Arquivo da tag: vergonha

‘Com vergonha da política’, Tiririca usou dinheiro público para viajar a locais em que faria shows de humor

Ao discursar pela primeira e última vez na tribuna da Câmara no último dia 6, o deputado federal Tiririca (PR-SP) afirmou que deixaria a política “triste para caramba” e “com vergonha” pelo o que acontece no Congresso. No entanto, o parlamentar usou dinheiro público para comprar passagens aéreas para ele e seus assessores, com destino a locais em que se apresentaria como humorista. A informação foi publicada inicialmente pelo jornal “Correio Braziliense” e confirmada pelo GLOBO.

O recurso para financiar as viagens de Tiririca saiu da cota parlamentar, “destinada a custear os gastos dos deputados exclusivamente vinculados ao exercício da atividade”, conforme consta no site da Câmara. Portanto, é permitido que o congressista use a verba para pagar passagens relacionadas ao mandato. Mas não para fins pessoais.

Em 11 de agosto deste ano, o deputado pagou R$ 2.746,52 com destino ao Aeroporto Regional do Vale do Aço, em Ipatinga (MG). Naquele mesmo dia, Tiririca se apresentaria em Teófilo Otoni (MG), cidade próxima, às 20h30. Já no dia seguinte, 12, o show seria no próprio município de Ipatinga.

O dinheiro da cota também foi usado para comprar passagens dos assessores de Tiririca. Em 6 de abril, Loianne Lacerda foi para Ilhéus, na Bahia. Tiririca também foi para a cidade baiana naquela data. Somadas, as passagens custaram R$ 2.205,58 (R$ 1.102,79 cada). O deputado se apresentou em Ilhéus dois dias depois (8 de abril). Mas já no dia seguinte à viagem, 7, teve show em Jequié (BA). E dia 9, Itabuna (BA).

No dia 3 de maio, foi emitida uma passagem no valor de R$ 2.045,38 em nome de Loianne com destino ao Aeroporto Senador Petrônio Portella, em Teresina, capital do Piauí (PI). Tiririca se apresentou em Piripiri (PI), Picos (PI) e Teresina (PI) logo depois, nos dias 5, 6 e 7, respectivamente.

Ainda em maio, dia 9, após as datas dos shows de Tiririca no Piauí, foi emitido um bilhete aéreo em nome de Loianne com destino ao Aeroporto de Aracaju, capital do Sergipe. A passagem custou R$ 2.027,69. E naquela mesma data, o deputado também teve um bilhete emitido para si, com o mesmo destino, por R$ 1.785,69. Dia 14, apresentou-se em Aracaju.

Já João Júnior, também assessor de Tiririca, teve bilhete aéreo emitido no dia 6 de outubro. O voo saía do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino a Brasília. Naquele mesmo dia, Tiririca tinha apresentação prevista para 21h na capital fluminense. A valor da passafem foi R$ 934,90.

O GLOBO entrou em contato com a assessoria do deputado e ainda aguarda resposta.

O deputado federal Tiririca (PR-SP) – Nilson Bastian/Câmara dos Deputados

 

O Globo

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Em São Bernardo do Campo, Doria chama Lula de “sem vergonha” e Dilma de “anta”

Três dias depois do juiz Sérgio Moro sentenciar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e seis meses de prisão, o prefeito João Doria chamou o petista de “sem vergonha”, “mentiroso” e a ex-presidente Dilma Rousseff de “anta”, em um evento político na divisa entre a capital e São Bernardo do Campo, cidade que foi berço do PT e onde reside Lula.

“O povo de São Bernardo sabe quem é o mentiroso e sem vergonha do Lula”, disse o tucano. “Os petistas não sabem o que é trabalho porque têm o espelho do Lula, que é o espelho da vagabundagem de quem trabalhou oito anos na vida e depois viveu das benesses do poder, dos amigos e do dinheiro de empreiteiras. Nós preferimos acordar cedo e trabalhar”, disse o tucano.

