Arquivo da tag: Vital do Rêgo

Vital do Rêgo nega participação em atividades investigadas pela Lava Jato

vital-do-regoO ministro Vital do Rêgo (TCU) se manifestou nesta segunda-feira (5) sobre a ação da Polícia Federal, com apoio da Procuradoria Geral da República (PGR) e da Receita Federal,  que realizou mandados de busca e apreensão em sua casa e escritório.

O ministro  nega participação em qualquer atividade investigada pela Operação Lava Jato.

Na nota divulgada pela Secretaria de Comunicação do TCU, Vital do Rêgo disse que está  informando e vem colaborando com as autoridades.

Confira a nota na íntegra:

Com relação à diligência ocorrida na manhã de hoje, quero manifestar meu respeito e compreensão ao trabalho das autoridades competentes no exercício de suas funções legais.

Tenho certeza que a medida, cumprida com eficiência e urbanidade, vai confirmar que jamais tive qualquer participação nos fatos em apuração.

Quero renovar meu compromisso de irrestrita colaboração com as autoridades, naquilo que for necessário, dentro do que determina o devido processo legal e as regras que regem o Estado Democrático de Direito.
Atenciosamente,

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Casas do ministro do TCU, paraibano Vital do Rêgo, são alvos de operação, diz Polícia Federal

vitalO ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), o paraibano Vital do Rêgo, está sendo alvo, na manhã desta segunda-feira (05), de uma nova fase da Operação Lava Jato. Policiais federais cumprem mandados de busca e apreensão nas casas do ministro em João Pessoa e Campina Grande.

A informação foi confirmada a reportagem do Portal MaisPB pela PF.

O deputado federal Marco Maia (PT-RS), ex-presidente da Câmara, também é alvo da operação. Além da Paraíba, os policiais cumprem mandados de busca e apreensão em Brasília (DF), Canoas (RS) e Porto Alegre (RS),

Vital e Maia são suspeitos de terem negociado propinas com empreiteiros que estavam na mira da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras, instalada no Congresso em maio de 2014. Naquela época, Vital era o presidente da CPMI, enquanto Maia era o relator, responsável por elaborar um relatório final sobre os trabalhos dos parlamentares.

De acordo com documento da Procuradoria-Geral da República, a busca e apreensão deflagrada nesta manhã tem como objetivo “coletar elementos probatórios comprobatórios da obstrução dos trabalhos da CPMI da Petrobras, mediante favorecimento de empresários que deixariam de ser convocados a depor”.

As investigações desse caso começaram quando o ex-líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral, revelou, em sua colaboração premiada, que a CPMI da Petrobras foi utilizada para fazer negociatas. O relato do ex-parlamentar petista foi confirmado por outros delatores, como os lobistas Júlio Camargo e Augusto Ribeiro de Mendonça Neto e executivos das empreiteiras Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez, além de depoimentos de dirigentes da construtora Engevix.

“No curso da investigação, foram colhidos elementos indicativos da atuação direta do presidente da CPMI da Petrobras, o então senador da República Vital do Rêgo, na obstrução dos trabalhos da Comissão em benefícios de empreiteiros potencialmente investigados”, diz a Procuradoria-Geral da República.

Segundo investigadores da Lava-Jato, há indícios de que Vital tenha solicitado a empreiteiros 5 milhões de reais para a sua campanha ao governo da Paraíba. A metade desse valor foi doada pela construtora OAS ao PMDB nacional, partido ao qual o ministro do TCU é filiado. A outra parte foi repassada por meio de caixa dois 2, numa transferência feita pela empreiteira à empresa Construtora Planíce, que também é alvo de busca e apreensão.

Em setembro, o empreiteiro Léo Pinheiro, ex-presidente da construtora OAS, afirmou, num depoimento prestado ao juiz Sergio Moro, que Maia solicitou 1 milhão de reais para blindar a empresa na CPMI da Petrobras. “O deputado Marco Maia foi muito incisivo comigo”, disse Pinheiro. O empreiteiro disse que repassou a propina a um empresário chamado “José”, indicado por Maia.

