Arquivo da tag: Vila

Santos tem Cleber expulso contra a Ferroviária e perde a 2ª seguida na Vila

santosA estreia do zagueiro Cleber Reis neste sábado (18) foi para o torcedor santista querer esquecer. O defensor foi expulso e viu o Peixe, que já não jogava bem com 11, acabar derrotado pela Ferroviária por 1 a 0 (Leandro Amaro marcou). É a segunda derrota seguida do Santos na Vila Belmiro, esta válida pela quarta rodada do Campeonato Paulista.

A derrota santista rende consequências na classificação. O Peixe tem seis pontos no grupo D, agora quatro atrás do líder Mirassol e um atrás da vice-líder Ponte Preta. Na terça-feira (21) o atual campeão encara o Ituano, que sofreu sua primeira derrota no Paulistão nesta rodada. Já a Ferroviária recebe o Santo André na quarta-feira buscando a sua segunda vitória em 2017.

Quem foi bem: Leandro Amaro resolve pelo alto

O zagueiro ex-Palmeiras subiu no terceiro andar para fazer o único gol da partida, mas não fez só isso. Foi ele o responsável por marcar Ricardo Oliveira, o homem-gol santista, que ficou muito abaixo do usual. O capitão da Ferroviária ainda liderou a retranca que impediu o Santos de fazer qualquer coisa boa no primeiro tempo.

Quem foi mal: Cleber é expulso na estreia

Apesar de se mostrar uma boa opção ofensiva no jogo aéreo, o camisa 31 foi mal com a bola no chão em sua estreia pelo Santos. Logo no início ele errou e deu bola fácil para o ágil Capixaba, em lance que acabaria prenunciando o desastre do segundo tempo. Vinte segundos após o intervalo, Cleber foi amarelado por matar contra-ataque; dez minutos depois levou uma meia-lua na entrada da área e quase viu Elder Santana marcar; por fim errou passe, foi obrigado a fazer uma falta e acabou justamente expulso aos 23 minutos.

Ricardo Oliveira aparece pouco e tem gol anulado

Recuperado de caxumba e com a pré-temporada em dia, o camisa 9 chegou a abrir o placar aos 35 minutos, mas a arbitragem viu impedimento no passe de cabeça de Cleber. No geral, Ricardo Oliveira ficou escondido na marcação da Ferroviária e, quando teve chance, não mostrou o costumeiro faro de gol. Ele acabou substituído por Thiago Ribeiro e teve que adiar seu primeiro gol em 2017.

Santos cria pouco e demora para pressionar

O Peixe começou ganhando a maioria dos duelos no meio-campo, mas não conseguiu penetrar na retranca adversária. Os santistas tinham campo inteiramente à disposição até a intermediária, mas a partir daí faltava criatividade para vencer o campo minado grená. Um terço do jogo já tinha passado quando o Santos aumentou o ritmo, e o domínio virou pressão no início do segundo tempo. Mas a Ferroviária também resolveu agredir, tornou o jogo aberto e abriu o placar momentos após ficar com um jogador a mais.

Ferroviária se fecha na estreia de PC

Campeão mundial no futsal, o técnico fez sua estreia nos campos na Vila Belmiro. PC julgava essencial não tomar gol no início do jogo, por isso a Ferroviária ficou fechadinha por mais de meia hora. As linhas de marcação funcionavam, fazendo o Santos criar pouco, mas logo o jogo defensivo passou a sofrer com as viradas de bola. Apesar da pressão na etapa final, a equipe de Araraquara

Dorival Jr. demora para mexer e é xingado

O ferrolho da Ferroviária anulou o Santos até o intervalo, mas Dorival só mexeu aos 18 minutos do segundo tempo, trocando Leandro Donizete por Arthur Gomes. O reserva quase abriu o placar logo que entrou, inclusive. Com o meio-campo mais solto, o Santos parecia se adaptar melhor ao jogo quando Cleber foi expulso. Aí tudo mudou: Thiago Maia foi improvisado como zagueiro, e o Peixe perdeu o meio-campo. O técnico acabou chamado de “burro” por parte da torcida santista.

Ficha Técnica

Santos 0 x 1 Ferroviária
Data:
18/02/2017
Local: Estádio Urbano Caldeira (Vila Belmiro), Santos-SP
Hora: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza
Assistentes: Alex Ang Ribeiro e Herman Brumel Vani
Cartões Amarelos: Patrick, William Cordeiro e Matheus (Ferroviária)
Cartão Vermelho: Cleber (Santos)
Gol: Leandro Amaro aos 28 minutos do segundo tempo

Santos: Vladimir; Victor Ferraz, Cleber, Yuri e Zeca; Leandro Donizete (Arthur Gomes), Thiago Maia e Léo Cittadini (Bruno Henrique); Vitor Bueno, Copete e Ricardo Oliveira (Thiago Ribeiro). Treinador: Dorival Jr.

