Arquivo da tag: vereador

Suplente de vereador do município de Bananeiras Elielson do Gesso repudia proposta aprovada para 13º de vereadores, prefeito e vice

O suplente de vereador do município de Bananeiras no Brejo Paraibano Elielson do Gesso que é um grande desportista e sempre contribui com o esporte de seu município, ele repudia a proposta aprovada pelos Vereadores para pagamento de décimo terceiro salário e também do prefeito e vice juntamente com direito a décimo terceiro.

“Em um momento tão caótico que vivemos em nossa sociedade com essa pandemia e a escassez de recursos públicos ainda temos que ver de agentes públicos tamanha atrocidade, acho muita falta de respeito com dinheiro público que deveria se está fazendo economia e não ter esse aumento de gastos sem necessidades”, finalizou Elielson do Gesso.

“Fica aqui minha indignação e tristeza por esse ato que deveria tá sendo paga investimentos na saúde, na educação, na ação social, na construção de casas para quem precisa. Espero que a população veja quem está procurando ajudar a se próprio e não o bem coletivo dos que mais precisa que é nossa população”, Elielson do Gesso.

 

Esporte do Vale

 

 

Vereador sofre infarto e morre durante apuração de votos na Paraíba

O vereador de Caraúbas José Josimá Ferreira da Silva, conhecido como Bazoca, morreu, no fim da tarde desse domingo (15), durante apuração dos votos das Eleições 2020. Ele tinha 56 anos e foi vítima de um infarto. Na votação deste ano, Bazoca havia sido reeleito para seu quarto mandato consecutivo, pelo MDB, com 177 votos.

No Instagram, a filha do vereador, Ingryd Vilar, contou que ele passou mal e desmaiou. “Pensei que era uma pressão baixa. Que nada, era uma PCR [parada cardiorrespiratória]”, relatou. Ingryd Vilar, que é enfermeira, tentou socorrer o pai. Ela contou com ajuda de outros profissionais de saúde da cidade. Foram 35 minutos de tentativas de reanimação, mas o vereador não resistiu.

 

Eleições 2020: Cresce o número de candidatos analfabetos concorrendo a vereador

As eleições deste ano registraram um número maior de candidatos que se declararam analfabetos se compararmos com a disputa eleitoral anterior. É isso o que revela um levantamento feito pelo portal Brasil61.com constando que, para estas eleições, foram registradas 20 candidaturas para o cargo de vereador com pessoas declaradas como analfabetas, enquanto em 2016 esse número foi de apenas seis candidatos.

Tanto agora em 2020 quanto na eleição anterior, não houve nenhum candidato registrado como analfabeto para concorrer ao cargo de prefeito. Todas as regiões do país apresentam candidatos nestas condições, mas duas regiões concentram o maior número, sendo o Norte e o Nordeste com sete pessoas que não sabem ler e nem escrever concorrendo à uma cadeira de vereador. O Sudeste vem logo depois com três candidatos, o Centro Oeste com dois e o Sul com apenas um candidato declarado analfabeto.

De acordo com o Artigo 14, referente aos Direitos Políticos, apresentado na Constituição Federal, esses aspirantes a um cargo público são inelegíveis. Como forma de agilizar o processo, os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) exigem comprovante de escolaridade, mas se o candidato não tiver como apresentar, ele pode provar que sabe ler e escrever. Desta forma, caso tenham “capacidade mínima de escrita e leitura”, ficam aptos a disputar a vaga.

Segundo a advogada eleitoral, Carla Rodrigues, existem algumas formas de o candidato comprovar sua habilidade na leitura e na escrita, por meio de documentos, para que possa ser apto à participar das eleições como candidato.