A nova fase da Lava-Jato em Brasília ocorre sete meses após o ex-senador Gim Argello (PTB-DF) ter sido preso em Curitiba pelos mesmos motivos que tornaram Vital e Maia alvos de busca e apreensão nesta manhã. Gim já foi, inclusive, condenado pelo juiz Sergio Moro a 19 anos de prisão pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e obstrução à investigação, cometidos durante a CPMI da Petrobras em 2014. Naquela época, Gim era vice-presidente da comissão — e teria negociado, ao lado de VItal, propinas com empreiteiros que tinham contratos com a estatal. O ex-senador teria solicitado ao donos de construtoras 30 milhões de reais para evitar requerimentos de convocação dos empreiteiros para prestar esclarecimentos perante os parlamentares, segundo Otávio Marques Azevedo, ex-presidente da Andrade Gutierrez. Uma parte dessa propina teria sido paga pela OAS por intermédio de uma doação feita a uma paróquia no Distrito Federal.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

REVISTA ÉPOCA: Zé Maranhão e Vital do Rêgo tentam ‘queimar’ volta de Aguinaldo Ribeiro para o Governo Dilma

aguinaldoO jornalista da revista Época, Felipe Patury, publicou nesta terça-feira (5), em sua coluna, que o PMDB da Paraíba trabalha para boicotar a ida de Aguinaldo Ribeiro (PP) novamente para o Ministério das Cidades, no segundo governo da presidente Dilma Rousseff.

De acordo com Patury, o senador eleito, José Maranhão e o senador Vital do Rêgo, que disputou o Governo do Estado, e outras lideranças do partido estariam trabalhando para evitar que o paraibano volte ao cargo, do qual  se afastou para disputar a reeleição.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Os peemedebistas estariam utilizando como justificativa para que Aguinaldo não assuma novamente o Ministério o fato do progressista ter apoiado Cássio Cunha Lima (PSDB), aliado do então presidenciável Aércio Neves, para o governo.

A alegação dos paraibanos é que Ribeiro não poderia ser premiado com o cargo por ter abandoado a aliança com o PT nacional.

Leia a nota na íntegra 

O comando do PMDB da Paraíba quer impedir que o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP) volte ao Ministério das Cidades. Ribeiro deixou o cargo para concorrer à reeleição. Como o PT da presidente Dilma Rousseff aliou-se no estado ao PMDB, seu adversário, Ribeiro apoiou o presidenciável tucano Aécio Neves.

Ribeiro nega ter apoiado Aécio. Diz que sua campanha foi suprapartidária e que comemorou a reeleição de Dilma ao lado dela.

Afirma também que não sonha em voltar ao ministério, como dizem seus opositores. O movimento para impedir que Ribeiro volte ao governo é liderado pelo senador Vital do Rêgo e o senador eleito José Maranhão, os principais líderes do PMDB paraibano.

O grupo alega que Ribeiro seria premiado depois de ter abandonado a aliança com o PT nacional.

Roberto Targino – MaisPB

Vital do Rêgo recua e Maranhão vai falar em nome do PMDB amanhã

maranhãoApós fontes garantirem que o senador, Vital do Rego (PMDB), anunciaria apoio ao candidato Ricardo Coutinho (PSB) e o mesmo anunciar uma entrevista coletiva para hoje, o peemedebista de “marcha ré” e desmarcou a entrevista, revelando que recebeu um telefonema do senador eleito e presidente do seu partido, José Maranhão.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Maranhão se encontra em Brasília, em reunião com a presidente Dilma Roussef e em sua entrevista ontem deixou claro que a campanha nacional não interfere na estadual.

O cancelamento da entrevista seria o primeiro sinal de uma divisão no posicionamento do PMDB no segundo turno.