Ferroviária: Matheus; William Cordeiro, Patrick, Leandro Amaro e Léo Veloso; Flávio, Claudinei (Kelvy), Fabio Souza e Alan Mineiro (Raniele); Capixaba (Thiago Marques) e Elder Santana. Treinador: PC Oliveira.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Lígia Feliciano prestigia treino da Seleção Brasileira de Nado Sincronizado na Vila Olímpica Parahyba

ligiaA vice-governadora Lígia Feliciano esteve na Vila Olímpica Parahyba, em João Pessoa, na manhã desta quarta-feira (24), prestigiando a Seleção Brasileira de Nado Sincronizado que vem utilizando o equipamento paraibano na preparação para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Durante a conversa com a técnica da seleção, Maura Xavier, veio mais uma comprovação dos benefícios gerados pela reforma na Vila Olímpica localizada na Capital. “Fiquei muito satisfeita ao ouvir de Maura que nossas instalações são perfeitas para o treinamento da seleção e que lá, no Rio de Janeiro, a equipe não dispõe de uma piscina com a profundidade e com a plataforma que oferecemos para a realização dos treinos, no dia a dia. É definitivamente um orgulho para a Paraíba ter um equipamento de referência e fazer parte da preparação da seleção para os Jogos Olímpicos”, enfatizou a vice-governadora.

A delegação está há uma semana treinando na Vila Olímpica Parahyba, a única da América Latina a ter uma piscina exclusiva para o nado sincronizado, e ficará em João Pessoa até esta quinta-feira (25), mas voltará no mês de junho para os preparativos finais visando as Olimpíadas.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

 “Estamos muito agradecidos pela oportunidade oferecida e, com certeza, com toda a estrutura que foi oferecida para nosso treinamento, nossa equipe se sente mais forte, preparada e segura para encarar nossos próximos desafios”, afirmou a técnica Maura Xavier.

A atleta Lara Teixeira, que atuou pela seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de Pequim, também aproveitou a oportunidade da visita da vice-governadora para agradecer o espaço cedido à equipe. Diante dos agradecimentos, Lígia Feliciano fez questão de enfatizar que a Vila Olímpica Parahyba é patrimônio de todos. “A vila é nossa e existe para o benefício de todos”, declarou.

Esta não é a primeira vez que a piscina da Vila Olímpica Parahyba sedia os treinos de equipes de alto rendimento. As seleções de nado da Rússia e a de saltos ornamentais da Alemanha também já fizeram parte de sua preparação para competições no equipamento paraibano.

Assessoria

Criada em 1997, Vila da Imprensa pode ser excluída, pela 1ª vez, do Maior São João do Mundo em Campina Grande

vilaCriada em 1997 pelo jornalista Laercio Cirne, a Rua da Imprensa, transformada em Vila da Imprensa, pode ser extinta do cenário do Maior São João do Mundo. Há mais de 15 anos, a Vila é montada no Parque do Povo durante os festejos juninos como espaço para abrigar as emissoras de rádio responsáveis pela cobertura jornalística da festa.

Segundo dados relevados na Coluna Informe do Correio da Paraíba dessa segunda-feira (05), houve uma reunião realizada pela coordenação do São João, que tem como coordenador o vice-prefeito Ronaldo Cunha Lima (PSDB) onde foi proposta a extinção da Vila da Imprensa.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook


No seu lugar da Vila seria criado o Centro de Imprensa, um local para que os jornalistas pudessem compartilhar para entrevistas e apresentações durante os festejos juninos.

Diante de um impasse, ficou acertado que as rádios Correio, Panorâmica e Campina FM teriam barracas para shows. Os demais veículos de comunicação irão se alojar no Centro Cultural, gozando de privilegiado acesso ao evento.” Segundo, informou a coluna assinada pelo jornalista Arquimedes de Castro.

Há poucos dias, o vice-prefeito de Campina Grande, Ronaldo Cunha Lima Filho, reassumiu a coordenação do Maior João do Mundo, segundo próprio release distribuído pela Coordenação de Comunicação da prefeitura e publicação no site da gestão municipal. Ronaldinho tinha deixado o cargo para assumir o Conselho Municipal de Segurança.

PBAgora

Na volta de Neymar, Montillo marca e Santos supera Guarani na Vila

Foto: Gazeta Press
Foto: Gazeta Press

O Santos contou com Neymar de volta à equipe e o segundo gol de Montillo em dois jogos para vencer o Guarani, na tarde deste sábado, na Vila Belmiro. A equipe visitante até diminuiu o marcador no segundo tempo e esboçou uma pressão, mas a vitória por 2 a 1 ficou do lado santista. André, que não jogou bem, marcou o segundo gol do Santos em lance todo construído por Neymar.
Com o resultado deste sábado, os santistas assumem – ao menos temporariamente – a primeira posição do Campeonato Paulista, agora com 24 pontos. São Paulo e Ponte Preta, com 23 pontos cada, ainda irão a campo pelo domingo e podem deixar a equipe de Muricy Ramalho novamente em terceiro.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Na próxima quinta-feira, o Santos precisará se virar sem seus dois jogadores mais importantes. Na Vila Belmiro, contra o Mirassol, vai a campo desfalcado de Neymar e Montillo, que irão servir a Seleção Brasileira e a Argentina, respectivamente. Já o Guarani, com 9 pontos e na zona de rebaixamento, também jogará na quinta-feira, em Campinas, contra o Guarani.

