Arquivo da tag: visão

Coçar os olhos provoca prejuízos à visão e pode causar cegueira

Coçar os olhos, apesar de parecer um ato bem simples e comum, pode acarretar graves problemas à saúde. Esse hábito é capaz de provocar alguns prejuízos à saúde ocular, um deles é o ceratocone, doença que causa a dilatação da córnea (camada fina, transparente e anterior do olho) gerando distorção e embaçamento da visão. O alerta é da médica oftalmologista do Hapvida, em João Pessoa, Ana Elizabeth Melo. A enfermidade atinge cerca de 150 mil pessoas por ano no Brasil

Apesar dos casos de cegueira como consequência da ceratocone serem raros, a oftalmologista explica que para diagnosticar o problema é necessária a realização de exames complementares. “O indivíduo passa a ter uma visão turva, embaçada e à medida que a doença evolui os óculos deixam de surtir efeito no tratamento. A partir daí, é preciso fazer o uso da lente de contato rígida para moldar a visão”, esclarece a especialista.

Porém, em alguns casos há pessoas que não se adequam ao uso de lentes de contato, nessa situação, o indivíduo é orientado ao tratamento cirúrgico que pode ser realizado por meio do Crosslinking (tratamento cirúrgico utilizado para tratar o ceratocone), com o intuito de barrar o avanço da doença; ou a implantação do anel corneano, que tem o objetivo de regularizar a córnea que se encontra deformada.

Apesar de ser uma doença pouco conhecida, a ceratocone é multifatorial e, de acordo com Ana Elizabeth, pode ocorrer pelo cunho genético, mas não atinge todos os descendentes (aproximadamente 8% é acometido) e outra forma de ocorrência é o físico, por meio do ato de coçar os olhos.  “Coçar os olhos pode gerar o desenvolvimento da ceratocone, além de infecções oculares como a conjuntivite e. Por isso, é fundamental recorrer a consultas oftalmológicas precocemente para identificar possíveis problemas do trato ocular e obter prescrição de medicações para evitar o surgimento da doença”.

Cuidado com a maquiagem– Para as pessoas que fazem uso regular de maquiagem é necessário estar atento a qualidade do produto, prazo de validade e, além disso, fazer o uso de lubrificantes oculares para evitar doenças. A utilização do soro fisiológico para lubrificação dos olhos e evitar a coceira também é permitido, porém, este precisa estar gelado.

 

Assessoria de Imprensa

 

 

Paiva Netto: Visão geoantropocêntrica do pensamento

De minha obra Jesus e a Cidadania do Espírito, destaco um tema que é muito apropriado a este nosso estudo. Nele, afirmo — e não se espantem: O conhecimento humano não deve escravizar as Almas.

Alguns pensadores, embora tenham abandonado a perspectiva que Ptolomeu(90-168) possuía a respeito da Terra e do Sol — a de que tudo girava ao redor de nosso planeta (geocentrismo) —, lá no fundo, ainda assim academicamente raciocinam. Cultivam uma visão geoantropocêntrica em suas observações, submetendo os próprios juízos à distorcida imagem de uma ciência que, apesar de percorrer longuíssimas distâncias, no bojo de bólidos*1 e mais bólidos de ultravelocidade, ideologicamente orbita em torno do globo terrestre; de uma filosofia cujo eixo gravitacional é o orbe que habitamos; de uma limitada espiritualidade geoestacionária etc. Não creem, hoje em dia, no errôneo sistema astronômico do pensador grego, mas agem, falam, escrevem como se tudo estivesse restrito à nossa áreaou à visão material do Universo.

Escrevi na Folha de S.Paulo, na década de 1980, que isso nada mais constitui do que um sistema egocêntrico: o ser humano a pretender que tudo evolua em torno do seu ego. Quanta presunção!

Porém, já há muitos que se referem a novos universos, por meio do estudo da mecânica quântica e relativística. E mais: pelo menos alguns, por exemplo, já têm intuído a existência de outros Cosmos, os espirituais, revelados pela Ciência além da ciência.