Em entrevista, Maranhão disse que soube da reunião pelo ClickPB e que ponderou com Vitalzinho que o mesmo não poderia anunciar uma posição antes do PMDB. “Faremos uma reunião amanhã para decidir e anunciar nossa posição”.

 

clickpb

Vital do Rêgo pede investigação à Polícia Federal sobre vazamento de perguntas

vitalzinhoO presidente das duas comissões parlamentares de inquérito que investigam irregularidades na Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), informou na manhã desta terça-feira (5) que formalizou um pedido de investigação à Polícia Federal para apurar a suposta participação de servidores em vazamento de informações a depoentes da CPI exclusiva do Senado, conforme divulgado pela revista Veja. Além disso, ele pediu à Diretoria-Geral do Senado a abertura imediata de sindicância.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Vital do Rêgo rechaçou, no entanto, a sugestão da oposição de que a CPI do Senado deveria suspender suas atividades em consequência da denúncia. Ele afirmou que a CPI não pode perder o foco e negou que os trabalhos da comissão tenham sido comprometidos. “Vamos continuar a apuração dos fatos. É a nossa missão. A CPI não pode ser suspensa, até por um dever constitucional e institucional do Senado”, disse.

Relatório Vital lembrou que a CPI do Senado tem mais um mês e 15 dias de funcionamento e, se não for aprovado nenhum pedido de prorrogação dos trabalhos, o relatório final com a conclusão das investigações pode ser entregue antes das eleições.

Ao comentar o comportamento da oposição diante das denúncias, o presidente disse que, como os oposicionistas não participam dos trabalhos da CPI exclusiva, o direito de protesto fica diminuído. A oposição tem direito a 3 das 13 vagas na CPI do Senado, mas recusou as indicações, com o argumento de que não seria possível fazer a devida apuração diante de um suposto controle do governo.

Denúncia Segundo a Veja, a presidente da Petrobras, Graça Foster, o ex-presidente Sérgio Gabrielli e o ex-diretor da área internacional Nestor Cerveró tiveram acesso antecipado às perguntas que seriam feitas pelo relator José Pimentel (PT-CE) e foram orientados por funcionários da estatal sobre a melhor maneira de respondê-las.

A CPI da Petrobras tem 13 integrantes, sendo dez da base de apoio ao governo. Os oposicionistas optaram por participar somente da CPI Mista, composta também de deputados. As duas comissões de inquérito têm a missão de investigar denúncias de superfaturamento na construção de refinarias; falhas de segurança no lançamento de plataformas ao mar; prejuízos sofridos pela Petrobras na compra da refinaria de Pasadena (EUA) e o suposto pagamento de propina a funcionários para o fechamento de contratos.

 Redação com Agência Câmara

Rui Falcão determina que PT apoie a pré-candidatura de Vital do Rêgo na Paraíba

ruifalcaoO presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Ruy Falcão, anunciou na tarde desta quinta-feira (26) que na Paraíba a legenda apoiará o nome do senador do PMDB, Vital do Rêgo Filho, para o governo da Paraíba.

Ele citou a Paraíba entre os estados em que a Direção Nacional teve que ajustar decisões tomadas.

Questionado sobre o apoio dado ao governador Ricardo Coutinho (PSB) pela direção estadual, ele disse que foi discutido o fato do apoio ao socialista, caso Ricardo Coutinho não formasse palanque para candidato do PSB à presidência da República, Eduardo Campos, aqui na Paraíba, mas a direção nacional estaria insistindo no apoio ao  PMDB, ao nome de Vital do Rego. “O nosso povo lá quer apoio a Ricardo Coutinho…, mas nós estamos insistindo no apoio ao Vital do Rego”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O anúncio do apoio ao PMDB, na Paraíba, foi feito durante entrevista coletiva em que Ruy informa a posição do partido da presidente Dilma em diversos estados do país.

“Toda nossa decisão vai ser convertida em resolução jurídica e todas as chapas terão que ser homologadas por nós”, disse Ruy.