 

A vitória do Santos na Vila Belmiro

 

Neymar comemora gol marcado por André Foto: Miguel Schinchariol / Agência Lance
Neymar comemora gol marcado por André
Foto: Miguel Schinchariol / Agência Lance

A equipe santista, durante o primeiro tempo, teve o domínio completo do jogo. A primeira boa chance veio aos 15min, quando Neymar cruzou, Edu Dracena venceu de cabeça e André, sem ângulo, cabeceou na trave, mas também perdeu com o gol aberto no rebote. Montillo, aos 34min, mostrou como se fazer: Neymar roubou a bola no meio, Arouca passou em velocidade e o argentino, com boa técnica, venceu Ademir Sopa e deslocou Renan com finalização de pé esquerdo. Foi o segundo gol dele em dois jogos.

 

Já aos 3min da etapa complementar, Neymar ajudou e muito ao companheiro de ataque. Na velocidade, levou a marcação pela ponta direita e rolou para trás, no pé de André, que só teve o trabalho de empurrar para dentro – ainda que sem muito jeito. Neymar ainda perderia mais duas boas chances na frente de Renan, o que mexeu com a equipe do Guarani.

 

Depois de bom escanteio batido por Thiago Gentil pela esquerda, o zagueiro Tiago mostrou grande impulsão e fez de cabeça para diminuir aos 13min. Cadu, aos 22min, ainda chegou a marcar para o Guarani, mas estava impedido. A equipe de Campinas foi melhor na parte final e buscou o empate, enquanto o Santos ameaçou com Cícero e Giva, mas o placar terminaria mesmo em 2 a 1 na Vila.

 

Ficha técnica

 

SANTOS 2 x 1 GUARANI

 

Gols
SANTOS:
Montillo, aos 34min do primeiro tempo, e André, aos 3min do segundo tempo

 

GUARANI:
Tiago, aos 13min do segundo tempo

 

SANTOS: Rafael; Bruno Peres, Edu Dracena, Durval e Emerson; Arouca e Renê Júnior; Montillo e Cícero; Neymar e André (Giva)
Treinador: Muricy Ramalho

 

GUARANI: Renan; Boiadeiro, Tiago, Cássio e Diogo; Mika, Ademir Sopa (Coutinho), Dener (Cadu) e Thiago Gentil; Ronaldo Mendes e Wilson (Juan)
Treinador: Branco

 

Cartões amarelos
SANTOS: Cícero
GUARANI: Boiadeiro, Tiago

 

Árbitro
Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)

 

Local
Vila Belmiro, em Santos-SP

 

 

Terra

Comunidades da Vila São João e Macaíba em Alagoa Grande estão sem água

 

 A conta da  Cagepa está chegando nas residências e a comunidade da Macaíba ainda tem que comprar água  do poço artesiano          
             
A falta d´água em Alagoa Grande é um problema que será resolvido com a construção da barragem de Pitombeiras, já licitada pelo governador RC. Uma medida paliativa é a construção de poços artesianos, como o que tem na Vila São João. O poço artesiano é  um poço  d´água  que  funciona  devido a diferença de pressão hidrostática, nem sempre a água é doce. Felizmente, existem vários dessalinizadores no Brasil para transformar a água salgada em água potável.
Hoje, 13, o professor Rafael Rodrigues esteve em duas comunidades vizinhas, Vila São João e Macaíba em Alagoa Grande. Ele constatou um fato lamentável, não tinha ninguém para pegar água porque o poço estava sem funcionar. Devido ao racionamento d´água essas comunidades estão pagando  por uma carga deste líquido precioso em  Burro, se for água doce fica muito mais caro. Lamentavelmente o poço artesiano de água salgada, que fica ao lado da construção do posto de saúde, está parado porque a bomba de puxar a água quebrou. Os moradores da Macaíba estão recebendo a conta da cagepa, mas faz 4 meses que não chega água em suas residências. A água quando chega não passa da Vila São João, prejudicando o morro da Macaíba. Os moradores que não tem dinheiro para pagar o transporte d´água do poço artesiano que fica na Vila São João, no início do Morro da Macaíba, são obrigados a pegar água em barreiro no ponto mais alta deste morro.

OS VEREADORES NÃO ESTÃO VISITANDO A COMUNIDADE DO MORRO DA MACAÍBA 

Os vereadores precisam fazer uma visita urgente para resolver estas questões pendentes nestas comunidades. A população da Macaíba reclamam também que o calçamento ainda não foi concluído e lamentaram o fechamento da lavanderia, que poderia ter sido preservada e a construção do posto de saúde ser construído em outro local. Neste local antes funcionava a lavanderia que foi de grande utilidade para as comunidades da Vila e da Macaíba.
 
Falta d´água no Morro da Macaíba
 
Professor Rafael na metade do morro da Macaiba. Daí para cima
não há calçamento. No início da Macaíba fica a Vila São João.
 