Em outro trecho do discurso, Doria disse em tom exaltado que foi o PT “do Lula e da anta da Dilma” que deu ao Brasil “a pior recessão da história”.

“O PT pensa que pode voltar, mas a maioria silenciosa vai ter a oportunidade de manifestar sua posição em 1º de outubro de 2018. É no voto que nós vamos ganhar do PT”, disse Doria. “Seu destino, Lula, está selado. Você vai ver o sol nascer quadrado em Curitiba, mas antes vai ser derrotado pelo voto para acabar com o mito”, completou.

Ao lado do prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB), o prefeito participou da 29º edição do Programa Cidade Linda. Cercados por uma claque de apoiadores, os dois pintaram juntos um muro que estava pichado e plantaram uma árvore.

istoedinheiro

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Ministro diz que juízes não devem ter vergonha de pedir aumento

lewandowskiO ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski defendeu que os juízes do país não tenham vergonha de reivindicar reajustes salariais, ao discursar na abertura do encontro nacional dos magistrados estaduais na noite desta quinta-feira (3) em Porto Seguro (BA).

Ao falar sobre as perdas salariais dos juízes, o ministro do STF disse que “não há vergonha nenhuma nisso, porque os juízes, no fundo, são trabalhadores como outros quaisquer, e têm seus vencimentos corroídos pela inflação”.

“Condomínio aumenta, IPTU aumenta, a escola aumenta, a gasolina aumenta, o supermercado aumenta, e o salário do juiz não aumenta? E reivindicar é feio? É antissocial isso? Absolutamente, não.”

Após aplausos, o ministro completou: “para que possamos prestar um serviço digno, é preciso que tenhamos condições de trabalho dignas e vencimentos condizentes com o valor do serviço que prestamos para a sociedade brasileira”.

Lewandowski também defendeu a aprovação da PEC (Projeto de Emenda à Constituição) nº 63/2013, que prevê a criação de um adicional por tempo de serviço aos magistrados.

O ministro do STF também falou sobre temas de filosofia e direito na cerimônia de abertura do 6º Encontro Nacional de Juízes Estaduais, que é realizado a cada três anos pela AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros).

O evento deste ano conta com a participação de cerca de 700 juízes e vai até sábado (5).

Nesta sexta (4), o juiz federal Sergio Moro proferirá palestra. A presidente do STF Cármen Lúcia encerrará a programação técnica do encontro no sábado.

A cerimônia de abertura do Enaje na quinta teve show do sambista Diogo Nogueira e a festa de encerramento no sábado à noite será animada pela cantora Ivete Sangalo.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

“É um espetáculo de vergonha”, diz Maranhão sobre atentado à sede do PMDB

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O presidente estadual do PMDB da Paraíba e senador José Maranhão comentou na manhã desta segunda-feira (05), em entrevista ao Portal MaisPB, o atentado à sede do partido nesse domingo (04), durante uma manifestação contra o presidente Michel Temer (PMDB). O senador afirmou que o partido irá tomar providências judicialmente.

“Fica difícil a quem atribuir individualmente. Mas claro que é um espetáculo de vergonha, de intransigência política. Não condiz com a política da Paraíba. Nós temos as imagens das câmeras e vamos processar criminalmente os responsáveis pelo ato”, concluiu.

A sede estadual do PMDB da Paraíba, localizada na avenida José Américo de Almeida, voltou a ser alvo de vandalismo e protesto pela terceira vez, desde o início do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

“Não mate o seu pai de vergonha, senador Cássio Cunha Lima”

cassioEscrevo essas linhas com tristeza e vergonha. Triste por assistir o desrespeito de um filho a memória do pai.

Vergonha por ter a Paraíba um Senador prestando os desserviços mais torpes contra seu povo que um parlamentar pode oferecer em seu mandato.

O título acima daria um ótimo mote para as noites de “repentes” boêmias sobre o Senador pela Paraíba, Cássio Cunha Lima e seu comportamento doentio no Senado da República.