O senador Vital do Rego, em sua página pessoal no Facebook, disse que é pré-candidato ao governo do Estado e cita os nomes de Dilma e Lula como apoiadores de sua decisão. Vital cita, ainda, o nome do ex-governador Roberto Paulino para a vice-governadoria.

Na página pessoal do Facebook, Vital escreveu: “Acabei de receber a missão do PMDB para comandar a chapa na Paraíba, Eu, Lula e Dilma temos certeza da vitória por uma PB e um País melhor!”.

 

 

portalcorreio

 

 

‘EM RESPEITO À JUSTIÇA ELEITORAL, O PORTAL FOCANDOANOTICIA.COM.BR SUSPENDE TEMPORARIAMENTE A PUBLICAÇÃO DE COMENTÁRIOS POLÍTICOS NESTE ESPAÇO PARA EVITAR EVENTUAIS CASOS E INTERPRETAÇÕES DE PROPAGANDA ELEITORAL ANTECIPADA E/ OU USO PARA DENEGRIR PRÉ-CANDIDATOS. AGRADECEMOS AOS LEITORES PELA COMPREENSÃO.

De preferido a preterido, senador Vital do Rego ‘peita’ presidente Dilma no Senado

dilma-vital regoDepois de ver seu nome passar de preferido a preterido na sucessão do Ministério da Integração Nacional, o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) tem usado a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado para peitar a presidente Dilma Rousseff com projetos polêmicos para o governo em ano eleitoral. Na próxima quarta-feira, ele incluiu na pauta uma proposta que reduz a maioridade penal e outra que troca o indexador das dívidas dos Estados.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O movimento começou nesta semana, quando a comissão se reuniu pela primeira vez desde a volta do recesso e Vital já incluiu na pauta matérias delicadas para o Palácio do Planalto. Coube à ex-ministra da Casa Civil e senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) o papel de “fiscal” do governo na CCJ ao pedir vista de projetos. O líder do governo, Eduardo Braga (PMDB-AM), não participou da reunião porque teve um “problema dentário”.

Agora, Vital quer votar uma proposta do líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (SP), de tornar rigorosas, sob determinadas circunstâncias, as punições para menores de 18 anos. O governo não quer se posicionar abertamente contra a proposta, temendo um desgaste eleitoral para Dilma.

Por sua vez, o projeto que muda o fator de correção das dívidas de Estados e municípios com a União tem potencial para, se aprovado agora, contribuir para um eventual rebaixamento da nota do País por agências de risco. A equipe econômica avalia que a medida passaria um sinal de frouxidão fiscal e seria mais um fator para afastar investidores estrangeiros. Pelo calendário, a proposta voltaria ao plenário daqui a duas semanas.

A pauta costurada milimetricamente por Vital é considerada por aliados como uma retaliação a Dilma por ela o ter deixado, desde outubro passado, na expectativa em relação à sua indicação para o Ministério da Integração Nacional. “Em época de reforma, de eleição, de vai não vai, é preciso usar as armas que se tem para fazer as coisas caminharem”, disse um peemedebista próximo ao senador paraibano.

Publicamente, no entanto, senadores do PMDB dizem não haver mudanças na postura de Vital. “Se aguarda votação, ele tem que colocar para votar. O que vai fazer? Engavetar tudo o que o governo não quer?”, disse Romero Jucá (RR). “Uma coisa é o Executivo, outra é o Legislativo. Os projetos têm que andar. Agora, o governo tem base para quê? Derruba o que não interessa”, afirmou o líder da bancada na Casa, Eunício Oliveira (CE).

Municípios. Na Câmara, as articulações do PMDB para retaliar o governo em razão da reforma ministerial também existem. A primeira resposta no Congresso deve vir com a tentativa do partido de derrubar, em votação aberta, o veto presidencial ao projeto que muda regras para a criação de municípios. Da forma como foi aprovada pelo Congresso, a proposta abre caminho para a regularização de 57 cidades e criação de outras 188, com o custo estimado em R$ 9 bilhões para montagem de novas estruturas administrativas. “Vamos manter a coerência que tivemos quando o projeto passou na Câmara”, disse o líder da bancada, deputado Eduardo Cunha (RJ).