“Os documentos que são apresentados são certificados de conclusão de curso em algum nível de escolaridade, ou seja, ensino fundamental, médio ou superior. Mas existe a Súmula do TSE, de número 55, afirmando que a CNH gera presunção da escolaridade necessária. De toda forma, isso vai caber ao juiz eleitoral considerar o comprovante de escolaridade apresentado e decidir pela exigência ou não de eventual complementação ou comprovação alternativa, prevista na Legislação Eleitoral, caso ele tenha alguma dúvida”, explicou a advogada.

De acordo com a cientista política e Articuladora Política Voluntária da ONG Elas no Poder, Noemi Lopes, é importante ter representatividade de todas as classes da sociedade no âmbito político, mas qualquer cargo de gestão pública precisa de alguns conhecimentos mínimos para que as políticas sociais sejam realizadas de maneira efetiva e para trazer benefício à população.

“Infelizmente percebemos que isso traz uma defasagem educacional que pode, inclusive, ser perpetuada por falta de conhecimento, de informação técnica. Um gestor público que não teve acesso à educação e vai estar na linha de frente promovendo legislação para a sua comunidade é até incoerente”, destacou a cientista política.

Para as eleições deste ano, 70.443 candidatos afirmaram à Justiça Eleitoral que não concluíram os estudos do Ensino Fundamental. Essa etapa é quando ocorre a alfabetização do aluno, que até os seis anos deve aprender a ler e escrever.

Fonte: Brasil 61

 

 

Candidato a vereador pelo MDB em Bananeiras, doa para a própria campanha valores acima do patrimônio declarado

Pelo menos 84 candidatos na Paraíba registraram doações para a própria campanha em valor superior ao patrimônio declarado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Do total, 81 declaram não ter qualquer patrimônio, apesar de terem colocado dinheiro na própria campanha.

O levantamento feito pelo G1 mostra ainda que as diferenças entre autodoação e patrimônio, na Paraíba, chegam a R$ 20 mil. As doações não são consideradas ilegais, mas levantam indícios de supostas irregularidades nas declarações de patrimônio dos candidatos.

A professora da PUC Minas Virtual e assessora jurídica no TSE Lara Ferreira lembra ainda que a resolução 23.609 de 2019 do TSE exige dos candidatos uma “relação atual de bens” – ou seja, a relação de bens existentes no momento do registro de candidaturas.

“A rigor, se ela tem dinheiro na poupança ou em investimentos, ela deveria ter relacionado esses recursos financeiros também no momento do registro de candidatura”, diz a professora. Ela lembra, porém, que o candidato pode “ter tido uma compreensão inadequada da norma” ou pode ter feito um empréstimo para colocar dinheiro na própria campanha, e que não necessariamente se trata de algo ilícito.

“Mas será um elemento que, com certeza, chamará a atenção na prestação de contas e que levantará questionamentos por parte da Justiça Eleitoral”, destaca.

O cientista político Bruno Schaefer, pesquisador da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), afirma ainda que o patrimônio desses candidatos pode estar no nome da esposa ou do marido. Outra hipótese é que o candidato não tenha declarado todos os bens ou pode ter declarado o bem com valor abaixo da realidade.

Mais dinheiro do próprio bolso do que o patrimônio declarado: levantamento identificou 3.737 candidatos nessa situação; análise considera dados até esta terça-feira — Foto: Aparecido Gonçalves / G1

Mais dinheiro do próprio bolso do que o patrimônio declarado: levantamento identificou 3.737 candidatos nessa situação; análise considera dados até esta terça-feira — Foto: Aparecido Gonçalves / G1

Mais recursos do que patrimônio

O candidato André Gomes (PDT), que disputa a reeleição à Prefeitura de Boa Vista, doou R$ 20 mil do próprio bolso para a campanha. Ao mesmo tempo, André declarou não ter qualquer patrimônio. Em resposta ao G1, o candidato diz que o dinheiro é resultado de dois empréstimos, feitos à Caixa Econômica, como pessoa física: CDC automático e CDC salário.

O segundo candidato que fez a segunda maior doação para a campanha, mesmo sem ter declarado qualquer patrimônio, foi o candidato Aldo Cabral (PSD), que tenta a reeleição para o cargo de vereador, em Campina Grande. O candidato desembolsou R$ 11,5 mil.