Precisamos ter a compreensão de que, mesmo estando na Terra, vivemos a Vida Eterna. Aonde você vai, meu Irmão, minha Irmã, meu jovem, minha jovem, durante o sono? Há regiões sublimes ainda não alcançáveis a Espíritos de poucas luzes. Quando chegar a hora, as portas lhes serão abertas. Ninguém jamais deve forçar a sua entrada pelo aparente, porém desastroso, “atalho” do suicídio, pois as consequências são gravíssimas: conduz a Alma a territórios espirituais asfixiantes, umbralinos, trevosos. A Lei de Deus tem que ser respeitada.

Muitas vezes, o indivíduo, quando infringe as leis humanas, fica aparentemente impune. E coisas dessa natureza têm sido a desgraça das nações. Entretanto, não se iludam: no Mundo Espiritual, ou ainda mesmo na matéria, o sujeito é apanhado pela Lei de Deus. Diante dos sublimes mecanismos do Cosmos, não há brechas para o não cumprimento da Lei Divina. O que pode existir, isso sim, é um acréscimo de misericórdia de que nos fala Jesus. Mas o certo é que não há impunidade ao infrator em nenhum ponto do Universo.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

 

 

Andador pode limitar a exploração motora e a visão das crianças

andadorDepois de três meses de idade, um bebê mediano começa a rolar deliberadamente (e não acidentalmente como anteriormente fazia). Primeiramente, o movimento de rolar será de frente para trás, depois de trás para a frente. Com seis meses de idade, o bebê irá conseguir sentar-se sem apoio. Entre os seis meses e os dez meses, a maioria dos bebês começam a se deslocar por conta própria: arrastando-se e engatinhando.

Bebês que engatinham tornam-se mais sensíveis ao lugar onde os objetos estão, começam a perceber mais o que mundo que o cerca. Se os objetos que o rodeiam podem se deslocar e como eles se parecem. É uma fase de muitas descobertas.

O ato de engatinhar auxilia para que o bebê comece a desenvolver noções de distância e profundidade. A partir do momento que ele começa a ter autonomia para se movimentar mais, o bebê começa a ouvir advertências do tipo “Volte aqui”. Quando os adultos pegam o bebê e os vira em outra direção mais segura, o bebê irá começar a se lembrar dessas instruções quando ele seguir para uma direção de um objeto proibido. Com isso, o condiciona a olhar para os cuidadores para saber se uma situação é segura ou perigosa, surgindo, assim, uma habilidade já conhecida como referencial social.

Ao segurar nas mãos de alguém ou se apoiar em algum móvel, o bebê consegue ficar de pé pouco depois dos sete meses de idade. Em pouco tempo, o bebê irá largar o apoio e ficará de pé sozinho. Um bebê mediano conseguir ficar em pé normalmente uma ou duas semanas antes do primeiro aniversário (ou seja antes de 1 ano de idade). Logos após o primeiro aniversário, uma criança mediana consegue andar razoavelmente bem.

Muitos pais colocam os bebês em andadores acreditando que com essa atitude seus filhos irão começar a andar mais cedo. O andador restringe a exploração motora do bebê, além de limitar a visão que o bebê tem acerca dos seus próprios movimentos, com isso, os andadores podem retardar o desenvolvimento da habilidade motora de seu bebê, afetando assim na psicomotricidade do mesmo.

Com dois anos de idade, a criança começa a subir degraus, um de cada vez, colocando um pés após o outro no mesmo degrau, mais tarde ela alternará os pés. Somente depois é que ela irá passar a descer degraus. Aos 3 anos de idade, a criança já consegue correr, pular, equilibra-se brevemente em um pé só e a partir daí ela começa a saltar.