O Senador Cássio Cunha Lima tem cumprido um mandato em Brasília movido pelo sentimento de ódio, cego, e pela ignorância absoluta do que acontece no Brasil de hoje.

Certamente fosse vivo o poeta Ronaldo, seu pai, estaria ruborizado/envergonhado com os posicionamentos antipopulares do filho.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Ao contrário do filho, Ronaldo teve uma infância simples, uma juventude rebelde e um mandato de Senador a altura de sua história política.

Contava Ronaldo, com orgulho, ter participado da organização, em nível de Paraíba, do “Grupo dos 11” de Leonel Brizola, na resistência ao Golpe.

Deputado Estadual pelo PTB, Ronaldo estava entre o grupo de deputados que em 1964 se entrincheiraram contra a cassação do mandato de Assis Lemos levado a cabo pelos militares quando instalaram a Ditadura.

Ditadura que o cassou em 1968/69 sem que o mesmo tivesse o direito de exercer o mandato de Prefeito de Campina, para o qual houvera sido eleito.

Que vergonha!

Agora, seu filho Cássio, nascido as vésperas do Golpe e criado sob o Regime Autoritário é quem empunha a bandeira do Impeachment golpista, levantado pela direita política e as classes abastadas do país, contra o governo legítimo de Dilma Rousseff.

Cássio assim segue, sem nenhum vinculo com a vontade do povo simples da Paraíba, que também o elegeu Senador em 2010. Cumpre, como Capitão do Mato, as ordens virulentas das oligarquias quatrocentonas paulistas. Um novo Domingo Jorge Velho ao contrário…

São os mesmos fascistas, os mesmos grupos sociais de 32, de 45, de 54 e de 64. As imagens das mobilizações de 15 de março mostraram.

Um senador pela Paraíba se passar para esse papel!!!

O pior. O Senador Cássio agora quer acabar com o Programa Mais Médicos. Propôs um “Decreto Legislativo” nesse parlamento desmoralizado, que legisla em causa própria, para romper o contrato do Brasil com a OPAS – Organização Pan-americana de Saúde, para o Brasil devolver os mais de 11 mil médicos cubanos e assim inviabilizar o Programa.

Isso porque, segundo o Senador, o governo brasileiro estaria, por esse meio, financiando a “Ditadura Castrista”.

Não vou discutir os méritos do Programa, que tem sido a salvação de milhões de pessoas que nunca tinham recebido atendimento médico em sua comunidade.

Quero apenas lembrar o Senador Playboy, que seu pai foi o primeiro governador eleito, Pós-Ditadura Militar, a visitar Cuba. Em 1991.

Ronaldo não só se apaixonou por Cuba, como se tornou PRESIDENTE DE HONRA DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL JOSÉ MARTÍ DA PARAÍBA. Associação que faz o intercambio cultural entre os povos irmãos da Paraíba e de Cuba.

Mais ainda. Em 1991/92 quando Cuba entrou no Período Especial em função do fim da União Soviética e iniciamos uma campanha em nível nacional para ENVIAR PETRÓLEO para Cuba, o poeta Ronaldo Cunha Lima não só colaborou fortemente com a campanha, como idealizou os dizeres da camiseta que espalhamos Brasil afora: “UMA GOTA DE AMOR PARA CUBA”.

Por várias vezes Ronaldo Governador recebeu delegações cubanas. Especialmente da área da saúde.

Chegamos a firmar protocolo de intenções para a vinda de profissionais de Cuba para a Paraíba. Ronaldo era um entusiasta da ideia. Infelizmente, acontecimentos trágicos ocorridos em 1993 impediram a concretização desse sonho de Ronaldo.

Existem fotos e imagens de Ronaldo Cunha Lima em Cuba, feliz com o que via na pátria de Martí.

Guardo fotos de Ronaldo com representante cubana numa Micarande em Campina Grande.