Ao G1, Cabral explicou que a quantia investida está dentro do valor que pode ser doado, que equivale a 10% do total da renda recebida como vereador, nos últimos anos de mandado. De acordo com o candidato, ele poderia ter doado até R$ 13 mil.

O terceiro da lista que mais doou para a campanha, sem ter declarado qualquer patrimônio, foi o candidato a vereador de João Pessoa, Fernando Passos (Patriota). Segundo dados do TSE, Passos desembolsou R$ 4 mil. O G1 tentou contato com o candidato, mas até a publicação desta matéria não havia obtido resposta.

Candidatos que fizeram autodoação acima do patrimônio declarado

Doações de candidatos para a própria campanha acima do patrimônio declarado

Candidato Partido Cidade Autodoação Patrimônio declarado
ANDRÉ GOMES PDT BOA VISTA 20000 0
ALDO CABRAL PSD CAMPINA GRANDE 11500 0
FERNANDO PASSOS PATRIOTA JOÃO PESSOA 4000 0
JACKSON PEIXOTO PDT CRUZ DO ESPÍRITO SANTO 2900 0
GONÇALVES DE MANGABEIRA CIDADANIA JOÃO PESSOA 2800 0
FABRÍCIO SALES PP MAMANGUAPE 2500 0
ALEX LUCENA REPUBLICANOS CABEDELO 2128 0
FAUSTINO DEM NOVA FLORESTA 2550 445.31
DINHO AVANTE PB CABEDELO 2124
SANDRA COUTINHO PSB JOÃO PESSOA 2000 0
NICODEMOS COSTA MDB BANANEIRAS 1650 0
RISONETE MENDONÇA ADVOGADA PSDB SANTA RITA 1430 0
AMÉLIA FONSECA DEM UIRAÚNA 1200 0
EDIGLEY DE FRANCISQUINHA MDB MONTE HOREBE 1180 0
VALTER PAPEL PP PEDRO RÉGIS 1120 0
SOCORRO MARQUES PSB CONDE 1060 0
LUZIA TRAJANO PSC CAJAZEIRAS 1045 0
KADJA NASCIMENTO CIDADANIA MAMANGUAPE 1042 0
ADOLFO PL SERRA REDONDA 1030 0
ANDRE COUTINHO DEM CABEDELO 1000 0
MATHEUS DE GERALDÃO PSDB COREMAS 1000 0
VALTIERE MDB MONTE HOREBE 1000 0
HUMBERTO COLEGUINHA PSB CAJAZEIRAS 1000 0
JUCINÉRIO FÉLIX PSB CAJAZEIRAS 1000 0
PROFESSORA JUCY ARAÚJO CIDADANIA SUMÉ 1000 0
JOSINALDO CIDADANIA ITABAIANA 1000 0
NALDOCELL PSB CONDE 1000 0
JÔ DE DUDA PSD LAGOA DE DENTRO 1000 0
SUENYA ROSA PSB CASSERENGUE 1000 0
PEO DA GALINHA CIDADANIA RIO TINTO 1000 0
WELLINGTON DA PAZ AVANTE CABEDELO 1000 0
MILENA DINIZ PSB BONITO DE SANTA FÉ 995 0
AURELIO DE CONSTATINO CIDADANIA BERNARDINO BATISTA 900 0
DAGMANDO CIDADANIA CUITÉ 890 0
JARDEL DA CIDADANIA CIDADANIA JOÃO PESSOA 870 0
LUCIANO BARROS CIDADANIA AREIAL 830 0
PRETINHA CIDADANIA BERNARDINO BATISTA 820 0
GERVASIO DE GERSON CIDADANIA BERNARDINO BATISTA 800 0
CRISTINA DA SAUDE REDE LAGOA SECA 800 0
BIA DA PESCA PDT COREMAS 800 0
GABI BRITO PL SANTA RITA 795 0
VAL DE CURRALINHO DEM ITAPOROROCA 720 0
CHIQUINHO PDT MOGEIRO 704 0