Marcos do Desenvolvimento Motor:

Habilidade 50% 90%
Rolar 3 meses 5 meses
Pegar um chocalho 3 meses 4 meses
Sentar sem apoio 5 meses 7 meses
Ficar em pé apoiando em algo 7 meses 9 meses
Pegar com o polegar e o indicador 8 meses 10 meses
Ficar em pé sozinho e com firmeza 11 meses 13 meses
Andar bem 12 meses 14 meses
Montar uma torre com 2 cubos 14 meses 20 meses
Subir escadas 16 meses 21 meses
Pular no mesmo lugar 23 meses 24 meses
Copiar um círculo 3 anos 4 anos

A relação entre o corpo e os objetos situados no espaço ao seu redor contribui para a consciência de si próprio e contribui para o seu desempenho no espaço. Com a percepção ampla do corpo, vem uma seguinte etapa, a de consciência de cada segmento corporal, qual realiza de forma interna (sentindo uma parte de seu próprio corpo) e externa (a percepção em relação ao corpo alheio como se fosse um “espelho).

Ajuriaguerra (1972) defende a ideia de que a por meio do corpo a criança elabora todas as suas experiências vitais e contribui para a organização de sua personalidade. A construção da imagem corporal está associada as estruturas mentais, devido a maturação cognitiva os movimentos se tornam mais elaborados, coordenados e complexos.

Devido a imagem corporal, a criança começa a delinear as primeiras noções espaciais, devido a distância percebida entre ela e o objeto, e a partir de seu próprio corpo a criança esboça as primeiras noções de profundidade, quando ela flexiona o tronco de seu corpo.

A evolução da imagem corporal e a aprendizagem dependem de um equilíbrio entre a quantidade e a qualidade das relações integradas: objeto, corpo e meio social. A imagem corporal contribui também para a organização das emoções, que naturalmente depende da relação e interação com o outro, aliás, também fatores como tempo e momento.

Na criança sua imagem corporal depende, compreende e completa-se na imagem do corpo do outro e os outros que a rodeiam a envolvem, até porque o outro para criança é o centro de suas atenções e motivações, com isso a criança canaliza toda a sua afetividade nessa interação com o outro.

guiadobebe

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Consumo excessivo de açúcar pode afetar visão

ovosCom a chegada da Páscoa, os abusos com o chocolate podem gerar vários problemas de saúde, inclusive para os olhos. O conselheiro da Sociedade Brasileira de Oftalmologia e consultor do Instituto Varilux da Visão, Marcus Sáfady, explicou que as consequências do excesso de açúcar no organismo podem ser grave para a visão. Uma glicemia não estável pode levar a alterações dos vasos sanguíneos que provocam, em um estágio mais avançado, doenças oculares sérias, sobretudo para diabéticos.

“Quando o médico percebe pequenas dilatações nas extremidades dos pequenos vasos da retina, assim como presença de micro-hemorragias, confirma o diagnóstico de retinopatia diabética. Por isso, o exame oftalmológico é considerado muito importante no diagnóstico e controle do diabetes. Entre as complicações oculares mais graves da doença, em fases mais avançadas da retinopatia, estão a catarata e o glaucoma.” explicou Sáfady.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

A retinopatia diabética é uma complicação do diabetes ocasionada pela deterioração dos vasos sanguíneos que alimentam a retina. Se atingirem a mácula – área responsável pela visão de cores e detalhes – a pessoa poderá notar o aparecimento de manchas, a redução ou embaçamento da visão.  Inicialmente, a doença não apresenta sintomas, mas quando os problemas pioram, os vasos sanguíneos podem romper-se e vazar, causando as micro-hemorragias da retina. “Por isso é necessário que diabéticos realizem exames oftalmológicos regulares e mantenham a doença sob controle”, orientou o médico.

Ainda segundo o oftalmologista, a doença pode se caracterizar também pelo aparecimento de vasos anormais, mais frágeis e mais propensos ao rompimento, podendo dar origem a grandes hemorragias, formar cicatrizes e, consequentemente, levar ao descolamento de retina e provocar ainda o aparecimento do glaucoma”.