 Vista de frente da construção do posto de saúde na Vila.
 Vista lateral da construção do posto de saúde, por trás está o poço artesiano da Vila.
Blog rafaelrag

Com show de Neymar, Santos vira e vence o rebaixado Palmeiras na Vila

Tudo o que for escrito sobre Neymar corre o risco de soar repetitivo: show, dribles, golaço, toque de letra, chapéu… Mais uma vez, o craque fez tudo isso. Sob o comando dele, o Santos venceu o rebaixado Palmeiras por 3 a 1, de virada, e se despediu do Campeonato Brasileiro com a boa atuação em um clássico estadual. O resultado parece até detalhe perto da atuação de Neymar – dois gols, uma assistência e novo espetáculo para os mais de 11 mil torcedores na Vila Belmiro. Do outro lado, o Verdão se despede da Série A com mais uma derrota.

Neymar deixou de lado o moicano e apresentou um penteado diferente, meio estranho, na saideira da temporada 2012. A cabeça mudou, mas os pés não. Graças aos gols dele, o Santos termina o Brasileirão com 53 pontos, em posição intermediária, mas abaixo das expectativas de quem buscava vaga na Taça Libertadores.

O craque só não conseguiu bater o recorde de Serginho Chulapa. Terminou o ano com 43 gols pelo Santos, dois a menos que Chulapa em 1983 – o ex-centroavante continua sendo o maior artilheiro em uma única temporada após a era Pelé.

O Palmeiras acumulou mais um revés no Brasileirão. São 22 derrotas em 38 jogos, uma campanha que culminou no rebaixamento com duas rodadas de antecedência. Com apenas 34 pontos, o time de Gilson Kleina termina na 18ª colocação, sem reação alguma. Há muito trabalho pela frente para reconstruir uma equipe ferida, mas que tem a Taça Libertadores no primeiro semestre do ano que vem.

Agora, as duas equipes entram em férias e se reapresentam no início de janeiro. A primeira competição de 2013 é o Campeonato Paulista.

Neymar apanha e devolve: na bola

Dois gols, uma assistência, uma bola na trave e um chute desviado quase em cima da linha. O camisa 11 do Santos mandou no primeiro tempo e enlouqueceu os alvinegros que compareceram em ótimo número a Vila Belmiro – todos para vê-lo, claro. Depois de cumprir suspensão contra o Corinthians, Neymar voltou com muita fome. Mas antes de dar seu show, ele precisou ser “acordado” pelos palmeirenses.

Já rebaixado e sem mais responsabilidades, o Verdão surpreendeu com um golaço de Maikon Leite logo aos três minutos, após lançamento preciso de Barcos. Maikon jogou no sacrifício, já que se ainda recupera de lesão, mas soube aproveitar bem a avenida deixada por Juan pelo lado esquerdo da defesa santista. No lance seguinte, idêntico ao do gol, o atacante exigiu grande defesa de Rafael.

Do lado alviverde, foi só. Quem estava na Vila Belmiro queria mesmo ver Neymar, que apanhou bastante. Nada que assuste o craque santista. Aos 12, o primeiro ato do espetáculo: o atacante recebeu lançamento de Patito Rodriguez, deu um corte seco que fez o goleiro Raphael Alemão trombar com Maurício Ramos e só rolou para Victor Andrade, de carrinho, empatar a partida. Aos 20 anos, Neymar fez a alegria do pupilo de 17, que comemorou muito o gol.

O paraguaio Adalberto Román não sossegou enquanto não conseguiu tirar o astro de campo. Com uma pancada fortíssima no tornozelo, o zagueiro finalmente fez Neymar ser atendido e deixar o gramado por alguns minutos. Se o palmeirense soubesse o que viria pela frente, não teria mexido com o santista. No lance seguinte da volta ao campo, Neymar castigou Román: recebeu de costas para o paraguaio e caiu ao ser puxado: pênalti bobo cometido, expulsão e o provável fim da passagem do paraguaio pelo Palmeiras. Na cobrança, o craque fez 2 a 1, aos 22 minutos.

Com um a menos, o Palmeiras recuou e assistiu ao show do Peixe. Se Neymar foi o personagem principal, Patito fez bem o papel de coadjuvante. Em uma de suas melhores partidas com a camisa do Santos, o argentino foi “clone” do craque, já que caiu pelo lado esquerdo do ataque – normalmente ocupado pelo camisa 11. Aos 39 minutos, Neymar estava na área, como um autêntico centroavante, esperando pelo cruzamento. Um toque seco decretou o 3 a 1. Em três jogos no ano, o astro castigou o Verdão com cinco gols.

A torcida se divertiu com o show, tanto que a Vila Belmiro parecia mesmo uma sala de espetáculos. Torcedores registravam cada lance de Neymar. No pênalti, dezenas de flashes vindos das arquibancadas documentaram mais um capítulo do belo futebol do craque santista. Mas um setor não se esqueceu de que é preciso pensar em 2013: no intervalo, um grupo de torcedores pediu a volta de Robinho, outro ídolo, e um time para “gritar ‘É campeão’”.

Ritmo de férias

Gilson Kleina tentou arrumar a combalida defesa do Palmeiras com a entrada do zagueiro Luiz Gustavo na lateral direita, mas sem efeito. O segundo tempo foi de um time só, o Santos, que passou boa parte do tempo no campo de ataque tocando bola para um lado, para o outro, e irritando os palmeirenses. As jogadas de efeito de Neymar continuaram, mas desta vez o clima esquentou.