Em 2011 estive em Cuba por convite do Governador Ricardo Coutinho. Visitamos o ICAP – Instituto Cubano de Amizade com os Povos. Primeira pergunta do pessoal do ICAP: como vai NOSSO AMIGO RONALDO CUNHA LIMA? Vi alguns marejar os olhos quando falei do estado de saúde de Ronaldo, à época já grave.

Agora assistimos Cássio enterrar as virtudes democráticas, progressistas de seu pai. Tornou-se um político menor, lambe-botas das oligarquias desse país. Incorporou o coronel Demóstenes, quando prefeito de Araruna, matando o Ronaldo jornaleiro das ruas de Campina, o Ronaldo garçom dos bares de Aluísio, mas, sobretudo, envergonhando o Ronaldo poeta, sensível às causas dos de baixo.

Reproduzo poema de Ronaldo deixado em um guardanapo por ocasião da Micarande de 1992 no Antigo Beco 31…

É com imensa alegria

Nesse papel faço a rima

Minha solidariedade a Cuba,

Nesse tempo não termina

Por ser o único território livre

De toda América Latina.

Não mate seu pai de vergonha Cássio.

 

 

brasil247

Andressa dispara:’Na cama sou sem vergonha e adoro ouvir sacanagem’

andressaAndressa Ferreira posou para o Paparazzo que foi ao ar nesta sexta-feira, 24. Com 1,66m bem distríbuídos em 55 kg, ela mostrou por que Thammy Miranda , sua namorada, causa inveja em muitos marmanjos por aí.

Durante a entrevista, Andressa contou que escuta muitas piadinhas dos homens e que, por namorar uma mulher, sofre preconceito da parte deles. “Ouço muita coisa por parte dos homens por eu ser feminina. Dizem que sou um desperdício, que eu deveria ficar com eles… Sofro mais preconceito dos homens nesse sentido. A Thammy também, mas ela já está acostumada a encarar isso. Já namorei com homens e não tive essa cobrança. Antes, até quando namorava mulheres, não tinha essa exposição da minha vida pessoal, não importava para ninguém com quem eu dormia”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Andressa disse também que foi difícil para a mãe aceitar que ela namorasse mulheres. “No começo para a minha mãe foi difícil, mas ela gosta muito da Thammy. De repente minha mãe até hoje acha que é só uma fase, mas que essa fase não passou ainda. É complicado”.

A modelo revelou que a segunda transa com Thammy foi melhor que a primeira vez das duas. “A primeira foi estranho, estava saindo da balada. A segunda vez foi bem melhor. A Thammy fala que sou um pouco sem vergonha, e eu também me acho sem vergonha na cama. Não pode faltar pegada, tesão, desejo, vontade, um clima legal”, comentou. “O que mais me excita são as palavras que se falam durante o sexo. Gosto de ouvir sacanagem”.

and1.jpg

Andressa elogiou muito Thammy Miranda e foi categórica ao afirmar: “Ela tem pegada”. A modelo também contou que frequência no sexo é importante para ela. “Não fico muito tempo sem sexo. Eu gosto, faz bem para o humor”.

Em seu primeiro ensaio para o Paparazzo, a modelo disse que, sim, posaria nua, mas que não sabe se Thammy teria ciúmes. “Acho que se fosse uma coisa bacana ela não ligaria”, contou ela, que também toparia posar com a namorada. “Seria bacana e diferente”.

and2.jpg

‘Já conquistei a sogra’
Nora de Gretchen, Andressa Ferreira contou que se dá bem com a cantora. “Já consquistei a sogra. Ela é muito gente boa”. A namorada de Thammy disse que Gretchen liga para ela quando a filha não atende o telefone. “Ela é bem brava, viu? Uma vez a Thammy não atendeu o telefone e ela me ligou pedindo pra Tham (apelido carinhoso que chama a namorada) atendesse. Liguei pra ela e disse: ‘Atende que sua mãe está bem brava, hein!'”.

