nesta sexta-feira, mas o clima não é de festa, e sim de torcida. Internado em estado grave desde o último domingo em Grenoble, na França, após chocar-se com uma rocha quando esquiava ao lado do filho Mick, o ex-piloto alemão luta pela vida.

Schumacher já passou por duas cirurgias para amenizar o traumatismo craniano e os hematomas internos formados após o impacto. Em coma induzido, com o estado de saúde estável, porém grave, a equipe médica do Hospital Universitário de Grenoble optou por divulgar novos boletins apenas quando houver alterações significativas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Além de parentes, o ex-piloto tem recebido a visita de amigos, como Jean Todt, presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e com quem formou uma parceria vencedora de cinco títulos na Fórmula 1 com a Ferrari. A escuderia italiana, aliás, além das homenagens que já vem fazendo, vai promover nesta sexta, em frente ao hospital, uma vigília com fãs para um ato silencioso em homenagem a Schumacher.

Curiosamente, o gesto da Ferrari com os fãs afronta um pedido da família, que pediu privacidade, e da direção do hospital, que tem reclamado da aglomeração de pessoas e jornalistas no local, o que atrapalha o acesso ao pronto-socorro.

Maior campeão da Fórmula 1, com sete títulos (dois pela Benetton e cinco pela Ferrari), Schumacher tornou-se um ícone do esporte. Detém, entre outras marcas, o recorde de vitórias (91) e poles (68) da categoria. Após se aposentar em 2006, voltou às pistas em 2010, pela equipe Mercedes. Correu mais três temporadas, mas sem o mesmo sucesso que definiu sua carreira, indo ao pódio apenas uma vez, no GP da Europa de 2012.

 

iG

Marcadas para morrer: Ameaçada desde 1996, Regina sonha viver em paz

reginaEm dezembro de 2011, Maria Regina Gonçalves percebeu que a paz não fazia mais parte do seu cotidiano. Em um show dos ídolos Zezé di Camargo e Luciano no município de Eldorado dos Carajás, no Pará, Regina se viu mais atenta à plateia do que ao espetáculo, procurando em olhares e gestos uma atitude suspeita. “Se alguém chegava perto ou me olhava um pouco mais eu ficava nervosa. Praticamente não me diverti naquela noite”, diz ela.

Maria Regina preside o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Eldorado dos Carajás, a 770 km de Belém. Vive sob ameaças constantes e atualmente não anda sem a proteção de pelo menos dois outros dirigentes sindicais, que se dispuseram a atuar como seguranças informais de Regina.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

As ameaças vieram depois que o sindicato passou a organizar as 4 mil famílias espalhadas por 22 projetos de assentamento no município, localizado em uma região rica em minérios e com grandes fazendas de pecuária. Como os projetos ainda não foram titulados, embora tenham sido regularizados no Incra, as famílias receberam um contrato de concessão de uso – título provisório, mas que permite a obtenção de financiamento para a produção.

Enquanto os títulos definitivos não saem, porém, há fazendeiros se apropriando das terras, cercando os assentamentos, comprando lotes de posseiros e fazendo pressão para que os agricultores abandonem os terrenos.

“Virou concentração de terras de fazendeiros, eu mesma estou cercada por três lotes que estão nas mãos deles. O recado que os agricultores ouvem é que se os fazendeiros não comprarem a terra dos trabalhadores, compram das viúvas”, diz Maria Regina, no quintal da sede sindical, sob o olhar atento dos dois seguranças.

Não é uma compra legal, já que não se pode adquirir lotes de assentamentos destinados à reforma agrária. Mas a lei não é seguida à risca em um município conhecido mundialmente pela matança de 19 trabalhadores sem terra pelas polícias militares de Marabá e Parauapebas em 1996, em um local conhecido como Curva do S.

Com pouco mais de 2.900 quilômetros quadrados – 70% em área rural – o município de Eldorado de Carajás se desenvolveu a partir do garimpo e da pecuária, sempre com conflitos pela posse da terra. Entre 1982 e 1996 mais de 50 trabalhadores rurais foram assassinados, contabiliza Regina. “Sempre foi um ‘deus nos acuda’ que culminou com a chacina da Curva do S”, diz.