O craque santista não costuma ligar para a irritação do rival, por isso manteve seu estilo de jogo, representado num toque de letra para Bruno Peres e num chapéu em Correa. As pancadas, então, aumentaram. Artur e Maurício Ramos se irritaram, Márcio Araújo esboçou uma discussão, mas nada que fizesse o resultado mudar. Só a expulsão de Alan Santos e a saída de Arouca, machucado, esfriaram a festa na Vila Belmiro.

O Palmeiras não conseguiu esboçar uma reação, nem mesmo quando os dois times ficaram com dez jogadores. O único bom lance foi com Maikon Leite, que chutou para boa defesa de Rafael e logo depois de machucou. Solitário no ataque, Barcos não conseguiu aumentar sua artilharia na temporada, que parou nos 28 gols.

Nos 20 minutos finais, o ritmo já era de férias. Os santistas celebravam mais um jogo memorável de Neymar, mas lembrando que 2013 precisa ser bem melhor para o time voltar à Taça Libertadores e disputar os grandes títulos. Os palmeirenses, em minoria, cantavam sem parar, mas não se esqueceram de pedir mudanças na diretoria, no time, na estrutura… Foi o último suspiro do gigante na Série A do Campeonato Brasileiro deste ano.

Globoesporte.com

Campus de Areia abre inscrições para vagas nos alojamentos da Vila Acadêmica

A Diretoria do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba (CCA/UFPB), Campus II – Areia, abriu inscrições para o preenchimento de vagas nos alojamentos da Vila Acadêmica, no período letivo 2012.2. Os candidatos podem concorrer à classificação até sexta-feira (16).

As inscrições podem ser feitas das 7h às 11h e das 13h e 17h, no Serviço  Social localizado no Centro Médico-Odontológico e Psicossocial, antigo posto médico, no campus II. Para se inscrever os candidatos devem apresentar a seguinte documentação: Comprovante de matrícula cópia e apresentação da cédula de identidade e CPF; comprovante de residência em nome do pai, da mãe ou responsável; duas fotos 3 x 4 (recentes); cópia de comprovante de renda de todos os membros da família; atestado de conduta para alunos oriundos de outras residências estudantis; cópia de histórico escolar do ensino fundamental, médio e do 3º grau, caso o aluno tenha concursado algum período.

O candidato ainda deve apresentar: comprovante de bolsa de estudo (original), caso tenha cursado os ensinos fundamental e médio em escola particular, na qualidade de bolsista; cópia de certidão de nascimento dos irmãos menores de 18 anos; certidão de óbito do pai ou da mãe ou responsável, exceto para candidatos de nacionalidade estrangeira; comprovante de IPTU ou Incra.

Os candidatos serão submetidos a uma entrevista no ato de inscrição. O não comparecimento, de acordo com o edital divulgado, implicará na sua eliminação automática.

Ainda de acordo com o edital, as vagas serão disponibilizadas conforme o número de estudantes residentes egressos da Vila Acadêmica no período 2012.1 e serão preenchidas de acordo com a ordem de classificação dos candidatos. Os demais classificados poderão ser admitidos dependendo do surgimento de novas vagas.

O candidato selecionado terá até sete dias para ocupar a vaga. A não ocupação neste prazo implicará o cancelamento automático da vaga e na ocupação imediata pelo próximo candidato classificado que estiver na lista de espera.

O resultado da seleção está previsto para ser divulgado no dia 26 de novembro em lista a ser exposta na Gerência da Vila Acadêmica e no Serviço Social do Campus II.

Mais informações pelo telefone (83) 3362-2300 – Ramal 3233.

Ascom

Piores times do segundo turno, Santos e Flamengo duelam na Vila

Rafael vai tentar parar Ibson, que volta à Vila (Montagem: Editoria de Arte / Globoesporte.com)

Há quem considere Pelé, no Santos, e Zico, no Flamengo, os dois maiores camisas 10 da história do futebol nacional. O clássico interestadual já decidiu o Campeonato Brasileiro de 83, com título do Rubro-Negro. Em 2011, o duelo marcou o encontro de Neymar e Ronaldinho Gaúcho, hoje no Atlético-MG, na partida mais eletrizante da competição, com vitória carioca por 5 a 4. Também foi o jogo do gol do Prêmio Puskás, da Fifa, de mais bonito da temporada, para o craque santista. Toda a tradição deste embate, porém, ficará um pouco esquecida na partida desta quarta-feira, às 22h, na Vila Belmiro, pela 24ª rodada do Brasileirão.

Com um passado de tantas glórias no currículo, Santos e Flamengo agora lutam para escapar do rótulo de pior time do segundo turno do Brasileirão. Considerando apenas a tabela do returno, o Peixe é o 18º colocado, ao lado do Atlético-GO, e o Fla segura a lanterna, na 20ª colocação. Em quatro partidas, cada equipe conquistou apenas um ponto.

Alento para os santistas é justamente a volta de Neymar e Arouca ao time. A dupla defendia a Seleção nos amistosos contra África do Sul e China, e retorna no momento em que a equipe começa a flertar perigosamente com a zona de rebaixamento, a cinco pontos de distância.