and3.jpg

and4.jpg

and5.jpg

and6.jpg

and7.jpg

and8.jpg

and9.jpg

and10.jpg

and11.jpg

and12.jpg

and13.jpg

and14.jpg

and15.jpg

and16.jpg

and17.jpg

and18.jpg

and19.jpg

and20.jpg

and21.jpg

and22.jpg

and23.jpg

and24.jpg

and25.jpg

and26.jpg

and27.jpg

and28.jpg

and29.jpg

and30.jpg

and31.jpg

and32.jpg

and33.jpg

and34.jpg

and35.jpg

and36.jpg

and37.jpg

and38.jpg

180 Graus

Colegas no SBT têm vergonha de Sheherazade

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Os jornalistas do SBT comentam entre si que têm vergonha de trabalhar na mesma redação que Rachel Sheherazade.

O motivo é o tipo de pensamento que a apresentadora faz questão de exibir e que incomoda grande parte de seus colegas.

O jornalismo do SBT, antes era considerado mais imparcial, está cada vez mais associado a um pensamento de direita, por conta da figura de Sheherazade.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Nesta semana, após a entrevista que ela deu a um jornal impresso na qual defendeu o deputado Feliciano e depois de seus comentários sobre a polêmica dos “rolezinhos”, a situação azedou de vez.

O problema é que ninguém na redação pode sequer pensar em tirá-la do cargo, já que a moça é protegida do patrão, Silvio Santos.

O jeito, para manter o emprego, é aguentá-la…

 

 

R7

Monopólio da mídia é “uma vergonha para um país democrático”, diz Tarso

tarsogenro“Não há liberdade sem igualdade”. É este o lema do III Fórum da Igualdade, que teve início na segunda-feira (8) com a presença do governador do Estado, Tarso Genro. O evento é promovido pela Coordenação dos Movimentos Sociais do RS (CMS/RS) e criado como um contraponto dos movimentos sociais e de esquerda ao neoliberal Fórum da Liberdade, que também começou na segunda (8). Realizado na Câmara Municipal de Porto Alegre, o fórum ainda conta com painéis nessa terça-feira (09).

Em seu discurso, o governador falou da evolução da liberdade, mencionando quatro etapas: a liberdade de pensamento, a liberdade de expressão, a liberdade de imprensa e a “liberdade de fazer circular livremente a opinião”. A primeira, articulada na Idade Média, era reivindicada pelas mulheres acusadas de bruxaria. “Na época, a Igreja organizava a dominação através do pensamento”, argumentou Tarso.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Já o conceito de liberdade de expressão surgiu no Renascimento e representava um perigo para aqueles no poder. Com a Revolução Francesa, veio a necessidade da liberdade de imprensa, de “transformar a liberdade em palavras”. E isso se tornou central à luta pela democracia, de acordo com o governador. O monopólio das grandes empresas, no entanto, ameaça a efetividade dessa liberdade. A quarta etapa, a “liberdade de fazer circular livremente a opinião”, não é possível com esse monopólio. “Não temos esse direito (de fazer circular a opinião)”, afirmou Tarso.

“O que se discute na esfera pública é controlado pelos meios de comunicação monopolizados”, acrescentou. Para exemplificar o que ele chamou de “ataque” da grande imprensa aos políticos, Tarso lembrou de dois casos nos quais, enquanto ministro, tomou decisões que foram na época duramente criticadas pela mídia. O primeiro foi o da criação do ProUni, projeto proposto por ele enquanto era Ministro da Educação. Mais tarde, o mesmo aconteceu com a proposta da criação de cotas raciais nas universidades públicas.

“Eu sofri uma campanha difamatória das grandes empresas, que diziam que eu estava sendo racista e que a medida iria baixar o nível das universidades. Havia uma clara campanha articulada contra o ProUni e contra as cotas por parte da mídia”, expôs o governador.

