Arquivo da tag: Violência

Mulheres vítimas de violência terão acesso a abrigo provisório

Mulheres em situação de violência doméstica terão acesso ao serviço de abrigamento provisório na Paraíba até o mês de setembro. As vagas abertas em local sigiloso, a partir desta terça-feira (30), são resultantes de uma parceria do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana, do Instituto Avon e uma entidade da sociedade civil.

O projeto de serviço temporário foi criado para atender os casos de violência contra as mulheres, principalmente durante a pandemia do Covid-19, e vem se somar ao serviço da Casa Abrigo Aryane Thays.

Acesso ao abrigo

As vagas no abrigo provisório são para as mulheres que não estão sofrendo ameaças de morte, mas que querem romper o ciclo de violência. As mulheres podem acessar o serviço por 24 horas, numa urgência, ou até por semanas.

Para isso, elas precisam ser encaminhadas pelo Programa Integrado Patrulha Maria da Penha (PIPMP), a Casa-Abrigo Aryane Thais (CAAT), as Delegacias Especializadas de Atendimento às Mulheres (DEAMs) e demais serviços de atendimento que compõem a Rede de Atenção às Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Sexual (Reamcav), como Centros de Referências de Mulheres, Creas, Cras.

O serviço atenderá exclusivamente mulheres maiores de 18 anos de idade, em situação de violência doméstica e familiar, acompanhadas ou não de seus filhos; obrigatoriamente usuárias encaminhadas e referenciadas pelos serviços de atendimento e/ou enfrentamento da violência doméstica e familiar da Paraíba. Todas serão acompanhadas por uma equipe multiprofissional.

Os serviços que precisam encaminhar as mulheres podem entrar em contato com a Secretaria da Mulher e da Diversidade pelo telefone da coordenação (083 98690-6672) e e-mail (abrigamentoprovisoriopb@gmail.com) para envio dos encaminhamentos e relatórios psicossociais.

Outros serviços

A Semdh mantém o funcionamento do Centro de Referência da Mulher Fátima Lopes, em Campina Grande, o Centro Intermunicipal de Referência da Mulher, Maria Eliane Pereira dos Anjos, em Sumé, a Casa-Abrigo Aryane Thais e o Programa Integrado Patrulha Maria da Penha. Estes dois últimos mantidos em funcionamento presencial (obedecendo seus fluxos) e os demais com atendimento remoto (disponibilizados números de telefones para o atendimento e orientações).

  • Disque 197 (Disque Denúncia Polícia Civil)
  • 190 (Disque Denúncia Polícia Militar – Emergência)
  • Renovação de Medidas Protetivas Online (99146-7175)
  • Patrulha Maria da Penha (3221-1673)
  • Centros de Referência da Mulher Campina Grande (98826-8844) e Sumé (99400-7022)
  • Abrigamento provisório – (98690-6672)

 

portalcorreio

 

 

Vítima de violência em casa pode pedir ajuda em 224 farmácias da PB

Desde que foi lançada, no dia 10 de junho, pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a Campanha “Sinal vermelho contra a violência doméstica” já conseguiu a adesão de 224 estabelecimentos farmacêuticos na Paraíba.

A iniciativa, que tem o apoio do Poder Judiciário estadual, objetiva incentivar denúncias por meio de um símbolo: ao desenhar um “X” na mão e exibi-lo ao farmacêutico ou ao atendente da farmácia, a vítima poderá receber auxílio e acionar as autoridades.

“O envolvimento da sociedade tem sido, também, um grande diferencial. Tenho dito que essa campanha, em meio a realidade que vivemos, tem despertado muito forte o sentimento de solidariedade. E, esse número expressivo de farmácias que já aderiram à ela em nosso estado comprova isso”, disse a gestora da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do TJPB, juíza Graziela Queiroga.

Cidades

Conforme a lista de adesões disponibilizada no site da AMB, das 224 farmácias que participam da campanha no Estado, a maioria está localizada em João Pessoa e Campina Grande. Participam, ainda, as cidades de Alhandra, Aparecida, Araçagi, Arara, Araruna, Aroeiras, Assunção, Bayeux, Bananeiras, Baraúnas, Barra de Santa Rosa, Belém, Cabedelo, Cajazeiras, Caldas Brandão, Camalaú, Casserengue, Catolé do Rocha, Conceição, Coremas, Cuité, Cuitegi, Damião, Esperança, Guarabira, Ingá, Itabaiana, Itapororoca, Jacaraú, Juarez Távora, Junco do Seridó, Juripiranga, Juru, Mamanguape, Mari, Mataraca, Montada, Monteiro, Patos, Paulista, Pedra Lavrada, Pedras de Fogo, Piancó, Pilões, Pocinhos, Poço de José de Moura, Pombal, Prata, Princesa Isabel, Rio Tinto, Santa Rita, Santana dos Garrotes, São Bento, São João do Cariri, São João do Rio do Peixe, São João do Tigre, São José de Piranhas, São José dos Ramos, São Mamede, São Vicente do Seridó, Serra Branca, Sapé, Solânea, Sousa, Sumé, Tacima, Taperoá e Uiraúna. Veja aqui as redes que aderiram à campanha.