Chocolates sem açúcar e comer com moderação são as opções para quem não abre mão das guloseimas na época mais doce do ano. O médico lembra os cuidados regulares que devem ser tomados durante todo o ano para evitar a diabetes e outras doenças.

Agência Brasil

Polícia militar vistoria novo local da Festa da Luz em Guarabira, e avalia como seguro e de fácil visão policial

comandanteGbaA Polícia Militar, uma das grandes parceiras da Festa da Luz, esteve vistoriando o Parque de Eventos Poeta Ronaldo Cunha Lima, nessa terça-feira (6/1). Onde o comando do 4º BPM – Batalhão de Polícia Militar do Estado da Paraíba, com sede em Guarabira – constatou in loco que o novo local aonde irá ser realizado as festividades profanas alusivas às comemorações da padroeira da Rainha do Brejo Paraibano – é um espaço seguro e de ampla e fácil visão para o policiamento. Foi o que disse o tenente coronel Arilson Valério, comandante da referida instituição policial em entrevista ao repórter Zé Roberto da Rádio Constelação FM, durante o Programa “O Povo Pergunta, o Secretário Responde”, o qual foi apresentado direto do Parque do Poeta.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Para o comandante Valério, o local foi avaliado como excelente e está certo que Guarabira terá uma grande praça de eventos. E ainda afirmou que o Parque do Poeta, em relação a realização da festa da luz, na visão policial, é melhor do que o local anterior.

– O local é excelente. É mais facilitado para se ter uma visão geral da festa, inclusive do estacionamento. Diferente do outro espaço que é acidentado – avaliou o comandante, referindo-se ao fato, o qual toda a estrutura que comporá a festa vai estar em um único local, ou seja, barracas, palco principal, palco do brega, parque de diversão e estacionamentos.

– A nossa preocupação é com a segurança e assim, viemos observar in loco como se encontra o andamento das obras, pois há cerca de um mês estivemos no local, mas vi que houve um grande avanço de lá para cá – disse o oficial da PMPB.

Além de todos estes atributos para auxiliar no trabalho da polícia, a Prefeitura também contratou serviços de monitoramento através de câmera de segurança e o de instalação de cercas de isolamento ao redor de todo espaço que envolve a festa. O que dará uma maior sensação de segurança aos participantes do evento.

Codecom

Está na hora de mudar a nossa visão sobre adultério e casamento?

adulterioNa sociedade de hoje, o casamento acontece quando duas pessoas apaixonam-se e decidem passar o resto da vida juntos em um relacionamento monogâmico. Mas sabia que nem sempre foi assim? Na verdade, a versão moderna do casamento surgiu há apenas duzentos e poucos anos atrás. No passado, o casamento raramente estava relacionado ao amor (a maioria dos casamentos era arranjada de acordo com a renda e status social das famílias), e a maioria das sociedades permitiam e até esperavam casamentos plurais, seja com várias esposas ou vários maridos.

Sem dúvida, o conceito de casamento tem mudado bastante com o passar do tempo. Com a taxa de divórcio atual atingindo de 40% a 50% das relações, juntamente com a presença do adultério em muitos casamentos, talvez a hora tenha chegado para o conceito do casamento continuar a evoluir. De acordo com a Associated Press, a publicação sobre terapia de casais e família Journal of Marital and Family Therapy afirma que 41% dos cônjuges admitem a infidelidade, seja ela física ou emocional. Isso me leva a perguntar, “Será que realmente fomos feitos para nos envolvermos com apenas uma pessoa durante toda a nossa vida? E se não, temos que casar cinco vezes? Existem formas alternativas de perceber e participar de um casamento que garantirão o seu sucesso?”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Talvez o adultério seja inevitável

Centenas de anos atrás, a expectativa de vida era apenas uma fração do que ela é hoje. Quando duas pessoas se casavam com vinte e poucos anos, era bem possível que uma das duas estaria morta dentro de 10 a 15 anos – muitas vezes, bem antes disso. Mas nos dias de hoje, esse mesmo jovem casal pode acabar vivendo junto por 60 anos ou mais! Será que estamos sendo realistas ao pensar que duas pessoas podem manter a compatibilidade emocional, mental, física e sexual por tanto tempo? Eu já soube de vários casamentos que duraram tanto tempo, alguns até bem felizes, que é maravilhoso. No entanto, esses casos são bem raros.