O Flamengo ainda ostenta mais números negativos. O time carioca tem o pior ataque do segundo turno, com dois gols marcados, e a defesa mais vazada, com nove bolas na rede, ao lado do Náutico.

O GLOBOESPORTE.COM acompanha todos os lances da partida em Tempo Real, com vídeos exclusivos, a partir das 21h30m. A Rede Globo transmite a partida para os estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Santa Catarina, Pernambuco (menos Caruaru), Bahia, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Sergipe, Maranhão, Alagoas, Piauí, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Amazonas, Rondônia, Acre, Roraima e Amapá, além da cidade de Belo Horizonte (MG).

header as escalações 2

Santos: com as voltas de Neymar e Arouca, o técnico Muricy Ramalho novamente mudará a escalação. Há dúvida sobre se Juan retorna para a lateral esquerda, depois de ficar fora do San-São, ou se Léo permanece. Depois de cumprir suspensão automática, o zagueiro Bruno Rodrigo deve ser novidade na defesa. Em função da atuação ruim de Pato Rodriguez no clássico, quando foi substituído no intervalo, o comandante pode deixar o argentino no banco de reservas, e promover a entrada de Gerson Magrão. Com estas dúvidas, a provável escalação do Peixe será: Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Léo (Juan); Adriano, Arouca, Felipe Anderson e Pato Rodriguez (Gerson Magrão); Neymar e André.

Flamengo: Dorival Júnior vai usar a décima formação diferente na 12ª partida dele à frente do Rubro-Negro. O técnico não vai poder contar com o zagueiro González e o volante Cáceres, que estão nas seleções de Chile e Paraguai, nem com Airton, vetado por conta de um problema muscular na parte posterior da coxa direita. Ramon volta à lateral esquerda após cumprir suspensão. O time que disputou o coletivo antes da viagem a Santos foi escalado da seguinte forma: Felipe, Léo Moura, Welinton, Frauches e Ramon; Muralha, Luiz Antonio, Ibson e Mattheus; Adryan e Vagner Love.
quem esta fora (Foto: arte esporte)

Santos: ninguém está suspenso. Paulo Henrique Ganso (lesão na coxa esquerda), Edu Dracena (ruptura no ligamento do joelho esquerdo), Fucile (lesão no ligamento do pé esquerdo), Henrique (pubalgia), Miralles (edema na coxa direita), Paulo Henrique (ruptura do ligamento do joelho esquerdo), Alison (lesão muscular) e Rafael Galhardo (fratura no dedinho do pé esquerdo) são todos desfalques.

Flamengo: além de González e Cáceres, que servem suas seleções, e de Airton, machucado, Dorival não pode contar com o meia Renato, que se recupera de cirurgia no joelho direito. O volante Maldonado faz fisioterapia após operação no joelho esquerdo e não joga mais nesta temporada.

header pendurados (Foto: ArteEsporte)

Santos: Bruno Peres, Durval, Edu Dracena, Felipe Anderson, Ganso, Juan, Léo e Neymar.

Flamengo: Adryan, Cáceres, Ibson, Liedson, Negueba, Renato Abreu, Thiago Medeiros, Vagner Love e Wellington Silva.

header o árbitro (Foto: ArteEsporte)

Márcio Chagas da Silva (RS) apita a partida, auxiliado por Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa/GO) e Kleber Lucio Gil (SC). Márcio Chagas arbitrou oito jogos no Brasileirão, marcou 298 faltas (média de 37,2 por jogo), aplicou 41 amarelos (média de 5,1 por jogo), dois vermelhos (média de 0,25 por jogo) e dois pênaltis (média de 0,25 por jogo). O campeonato tem média de 4,9 amarelos, 0,29 vermelho, 36,5 faltas e 0,22 pênalti. O ártbitro apitou um jogo dos paulistas na Série A deste ano: Santos 0 x 0 Sport, pela segunda rodada.

header fique de olho 2
Santos:
de volta da Seleção depois dos amistosos contra África do Sul e China, Neymar é a maior esperança de gols do time. Artilheiro da equipe na temporada, com 33 gols em 36 partidas, o jogador é a principal atração do duelo. O craque desfalcou o time nas derrotas para Sport (2 a 1), Fluminense (3 a 1) e no empate sem gols no clássico do último domingo, contra o São Paulo.

Flamengo: desde que chegou ao clube, Dorival promove um entra-e-sai de Adryan. O meia-atacante, de 18 anos, foi titular contra o São Paulo, entrou no segundo tempo contra o Figueirense e ficou fora nos dois jogos seguintes (Náutico e Palmeiras). Depois, ficou no banco em três jogos seguidos, entrando em todos (Vasco, Botafogo e Sport). Em seguida, mais duas partidas sem ser relacionado (Inter e Ponte Preta). Contra o Coritiba, entrou no segundo tempo. Ou seja, toda vez que ficou no banco, entrou. Ele ganha nova chance como titular nesta quarta.

header o que eles disseram

Bruno Peres, lateral-direito do Santos: “Quando se trata de Santos e Flamengo, é sempre grande jogo. Independentemente da nossa situação, esperamos fazer uma grande partida. Temos que impor nosso ritmo. Com a volta de Neymar e Arouca, a equipe cresce muito, fica mais forte. Vamos fazer o possível para sair com os três pontos.”