AÑGELA CEIA PSDB GADO BRAVO 700 0
GIDEVAL PSB BARAÚNA 700 0
ANTONIO CARLOS SARMENTO CIDADANIA SUMÉ 670 0
CARLINHOS FILHO DEM DUAS ESTRADAS 645 0
JANAINA MENDES PSDB SÃO MIGUEL DE TAIPU 500 0
DINHO PDT GURINHÉM 500 0
CHICO PESSOA CIDADANIA ARAÇAGI 500 0
DEDÉ FLORÊNCIO PSDB SÃO JOSÉ DA LAGOA TAPADA 500 0
ALANA FIALHO CIDADANIA CUITÉ 450 0
EUZA DE CICINHO MDB COREMAS 450 0
CICINHO DE JOANINHA MDB COREMAS 450 0
AQUILLIS DE TATÁ PSC ALAGOA GRANDE 422 0
FERNANDO SOBRINHO DEM CABEDELO 400 0
BRANCA SOLIDARIEDADE POÇO DANTAS 400 0
ADILEUZA ALMEIDA SOLIDARIEDADE POÇO DANTAS 400 0
TOINHA DE MACIAL SOLIDARIEDADE POÇO DANTAS 400 0
DEDÉ DE MOISÉS SOLIDARIEDADE POÇO DANTAS 400 0
LUIZ RICARDO PODE CAMPINA GRANDE 400 0
ORESTES MDB DUAS ESTRADAS 400 0
ALEX DEM RIO TINTO 360 0
ZE CANDIDO PP SANTA HELENA 320 0
DIRA CORREIA PP SANTA HELENA 320 0
ASSIDIA SOARES PP SANTA HELENA 320 0
FERNANDO ROLIM PP SANTA HELENA 320 0
PINGA PP SANTA HELENA 320 0
CILDO PARNAÍBA PP SANTA HELENA 320 0
SUDA PP SANTA HELENA 320 0
ELENILZA SOARES PP SANTA HELENA 320 0
DR ADAILTON DEM REMÍGIO 300 0
RENATO DO CARIUS CIDADANIA CAMPINA GRANDE 260 0
PASTOR SERGIO LOURENÇO PSC CONDE 220 0
PAULA DE GU PSD SÃO VICENTE DO SERIDÓ 200 0
FATIMA DE MATA LIMPA PSC AREIA 192 0
JANILSON HASTEG DEM DUAS ESTRADAS 160 0
SARGENTO CALDAS PSB JOÃO PESSOA 150 0
DIEGO GOMES CIDADANIA SOSSÊGO 950 800
LEANDRO SALES CIDADANIA FAGUNDES 130 0
PIERRY PL NOVA PALMEIRA 100 0
CLEITON REPUBLICANOS SOLEDADE 100 0
DR ANDRÉ PDT CABEDELO 100 0.01
JOSIAS VIANA CIDADANIA BAÍA DA TRAIÇÃO 10.45 0
G1

 

Filho de vereador é encontrado morto dentro de casa, em Patos

Nesta terça-feira (13), o  filho do vereador da cidade de Patos, Ramon Pantera, conhecido como Valtinho Pantera, de 25 anos, foi encontrado morto em sua residência.

De acordo com as informações, Valtinho havia chegado recentemente de São Paulo.

A polícia segue investigando o caso mas até o momento não há informações sobre o que teria motivado a morte do jovem.

PB Agora

 

 

Eleições 2020: Cresce o número de candidatos analfabetos concorrendo a vereador

As eleições deste ano registraram um número maior de candidatos que se declararam analfabetos se compararmos com a disputa eleitoral anterior. É isso o que revela um levantamento feito pelo portal Brasil61.com constando que, para estas eleições, foram registradas 20 candidaturas para o cargo de vereador com pessoas declaradas como analfabetas, enquanto em 2016 esse número foi de apenas seis candidatos.