Não me leve a mal… Eu não estou aprovando o adultério como nós o conhecemos nos dias de hoje, pois não falo apenas de sexo. Mas já que ele é um grande tabu, quando consideramos o contexto histórico do casamento, será que ficarmos chocados com o adultério não é um tanto exagerado?

Claro, ninguém pode negar que, quando você mente e faz algo sem que a outra pessoa saiba, você está fazendo algo errado. Você está quebrando um acordo, e isso é falta de integridade. Você está traindo a confiança da outra pessoa, o que é doloroso para qualquer um. Mas no decorrer de um relacionamento de longo prazo, considerando as realidades práticas da necessidade humana de vivenciar a vida por si só ou através de experiências em outros relacionamentos platônicos ou românticos, quem sabe possa surgir um novo tipo de diálogo com o seu cônjuge ou parceiro, onde os dois comunicam as suas necessidades e estabelecem parâmetros razoáveis e práticos do que é e do que não é permitido no seu casamento, para que os comportamentos negativos e ocultos associados com o adultério não aconteçam.

Uma visão evolutiva do casamento

Como o casamento evoluiu tanto com o passar do tempo e diferentes culturas podem ter visões distintas dele ainda hoje, talvez esteja na hora dessa antiga instituição evoluir mais uma vez. Talvez a medida de um casamento de sucesso não deva ser a monogamia ao longo de décadas. Ao invés disso, deveria ser uma comunicação entre parceiros que estabeleça como o casamento deles especificamente deva ser, o que será aceitável ou não.

Por exemplo, a maioria dos casais que acabam fazendo terapia comigo dizem que se acomodaram. Um deles, ou os dois, já desistiram do relacionamento, mas não querem o divórcio pelo bem dos filhos. Ou o casal ainda se ama, cada uma das partes entende o outro como alguém que lhe apoia e como um amigo próximo, mas não sente mais a atração sexual de antes. Ou um dos dois sente a necessidade de ter um tempo a sós para trabalhar questões próprias, longe das responsabilidades que um relacionamento exige. Em qualquer um desses casos, todos estão frustrados pelas limitações que lhe foram impostas pelas expectativas tradicionais do casamento.

Sempre peço aos meus clientes que criem uma visão, um plano de como querem que o casamento deles seja e quais condições os dois aceitam. Isso permitirá que o relacionamento cresça dentro dos limites que eles, como um casal singular, estabeleceram para o casamento. Um dos casais com que trabalho passou um ano separado. Outro casal decidiu que os dois viveriam separados, mas continuaram sendo grandes amigos, pois gostavam muito da amizade que tinham, mesmo tendo a paixão acabado. E advinha o que aconteceu com esses dois casais depois de um tempo? Eles reataram, pois se permitiram ter aquele espaço para respirar e sentiram que o simples fato de ter a liberdade de fazer o que queriam naquele momento acabou direcionando a energia deles para o parceiro(a) original. Às vezes, como diz o ditado, “longe dos olhos, perto do coração”. Talvez o período de “abstinência” tenha os aproximado novamente.

Cultivar esse tipo de transparência ao avaliar o relacionamento é um dos segredos para a felicidade e diminui a vergonha de esconder os seus desejos e necessidades do seu parceiro(a). Se o casamento é uma união sagrada, então devemos ao nosso parceiro(a) essa sinceridade, por mais complicadas que sejam as expectativas individuais do outro.