Antônio Cicero/Diário do ParáA trajetória de Maria Regina é uma história de migração como a de muitos que ali vivem. Nasceu no Ceará em um lugar árido e sem perspectivas conhecido como ‘Cabeça de Onça’. Quando a fome roncou mais alto, a família dela se mudou para um lugarejo chamado Barra do Corda, no Maranhão, em março de 1973. Mas o destino pouco mudou: “Eu tinha dez anos e ajudava meu pai na roça. Era um sofrimento, não tinha água, minha mãe chorava quando eu pedia comida e não tinha. Eu não tinha o sentimento de entender”. Regina era a mais velha de oito irmãos na época. Depois chegariam mais quatro. “A gente vivia na miséria nesse lugar. Meu pai queria se libertar disso”.

A libertação da pobreza viria da Amazônia, pelo menos foi isso que um tio anunciou em tom de novidade. “Esse tio tinha um rádio de pilha. Nós, só a vida mesmo. E ele trouxe o rádio pra gente ouvir a Voz do Brasil. A gente reunia ao redor do rádio e ouvia a propaganda sobre a Amazônia. Meu pai decidiu vir atrás de terra”.

A primeira parada foi no garimpo. O pai de Regina foi sozinho ao Pará e nos dois primeiros anos da década de 80 chafurdou na lama de Serra Pelada em busca de ouro. Não teve sorte. O pouco que conseguiu foi roubado. Ouviu falar de um projeto de assentamento em Pedra Furada, a 22 km da sede do município, em uma aréa que fazia parte de Curionópolis, depois incorporada pelo município de Eldorado dos Carajás, emancipado em 1987.

O pai conseguiu um lote por desistência de um posseiro, mas acabou expulso primeiro pela polícia, depois pelos pistoleiros. “Meu pai dizia que saiu sentindo a bala nas costas, porque as armas estavam engatilhadas. Ele andou escondido da polícia por cinco anos, porque desde o início ele se colocava na frente, brigava mesmo”, conta Regina.

Enquanto o pai lutava para conseguir um pedaço de chão, Regina continuava no Maranhão. Logo no primeiro ano, em 1982, casou, e numa terra arrendada, plantou sozinha um alqueire de arroz e milho. Naquele ano a água não veio e toda a produção foi perdida. Batia o desespero.

Em 1986 Regina visitou o pai. Ele havia sofrido mais um despejo, com pistoleiros queimando tudo, matando animais. “Quando cheguei vi minha família, meu pai, minha mãe, toda judiada, torturada, me assustei e voltei pro Maranhão”.

Por pouco tempo. Os agricultores despejados ocuparam o Incra em Marabá e conseguiram voltar para as terras em novembro de 1986. Em fevereiro de 1987, os fazendeiros passaram a ocupar mais lotes e a guerra entre pistoleiros e posseiros tornou-se aberta.

A essa altura, Regina já estava de mudança para o Pará, acompanhando de perto a luta do pai e de outros companheiros pela posse e regularização dos lotes de terra, ainda hoje nas mãos da família. Em 1992, Arnaldo Delcídio Ferreira, respeitada liderança do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Eldorado, foi executado por pistoleiros. Sete anos antes, em abril de 1985, ele havia se ferido e sobrevivido a um ataque de pistoleiros no Terminal Rodoviário de Eldorado, que acabou atingindo mortalmente a freira Adelaide Molinari.

Antônio Cicero/Diário do ParáA morte de Arnaldo marcou profundamente Regina, que entrou de cabeça na luta pela terra. “Eu me descobri no coletivo quando conheci o trabalho do Arnaldo, sempre se solidarizando com as pessoas pobres. Comecei a ter uma revolta contra quem manda matar. Só que a vida não para na morte dos que foram assassinados. A gente continua”, diz.

Em 1996 ela assumiu a presidência do Sindicato, depois de ter sido tesoureira e secretária de políticas sociais da organização. “A primeira ocupação, como presidente, foi da fazenda de um homem chamado Geraldo Mendonça”, lembra. Sem abandonar o próprio lote, Regina passou a receber ameaças recorrentes. “Minha filha recebeu uma ligação dizendo que iam matar toda a família. Passei a viver o tempo todo assombrada”.

Ligações desconhecidas se tornaram comuns a partir daí, e as ameaças – veladas ou explícitas – recorrentes. Não a deixaram mais em paz. “Todo mundo que entra no sindicato é suspeito”, diz.

No dia 27 de junho de 2012, nove fazendeiros entraram na sede do sindicato para pressionar Regina. O diálogo mostra o nível de tensão:

“Só viemos falar com ela do risco que ela tá correndo”, disse um fazendeiro.

“Isso já é uma ameaça”, respondeu Regina.

“A senhora está mobilizando esses sem terra pra invadir as terras”.

“Eu não estou mobilizando ninguém e já disse para o senhor não apontar o dedo para mim”.