Tanto agora em 2020 quanto na eleição anterior, não houve nenhum candidato registrado como analfabeto para concorrer ao cargo de prefeito. Todas as regiões do país apresentam candidatos nestas condições, mas duas regiões concentram o maior número, sendo o Norte e o Nordeste com sete pessoas que não sabem ler e nem escrever concorrendo à uma cadeira de vereador. O Sudeste vem logo depois com três candidatos, o Centro Oeste com dois e o Sul com apenas um candidato declarado analfabeto.

De acordo com o Artigo 14, referente aos Direitos Políticos, apresentado na Constituição Federal, esses aspirantes a um cargo público são inelegíveis. Como forma de agilizar o processo, os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) exigem comprovante de escolaridade, mas se o candidato não tiver como apresentar, ele pode provar que sabe ler e escrever. Desta forma, caso tenham “capacidade mínima de escrita e leitura”, ficam aptos a disputar a vaga.

Segundo a advogada eleitoral, Carla Rodrigues, existem algumas formas de o candidato comprovar sua habilidade na leitura e na escrita, por meio de documentos, para que possa ser apto à participar das eleições como candidato.

“Os documentos que são apresentados são certificados de conclusão de curso em algum nível de escolaridade, ou seja, ensino fundamental, médio ou superior. Mas existe a Súmula do TSE, de número 55, afirmando que a CNH gera presunção da escolaridade necessária. De toda forma, isso vai caber ao juiz eleitoral considerar o comprovante de escolaridade apresentado e decidir pela exigência ou não de eventual complementação ou comprovação alternativa, prevista na Legislação Eleitoral, caso ele tenha alguma dúvida”, explicou a advogada.

De acordo com a cientista política e Articuladora Política Voluntária da ONG Elas no Poder, Noemi Lopes, é importante ter representatividade de todas as classes da sociedade no âmbito político, mas qualquer cargo de gestão pública precisa de alguns conhecimentos mínimos para que as políticas sociais sejam realizadas de maneira efetiva e para trazer benefício à população.

“Infelizmente percebemos que isso traz uma defasagem educacional que pode, inclusive, ser perpetuada por falta de conhecimento, de informação técnica. Um gestor público que não teve acesso à educação e vai estar na linha de frente promovendo legislação para a sua comunidade é até incoerente”, destacou a cientista política.

Para as eleições deste ano, 70.443 candidatos afirmaram à Justiça Eleitoral que não concluíram os estudos do Ensino Fundamental. Essa etapa é quando ocorre a alfabetização do aluno, que até os seis anos deve aprender a ler e escrever.

Fonte: Brasil 61

 

 

Solânea tem cinco candidatos a prefeito e 59 a vereador; veja quem são

O município de Solânea tem cinco candidatos a prefeito e 59 a vereador nas eleições deste ano registrados no Tribunal Superior Eleitoral.

Clique aqui e veja quem são todos os candidatos

Os postulantes ao cargo de chefe do Poder Executivo são: Beto do Brasil (Cidadania), Galega do Povo (PSD), Junior Viana (Solidariedade), Kayser Rocha (DEM) e Walter Junior (MDB).

A campanha começou oficialmente nesse domingo (27). O primeiro turno das eleições será no dia 15 de novembro. O segundo será no dia 29 do mesmo mês. As datas sofreram alterações este ano por conta da pandemia do novo Coronavírus.

 

Redação FN

 

 

Vereador de Bananeiras chama João Azevêdo de traidor após anúncio de apoio à oposição

O vereador de Bananeiras, Pedrinho Batista, chamou João Azevêdo (Cidadania) de traidor. O governador anunciou na semana passada apoio à pré-candidatura de Matheus Bezerra (MDB) e a escolha não foi vista com bons olhos pela bancada de situação que apoiou e pediu votos para João nas eleições de 2018.