No meu trabalho como coach de vivência e professora espiritual em Hollywood, trabalho com muitos clientes que estão se divorciando e que consideram o adultério como a principal causa. E quando eu pergunto por que o adultério aconteceu, a pessoa que traiu geralmente explica que sentia uma desconexão emocional com o(a) parceiro(a) e se sentia presa – não havia mais comunicação entre eles. Imagine quantos divórcios e corações partidos poderiam ser evitados se a nossa cultura aceitasse esse tipo de comunicação aberta – o tipo de aceitação que permite que o casamento evolua para algo com o qual os dois concordem, ainda que não seja o que a sociedade tradicionalmente espera do casamento?

Se vamos ampliar ou evoluir na definição do casamento a fim de incorporar realidades modernas, a comunicação é o primeiro passo. Para isso acontecer, recomendo a todos que conversem com o cônjuge ou parceiro hoje, e juntos criem uma definição de como será o casamento. Sim, realmente é simples assim… E é a maneira mais eficiente de garantir um relacionamento feliz e saudável.

Brasil Post

Uso incorreto das lentes de contato pode provocar problemas na visão

O olho é a parte exposta mais frágil do corpo e, por isso, deve ser protegido. No Bem Estar desta quarta-feira (26), o oftalmologista Samir Bechara deu dicas de como prevenir problemas como a conjuntivite e também mostrou o jeito certo de cuidar das lentes de contato.

Há quem use lente por necessidade ou estética, mas seja como for, é preciso tomar cuidado já que ela é um corpo estranho nos olhos. Se não for usada do jeito certo, a lente pode causar infecções e até mesmo doenças graves na visão, como explicou o médico. Uma das principais dicas é lavar as mãos antes de manuseá-las e, na hora de tirar, é só afastar as pálpebras e remover. Depois de removida, é preciso higienizá-la com uma solução específica e colocá-la de volta no estojo.

Vale ressaltar que as lentes têm prazo de validade e não respeitar esse prazo pode ser perigoso – algumas duram apenas um dia, outras quinze dias e existem ainda aquelas que duram um mês, mas essas não podem ficar direto no olho e precisam ser retiradas e limpas.

Como explicou a oftalmologista Wania Freire na reportagem da Renata Cafardo, com o tempo, substâncias se depositam nas lentes e prejudicam seu funcionamento, podendo deixar a visão distorcida e causar infecções(veja no vídeo).

Se usadas da maneira errada, as lentes podem ainda inflamar os olhos e levar a alterações oculares como a conjuntivite. Muita gente costuma ainda dormir com as lentes e, segundo a oftalmologista, existem produtos específicos para o sono e, por isso, é bom perguntar para o médico.

No entanto, de maneira geral, a recomendação é evitar dormir com elas, como lembrou o oftalmologista Samir Bechara.

A limpeza da lente também é importante, mas não vale usar qualquer produto – o Bem Estar fez o teste de contaminação em lentes limpas com água, soro fisiológico, saliva e solução multiuso e o resultado mostrou que apenas a lente higienizada com a solução multiuso não teve presença de bactérias.

Isso mostra que todas as outras alternativas não são eficientes e podem aumentar até o risco de problemas na visão por causa do acúmulo de micro-organismos (confira o resultado do teste no vídeo).

Para as mulheres, a dica é colocar as lentes antes de passar a maquiagem e na hora de tirar a maquiagem, é preciso tirar as lentes primeiro.

Em relação à maquiagem, a dermatologista Sabrina Alessi alerta que não é recomendado dividir produtos como pincéis de olho, rímel, lápis de olho, já que isso pode aumentar o risco de transmissão de conjuntivite.

Conjuntivite
Coceira e vermelhidão são os primeiros sinais de conjuntivite, que pode ainda causar inchaço e sensação de lacrimejamento. Segundo o oftalmologista Renato Neves, ela pode ser provocada por uma reação do olho a produtos de higiene, por exemplo, mas as causas mais comuns são vírus e bactérias. O tipo bacteriano é mais comum de pegar na piscina ou ao colocar a mão suja no olho e pode causar até secreções nos olhos. Já o viral pode vir junto com a gripe, como explicou o médico na reportagem.