O segundo exemplo foi o caso de Cesare Battisti, a quem Tarso concedeu refúgio por entender que ele havia sofrido perseguição política na Itália, seu país de origem. “Battisti era um jovem militante revolucionário que tinha entrado em confronto com o governo nos anos de chumbo, como muitos de nós. Ele foi acusado sem provas”, afirmou.

A grande mídia na época se referia a Battisti seguidamente como “terrorista”. “O mesmo foi feito no processo do mensalão”, disse Tarso, garantindo que não estava procurando defender os acusados. A questão, de acordo com ele, é que “os réus, antes do juiz proferir qualquer sentença, já haviam sido condenados pela mídia”.

Apesar de haver na constituição a proibição ao monopólio midiático, na prática é preciso criar um sistema de comunicação que não seja dependente dos financiamentos dos grandes grupos econômicos. O governador afirma que, ao contrário do que dizem os contrários à regulamentação midiática, ela não representa o fim da liberdade de expressão, mas sim o fim do monopólio. “Isso (o monopólio midiático) é uma vergonha para um país democrático”, afirmou Tarso.

Para o governador, o neoliberalismo, cujos defensores atacam a proposta de regulamentação da mídia, está em crise. Esse modelo, que propõe a privatização e a destituição do Estado, não se preocupa “com a real igualdade”, afirmou. “Existe um conflito entre os que acreditam no neoliberalismo e os que que não compactuam com guerra, com o preconceito, com a violência e com a exclusão de quem está fora do mercado”. O desafio para o Brasil, de acordo com Tarso, é encontrar um modelo de desenvolvimento capaz de não isolar o país internacionalmente e, ao mesmo tempo, dar ao Estado soberania e autonomia, para que este não dependa das iniciativas privadas.

Políticos e representantes de movimentos destacam importância do Fórum
O painel “Participação popular e democratização do Estado”, realizado logo após a abertura, contou com a a presença do vereador Alberto Kopittke, do deputado Raul Carrion, além dos representantes do Instituto de Justiça Fiscal, da Via Campesina, da CTB (Central dos Trabalhadores do Brasil) e da Conan. Claudir Nespolo, presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), e Cláudia Prates, da Marcha Mundial das Mulheres, apresentaram a mesa.

Durante sua fala, Carrion destacou os avanços brasileiros nos últimos dez anos e a importância das “três vitórias da esquerda”, referindo-se aos governos Lula e Dilma. “Esse evento é um importante contraponto ao chamado Fórum da Liberdade. Há um avanço na resistência ao neoliberalismo, e talvez a América Latina seja o continente onde isso aconteceu com mais força”, afirmou o deputado.

O vereador Kopittke sugeriu que o próximo Fórum da Igualdade comece a ser organizado imediatamente após o final dessa edição, destacando a importância do evento. Ele mencionou a morte da ex-primeira-ministra da Inglaterra, Margaret Thatcher, que faleceu na manhã de hoje. “Lá no outro Fórum (da Liberdade) devem estar homenageando a percursora do neoliberalismo”, disse.

Kopittke destacou ainda a luta dos movimentos sociais e da juventude contra o aumento das passagens, criticando a prefeitura e a atuação midiática. “Apesar do governo municipal não ter atendido às reivindicações dos jovens e da grande mídia ter criminalizado os protestos, ainda assim os movimentos se ergueram”, completou.

O evento segue nesta terça-feira às 9h com o painel “Um novo modelo de desenvolvimento – Ética e Justiça Social”. Às 14h30min, o tema será “Liberdade de expressão e democratização dos meios de comunicação”.

 

 

cartamaior

Vergonha: Justiça da PB tem o pior desempenho no julgamento de homicídios no Brasil

tjpbA Justiça da Paraíba não cumpriu as metas de julgamentos de crimes dolosos contra a vida, obtendo o pior resultado entre todos os Estados brasileiros. A Meta 4, estabelecida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), era o julgamento até 2012 das ações penais referentes a homicídios dolosos anteriores a 31 de dezembro de 2007. A Paraíba só julgou 19,44%. Na verdade, um péssimo desempenho.