“Política é uma aposta e apostamos em João Azevêdo. E aí, ele nos surpreende com uma foto e em cima está estampado a palavra traição. A política, já dizia Brizola, perdoa a traição, mas não perdoa traidores”, atacou Pedrinho.

O parlamentar criticou o fato de João não ter feito nenhuma obra em Bananeiras em quase dois anos de mandato e disparou: “Ele foi pro canto certo, porque ele foi para o lado de Matheus que não trabalha. Então, foi pro lado certo e desafio qualquer um a dizer o que ele trouxe pra nossa cidade”.

 

Redação FN

 

Luto em Alagoa Grande: vereador Deda Ribeiro morre vítima da Covid-19

A cidade de Alagoa Grande está de luto com a notícia da morte do vereador José Ribeiro Agra Filho, conhecido por Deda Ribeiro, de 56 anos, ocorrido na tarde desta quinta-feira (2), vítima da Covid-19.

Deda estava internado no Hospital Prontovida, em João Pessoa, desde o último sábado (27/06) e lutava contra o vírus, mas acabou sendo vencido pela doença que já matou mil paraibanos desde o início da pandemia. Deda foi atendido inicialmente no Hospital Municipal de Alagoa Grande e depois transferido para João Pessoa, sendo levado direto para a UTI com sintomas graves.

Deda era funcionário efetivo da Câmara (agente administrativo) e estava em seu terceiro mandato como vereador de Alagoa Grande. Chegou a disputar a majoritária na condição de candidato a vice-prefeito, em 2008, mas perdeu a disputa. Voltou a disputar mandato de vereador em 2012, venceu a eleição e se reelegeu em 2016. O primeiro mandato de vereador de Deda foi de 2005 a 2008.

Ele deixa a viúva, a senhora Irece Agra, os filhos Ítalo e Ítala e milhares de amigos que fez durante sua carreira política. Considerado um parlamentar atuante, a vida toda dedicou-se em contribuir para a cidade e a melhoria de vida das pessoas.

Por causa da infecção com o vírus, não haverá cerimônia de velório e o sepultamento poderá ser acompanhado apenas por alguns familiares, para evitar risco de contágio por outras pessoas.

 

portal25horas

 

 

Vereador Pedrinho Batista lamenta atitude da oposição de Bananeiras por aprovar aumento desigual na contribuição da Previdência 

O vereador de Bananeiras, Pedrinho Batista, lamentou a atitude da bancada de oposição por votar um aumento desigual na contribuição da Previdência Municipal, prejudicando o servidor em contrapartida a classe patronal.

De acordo com Pedrinho, o Poder Executivo enviou ao Parlamento o Projeto de Lei Complementar 01/20, que prevê a adequação das alíquotas do Instituto da Previdência Municipal – a reforma da Previdência local.

Ele esclareceu que o texto principal enviado pela prefeitura indicava a alteração da alíquota do servidor público de 11% para 14% e, em contrapartida, a patronal seria alterada de 17% para 28%.

Contido, ainda conforme o vereador Pedrinho, a bancada de oposição apresentou uma emenda substitutiva para aumentar a contribuição do servidor de 11% para 14% e manter a patronal em 17%, “retirando do pequeno e deixando no mesmo patamar anterior a contribuição patronal, indo de encontro a moralidade. Ofertamos a possibilidade de aumento isonômico de 3% para o servidor, bem como da parte patronal, proposta não aceita pela oposição que estava irredutível em manter em 17% a contribuição patronal”.

O parlamentar lamentou a atitude da oposição. “Mais uma vez a oposição tenta atingir a gestão e atinge a população, colocando em risco o futuro dos servidores. Todos os municípios estão aumentando ambas as alíquotas para 14% e 28%. Bananeiras se torna um ponto fora da curva”, enfatizou.

FN com assessoria

 

 




Focando a Notícia -
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627