Ramon, lateral-esquerdo do Flamengo: “Flamengo e Santos é um clássico do futebol brasileiro. Não é mais difícil ou mais fácil. Penso que esses são jogos bons de jogar. Se você vencer, ganha confiança para poder brigar lá em cima de novo. Nunca vai deixar de ser um clássico bonito de se ver.”

header números e curiosidades

* O Santos não derrota o Flamengo desde o primeiro turno do Brasileiro de 2007, quando venceu por 3 a 0 na Vila Belmiro, gols de Pedrinho, Marcos Aurélio e Kléber. Nas últimas dez partidas, todas no Brasileirão, o Fla venceu seis vezes e houve quatro empates.

* O Santos atua pela 21ª vez na Vila Belmiro este ano. Em 2012, o Peixe tem bom aproveitamento na Vila com 13 vitórias, cinco empates e apenas duas derrotas (1 a 0 para o Corinthians na Libertadores, e 3 a 1 diante do Bahia no Brasileiro). Ao todo, foram 46 gols marcados e 15 sofridos.

* Flamengo e Santos já disputaram uma final de Campeonato Brasileiro. Foi em 1983, quando o Fla conquistou seu terceiro título nacional. Na primeira partida disputada no Morumbi, no dia 22 de maio, diante de 114.481 pagantes, o Santos venceu por 2 a 1, com gols de Pita e Serginho, e Baltazar para o Fla. No jogo de volta, no dia 29 de maio, no Maracanã, o Fla venceu por 3 a 0, com gols de Zico, Leandro e Adílio. A partida registrou o maior público da história do Campeonato Brasileiro: 155.253 pessoas.

* Flamengo e Santos fazem parte de um seleto grupo das 5 equipes que nunca foram
rebaixadas na história do Campeonato Brasileiro. Além de Fla e Peixe, Cruzeiro,
Internacional e São Paulo podem se orgulhar dessa marca.

header último confronto v2

Com um time totalmente reserva, o Santos foi ao Engenhão no dia 17 de junho, pelo primeiro turno do Brasileirão, e perdeu por 1 a 0 para o Flamengo, com gol do argentino Bottinelli, de pênalti, aos 42 minutos do segundo tempo. Ibson, ex-jogador do Peixe, sofreu a penalidade de Gerson Magrão que definiu a partida.

Globoesporte.com

Sem astros, Santos e São Paulo fazem clássico sofrível na Vila

O Santos não tinha Neymar, Paulo Henrique Ganso e Arouca, além de outros desfalques. O São Paulo não teve Lucas. E o clássico na Vila Belmiro também quase não teve futebol. O saldo para os 6.379 torcedores que decidiram fechar o feriado prolongado de Independência do Brasil foi um empate sem gols sofrível, pela 23ª rodada do Brasileirão.

Peixe e Tricolor abusaram dos erros. Ao todo foram 76 passes errados, sendo 38 do Santos e 38 do São Paulo, empatados até nos equívocos. Nem mesmo as surpresas de Muricy Ramalho e Ney Franco, usando três zagueiros dos dois lados, conseguiu mudar o rumo de uma partida sem apelo e pouco atrativa tecnicamente.

Mesmo tendo Denilson expulso no fim do jogo e sofrendo pressão do Peixe, que ficou com um a mais aos 37 minutos do segundo tempo, a impressão que ficou é de que o Tricolor poderia ter vencido fora de casa. Luis Fabiano, carrasco do Alvinegro, teve quatro chances, mas não conseguiu marcar em nenhuma.

Com o empate, o Peixe foi aos 27 pontos e se manteve na 14ª colocação, enquanto o São Paulo chegou aos 36 pontos e caiu para a sexta posição, perdendo o G4 de vista.

Agora, o Peixe recebe o Flamengo na próxima quarta-feira, às 22h, também na Vila Belmiro, enquanto o Tricolor vai a Minas Gerais enfrentar o Atlético-MG, no Estádio Independência , no mesmo dia e horário.

Surpresas e muitos erros

Muricy Ramalho e Ney Franco surpreenderam na formação dos dois times. O Santos não teve grandes novidades na escalação, mas o posicionamento da equipe em campo foi diferente: três zagueiros, com o volante Ewerton Páscoa recuado, formando linha defensiva com David Braz e Durval. O São paulo usou a mesma formação. Ney optou por Paulo Miranda no lugar de Paulo Assunção, e escolheu Casemiro para substituir o suspenso Maicon. A opção também serviu para dar mais proteção aos ofensivos laterais Douglas e Cortez.

Na prática, as mudanças representaram um visitante mais atuante no início. Em campo e nas arquibancadas. Minoria, a torcida do São Paulo fazia mais barulho. No gramado, o Tricolor assumiu postura de mandante e tomou conta da posse de bola, mas não criou boas chances, exceção feita a um ou outro susto protagonizado pela defesa santista. Susto que também ocorreu do lado são-paulino, quando Rafael Toloi bobeou na frente de André, mas o centroavante não conseguiu aproveitar, aos nove minutos.