Adesão

A iniciativa ainda conta, no âmbito estadual, com apoio do Governo do Estado, da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana (SEMDH), da Associação dos Magistrados da Paraíba (AMPB), da Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social e do Conselho de Farmácia.

Os estabelecimentos farmacêuticos interessados em participar da campanha bastam entrar no site da Associação dos Magistrados Brasileiros, no endereço eletrônico: https://www.amb.com.br/sinalvermelho, e terão acesso a todas as informações necessárias.

 

portalcorreio

 

 

Polícia Militar prende em Caiçara suspeito de violência doméstica

Policiais da 3ª Companhia do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) prenderam, no início da madrugada desta segunda-feira (29), na cidade de Caiçara, um homem suspeito de violência doméstica depois dele agredir fisicamente a companheira e tentar invadir a residência de parentes, para onde ela foi se abrigar depois de conseguir fugir das agressões.

Ao chegarem à residência, os policiais mantiveram contato com a proprietária do imóvel, que é tia da vítima, que confirmou a denúncia de que no local o suspeito queria continuar as agressões, que teriam começado na residência do casal.

A companheira do suspeito confirmou que teria sido agredida fisicamente após dizer que não teria dinheiro para que ele comprasse cigarros e ele também teria tentado sufocá-la utilizando-se de um saco plástico, mas ela conseguir se desvencilhar e fugir para a casa de familiares.

O suspeito foi preso e foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil, juntamente com a vítima, para autuação em flagrante pelo crime de violência doméstica.

P/5 – Seção de Comunicação Social e Marketing Institucional do 4º BPM

 

 

Polícia Militar prende mais um suspeito de violência doméstica em Guarabira

Policiais do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) realizaram, nesse sábado (20), no centro de Guarabira, mais uma prisão de um suspeito de violência doméstica, a segunda em menos de 24h na cidade. A prisão aconteceu no final da tarde, depois que o Copom recebeu a denúncia de que uma mulher estaria sendo agredida fisicamente pelo companheiro.

Ao tomar conhecimento do fato, de imediato uma guarnição compareceu ao local e foi informada pela vítima que as agressões teria começado depois que o companheiro a presenciou ingerindo bebida alcoólica com os vizinhos. Depois de ser detido, o suspeito foi conduzido à delegacia para a autuação em flagrante.

P/5 – Seção de Comunicação Social e Marketing Institucional do 4º BPM

 

 

Policiais do 4º BPM prendem suspeito de violência doméstica em Alagoinha

Um homem suspeito de violência doméstica foi preso em flagrante por policiais da 2ª Companhia do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) nessa quinta-feira (28), no Conjunto Morada Nova II, na cidade de Alagoinha. A guarnição comandada pelo cabo Jewson foi informada que uma mulher teria sido agredida pelo companheiro e se dirigiu ao local, onde encontrou a vítima com vários hematomas pelo corpo.

A mulher relatou aos policiais que tinha sido agredida pelo esposo, que utilizou um pedaço de fio. O suspeito tinha se evadido do local, mas após diligências, cerca de duas horas depois ele foi localizado e preso. Em seguida, foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil para a autuação em flagrante.

 

Assessoria 4º BPM

 

 

Violência: homem é assassinado a tiros em Logradouro

No começo da noite desta quinta-feira (28), a guarnição comandada pelo Cabo Franklin foi informada através da linha direta que teria ocorrido um homicídio na cidade de Logradouro-PB.

De imediato a guarnição foi ao local informado próximo à divisa com o município de Nova Cruz-RN, onde já se encontrava uma guarnição da Polícia Militar do RN, sendo constatado que havia um homem sem sinais vitais caído no solo ao lado da moto Honda Fan 150 de cor vermelha, placa OJU 9G21-RN, apresentando perfurações nas costas e no abdome.

De acordo com relato de populares, que disseram ter ouvido quatro disparos de arma de fogo, no entanto, não souberam informar quem teria feito os disparos.

A perícia esteve no local, fez os procedimentos e a remoção do corpo para o Gemol, em Guarabira. As diligências continuam, no sentido de identificar, localizar e prender os homicidas.

 

portal25horas

 

 

Preso por violência doméstica morre e policiais ficam feridos após serem atropelados durante ocorrência na Paraíba

Um homem foi preso suspeito de atropelar um preso e dois policiais militares na estrada entre Capim e Sapé, na Zona da Mata paraibana. O fato aconteceu na noite deste domingo (24).

As primeiras informações são de que um detido pela PM morreu e os policiais ficaram feridos. Eles teriam atendido uma ocorrência em que uma mulher havia denunciado o marido por violência doméstica.

Durante a condução do suposto agressor, um outro homem surgiu com o carro e atropelou as três pessoas. As circunstâncias do atropelamento ainda não foram esclarecidas.

Ainda de acordo com as informações preliminares, os policiais tiveram apenas ferimentos. O condutor do veículo foi preso.