Existe ainda a conjuntivite causada pelo vírus do herpes, que aconteceu com o designer Francisco da Silva Rocha, mostrado na reportagem da Natália Ariede(veja no vídeo ao lado).

Após sentir um incômodo nos olhos, dor de cabeça e irritação, ele resolveu se automedicar com um colírio, o que agravou ainda mais o problema.

Ao procurar um médico, ele acabou descobrindo que estava com herpes ocular, relacionado ao herpes que já tinha na boca há anos. Depois de um tratamento com pomada, Francisco conseguiu se recuperar – porém, o oftalmologista Renato Neves faz um alerta para o risco de se automedicar com qualquer colírio, o que pode levar a consequências muito graves para a visão, como mostrou a reportagem.

Segundo o médico, existem diversos tipos de conjuntivite e todas exigem um tipo diferente de tratamento – por isso, é fundamental descobrir sempre a causa.

Se for para aliviar os sintomas, por exemplo no caso de vírus, é melhor usar o colírio de lágrima artificial. No caso da conjuntivite bacteriana, precisa ser um colírio de antibiótico. De qualquer maneira, é fundamental tomar cuidado na hora de usar o produto – a dica é lavar as mãos antes, pingar apenas uma gota e no centro do olho, não no canto.

conjuntivite (Foto: Arte/G1)
g1

Dirceu afirma que definição de penas reforça visão de julgamento ‘sob pressão’ do STF

O advogado de Dirceu prometeu continuar lutando para reverter a condenação do ex-ministro (Foto: Marcelo Justo. Folhapress)

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu lamentou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de fixar sua pena no julgamento da Ação Penal 470, o mensalão, de modo apressado, sem que a questão estivesse prevista na sessão dessa segunda (12).  “A pena de 10 anos e 10 meses que a suprema corte me impôs só agrava a infâmia e a ignomínia de todo esse processo, que recorreu a recursos jurídicos que violam abertamente nossa Constituição e o Estado Democrático de Direito”, afirmou Dirceu em nota publicada em seu blogue.

“Um julgamento realizado sob a pressão da mídia e marcado para coincidir com o período eleitoral na vã esperança de derrotar o PT e seus candidatos. Um julgamento que ainda não acabou. Não só porque temos o direito aos recursos previstos na legislação, mas também porque temos o direito sagrado de provar nossa inocência.”

Um pouco mais cedo, o advogado de Dirceu, José Luis Oliveira Lima, disse em entrevista coletiva nque se surpreendeu com a decisão do ministro relator Joaquim Barbosa, que inverteu a pauta do tribunal. “Todos os veículos noticiaram que no julgamento, hoje, terminava [a parte do] núcleo publicitário e começava o núcleo financeiro. Portanto, nós não estávamos presentes”, explicou.

A mudança de data irritou também o revisor do processo no STF, Ricardo Lewandowski, que cobrou de Barbosa coerência. Toda hora Vossa Excelência vem com uma surpresa! Vossa Excelência está surpreendendo a todos. O advogado do réu não está aqui! Eu vim de São Paulo, saindo de uma banca de mestrado! Se eu soubesse…”, manifestou em plenário.

José Dirceu foi condenado a dez anos e dez meses, enquanto a pena do ex-presidente do PT, José Genoino, foi fixada em seis anos e 11 meses. Por ser superior a oito anos, a soma das penas de Dirceu faz com que ele tenha de cumprir a sentença de prisão em regime fechado, como determina o Código Penal.

Questionado se ficou surpreso com a súbita alteração, Oliveira Lima disse que a mudança de data “surpreendeu a todos”, com a ressalva de que, “nesta fase do julgamento, a defesa não pode interferir na dosimetria da pena, esse é um ato privativo do magistrado”. Qual o motivo de Barbosa ter tomado tal decisão? “É melhor perguntar ao ministro Joaquim Barbosa, não à defesa”, disse o advogado, laconicamente.