Chance real de gol mesmo só aos 13 minutos. André, um dos melhores do Peixe, fez bom trabalho de pivô e achou Gerson Magrão. Com a 10 normalmente usada por Paulo Henrique Ganso, lesionado, ele jogou deu belo drible em Casemiro e soltou uma bomba de fora da área, por cima do gol de Rogério Ceni.

O problema é que os dois rivais erravam passes demais, travando a sequência das jogadas. Ao todo, foram 49 trocas de bola equivocadas na primeira etapa, sendo 25 do Santos e 24 do São Paulo. O argentino Pato Rodriguez, por exemplo, não conseguia acertar quase nenhuma jogada. Só ele errou seis passes, enquanto o líder no quesito do Tricolor foi Douglas, com quatro toques errados para companheiros.

A emoção só voltou ao clássico quando Luis Fabiano resolveu aparecer. Em duas chances, ele quase abriu o placar. Primeiro aproveitou sobra da zaga santista e emendou de primeira, mas parou em Rafael, aos 31. Depois, recebeu ótimo passe de Jadson, driblou Rafael, mas ficou sem ângulo e finalizou para fora, aos 37 minutos.

Ao menos no primeiro tempo, Neymar e Lucas, astros convocados pela Seleção, fizeram muita falta.

Mais erros e castigo para os torcedores

Muricy se irritou com os erros de Pato Rodriguez e o argentino ficou no vestiário da Vila Belmiro no intervalo. Na saída do primeiro tempo, aliás, o goleiro Rafael mostrou irritação com a postura do time e classificou a equipe como “perdida”. Victor Andrade, atacante de 16 anos, entrou no time, mas quem novamente chegou com perigo foi Luis Fabiano, pela terceira vez no clássico. O centroavante recebeu bom passe de Casemiro e finalizou de esquerda, mas Rafael evitou o gol, logo aos dois minutos.

O Santos, por sua vez, tinha dificuldade na saída de bola. Claramente a equipe sentiu falta de Arouca na transição das jogadas – o volante foi convocado por defender a Seleção. Assim como no primeiro tempo, os dois times seguiam abusando dos erros de passe. Em diversas oportunidades, os jogadores escolhiam o companheiro mais marcado para continuar os lances.

Quando o Tricolor acertava o pé, o alvo dos passes era sempre o mesmo: Luis Fabiano. Após escanteio cobrado pela direita, Jadson achou o camisa 9, que cabeceou para nova defesa de Rafael, aos 15 minutos. Àquela altura, atacante e goleiro já travavam um bom duelo pessoal. Foi a quarta chance perdida pelo goleador.

A resposta santista foi tão rápida quanto contundente. No contra-ataque, Felipe Anderson enfiou para Bruno Peres, que, com muita velocidade, foi até o fundo pela direita. No cruzamento em direção a André, a bola encontrou os pés de Rafael Toloi. Por muito pouco o defensor tricolor não faz contra, aos 16.

Ney Franco, então, teve de mexer no time, pois Rhodolfo sentiu lesão muscular, e deu lugar ao atacante Ademilson. A mudança forçada fez o Tricolor crescer ainda mais na partida e aumentar o volume de jogo. Ao ponto de criar três boas chances seguidas, com Jadson, duas vezes parado por Rafael, e Osvaldo, pela esquerda finalizando à direita do goleiro santista.

Muricy também mudou: substituiu Gerson Magrão por Bernardo, mas o meia não conseguiu produzir como se esperava. Ainda assim, em jogada bastante confusa e truncada, o Peixe ameaçou com André, que aproveitou sobra da zaga são-paulina e finalizou de esquerda para fora.

Ainda houve tempo para lance polêmico envolvendo Luis Fabiano e David Braz. Os dois se chocaram dentro da área. Os tricolores reclamaram pênalti, mas o árbitro Marcelo Aparecido de Souza não marcou nada. O volante Denilson chegou a ser expulso, depois de fazer falta em Bruno Peres e receber o segundo amarelo na partida. Ele foi o atleta mais violento do jogo, com quatro faltas.

Na sequência, o que se viu foram mais erros dos dois lados e o placar seguiu inalterado. Clássico sem o brilho dos craques e que foi um castigo para os pouco mais de seis mil torcedores que foram à Vila Belmiro.

Globoesporte.com

Motorista bate em carro parado na Vila Gama em Solânea-PB

Na manhã do sábado, 25, a equipe do Bananeiras Online flagrou um acidente envolvendo dois veículos na Vila Gama, em Solânea – PB.

O motorista João Cosmo, residente no sítio Jaracatiá, zona rural de Bananeiras, que dirigia um chevette de placa MND 9677 – Bananeiras-PB, bateu na trazeira de um Fiat Fiorino de placa MMP 8680, de propriedade de Edjânio, residente no conjunto Major Augusto Bezerra, em Bananeiras.

De acordo com Edjânio, enquanto ele estava dentro da loja de madeiras, sua família estava dentro do carro parado no acostamento, na frente da madeireira, quando foi surpreendido pelo impacto do chevette. O motorista seguia pela PB 105, sentido Bananeiras.

Felizmente não houve feridos, apenas danos materiais.

Bananeiras Online