Apenas em dois Estados – Sergipe (100%) e Amapá (90,91%) – e no Distrito Federal (98,29%) os tribunais do júri conseguiram julgar mais de 90% das ações referentes a homicídios ocorridos antes de 31 de dezembro de 2007.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A Meta 4 deveria ser cumprida em três anos. A Justiça falhou em praticamente todo o Brasil.

Quadro

 

De acordo com relatório divulgado pelo CNJ nesta quarta-feira, de 25.917 ações de homicídio doloso prontas para julgamento pelos tribunais do júri nos diversos Estados foram concluídos 14.786 processos (57,05%).

A Justiça de oito Estados não julgou sequer a metade dos processos anteriores a 2007. Veja o quadro: Alagoas (48,2%), Espírito Santo (49,49%), Goiás (32,92%), Maranhão (45,22%), Mato Grosso (32,05%), Paraíba (19,44%), São Paulo (36,27%) e Tocantins (44,62%).

Nos outros 11 Estados, a Justiça chegou a ultrapassar o percentual de 70% de julgamentos de crimes dolosos contra a vida cometidos antes de 2007.

Meta 3 

Os tribunais de Justiça estaduais também cumpriram outra meta estabelecida pelo CNJ (Meta 3), que era a de que todos os processos de tribunais do júri anteriores a 2008 chegassem, até o fim do ano passado (31/12/2012) à fase da pronúncia – etapa semifinal do processo, momeno a partir da qual começa a ser contado o prazo de prescrição do crime, que é de 20 anos.

Segundo o relatório do CNJ, mais de 24 mil dos 60 mil processos de homicídio não chegaram à fase de pronúncia.

Sensação de impunidade

Não se tenha dúvida que é essa lentidão da Justiça no julgamento de homicídios que dissemina a sensação de impunidade no Brasil, o que acaba estimulando a criminalidade.

No Brasil, para cada 100 mil habitantes ocorrem, em média, 29 homicídios. A média mundial é de 6,9%

 

 

Josival Pereira

Operação ‘Concutere’: Couto diz que ligação de policiais com o tráfico de drogas é uma vergonha

 

luiz couto“O vazio da imbecilidade humana se faz no obscurantismo do coração”. Esta foi à frase proferida pelo deputado Luiz Couto (PT), da tribuna da Câmara Federal, ao ser informado da Operação ‘Concutere’, executada pelo Grupo de Operações Especiais (GOE)) da Polícia Civil da Paraíba, que prendeu na terça-feira (19/2), em João Pessoa, policiais civis e um delegado suspeitos de integrarem uma organização criminosa que extorquia traficantes.

Couto disse que construiu o vocábulo durante a caminhada com aqueles que lutam contra o que chamou de crimes sádicos de corrupção, milícia privada, extorsão, tráfico de drogas e grupos organizados de extermínio. “Essa expressãodemonstra a minha indignação e intolerância com policias que “deviam proteger a sociedade e estão desonrando as fardas”, acrescentou.

Tomando como base o relato do delegado que comandou a operação, Cristiano Jacques, o deputado relatou que, no ato da prisão, os policiais civis cobravam dos traficantes até R$ 30 mil para livrar os flagrantes e depois do pagamento faziam apenas o Termo Circunstanciado da Ocorrência (TCO) para em seguida liberá-los.

“Afirmo, como parlamentar e defensor de direitos humanos, que a corrupção policial em conexão com o tráfico de drogas tem acarretado uma vergonha nacional diante dos olhos humanos, que se opõem a estes devastadores e destruidores da corporação chamada Polícia”, bradou.

Por fim, Luiz Couto parabenizou o secretário de Estado da Segurança e da Defesa Social (Seds), Cláudio Coelho Lima, e o GOE pela pelo sucesso da operação denominada ‘Concutere’, “que significa balançar as arvores para que o fruto caia”.

Ascom Dep. Luiz Couto