Quanto à pena propriamente dita, Oliveira Lima disse ser preciso primeiro “ratificar” a posição da defesa de que Dirceu deveria ter sido absolvido. “No tocante à dosimetria, entendo que o STF não seguiu a jurisprudência da corte. Porque ele aumentou a pena bem acima do mínimo, não atendeu os requisitos, no entender da defesa, de um homem com 40 anos de vida pública sem qualquer mácula, sem qualquer mancha, sem qualquer antecedente criminal. Portanto, entendo que a dosimetria foi acima do que é a regra do STF.”

Recurso

Oliveira Lima disse na entrevista que, embora respeite, discorda da decisão do STF. “Não apenas quanto à dosimetria da pena. Quero mais uma vez manifestar que a defesa entende que no julgamento que decidiu pela condenação de José Dirceu, o STF não examinou as provas carreadas na Ação Penal 470 com o costumeiro acerto.”

Ele afirmou que os embargos infringentes na questão de formação de quadrilha podem ser usados pelo fato de que a condenação teve quatro votos favoráveis à defesa. “Nos embargos infringentes, posso inclusive conseguir a absolvição. Embargos infringentes é a possibilidade de o plenário modificar a decisão no tocante a uma condenação, no caso aqui específico, no crime de formação de quadrilha, não de corrupção, porque nesse a defesa teve apenas dois votos”, disse o advogado. No entanto, segundo ele, os embargos de declaração podem ser usados para “modificar alguma situação que pode beneficiar meu cliente”.

De acordo com o advogado, os embargos de declaração dependem da publicação do acórdão. “Mas nos embargos infringentes já posso [interpor o recurso], porque tenho quatro votos favoráveis. Todos os recursos que tiverem previsão legal e que puderem dar a demonstração da inocência de meu cliente serão tomados”, disse Oliveira Lima.

Sobre recurso na Corte Interamericana de Direitos Humanos, ele afirmou que também precisa avaliar a situação depois da publicação do acórdão. “Não há decisão sobre isso, enquanto não analisar o acórdão não tenho como afirmar que vou tomar essa medida na Corte Interamericana.” O advogado disse ter conversado com José Dirceu após a imputação da pena e disse que ele está reservado. “Ninguém pode receber uma notícia dessa de maneira satisfatória.”

José Genoino

O advogado de José Genoino, Luiz Fernando Pacheco, divulgou nota oficial após a divulgação de sua pena de seis anos e 11 meses importa pelo STF. Leia a íntegra.

“Sobre a definição da pena a ser aplicada a José Genoíno

José Genoino e sua defesa reiteram seu respeito ao Supremo Tribunal Federal.A aplicação da pena é apenas a decorrência maior da injustiça já antes perpetrada. Sua condenação contraria toda a prova dos autos.

Irresignado, o acusado viverá até o fim de seus dias. E isso quer dizer que continuará batalhando junto ao Supremo a causa de sua inocência. Condenação sem o mínimo indício de prova merece reparação seja quando for, onde for e de quem for.

Homem público reconhecido por sua Ética, por sua Moral ilibada, por sua vida de dedicação ao projeto de País no qual sempre acreditou e acredita. Exemplo de bom servidor, pai, marido e avô. Exemplo de amigo, de companheiro de seus companheiros, de fraterno porém corajoso lutador, que não esmorece e nem esmorecerá jamais diante de qualquer que seja a adversidade.

Homem de guerrilha, prisão e tortura, batalhador congressista que foi, não se impressiona com a condenação de agora. Antes, encara e de peito aberto e cabeça erguida. Foi feito um juízo – e dele mais uma vez discorda firme e energicamente – um juízo de valor sob a égide do Estado de Direito. Convém respeitá-lo.

Aceitá-lo, jamais!

Vencido foi o réu e vencida foi a própria Justiça! Paciência. Resignação, de parte do acusado, nunca! Paciência e submissão às ordens emanadas da mais elevada Corte, sob o regime do Estado de Direito, sim.

Subserviência, jamais!

Luiz Fernando Pacheco – advogado de José Genoíno Neto

redebrasilatual