Nesse aspecto, porém, os deputados da legenda não atuarão conjuntamente com os correligionários do Senado, que pretendem manter o veto presidencial. A justificativa é a promessa do governo de enviar um novo projeto que ampliará as estruturas municipais e atenderia os mais de mil prefeitos que o PMDB tem no País.

A atuação distinta, contudo, não surpreende os integrantes da sigla. “Esse é o tradicional jeito do PMDB de agir”, resumiu um senador petista.

Blog do Luís Torres

Dilma discute detalhes para nomeação do senador Vital do Rêgo com Michel Temer

dilma e vitalA presidente Dilma Rousseff deve confirmar a nomeação do senador paraibano Vital do Rêgo no Ministério da Integração Nacional. De acordo com o jornalista Lauro Jardim, os detalhes para posse de Vitalzinho foi discutida nesta quinta-feira (9) no Palácio do Planalto.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Veja o que diz o jornalista em seu blog na Veja Online.

Dilma Rousseff está reunida neste momento com Michel Temer, Gleisi Hoffmann, José Eduardo Cardozo e Celso Amorim no Palácio Alvorada.

Antes da chegada dos demais, porém, Dilma conversou a sós com Temer, que foi para o encontro com uma missão prioritária: tratar da confirmação de Vital do Rêgo para o Ministério de Integração Nacional.

A ideia é sair do Alvorada com a data de nomeação do correligionário definida.

MaisPB 

STF arquiva investigação contra Cássio com base em acusações feitas por Vital do Rêgo

cassioO Supremo Tribunal Federal (STF) arquivou uma iinvestigação que foi aberta contra o senador Cássio Cunha Lima (PSDB). A ação foi movida pelo Ministério Público Eleitoral, com base em acusações feitas pelo senador Vital do Rêgo Filho (PMDB), que sustentava que o tucano teria usado a estrutura do Governo do Estado, em 2008, para beneficiar a campanha do atual vice-governador Rômulo Gouveia (PSD) para a prefeitura de Campina Grande. A decisão foi publicada nesta sexta-feira (22) e a magistrada considerou que a denúncia já estava prescrita.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com a denúncia, Cássio, que na época era governador, e o atual vice-governador Rômulo Gouveia, então deputado federal, e candidato a prefeito, teriam realizado um evento de campanha eleitoral velada no Centro de Convenções Raimundo Asfora. Sob orientação de Cássio, teria ocorrido o deslocamento de funcionários públicos estaduais e aliados de diversas localidades do Estado. A acusação sustentava ainda que os gastos com o evento não tinham sido declarados à Justiça Eleitoral por Rômulo.

O caso subiu para o Supremo Tribunal Federal após Cássio assumir o mandato de Senador. O procurador-geral da República, Roberto Monteiro Gurgel, já havia dado parecer sustentando a inexistência de provas de crime eleitoral contra Rômulo, pelo fato de ele ter declarado os gastos com o salão de convenções para o evento.

No caso de Cássio, o procurador considerou que o suposto delito cometido pelo senador já tinha tido seu prazo de punição prescrito. A acusação era de que ele teria infringido o artigo 377 do Código Eleitoral, que determina que o serviço de órgãos estatais não pode ser utilizado para beneficiar partido ou organização de caráter político.

A irregularidade tem pena máxima de seis meses de detenção e o prazo prescricional é de dois anos.”Como o delito apurado teria ocorrido em 15.10.2008, a pretensão punitiva restou fulminada pelo transcurso do prazo em outubro de 2010, pois até esse momento não havia incidido nenhuma causa de suspensão ou interrupção do prazo prescricional. Cabe referir que os autos somente foram remetidos a esta Suprema Corte em dezembro de 2011″, diz a ministra Rosa Weber em sua decisão.

 

 

politicapb