Depois desse diálogo ríspido, Maria Regina ouviu rumores sobre a contratação de 60 pistoleiros para fazer a segurança nas fazendas que ficam na estrada em que passa diariamente de moto.”Eu tenho de passar pelo vão de duas dessas fazendas. E nas duas já teve assassinatos. Num, sumiram com o corpo, e no outro o corpo foi encontrado dentro de um poço”.

“Não tem como eu andar nessas condições. Eu não durmo tranquila, passei a ter sempre dois companheiros me protegendo”, conta, confessando o cansaço. Não quer ouvir falar em ocupações de terra. Sente medo. O Sindicato deixou de incentivar maiores mobilizações. “Eu represento um perigo para eles. Os fazendeiros acham que eu sou capaz de mobilizar esse mundaréu de gente e não é bem assim”.

Com cinco filhos e quatro netos, a dirigente sindical quer viver em paz. Os filhos não deixam os netos andarem com ela por conta dos riscos. A mãe, sempre que precisa estar com a filha, fica quase o tempo todo rezando. “Quero paz, para mim e para quem tá comigo. Não é fácil andar apenas com a fé. A gente sabe o poder de uma bala. Por que tem de morrer? Eu não quero morrer, só quero ficar à vontade, tranquila”.

Matérias relacionadas:

Maria do Carmo luta pela sua comunidade e pela floresta

Elas, marcadas para morrer

Maria Joel da Costa herdou a luta e as ameaças de morte

Laísa luta pela terra e pela memória da irmã

* A série Marcadas para Morrer é uma parceria da Agência Pública com o Diário do Pará, com reportagem de Ismael Machado e fotos de Antônio Cicero. Adital reproduz com a autorização da Agência Pública.

 

 

Adital

Divirta-se na cama; confira cinco dicas para viver mais

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Quer aumentar seu tempo de vida? Pois saiba que os conselhos mais comuns, como trabalhar menos, evitar o estresse e se exercitar muito, não estão corretos, segundo um estudo de 80 anos. A pesquisa foi iniciada em 1921 pelo psicólogo Lewis Terman, da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, com 1.500 jovens, mas parou em 1956 com a morte do profissional.

 

Em 1990, os psicólogos Howard Friedman e Leslie Martin retomaram o trabalho. Confira abaixo cinco maneiras de aumentar a expectativa de vida, constatadas pelo levantamento e listadas pelo jornal The Huffington Post.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Dê mais para viver mais
Não é nenhum segredo que as pessoas com um sistema de apoio social forte tendem a viver mais tempo. Mas, constatou-se que a questão não é o que seus amigos e familiares fazem por você, mas o que você faz por eles. Entre os pesquisados, aqueles que gostavam de ajudar viveram mais.

 

Fuja do emprego dos sonhos
As pessoas costumam fantasiar sobre um emprego nada estressante, que não leve problemas para a casa e que complemente sua personalidade e interesses. Mas a vida perfeita não é o que necessariamente prolonga sua vida. Os participantes do estudo que buscavam realizar tarefas, apesar dos altos níveis de estresse e responsabilidade, viveram mais tempo do que os que tinham o “trabalho dos sonhos”.

 

Treine sem dor
Obrigar-se a seguir dietas rigorosas e praticar atividade física intensa pode não acrescentar anos de vida. Aposte em natação moderada, passeio de bicicleta, caminhadas com o cachorro. Mais fácil de manter essa rotina, não?

 

Aborreça-se um pouco
Muito otimismo pode ser tão prejudicial para a longevidade como colesterol alto e hipertensão. Assumir sempre o melhor, segundo o levantamento, pode deixar a pessoa despreparada para lidar com o pior, como um trauma ou doença.

 

Divirta-se mais na cama
Os pesquisadores conversaram com as mulheres sobre satisfação sexual e frequência de orgasmos. Os dados mostraram que, quanto mais elas chegavam ao clímax, mais viviam.

 

 

 

Ponto a Ponto Ideias

Crise aguda no PT faz Anísio viver o dilema: ame-o ou deixe-o

anisioO clima interno no Partido dos Trabalhadores da Paraíba está tão pesado que já tem gente dizendo que, entre os pensamentos que povoam a cabeça do deputado Anísio Maia, um deles aponta pra ele deixar a legenda. O deputado anda acusando companheiros de armação contra suas pretensões partidárias, a exemplo da disputa pela presidência da legenda. A contribuição partidária, ao menos, já faz três meses que ele não repassa, segundo informações de funcionário da direção estadual do PT. Anísio parece não achar legítimo financiar um PT presidido por Rodrigo Soares.

 CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Luís Tôrres