 

clickpb

 

 

Em Cuitegi, homem agride a esposa e é preso em flagrante por violência doméstica

Um homem foi preso em flagrante por policiais do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) na noite dessa terça-feira (12), no Conjunto Roberto Paulino, em Cuitegi, depois de agredir fisicamente a esposa. A guarnição do Destacamento local foi acionada pelo Copom para atender a uma ocorrência envolvendo um conflito entre um casal. Chegando ao local, os policiais foram informados pela vítima que o marido teria chegado do trabalho e se desentendeu com ela por causa dos filhos.

Como ela não gostou da reclamação dele, os dois entraram em vias de fato e ele a teria lesionado na perna e no braço. Após o relato da vítima, os policias encontraram o suspeito trancado dentro do banheiro da residência. Ele foi preso e conduzido à Delegacia de Polícia Civil, juntamente com a vítima, para a lavratura do auto de prisão em flagrante por violência doméstica.

 

Assessoria 4º BPM

 

 

Policiais do 4º BPM prendem neste domingo dois suspeitos de violência doméstica

Policiais do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) registraram, neste domingo (26), dois casos de violência doméstica e, em ambos, os suspeitos foram presos. O primeiro caso aconteceu no Loteamento Pouso das Garças, em Guarabira, e a vítima compareceu pessoalmente à sede do Batalhão para informar que tinha sido agredida pelo próprio companheiro. De imediato, os policiais foram até o endereço informado por ela e, após rondas, conseguiram prender o suspeito. Os envolvidos foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil para serem tomadas as providências legais.

O outro caso de violência doméstica aconteceu na Rua Nova, em Belém, quando a vítima ligou para a Polícia Militar informando que teria se deslocado a um bar para buscar o companheiro, mas no local teria se desentendido com ele, que a agrediu fisicamente. Rapidamente os policiais chegaram ao local e constataram que a mulher havia sofrido lesões leves no braço, perna direita e cabeça, e que o suspeito havia se evadido do local. Após algumas rondas, ele foi localizado e preso, em seguida, conduzido para a delegacia.

 

Assessoria 4º BPM

 

 

Número de denúncias de violência contra a mulher aumenta mais de 100% no isolamento social, na PB

O número de denúncias de violência contra a mulher aumentou 105,6% no primeiro mês de isolamento social, na Paraíba, com relação ao mês anterior. O período analisado pelo aplicativo SOS Mulher PB é de 21 de fevereiro a 21 de março e de 21 de março a 21 de abril. No primeiro mês de análise foram 142 denúncias, saltando rapidamente, no mês de isolamento social, para 292 denúncias.

De acordo com a promotora da violência doméstica em João Pessoa, Dulcerita Alves, os dados refletem o isolamento social. “Imagina você se isolar com o inimigo? Os ânimos se acirram, o estresse aumenta, ainda mais se o inimigo consome álcool ou tem outro vício. Tudo isso junto, aumenta com certeza a violência”, ressalta a promotora. “Pode acreditar que são muito mais (casos). Eu tenho certeza da subnotificação, porque as mulheres acham que os serviços pararam”, completa.

O maior aumento registrado entre o mês anterior e o mês de isolamento social ocorreu em casos de violência moral que, segundo cartilha da ONU, acontece quando as mulheres são vítimas de ofensas, calúnias, xingamentos, difamações e injúrias; quando são humilhadas publicamente ou até mesmo acusadas de um crime que não cometeram.

No mês de isolamento social foram 21 denúncias, enquanto que no mês anterior 8 mulheres realizaram as denúncias. O aumento percentual registrado, portanto, ultrapassou os 162%.

O segundo maior aumento é o da violência psicológica, saindo de 57 denúncia entre fevereiro e março, para 137 denúncias nos trinta dias de isolamento social, provocando um aumento de 132% no número total de denúncias.

A violência psicológica se trata de ofensas disfarçadas de brincadeiras, humilhações, críticas sobre tudo o que as mulheres fazem. Ou quando tentam controlar a forma de vestir, comer, pensar ou se expressar. Quando vigiam as mulheres, ameaçam, chantageiam e as isolam dos amigos e familiares.

O aplicativo também registra denúncias de violência física, sexual e patrimonial. A violência física sofreu um aumento de 53,3% durante o isolamento social, enquanto que a violência sexual aumentou 54,5% e a violência patrimonial sofreu um aumento superior a 97%.

O aplicativo SOS Mulher PB está disponível para celulares com sistemas operacionais Android e IOS e tem diversos recursos, como a denúncia via telefone pelo 180, por formulário e e-mail. As informações são enviadas diretamente para o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, que fica encarregado de providenciar as investigações.

Dulcerita alerta que a mulher precisa entender que está isolada, mas não está só. Os órgãos de apoio continuam funcionando e, além disso, os canais não presenciais de ajuda também são essenciais, como o Disque 180.

“Nesses casos de família, os vizinhos, os amigos que sabem do relacionamento abusivo são peças fundamentais. Se escutou uma briga, um pedido de socorro, liga 180, chama a polícia”, frisou.

As denúncias podem ser feitas por meio de três telefones:

  • 197 (Disque Denúncia da Polícia Civil)
  • 180 (Central de Atendimento à Mulher)
  • 190 (Disque Denúncia da Polícia Militar – em casos de emergência)

 

G1